quinta-feira, 3 de novembro de 2011

UMA PROFISSÃO DE FUTURO...

Sentada à sua secretária, ela esboçava as primeiras linhas em traços largos, depois vincava os contornos e delineava os pormenores, colorindo os modelos de vestidos, saias, calças, blusas, casacos e jaquetas numa multiplicidade de tons garridos. À medida que ia avançando no trabalho, ia apreciando os seus progressos. Sabia que os seus esboços ainda não estavam perfeitos, teria de se empenhar cada vez mais.
A decisão de vir a ser uma grande estilista tinha sido a mais importante da sua vida: agora não podia desistir! Ao dar os últimos retoques àquele longo vestido vermelho, o seu preferido da coleção, imaginava-o envergado por uma elegante mulher de carne osso, a desfilar numa passerelle, enquanto o público aplaudia entusiástico e os flashs dos repórteres fotográficos disparavam incessantemente. No final, evidentemente, todas as modelos voltavam ao desfile e iriam trazê-la dos bastidores para a boca de cena, onde lhe entregariam um enorme ramo de flores e ela agradeceria emocionada a todos os presentes, no meio de uma nova saraivada de palmas e de flashs.
Nos dias seguintes todos os jornais e revistas - em particular, as de moda - divulgariam o enorme sucesso do acontecimento, suceder-se-ia uma chuva de convites para entrevistas ou apresentações televisivas, possivelmente até para algumas festas, onde muitos famosos do jet-set nacional e até estrangeiro marcariam presença...
A mãe entrou no quarto nesse preciso momento e interrompeu-lhe o devaneio. Ao mirar os desenhos espalhados em cima da secretária, perguntou, de sobrolho franzido: "Joaninha, não tens teste de matemática amanhã?"
Ela resolveu ignorar a pergunta e declarou: "Eu vou ser estilista!"
- Ah!!! Então vou-te inscrever num curso de costura...
- Costura?! Para quê?
A mãe sorriu à filha de 11 anos e rematou: "Sim, minha querida, porque tu nunca coseste sequer um botão! Ou julgas que não é preciso?"
(história vagamente baseada num episódio verídico)
.

18 comentários:

  1. Gostei muito desta treta e historieta, fabulosamente narrada.:)
    Aos 11 anos as mentes divagam tanto!
    Engraçado. Não me recordo se, nessa altura, a minha já divagava assim. Como ainda brincava com bonecas, julgo mesmo que o único sonho que tinha era ter uma família.:)
    beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Pois é... mãe sabe! E são estas profissões que provavelmente resistirão às crises do capital. :)

    ResponderEliminar
  3. O mal da Joaninha é o mal de muitos meninos e meninas, quererem ser alguma coisa, com muito sucesso, claro, sem começarem por aprender o básico ;)

    Com 11 anos, eu queria ser enfermeira :)

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
  4. É como um familiar meu, que quer ser engenheiro informático porque gosta muito de jogos de computador. Mas ate agora só conseguiu queimar PC's...

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  5. Olá! Também partilho da opinião de que muitos miúdos (e graúdos) querem logo o sucesso sem trilhar os caminhos para o conseguir - e que, por vezes, custam muito. Para se ser estilista, há que aprender a costurar. Sem saber de costura, como se avalia um trabalho?

    ResponderEliminar
  6. :) Muito bem contada esta história. Gostei muito.
    Não faço ideia se em miúda imaginava ou sonhava muito com o meu futuro, mas sei que brincava imenso aos escritórios e por aqui ando a trabalhar num escritório. ;) Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Divagam ainda mais, quando têm teste de matemática no dia seguinte, NINA! :))

    Pois, mas suponho que todas já passámos por isso, eu por esta altura só queria brincar à "Lagardére" ou aos índios e cowboys - nota-se muito que não era de brincadeiras com bonecas?!? :D

    A ideia de ter uma família estava lá, mas isso seria num futuro distante, lá para os 18 ou coisa... ;)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  8. Aí concordo contigo, LUISA! Um curso de costura dará mais jeito do que um de Filosofia, por exemplo, para seguir uma profissão! :)

    ResponderEliminar
  9. Sem começarem por aprender o básico e sem pensarem no trabalho que dá, MARIA! ~xf

    Sucesso é uma coisa fácil e garantida, com meia dúzia de garatujas num papel, na mentalidade destas crianças! Enfim, vão ter muito que aprender... :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  10. E achas que é caso único, RAUF? Conheço meia dúzia deles que quiseram seguir esse curso, porque adoram jogar nas consolas ou PCs... :))

    Depois o curso em si será uma (desagradável) surpresa, porque não tem cadeiras para ver quem joga melhor (ou pior) Tomb Raider ou afins! :S

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  11. Olá, ANA! É óbvio que sem se saber costurar não se vai longe na profissão de estilista. Mesmo sabendo e tendo muito jeito para desenho, também está longe de ser garantido. Há profissões que exigem um enorme talento e criatividade, a par de muito trabalho. Mas estas meninas só pensam no "glamour" da coisa... :))

    ResponderEliminar
  12. Eu tenho a certeza que só pensava em brincadeira, TONS DE AZUL! Mas de certeza que não tinha estes sonhos de "glamour" e fama... embora a certa altura ainda quisesse ser atriz! :))

    Ainda bem que estás de volta ao escritório! :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  13. Relacionando com o post acima. O problema de muita gente é que gosta de mel, mas não é capaz de subir às árvores...
    Bom fds

    ResponderEliminar
  14. Exatamente, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA! E alguns não são assim tão miúdos... ;)

    ResponderEliminar
  15. C'est la vie, LOPESCA! :)

    ResponderEliminar
  16. esse é uma das dificuldades dos professores. os putos não vêem o futuro porque, naturalmente, ainda falta para ele chegar.

    ResponderEliminar
  17. Além que estudar, normalmente, é uma chatice, MOYLITO! :E

    Nestas idades, ainda mais! 8-o

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)