sexta-feira, 25 de novembro de 2011

ÀS QUINTAS... POIROT!

Não costumo perder, em direto ou gravado! A reposição dos episódios da série "Poirot" passa na RTP Memória todas as quintas-feiras (por volta das 22h30m) e  repete às sextas, desta vez lá para a 1 da manhã. Dois episódios, com cerca de 50 minutos cada, esporadicamente o segundo sendo continuação do primeiro.

Para que não restem dúvidas, os policiais de Agatha Christie são, de longe, muito superiores à série, que nem sempre os segue à risca, talvez até devido ao limite da metragem. Por vezes até entediam ligeiramente, cingindo-se à ação principal e aos tiques do detetive belga. Mas David Suchet compõe o Poirot  mais credível que já vi - uma figura caricata num ambiente muito próximo ao criado pela escritora, a maior parte deles desenrolados numa Inglaterra preconceituosa e conservadora, no seio de uma elite social meio decadente, dos anos 30/40/50 do século passado. Ou seja, geralmente, os traços primordiais do enredo estão retratados...

Ontem, tive a primeira grande desilusão! Encaixaram Poirot (à força?!) num livro onde não marca presença, adulteraram o enredo com cortes nas personagens e a inventar outras tantas, que, se não fosse a semelhança dos crimes e do modus operandi do criminoso, diria que me faltava ler esse! Ora a "tia" Agatha nunca se repetiu, embora as motivações humanas para cometer um crime possam ser quase sempre as mesmas - desespero, ganância, amor ou ódio e por aí adiante (mas não muitas mais). Pior é que, alterando o raciocínio lógico da autora, perdeu-se o sentido do argumento em si, nem sequer deu para perceber o porquê de enfiarem para lá uma revolução sul-americana pelo meio, mudarem de criminoso e, consequentemente, os seus objetivos. Resumindo: um fiasco!

BOM FIM DE SEMANA PARA TOD@S!
(sem fiascos, claro!)

ADENDA A 26/11/2011: o episódio intitula-se "The Yellow Iris" e descobri agora que foi baseado num folhetim radiofónico de 1937 da escritora, que não obteve grande sucesso; nunca foi publicado e tinha como ponto de partida um outro conto, mas posteriormente Agatha Christie desenvolveu a história e publicaria "Sparkling Cyanide" (entre nós, intitulado "À Saúde... da Morte" ou "Um Brinde à Morte") em 1945; portanto, fica o esclarecimento que os argumentistas da série britânica não alteraram deliberadamente o argumento, apenas se basearam no folhetim radiofónico - o que não invalida que o livro tenha um enredo mais bem conseguido.

Imagem da net.
.

25 comentários:

  1. Como não aprecio policiais, julgo que nunca vi um episódio por inteiro.
    Ler, então, é que não li mesmo. (pelos vistos, desta vez, não perderia nada.:))
    beijinhos e um ótimo fds!

    ResponderEliminar
  2. David Suchet é, também para mim, o Poirot mais credível, embora também goste imenso de ver os filmes com o Peter Ustinov.
    Além de estes filmes passarem constantemente na TV, em Portugal, a Lulu tem a colecção completa e, aqui, a Vani. No entanto, deste filme não lembro.
    Diz-me, por favor, como se chama o filme que te deixou tão desiludida.

    A saudação de fim de semana fica para depois...

    ResponderEliminar
  3. Ena, o Poirot! Tenho de ver a RTP Memória.

    ResponderEliminar
  4. Não fazia ideia que estava a dar na TV Memória !
    Há quantos, quantos anos não vejo qualquer episódio, filme ou até livro relacionado com a Agatha Christie ! ... Parece que está na hora, até porque gosto mesmo ! :))
    .

    ResponderEliminar
  5. Em zappings ocasionais já dei com ele a inquirir suspeitos, só que como o enredo já vai a meio e não encontro o fio à meada, quase sempre sigo para outro canal. Recordo no entanto aqui há uns anos, quando a série passava no canal, 1 eu não perdia um episódio, do Poirot, do Sherlock e do que eu mais gostava, do detective Columbo.

    Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  6. Não sabia que estava passando na RTPMemoria!!!

    Vou passar a ver, mas só os filmes em que ja tenha lido primeiro o livro.
    Concordo contigo, entre os vários actores que ja representaram Poirot, David Suchet é sem duvida o mais parecido ao que a Agatha descreve nos seus livros.

    ResponderEliminar
  7. Não tenho RTP Memória. :( Mas gostava imenso de ver essa série; Teté! De qualquer das formas vou memorizar o dia e a hora para quando estiver na casa do meu irmão. ;)

    ResponderEliminar
  8. De vez em quando vejo à sexta e gosto muito, apesar de também achar que perdem demasiado tempo com o tiques de Poirot...talvez seja culpa minha que estou sempre com pressa de saber quem é o assassino eheh

    Bom fim de semana para tod@s??? E os meninos??? ai ai

    Beijinho e bom fim de semana para ti também :)

    ResponderEliminar
  9. No livro, perdias, sim, NINA, caso gostasses de policiais. Neste episódio da série é que nem por isso... :))

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  10. EMATEJOCA, amanhã digo-te, que pus a gravar até porque hoje só começa à 1h53m (acho que na semana passada foi à 1h, embora veja normalmente às 5ªs)!

    Para lá de David Suchet, que interpreta o papel nos 65 episódios desta série - entre 1989 e 2010 - gostei muito de Albert Finney no "Crime no Expresso do Oriente", de Lumet, com um elenco de primeira. Embora goste de Peter Ustinov, acho que o seu figurão grande e gordo e voz tonitruante não se enquadra muito ao perfil da personagem traçada por Agatha Christie.

    O livro, foi aquele que reli à pouco tempo: "À Saúde da... Morte"!

    ResponderEliminar
  11. Se gostas, aproveita, ANA! :))

    ResponderEliminar
  12. Pois é, RUI, a malta perde-se com tantos canais, nem faço ideia se já dá há muito tempo, só descobri prái em Setembro ou coisa. Há uma ou outra série que gosto de ver, mas como eles de vez em quando trocam os horários, olha, perco-me e deixo de seguir... :)

    Se gostas, agora já sabes! :))

    ResponderEliminar
  13. Também segui esses todos, PAULOFSKI, agora com tantos canais é que se torna difícil saber onde passam e em que dias e horários! E sim, se se começar a ver a meio, já se perdeu o fio à meada... :D

    ResponderEliminar
  14. Isso aí já deve ser mais complicado, MIGUEL, que eles não indicam o título do episódio, só no início do filme e para isso é preciso começar a ver... :))

    E sim, até fisicamente David Suchet se parece com Poirot (a cabeça em forma de ovo é complicado, mas mesmo assim não está muito longe), tal como a escritora o descreve... :D

    ResponderEliminar
  15. Pois, TONS DE AZUL, então é aproveitar quando vais à casa do mano... :))

    ResponderEliminar
  16. Eheheh, essa da pressa de saber quem é o assassino está gira, MARIA! =))

    Se reparares bem, A penteado (ou arroba) tem uma forma de A dentro de um O, portanto abrange os dois géneros... :D

    ResponderEliminar
  17. Ah, e beijocas, está claro, MARIA! (isto é o que dá as pressas...) :b (um smile a corar)

    ResponderEliminar
  18. por acaso gostava bastante de ver essa série, mas desde há algum tempo para cá é-me mais difícil vê-la. os tiques afectados de Poirot são muito bem conseguidos :)

    ResponderEliminar
  19. Sem qualquer dúvida, os livros são muito superiores a esta série que vi na RTP 2 há uns tempos. Há inclusive, outras séries sobre Poirot que são melhoes, mas de quaquer modo, o Poirot prende-me sempre.

    ResponderEliminar
  20. Já li imensos, mas imensos livros de Agatha Christie faz o meu género sem dúvida nenhuma, mas a série nunca vi, mas já agora vou ver :v
    Beijos e bom fim de semana:)

    ResponderEliminar
  21. Também considero os tiques de Poirot bem conseguidos, MOYLITO, mas suponho que os episódios são demasiado curtos para retratar fielmente o básico das histórias, daí às vezes desiludirem um pouco! :)

    ResponderEliminar
  22. Não me recordo de ver outras séries com Poirot, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA, embora existam pelo menos uns 6 filmes televisivos ou de cinema, com Peter Ustinov como Poirot - todos eles com cerca de 90 minutos ou mais! Aí torna-se mais fácil ser mais fiel ao livro.

    Com a Miss Marple lembro-me de duas séries. Curiosamente, nenhuma das duas atrizes a encarnar a "doce" velhinha se enquadravam minimamente na personagem que idealizei através das páginas da escritora. Uma parecia até o seu oposto, com uma grande genica e corpanzil assemelhava-se a um trator! :))

    ResponderEliminar
  23. Então aproveita para espreitar a série, CONCHITA! E não me admira que tenhas lido imensos, que só policiais ela escreveu 80, mais 6 romances e uma autobiografia, pelo menos... :D

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  24. Somos duas, LOPESCA! :D

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)