sexta-feira, 7 de outubro de 2011

POETA (QUASE) DESCONHECIDO

Foi anunciado ontem ao meia-dia o prémio Nobel da Literatura 2011 - o poeta sueco Tomas Transtromer! (escreve-se com trema no "o" do apelido, mas esse não consta no meu teclado). Descobri uns 5 minutos antes da hora que ia ser divulgado e abri a TV. Num canal, a pivot revelou o nome do laureado, acrescentando que por sinal não conhecia. Mudei de canal. No outro, a jornalista teclava vigorosamente no seu portátil, para informar os espetadores, mas sem grande sorte na pesquisa em direto. Verdade seja dita que não é para admirar o desconhecimento das jornalistas: parece que não tem nenhum livro traduzido em português (de Portugal), embora alguns poemas desirmanados já o sejam.
Assim, encontrei meia dúzia deles via Google, pelo que transcrevo um, para os que - tal como eu - nunca tiveram oportunidade de ler este poeta:

"A Árvore e a Nuvem
Uma árvore anda de aqui para ali sob a chuva,
Com pressa, ante de nós, derramando-se na cinza.
Leva um recado. Da chuva arranca a vida
como um melro ante um jardim de fruta.

Quando a chuva cessa, detém-se a árvore.
Vislumbramo-la direita, quieta em noites claras,
à espera, como nós, do instante
em que flocos de neve floresçam no espaço."
Tomas Transtromer (1962)

Dito isto, confesso não ser grande leitora de poesia. Suspeito também que à excepção de outros poetas, escritores e inteletuais poucos portugueses o conheciam. Resta saber se a visibilidade conferida por este prémio vai colocar Transtromer nas estantes das nossas livrarias...
Enquanto traduzem (ou não?) a sua obra, aproveitem para ter um...

EXCELENTE FIM DE SEMANA!
.

19 comentários:

  1. Anónimo10/07/2011

    Desconhecia, mas gostei, embora não me veja a comprar um livro seu:)
    beijocas e bom fds!
    Nina

    ResponderEliminar
  2. Assim, de repente, pareceu-me ler Transformer mas quem costuma transformar ilustres desconhecidos em ilustres laureados é a Academia Sueca, portantos...

    Um bom fim-de-semana :g

    p.s: faço figas para que o comentário não volte a sair repetido!

    ResponderEliminar
  3. Anónimo10/07/2011

    Poesia não é o meu forte, apesar de haver alguma com muita profundiade. Não aquela tipo
    "da minha janela à tua
    vai um passo de distância
    tem cautela não escorregues
    nessa casca de melância" (tem de rimar)
    Beijinhos para ti Tété e bfs
    KIM

    ResponderEliminar
  4. Anónimo10/07/2011

    Pois bem, minha cara Teté, Tomas Tranströmer é o maior poeta sueco vivo, mesmo que em Portugal seja um desconhecido, e desde há muitos anos que ele é considerado favorito.

    Eu cá fiquei muito satisfeita por ser escolhido um POETA, pois já passaram 15 anos desde que um poeta ganhou o Nobel.

    Em vez de ö podes escrever "oe"!

    Beijinhos tripeiros.

    TERESA (EMATEJOCA)

    ResponderEliminar
  5. Os comentários piram-se! Vou tentar novamente...
    Também não conhecia este Nobel, talvez porque não seja grande leito de poesia, principalmente em línguas que não domino. Sei, por experiência, que é frequente a tradução adulterar o original...
    Mas, em compensação, conheço pessoalmente duas das três vencedoras do Nobel da Paz

    ResponderEliminar
  6. para pores o trema tenta carregar na tecla "alt gr" e, ao mesmo tempo, na tecla que tem o * e o + (pode não ser igual porque os teclados vão variando).

    também não o conhecia e não vai ser o Nobel a mudar isso :)

    ResponderEliminar
  7. Também não conhecia esse nome e tambem não sou grande leitora de poesias,tirando alguns poemas que me ficaram na memoria e um deles foi de José Régio.
    Beijos e bom fim de semana:)

    ResponderEliminar
  8. trema em ALT GR +

    não conheço o escritor mas para mim não é nenhum embaraço; eu já me sentiria feliz se conhecesse a obra, ou parte dela, de pelo menos 1% de todos os escritores e poetas de todo o mundo. :)

    ResponderEliminar
  9. Tenho ideia que os portugueses leem relativamente pouco, NINA, provavelmente poesia ainda menos, sueca e não traduzida então... :))

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  10. Epá, PAULOFSKI, nem me digas, que quando li o nome do homem também só me saía Transformer, suponho que aliada aos jogos de consola... que nunca joguei! =))

    Transformar o poeta sueco em "herói" do século XXI, imagino que nem a academia sueca consegue... :D

    ps - as tuas "figas" resultaram! :))

    ResponderEliminar
  11. Talvez por haver tanta "poesia" com cascas de melancia, também não seja grande leitora do género, KIM! Em Portugal, especificamente, parecem-me existir "poetas" a mais, para leitores a menos... embora possa estar enganada! :D

    Beijocas! :)

    ResponderEliminar
  12. EMATEJOCA, longe de mim denegrir o poeta (quase) desconhecido em Portugal, nem o merecimento do prémio. E sim, Tranströmer é bastante conhecido lá fora, aqui nem por isso... ;)

    E sim, concordo que a poesia merece ter lugar no Nobel da Literatura! Mas não será por aí que pretenda ler mais poesia... :)

    ps - obrigada aos amigos que me ensinaram a colocar o trema inexistente no meu teclado! :D

    ResponderEliminar
  13. Também não sou grande (nem pequena) leitora de poesia, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA, mas percebo perfeitamente que a tradução nem sempre faz justiça ao poema. Nem à prosa, diga-se, embora aí possa ser mais "diluída" no enredo... ;)

    Neste caso específico, não me espantou muito que as jornalistas não o conhecessem... só isso! Contudo, duvido que o poeta sueco venha a ser um grande sucesso de vendas em Portugal!

    E sim, fiquei muito satisfeita por o Nobel da Paz ser atribuído a 3 mulheres, lutadoras pacíficas das suas causas de emancipação e contra a guerra! Bons exemplos no mundo não são muitos... :)

    ps - sorry a "fuga" de comentários, mas não é culpa minha!

    ResponderEliminar
  14. MOYLITO, em primeiro lugar, obrigada pela dica de como usar o trema: já funcionou! :D

    Normalmente, o Nobel serve para notabilizar internacionalmente os escritores laureados, mas parece que nem sempre com bom sucesso... ;)

    ResponderEliminar
  15. De memória e de cor também sei alguns poemas ou versos, CONCHITA, por acaso todos portugueses. Ou será que não é por acaso? :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  16. Obrigada pela dica sobre o trema, VITOR! :)

    Absolutamente de acordo, raramente conheço a escrita de um laureado com o Nobel da Literatura. Mas também nunca tive a pretensão de ser uma inteletual, na literatura ou em qualquer outro campo!

    Mas, quer dizer, normalmente já se ouviu falar no nome, alguém aparece logo a providenciar um comentário televisivo e, desta vez... zero! Umas horas depois, Francisco José Viegas e Vasco Graça Moura evidenciaram algum conhecimento do poeta sueco (não ouvi, contaram-me!), o que não deixa de ser significativo! :D

    ResponderEliminar
  17. Não o conhecia. Tal como não conhecia as senhoras que ganharam o Prémio Nobel da Paz. E não conheço porquê? Porque não vejo muita televisão ou leio os jornais ou as revistas? Ou porque a comunicação social não nos informa? Estou em crer que muitos deles são desconhecidos para a maioria da população mundial.
    Bom fim de semana! : )

    ResponderEliminar
  18. Bom, também acredito que sim, CATARINA! E a comunicação social já se sabe que prefere autores mais badalados, vendedores de best-sellers, quiçá com um escandalozinho à mistura para animar as parangonas, o que raramente é compatível com a literatura vencedora do Nobel... :))

    Boa semana para ti!

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)