domingo, 9 de outubro de 2011

O REGRESSO DE JOHNNY ENGLISH

Sou suspeita ao escrever sobre este filme, porque confesso que cá em casa somos todos fãs de Rowan Atkinson. Tanto que até fomos todos em excursão ao cinema, a minha mãe só não se juntou também,  porque já tinha outro compromisso...
Após mais uma das suas (muitas) trapalhadas, da qual resultou a morte de um líder moçambicano, Johnny English é demitido do MI7 e retira-se para um mosteiro tibetano, onde aprende artes marciais e a filosofia desses monges, em que a mente comanda o corpo para lá da dor física. Entretanto, em Londres, descobre-se que está em curso uma conspiração para matar o primeiro ministro chinês, mas o informador só aceita falar com o ex-agente, pelo que English é chamado para mais uma missão... cinco anos depois de ter abandonado os serviços de espionagem! Contrariada, a actual diretora Pamela Thornton (Gillian Anderson) lembra que os métodos do MI7 mudaram, pelo que insiste que o ex-agente seja acompanhado pelo jovem agente Tucker (Daniel Kaluuya) nesta missão. Por seu turno, English fica contente por rever velhos amigos como Simon Ambrose (Dominic West),  por encontrar a nova psicóloga do departamento Kate Sumner (Rosamund Pike) e por se familiarizar com os novos gadgets que agora os espiões têm à sua disposição. Mas será que ele, trapalhão como sempre, conseguirá dar conta do recado? 
Esta e outras respostas estarão num cinema próximo, para quem quiser ver o filme, mas para já fiquem com um "cheirinho" da hilariante ação, através do seu trailer oficial:


A não perder... para todos os que adoram o humor britânico! Especialmente numa altura em que Rowan Atkinson anunciou a sua decisão de não voltar a interpretar o papel de Mr. Bean, a personagem que o tornou mundialmente famoso, porque a imagem deste é a de um homem imaturo que reage com a mesquinhez  e o egoísmo próprios de uma criança, que deixou de ser compatível com a de um homem a caminho dos 57 anos. Temos pena, mas ele lá terá a sua razão!

Imagem de cena do filme da net.

20 comentários:

  1. Não sou fã do humor britânico. Não sei se este filme me convenceria a entrar na sala.
    Na verdade, as minhas idas ao cinema são tão raras, que quando vou tenho que escolher bem.
    Era ontem, o dia D....mas a saída atrapalhou o trabalho.:))

    beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Um filme a ver, mas que posso esperar para ver na tv ~xf

    Gosto do humor britânico e gosto de me rir com disparates, mas confesso que já estava um bocadinho farta do Mr. Bean ~xo

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
  3. talvez "compre" para ver em casa :p

    em parte, sou da opinião que ele fez bem em "acabar" com o Bean. já era "feijoada" a mais e começava a enjoar ~v

    ResponderEliminar
  4. O exagero de repetições que a RTP premiou os telespectadores, só para encher chouriços, tornou esta fantástica série de episódios numa sensaboria fastidiosa. Rowan Atkinson, para além de Mr. Bean, recordo o humor corrosivo de Edmund Blackadder. Bem visto, este Johnny English acaba por ser um alter-ego de Mr. Bean. Até que gostaria de ver o Mr. Bean envelhecido, onde situações cómicas relacionadas com a sua idade não iriam faltar certamente.

    ResponderEliminar
  5. Também sou fã do Rowan Atkinson e o filme está na minha agenda. assim tenha tempo para o ir ver, porque hoje em dia os filmes passam tão depressa, que os deixamos fugir e nos temos de contentar com o DVD.
    Uma boa semana para si

    ResponderEliminar
  6. Se não aprecias o humor britânico, não vás ver, NINA! Nota que o que escrevo aqui são meras opiniões pessoais, logo subjectivas, nem sempre todas as pessoas partilham os mesmos gostos! :)

    Importante é que a saída tenha sido agradável! :D

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  7. O problema é que eles repetiram os episódios do Mr. Bean até à exaustão, MARIA, e cansa ver sempre o mesmo! :))

    De qualquer forma este é de um género diferente, parodiando o James Bond, mas dispõe muito bem! :D

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  8. Se ele próprio achou que já não era muito compatível com o "boneco", certamente não terá sido só porque lhe apeteceu, VÍCIO - afinal de contas trata-se da sua própria carreira profissional! :)

    ResponderEliminar
  9. Aí concordo inteiramente, PAULOFSKI, a RTP exibiu os mesmos episódios vezes sem conta, o que se torna cansativo. Mas em abono da verdade também preferia o Blackadder, embora desse alguns saltos na história em que parecia que perdiam ao rumo àquilo. Deve ter sido a série que mais me fez rir até hoje! :D

    Johnny English parece-me ser assumidamente uma paródia a James Bond, com um personagem que é totalmente o oposto do famoso 007... =))

    ResponderEliminar
  10. É bem verdade, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA, portanto assim que vi que estava em exibição num cinema perto de mim, ainda por cima sem pipocas, tratei de ir... :))

    Boa semana para si também!

    ResponderEliminar
  11. Anónimo10/11/2011

    Vi esta noite a apresentação deste filme, mas também não me parece que o vá ver, embora ainda me tenha rido um pouco.

    Fui convidada para ir ver "A Casa dos Sonhos", por iniciativa própria também não o veria, embora este thriller nem seja mau de todo.
    Jim Sheridan tenta reavivar o género do thriller à la Alfred Hitchcock, mas falta-lhe o talento do grande mestre do suspense.

    Amanhã deixo Vila Nova de Gaia, mas não acredito que consiga fazer o tal "retiro", de qualquer modo tenho passado um óptimo tempo.

    ResponderEliminar
  12. Agora vou tentar enviar um comentário com o meu nome. Até agora o comentário desaparece.

    ResponderEliminar
  13. Pois, EMATEJOCA, isto de igualar Hitchcock não é fácil, a mim pareceu-me que "A Casa dos Sonhos" entrava um pouco no género de terror... e para passar o tempo com as mãos em frente à cara e a dar pulos na cadeira, mais vale poupar no bilhete... ;)

    Em contrapartida, para quem aprecia o humor de Atkinson, este filme é hilariante! :))

    Com ou sem retiro, o importante é que aproveites bem a tua estada!

    ps - hoje ainda me lembrei de ti, porque ontem a minha mãe foi ver "Amadeus" no Teatro Nacional D. Maria II, e contou que embora a sala estivesse cheia, na primeira parte até se ouvia ressonar... :D

    ResponderEliminar
  14. Entrou bem, EMATEJOCA! Isto tem dias... :)

    ResponderEliminar
  15. "A Casa dos Sonhos" é um thriller absolutamente inofensivo, nem passei o tempo com as mãos em frente à cara nem dei pulos na cadeira.

    Não sou fã do humor de Atkinson, no entanto, vi o primeiro filme, mas em DVD.

    Lembraste-te muito bem, minha cara Teté, porque já vi por duas vezes "Amadeus" de Peter Shaffer em Düsseldorf, gostei muito e não ressonei.

    Agora vou até à Ruth Rendell!

    ResponderEliminar
  16. Gostei particularmente de ver o presidente moçambicano a fazer o discurso de tomada de posse em inglês... Beijoca!

    ResponderEliminar
  17. Imagino que não adormeceste, obviamente, EMATEJOCA! Lembrei-me de ti por gostares tanto de teatro e de Mozart, só isso... :D

    ResponderEliminar
  18. Qué que queres, era um presidente muito sofisticado, RAUF! :D

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  19. Talvez vá ver o Tintim... mais do que isso não dá. tempo e contenção obrigam.

    ResponderEliminar
  20. Ao Tintin e ao Millennium 1, irei de certeza, MOYLITO, mas de resto também estou como tu: menos cinema nos próximos tempos, a não ser via TV... :p

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)