quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

ÁGUA É VIDA!

Há verdades inquestionáveis: sem água, ninguém sobrevive! Não foi em vão que ao longo dos tempos as populações se fixassem junto aos rios e, posteriormente, se canalizassem águas para fontes e chafarizes de modo a abastecer os povos locais. Atualmente - em Portugal e no mundo dito civilizado - praticamente toda a gente tem água canalizada na sua própria casa. Se conquista de abril ou ditame do progresso é difícil avaliar. Certo é que quando falta traduz-se num enorme transtorno!

Os recentes temporais determinaram que milhares de pessoas ficassem sem água (e sem eletricidade) durante vários dias, nomeadamente na região centro. A Graça foi uma das "vítimas", mas não foi a única. Ou seja, qualquer coisa que nos poderia acontecer a todos. "E se fosse comigo?" - matutei.  E tanto pensei que resolvi indagar onde me poderia abastecer de água, caso ela faltasse aqui na zona, sabendo de antemão  que mesmo uma falha de poucas horas resulta num açambarcamento de garrafas e garrafões nos estabelecimentos comerciais...

O panorama revelou-se desolador: no chafariz das Águas Boas ou de Santo António da Convalescença, junto a Sete Rios, os únicos resquícios de água são os da chuva. Na colagem fotográfica acima, a foto a preto e branco é do Arquivo Municipal de Lisboa, de 1968, de Armando Serôdio. Mas já houve tempos em que era assim:

(foto de 1967, gentilmente cedida por Luís Miguel Inês, do blogue LMIfotografia)

O chafariz de Benfica está igualmente seco há muitos anos, não tira a sede a ninguém. Adeus à rapaziada insolente, que se banhava no tanque nos dias quentes de verão, entre risotas dos próprios e reprovação de alguns transeuntes. A foto a preto e branco também é do Arquivo Municipal de Lisboa, de 1947, de Fernando Martinez Pozal.  

E a fonte do Calhariz?

Idem. Sem água e sem os habituais frequentadores, normalmente velhotes, que faziam fila e descansavam nos bancos para encher garrafas a garrafões de uma água proveniente da serra de Monsanto, que acreditavam piamente ser mais pura que a das torneiras e contribuir para melhorar a sua saúde. Crendices à parte, dali não sai nem gota e não é por falta de chuva...

O bebedouro mais próximo? Está assim:

Resultado: a minha pesquisa no terreno não me descansou minimamente e ainda me intriga como é que os sem-abrigo têm acesso ao precioso líquido, vital para a sua sobrevivência.

A preocupação só cresceu após ver este vídeo, bastante longo (7 minutos e 56 segundos), e o que os governantes europeus andam a tramar, para enriquecer ainda mais alguns empresários privados:

  .  

D. Maria I é que era denominada louca, mas fez por levar "agoas livres" à população - o fontanário inicial regista a data de construção em 1817.  Então o que serão estes governantes, completamente alucinados pelos lucros de negócios infalíveis, para si e para os seus amigalhaços? Estejamos atentos...    

20 comentários:

  1. até parece que tu não sabes que segundo as regras de higiene e segurança (nem se é por isso, mas não faz mal) os consumíveis actualmente têm que estar devidamente acondicionados em embalagens individuais, com indicação de todos os ingredientes e data de validade.
    agora explica-me como é que ias fazer passar uma garrafa, no caso da agua, pelo orifícios das torneiras desses fontanários...

    (não vi o video)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem sei que não consegues ver os vídeos, VÍCIO! Mas tens razão, é difícil estes fontanários deitarem garrafas pelas torneiras... :)

      Eliminar
  2. Eles açambarcam tudo...já estava a tardar lembrarem-se da água...
    O vídeo está em alemão e não tem legendas... ainda tentei apanhar o mais básico mas o meu alemão deixa um bocado a desejar... =)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A água parece que anda há muito na mira desta gente, até porque é negócio garantido, BRISEIS: todos precisamos dela!

      Pus o vídeo com legendas (por acaso um bocadinho ilegíveis, que a letra é pequeina), mas se calhar para o ver com elas tens de carregar em baixo na caixa de moldura e na quadrícula que diz legendas! E sim, em alemão também só percebia meia dúzia de palavras... :)

      Eliminar
  3. Eles comem e bebem tudo...até as águas livres! :-((

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eles comem tudo, ROSA, e se deixarmos ainda açambarcam a água! E fariam o mesmo ao ar, se pudessem... :P

      Abraço

      Eliminar
  4. Dª Maria era louca, Passos e Portas são carniceiros...

    As fotos estão boas.

    Bom serão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão, SÃO, os instintos homicidas estão lá naquelas mentes retorcidas... :P

      Obrigada pela parte que me toca! :)

      Bons sonhos!

      Eliminar
  5. rsrs... Costuma dizer-se : "Quem vai para o mar avia-se em terra" ! rsrs... um reconhecimento dos locais próximos é uma boa medida ! :))
    "Heroínas do destino" : porque será que quando há mais água é que ela falta nas casas ? eheh

    Sinceramente, não vejo onde esteja o mal da água privatizada. O meu fornecedor é a Veolia há vários anos (5 ?), a água é de excelente qualidade (analisada e publicados os resultados mensalmente nos Serviços de Saúde), não compro um litro que seja, engarrafada (o que não acontecia anteriormente, que não se podia beber), e pago menos de 20 €/mês com tudo incluído (Veolia, câmara, Saneamento, IVA).
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi curiosidade, RUI! Até porque há muito que sei que o que acontece aos outros também me pode acontecer a mim... ;)

      Pois eu considero que os bens essenciais não deviam ser privatizados. Nunca! Qual é o fito de qualquer empresário? Obter lucro. Porque é que a água lhes interessa? Porque é negócio garantido, já que todos precisamos dela para viver. Quem te diz a ti que uma futura empresa de água privatizada não sobe os preços da mesma até a níveis incomportáveis para a população? Quer dizer, se já há pessoas que não conseguem pagar essas despesas básicas, imagina se sobe descomunalmente. Tenho para mim que se pagamos impostos brutais ao Estado, ele tem de nos dar contrapartidas e o abastecimento de água à população parece-me um das suas obrigações mais vitais...

      Eliminar
  6. Há cerca de 20 anos que me debruço e investigo este problema da água. Dizem muitos analistas que será uma das principais causas de guerras durante o século XXI
    A pedido de várias publicações já escrevi bastantes artigos sobre o tema e, curiosamente, muitos leitores de todo o país, depois de lerem os meus artigos escrevem a dizer que fizeram uma prospecção idêntica à da Teté e ficaram preocupados.
    Claro que isso acontece mais nas grandes cidades, mas ia sendo tempo de o governo se preocupar com a escassez de água em Portugal, que será uma realidade dentro de duas décadas.
    O problema agravar-se-á ainda mais se a UE continuar a olhar para as questões da água com o olho vesgo e, em Portugal, se este governo concretizar a privatização a gestão da água, vai ser um descalabro!
    Desculpe o testamento (:-

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho para mim que a maioria dos governantes (estes e os anteriores) só se preocupa com o próprio umbigo, CARLOS! Sem desejar ser catastrofista, tenho ideia que ainda há de correr muita água (e tinta) àcerca desta problemática. Que igualmente me preocupa, tanto no aspeto mais comezinho, como a nível nacional e mundial. E como bem diz, especialmente nas grandes cidades!

      Igualmente acredito que a privatização da água em Portugal tem mais fins lucrativos (só para alguns), do que uma melhor gestão e acessibilidade para as populações em geral. E que pode dar nesse tal descalabro!

      Está mais que desculpado, gostei da sua opinião mais abalizada do que a minha! :)

      Eliminar
  7. Realmente, Teté, a falta de água é um verdadeiro drama! E já não podemos contar com as fontes como antigamente. Como passei a minha juventude em Sintra, estive sempre habituada a ter fontes de água fresca e cristalina da Serra ali ao pé de casa e até aqui à volta de Leiria há uma série de fontes onde podemos ir buscar uns garrafões. Agora em Lisboa é muito mais complicado.

    Quanto à negociata que querem fazer com as águas... é mais uma - a pior!

    Agradeço a tua simpática referência. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As fontes por aqui estão sequinhas, GRAÇA! A do Calhariz ainda funcionava há pouco tempo, a junta de frequesia encarregava-se de verificar a qualidade da água periodicamente, havia lá um placard informativo sobre as referidas análises.

      E sim, também me parece a pior negociata de todas as privatizações que pretendem realizar. Pior para a população, porque para os próprios não duvido que seja rentável! :P

      O teu caso (e o de tanta gente nas mesmas circunstâncias, naqueles dias de temporal) foi o ponto de partida para esta minha pequena investigação, não podia deixar de lhe fazer referência! :)

      Beijocas

      Eliminar
  8. Do vídeo só percebi o senhor dizer "Águas de Portugal" e "Portugal", de resto não entendi nadinha, achas que eu sou a ematejoca? Ora kesta, hein?

    É uma pena ver os vários fontanários, fontes ou bebedouros assim, sem água e degradados, alguns são verdadeiras obras de arte, mas que fazer? Hoje em dia já não são tão necessários como antes...

    Quando falta a água em casa é uma chatice, raramente me acontece aqui, mas mesmo assim tenho um bidon de 20 litros na arrecadação, já lá está há mais de 5 anos ehehe, claro que não é para beber, mas sempre serve para a casa de banho :p, na casota da aldeia tenho alguns 30 garrafões de 5 litros, cheios, para o mesmo efeito...

    Quanto à privatização da companhia das águas nem sei que dizer...é mais uma privatização, só o futuro nos dirá se é uma boa solução, não sou totalmente contra, mas acho que há coisas que nunca deveriam ser privatizadas...

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Garanto que pus o vídeo com legendas, MARIA! Mas se calhar, como às vezes acontece, tem de se carregar na quadrícula das legendas que está na parte de baixo da moldura negra, para elas aparecerem! ;)

      É evidente que as fontes hoje já não são tão necessárias como noutros tempos, mas que davam um enorme jeitaço no caso de falta de água, também é certo. Também tenho pena de as ver assim, sem água e um bocado ao abandono. Aquele primeiro calhariz, perto de sete rios, é lindíssimo! :)

      E sim, também tenho dois bidons com água para as sanitas, no caso de uma falha. Também já não me lembro da última vez que troquei a água de lá... :)))

      Não me parece que seja só mais uma privatização: é a privatização de um bem essencial para a vida de todos nós! E mais que todos os outros, nunca deveria ser privatizado!

      Beijocas

      Eliminar
  9. Já hoje assistimos a guerras que têm a água como motivo, Teté.
    No futuro, mais que os hidrocarbonetos, será a água a motivar conflitos entre povos.
    Disso não tenho a mais pequena dúvida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, se tinha dúvidas sobre isso, também já deixei de as ter, PEDRO COIMBRA! Infelizmente... :(

      Eliminar
  10. Um bem preciosos que tomamos como garantido... como tantos outros. As privatizações estão a ficar muito na moda....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, CATARINA, tomamos mesmo como garantido que a água nunca vai faltar. E não é que seja absolutamente contra todas as privatizações, mas algumas parecem-me trazer "água no bico". E a da água é uma delas... :P

      Eliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)