terça-feira, 2 de outubro de 2012

A CONSPIRAÇÃO CONTRA A AMÉRICA

A última reunião do Clube de Leitura obteve consenso - todas gostámos do livro de Philip Roth. Minudências excessivas para umas, detalhes bem-vindos para outras, mas, à parte o pormenor, consenso.

O enredo é ficcional, baseado em personalidades verídicas e nas convicções que cada uma alimentava na América do Norte, entre 1940 e 1942. Durante a II Guerra Mundial, portanto. Philip Roth, um rapaz de 7 anos de origem judaica, a viver em Newark, é a personagem central juntamente com a sua família, o que revela à partida que haverá alguns traços autobiográficos no seu desenrolar. Mas aí o escritor muda o curso da História tal como aconteceu, para colocar no lugar de Frank Delano Roosevelt, presidente dos EUA, Charles A. Lindbergh, um famoso aviador, também conhecido pelos seus discursos anti-guerra e pró-nazis. Mas, enquanto grande parte da comunidade judaica teme o seu futuro perante o novo presidente, outra defende a postura anti-guerra e apoia-o incondicionalmente, chegando ao cúmulo de participar em festas em que o convidado de honra é Ribbentrop (ministro dos Negócios Estrangeiros de Hitler), estipulando planos de "férias" para os jovens judeus e de reeintegração de famílias judaicas em comunidades cristãs. Através de persuasão ou de alguma intimidação!

O pequeno Phililp não sabe exatamente o que pensar, quando em Newark e na sua família estão todos tão divididos... Perigo iminente ou medos infundados de alguns? Boas intenções ou ingenuidade exagerada de outros?

409 páginas ficcionais - ou 451, com as notas adicionais que revelam a verdadeira história de algumas das personagens verídicas apresentadas ao longo da narração - de uma leitura que nos faz pensar que o mundo poderia ser completamente diferente, se o final dessa guerra fosse outro...

Citações:

"Não percebo a sua moralidade, tio Herman. Não quer que eu seja um ladrão, mas acha bem que eu trabalhe para um ladrão."

"Quando era da minha idade, Sandy costumava precaver-se contra o seu tipo de medo correndo pela escada da cave abaixo, aos gritos: 'Tipos maus, sei que estão aí em baixo... estou armado', enquanto eu descia a murmurar: 'Lamento se fiz alguma coisa errada.'"

"A minha experiência com as pessoas ainda era muito pequena e não me permitia compreender que, a longo prazo, ninguém é uma pêra doce, nem eu próprio."

"Na nossa escola primária pública, a cerca de quilómetro e meio de distância, dizia-se à boca pequena que as freiras que davam aulas aos órfãos batiam rotineiramente nas mãos dos mais estúpidos com réguas de madeira e que, quando o erro de um rapaz era tão grosseiro ao ponto de ser considerado intolerável, chamavam o assistente de monsenhor para lhe bater nas nádegas com o mesmo chicote usado pelo agricultor para fustigar o dorso demasiado curvo da parelha de ronceiros cavalos de carga que puxavam o arado para as plantações da Primavera."

*******
O próximo livro a ler no âmbito do Clube de Leitura será "À Procura do Amor", de Jodi Picoult, com discussão prevista para dia 17 de novembro.

18 comentários:

  1. aquela 3ª citação encaixa em tanta gente que conheço...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade seja dita que encaixa com quase toda, VÍCIO... :)))

      Eliminar
  2. Vamos lá ver, se Philip Roth é eleito Prémio Nobel de Literatura este Outubro!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dizem que é um sério candidato, a par de Murakami, vamos lá ver se não tiram da cartola um ilustre (quase) desconhecido, EMATEJOCA... :)

      Eliminar
  3. Interessante, Tété...Sou um fanático por livros/filmes/séries de tv sobre a 2ª WW

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então somos dois, VIC! Não digo que leia ou veja tudo - livros só leio quase ficção, embora possam ter como cenário de fundo (e muitos têm) um palco de guerra - mas em séries papo tudo, incluindo documentários sobre a época. Lembro-me de em tempos idos passar uma série de documentários muito boa na RTP, que lá em casa dos meus pais toda a família seguia atentamente... ;)

      Convém conhecer a História recente, até porque infelizmente ela tem tendência a repetir-se...

      Eliminar
  4. Também frequentas um Clube de Leitura?!
    Foi precisamente há cerca de 6/7 anos que entrei num e graças a ele descobri Philip Roth que muito aprecio!

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu Clube de Leitura é pequenino e cinge-se a algumas amigas (já houve amigos, mas eles tendem a desistir) que também gostam de ler, ROSA! Mas a primeira reunião também foi por essa altura, em Janeiro de 2007... :)))

      Este foi o primeiro livro que li do autor e a ideia não me estava a entusiasmar por aí além... mas gostei! :D

      Abraço

      Eliminar
  5. Quem me dera, um dia, vir a pertencer também a um.:)

    beijocas e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi ideia de uma grande amiga minha e foi uma questão de organizar um grupinho de pessoas que gostam de ler, NINA! :)

      Beijocas e boas leituras para ti também!

      Eliminar
  6. Não sou grande fã de Roth ( embora noutra fase da minha vida gostasse), mas reconheço que é um dos grandes escritores contemporâneos.
    Clubes de Leitura nunca frequentei...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi o primeiro livro que li dele, CARLOS, não tenho termos de comparação... :)

      Pela minha/nossa experiência, os homens tendem a desistir do Clube de Leitura... :D

      Eliminar
  7. É um clube de leitura ligado a alguma biblioteca pública...ou é iniciativa particular?
    Também nunca li nada desse autor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Iniciativa mais que particular, LUISA: uma amiga perguntou-me se não gostava de participar num, depois andámos a sondar possíveis interessados entre os nossos amigos. Tanto que fazemos a reunião em casa umas das outras, depois de jantar, com uns queijinhos e/ou aperitivos, café, cerveja e/ou outras bebidas, para acompanhar. Ou seja, também serve de convívio... :)))

      Eliminar
  8. Ainda agora cheguei e já tenho que anotar um livro??? Tudo eu...tudo eu (assobiando)

    Nunca pertenci a nenhum clube de leitura, mas deve ser muito giro discutir um livro, imagino que muitas vezes seja "cada cabeça, sua sentença"...como este me pareceu interessante e como também...nem sei como me designar sobre o que sinto em relação à 2ª guerra Mundial...

    Acho que o vou comprar e depois discuto contigo, boa? Se não discutirmos o livro discutimos outra coisa qualquer, o que importa é que haja diálogo, né? :p

    Um beijinho com sódadinhas :)))



    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora viva, MARIA, também já estávamos com saudadinhas tuas - ainda ontem a Nina comentou isso! :)))

      É giro discutir o livro, mas também é bom o convívio e a "ceia" que costuma acompanhar... E sim, nem sempre concordamos, já houve livros com opiniões mais radicais, pró e contra! :D

      Claro que o diálogo é importante, especialmente quando só se fala nele por lhe notar a falta... :S

      Uma grande beijoca e bom regresso a casa para ti!

      Eliminar
  9. Um livro que aguarda na estante...

    ResponderEliminar
  10. Então aguardo que o leias, para verificar a tua opinião, TIAGO! :)))

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)