terça-feira, 29 de maio de 2012

UM OUTRO OLHAR SOBRE LISBOA...

A Teresa, do blogue "Os meus óculos do mundo", já tinha divulgado um vídeo, um pouco longo, sobre a presença de Anthony Bourdain em Lisboa e a reportagem que efetuou no seu programa "No Reservations". Desta vez foi um colunista do "The New York Times", Frank Bruni, que passou por cá e escreveu um artigo que elogia os múltiplos encantos da capital. Podem ler o artigo na íntegra aqui, mas aviso desde já que é bastante longo e, obviamente, está em inglês. Ou, muito resumidamente, na revista "Visão" on line.

O curioso da história é que Frank só estava de passagem por Lisboa, durante umas meras 24 horas, antes de seguir para o Porto, onde iria realizar uma reportagem gastronómica e de prova de vinhos (pelo que se deduz), o verdadeiro objetivo da viagem. Fez um voo noturno desde Nova Iorque e quando pensava ir descansar de uma noite em claro no hotel lisboeta, negaram-lhe a entrada, que a reserva era só para umas horas depois. Com esta receção pouco auspiciosa, o mais natural é que banisse para sempre o nome da cidade do seu roteiro de férias. E aí talvez resida a diferença entre quem é cidadão do mundo ou um turista ocasional - como não havia volta a dar ao assunto, resolveu dar um passeio pela cidade... 

Ele e o seu companheiro, Tom (e não me perguntem se de viagem ou de vida, que não sei, nem quero saber), não tinham mapa, roteiro ou agenda que lhes guiasse os passos, mas os seus olhos incidiram lá no alto da colina onde se ergue o castelo de São Jorge e, intuitivamente, seguiram na sua direção. A calçada lisboeta em "mosaicos de pedras brancas e pretas", os azulejos coloridos nas frontarias dos edifícios foram uma "revelação",  "como se Lisboa usasse as jóias a que as outras cidades nem ligam". E quando chegaram ao topo da colina, com a vista panorâmica sobre os telhados vermelhos e o azul do rio Tejo, Frank prometeu ao companheiro: "Eu vou voltar!"

Dois anos volvidos sobre esse fascínio que Lisboa exerceu sobre ele logo de início, já regressou em duas ocasiões - em setembro do ano passado e em abril deste ano. No artigo dá dicas sobre os locais a visitar, entre miradouros, museus, igrejas, restaurantes e até uma livraria sui generis, mas aprecia a liberdade de não ter uma agenda quase que obrigatória para seguir um roteiro turístico, como acontece noutras capitais europeias. Segundo ele, conforme se deseja um momento de maior serenidade ou diversão, assim se ruma em direção a cada colina ou local. E não é que concordo inteiramente?

Pergunto também aos meus botões, fechos éclair ou colchetes porque é que ando há tanto tempo a adiar uma (re)visita ao castelo, quando um estrangeiro não a deixa escapar? Será preguiça de palmilhar a encosta, pouca vontade de me levantar cedo a um fim de semana ou por saber que está logo ali ao virar da colina? Ah, pois é, qualquer dia já não há pernas para lá chegar...

28 comentários:

  1. Sem dúvida que Lisboa é uma cidade lindíssima.
    Sobretudo vista do Tejo, ou da margem sul.
    Afirmo isto, sem ponta de ironia.
    E depois, caminhando pelas ruas dos bairros mais antigos ou pelas principais avenidas, encontramos sempre bastantes pontos de interesse, desde que não nos limitemos a olhar.
    (exceptuando alguns mamarrachos. a propósito: já reparaste nos novos candeeiros da Pç Comércio? Não achas que ficam mesmo mesmo a condizer com a arquitectura local em vez dos que lá estavam?).
    Gosto de Lisboa. Já cá vivo à tantos anos que é quase quase... minha!

    Beijokas

    §-já visitei o Castelo diversas vezes, porém os actuais 7€uros por pessoa para o visitar acho um exagero!

    ResponderEliminar
  2. Pois é... e esses colchetes (ahahaha!) não te disseram que estás a considerar o castelo como garantido (taking it for granted! : ) ) o mesmo que dizer, que está mesmo ali e que não está a pensar em mudar-se num futuro próximo ou longínquo?
    Até eu há anos que não vou ao castelo. Este ano estava a pensar em ir de novo a Sintra assim que chegasse a Lisboa... talvez mude de ideias e vá deambular pelas ruas lisboetas como fiz no ano passado para além de ir no 28 e seguir para o Miradoura de Santa Luzia. Vou já ler o artigo e seguir algumas sugestões. Também eu gosto muito de Lisboa!

    ResponderEliminar
  3. Gosto muito de me perder nas cidades, seguir o instinto, o apelo dos sentidos e descartar os mapas e roteiros turísticos.
    É nesses momentos que descubro se uma cidade me agarra,porque é através da descoberta e não a seguir as recomendações turísticas, que uma cidade nos mostra a sua verdadeira alma.

    ResponderEliminar
  4. Ao mesmo tempo que lia o teu post, lembrava-me a primeira vez que fui ao pavilhão atlântico ver as Marchas de Lisboa...cada bairro falava de si, mas todos juntos diziam a frase "Lisboa é linda!"

    E Lisboa é mesmo linda, e não digo isto só porque é a minha cidade, digo porque acho-a mesmo linda :)

    Quanto a revisitar certos locais de Lisboa eu acho que é mesmo porque estão ali ao lado...vamos adiando, ainda ontem vi uma reportagem sobre o jardim Zoológico que já faz 128 anos, um local que eu gosto imenso e que há anos ando a dizer que qualquer dia vou lá...

    Os de fora veem a cidade com os mesmos olhos que nós visitamos outras cidades...

    Beijinho óh alfacinha :)

    ResponderEliminar
  5. à semelhança da primeira vez, as outras 2 também devem ter sido visitas curtas! caso contrario talvez viesse a descobrir que "há muitos podres"

    ResponderEliminar
  6. Um belo asseio, Teté. Estive lá há us tempos com o Sebastião e ambos gostámos. Pena que agora tudo o que o rodeia, esteja preparado para os turistas :)

    ResponderEliminar
  7. Por mais que seja suspeito, porque sempre aqui vivi, Lisboa é uma pérola que não me canso de descobrir ;)

    Quanto a visita ao castelo, ofereço desde já a minha companhia se quiseres/precisares e para nós habitantes desta cidade é grátis (ou pelo menos era se é que não se lembraram de nos tirar mais esse “privilégio”).

    Beijinhos,
    FATifer

    ResponderEliminar
  8. Não é por acaso que se diz que Lisboa é uma princesa encantada.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  9. Há anos que não visito a cidade mais bonita do mundo, na opinião de Wim Wenders.

    Quando era miúda gostava imenso da Estufa Fria; como menina e moça gostava mais dos encontros no Rossio com os amigos do meu primo; com os meus filhos fui obrigada a visitar o Jardim Zoológico.

    O Castelo de São Jorge também já visitei várias vezes.

    Eu sei, que um dia vou voltar a visitar à "terrinha" do meu pai!!!

    ResponderEliminar
  10. É muitas vezes assim... não aproveitamos aquilo que temos debaixo do nariz...
    E eu... que por incrível que pareça nunca fui ao Castelo de S.Jorge... "shame on me"

    ResponderEliminar
  11. Também sou suspeita, KOK, que nasci e vivi em Lisboa quase toda a minha vida, com o breve interregno dos poucos anos em que vivi na Amadora... :))

    E fico tão orgulhosa quando vejo alguém amar a minha cidade e cantar os seus encantos, que não podia deixar de divulgar aqui esta notícia! :)

    O Fatifer tem razão, os residentes no Concelho de Lisboa não pagam entrada. O bilhete normal atual custa 7,5 €.

    Beijokas!

    ResponderEliminar
  12. Pois estou, CATARINA, mas já estou a pôr a mão na consciência e a pensar resolver o assunto em breve! :))

    E essa viagem de 28 também é uma ideia, que nunca a fiz! :)

    Amo Lisboa!

    ResponderEliminar
  13. Pois, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA, terá sido por aí que Frank ficou cativado por Lisboa. Convenhamos que esses roteiros são úteis, para quem está de visita por poucos dias e deseja optimizar o tempo da melhor forma possível. Mas certamente não serão a melhor forma de conhecer a alma de uma cidade ou local... :)

    ResponderEliminar
  14. Ora aí está uma visita que não faz parte dos meus planos, MARIA: as marchas populares, no pavilhão atlântico?! :))

    Mas concordamos ambas que Lisboa é linda. Claro que somos suspeitas, mas o que é que isso interessa agora? :D

    Conheço quase todos os jardins de Lisboa, num plano de fins de semana de passeio, que deu os seus frutos! E miradouros também suponho que a maioria. Mas faltam ainda tantos recantos. E a revisita ao castelo. E no ano passado também não consegui ir ao Zoo - ou estava calor demais, ou a prometer chuva, ou... ou... É outra que está agendada para este ano! :)

    Beijocas óh alfacinha 2!

    ResponderEliminar
  15. Meu caro, para se saber os podres de uma cidade é preciso viver nela durante uns tempos. E não penses, VÍCIO, que as outras não os têm, porque é assim em todas... :)

    ResponderEliminar
  16. A malta adia, é hoje, amanhã ou qualquer dia, VIC, e um dia descobre que já anda a "engonhar" há tempo demais... :))

    Como o próprio artigo diz, neste momento precisamos muito de turistas. Há que agradar-lhes! :D

    ResponderEliminar
  17. Somos dois, FATIFER! :)

    Fui ver ao site do Castelo e sim, a entrada ainda é gratuita para os residentes no Concelho! Gracias pela dica... :D

    Beijocas!

    ps - não me esqueci do que fiquei de organizar! ;)

    ResponderEliminar
  18. Olha, essa não sabia, ELVIRA, mas a imagem combina com a cidade... :)

    Abraço!

    ResponderEliminar
  19. Win Wenders tinha muito bom gosto, EMATEJOCA! :))

    Obrigada a visitar o Zoo?!? Isso é quase uma heresia...

    A estufa fria é lindíssima, o Rossio fervilha de gente, assim como o Chiado, há muitos e muitos locais encantadores em Lisboa. Pena que alguns jardins não estejam mais bem cuidados... ;)

    O castelo já não visito há largos anos. Daí a vontade de o revisitar! :)

    Mas, para mim, também é evidente que uma cidade se prende também às boas memórias que se tem dela. E as tuas raízes moram mais no Porto... :)

    ResponderEliminar
  20. É verdade, LUISA! Daí ser urgente mudar esse modo de estar... :))

    Quem sabe se não dás lá um saltinho numa próxima oportunidade? :)

    ResponderEliminar
  21. Li a crónica de Frank e gostei que ele tivesse gostado de Lisboa mesmo não sendo a minha cidade mas onde passei anos muito agradáveis e enriquecedores. Quando fazemos amigos num determinado local que não conhecemos bem, como no caso do Frank, estes levam-nos a conhecer recantos interessantes que de outro modo não ficaríamos a conhecer.
    Depois de ler o artigo, decidi que iria revisitar o Parque Eduardo VII onde, creio, só fui uma ou duas vezes . Lamentavelmente, pouco me recordo dele. Vejo-o à distância apenas quando estou em Lx. Agora fiquei com muita curiosidade e quero compará-lo com os parques desta “minha” cidade. : )

    ResponderEliminar
  22. eu nunca pensei que as outras não os tivessem mas os defeitos do meu vizinho não desculpam os meus ;)

    ResponderEliminar
  23. A primeira cidade que conheci, quando parti de Lamego com a minha mãe, aos 6 meses, foi LISBOA!!!

    Aos 2 anos fui então, também com a minha mãe, para o Porto, sendo á cidade invicta que está gravada no meu coração.

    Quanto ao Jardim Zoológico, apesar de gostar muito de animais, não aprecio muito as visitas aos jardins zoológicos, além disso, essas visitas foram nas férias de Verão e eu ía morrendo de calor.

    Depois de ler este teu texto e de ver as fotografias fiquei com muita vontade de voltar a Lisboa, onde vive a família do meu pai.

    Ao cabeleireiro vou hoje à noite, Teté, agora vou para o laréu, aproveitar estes dias de Verão.

    ResponderEliminar
  24. Muitas das fotos que ponho aqui são de lá, que o parque Eduardo VII tem muito para ver: o miradouro lá no alto, ao pé lá daquele mano que chamam de estátua, a estufa fria de um lado, um restaurante esplanada de outro, com patos, cisnes e verdadeiras estátuas, para lá de um jardim e do Pavilhão Carlos Lopes. Os jardins por ali abaixo entre os passeios dos dois lados costumam estar sempre bem arranjados. E, claro, também é lá que tem lugar a feira do livro, anualmente! Não deixes de visitar, CATARINA! :))

    Ah, mesmo pertinho lá do alto, na outra direção contrária ao rio tem o jardim Maria Amália, que também tem um bar/esplanada, com um lago e patos, bastante frequentado mas sossegado, onde se pode ler ou conversar...

    E pronto, já me entusiasmei a falar de Lisboa... :D

    ResponderEliminar
  25. Claro que não, VÍCIO! Mas, como digo, suponho que é necessário viver uns tempos numa cidade para verificar os seus defeitos... :)

    ResponderEliminar
  26. Eu adoro o ZOO, EMATEJOCA, onde fui desde pequena, ver os animais, patinar (foi lá que aprendi a andar de patins), brincar no parque infantil, dar comida aos peixes no lago... Vivia lá muito perto, era o jardim mais próximo! :))

    Mas sim, para uma visita ser agradável, convém escolher um dia que não esteja muito calor! :D

    E está quase, quase... :)

    ResponderEliminar
  27. o programa do Bourdain é magnífica e fará muito mais por Lisboa que milhões em campanhas oficiais insossas e estandardizadas. Embora não trocando a minha cidade, Lisboa é verdadeiramente um mundo à parte, um universo em si mesma, de diversidade e unidade. Lisboa vai fazendo mais por si própria, por ser o que é, que a maioria das medidas tomadas em nome da cidade.

    ResponderEliminar
  28. Tens razão, MOYLITO: tanto Bourdain como Bruni fizeram muito mais por Lisboa que muitas campanhas standard! Até porque não há como substituir a espontaneidade e sinceridade com que os relatos foram efetuados... :))

    A mim levaram-me a revisitar o zoo e o castelo, por exemplo! :D

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)