terça-feira, 1 de maio de 2012

MANIFESTAÇÕES... PATRONAIS!

Os hipermercados estão abertos a domingos e feriados, salvo as exceções de 25 de dezembro, 1 de janeiro e, até ao ano passado, 1º de maio, dia do trabalhador. Aí, um patrão considerou abusivo que os seus trabalhadores gozassem este último feriado (de outra maneira que não fosse a trabalhar!) e toca de o retirar do calendário de "folga". Logo outros patrões do setor lhe seguiram as pisadas, com maior precaução, mas seguindo a mesma linha. Estava bom de ver o que aconteceria este ano, não estava?

Nem vale a pena referir que os sindicatos convocaram uma greve para este feriado, para depois acusarem o patronato de impedir o direito à greve. Mas quer dizer, se a maioria dos trabalhadores está em situação precária, não podendo recusar-se a ir trabalhar num feriado, como é que declara que afinal aderiu à greve? Uns e outros armados em brincalhões... com vidas alheias!

Mais caricata ainda é a notícia que a Bulhosa Livreiros suspendeu um dos seus empregados, por se ter manifestado contra o atraso prolongado do seu salário - conjuntamente com outros colegas e na abertura da Feira do Livro de Lisboa - e ter prestado declarações à SIC. "Suspensão imediata e sem perda de retribuição", alega a Bulhosa. Mas qual retribuição, se o protesto do(s) trabalhador(es) foi devido à falta dela?!?

Melhor estarão os funcionários de uma empresa portuguesa, que não gozaram o feriado do 25 de abril, por supostamente terem concordado em fazer a "ponte" a 30.  Até podia desenhar o "boneco" do que lhes prevejo para 2013...

BOM FERIADO PARA TODOS! 
(para quem o puder usufruir, evidentemente...) 

post-scriptum - podem ler a notícia sobre a Bulhosa, no "Expresso", mas li-a pela primeira vez aqui, no blogue "Página a Página".

Imagem do facebook.

29 comentários:

  1. É Teté, as coisas vão-se compondo para dentro em breve nem no dia de Natal haver hipermercados fechados...

    ResponderEliminar
  2. Pois isto das grandes superfícies estarem abertas em dias não necessários é também culpa de quem consome. Se neste dia não aparecesse lá vivalma, talvez o patronato pensasse duas vezes na próxima em que fosse abrir a porta num dia em que o trabalhador devia estar em casa. Há que ganhar dinheiro, que ele faz falta, mas caramba não é tudo na vida! Pois a mim sabe-me muito bem em estar hoje em casa de pernas ao alto. ;)
    Beijocas

    ResponderEliminar
  3. Se quem trabalha decidir respeitar quem trabalha , hoje não irá nem uma pessoa aos supermercados! Mas, infelizmente, os princípios e a solidariedade estão caducos...

    Neste DIa, que em 1974 me marcou para sempre em emoção e alegria, te abraço com fraternidade.

    ResponderEliminar
  4. é só uma questão de tempo até o 1º de Maio deixar de ser comemorado, até porque simboliza precisamente o que se quer desmantelar.

    ResponderEliminar
  5. Que engano foi esse, Teté?

    Hoje é o 1º de Maio e não o 1º de Abril, por isso, não compreendo me nos queira enganar com tantas mentiras!!!

    Caso não sejam mentiras, Portugal está a virar numa república de bananas.

    ResponderEliminar
  6. Concordo absolutamente com o comentário do tonsdeazul, se neste dia não aparecesse lá vivalma, no próximo ferido já o Pingo Doce fechava as suas portas, em vez de fazer descontos de 50%.

    ResponderEliminar
  7. Estamos quase lá, Teté! Já não falta quase nada!

    Bom feriado, enquanto há!

    ResponderEliminar
  8. De regresso a Lisboa, deparo com o espectáculo do Pingo Doce e sinto-me envergonhado! Começo a duvidar que este povo mereça as conquistas de Abril.
    O caso da Bulhosa que aqui nos conta é muito sintomático do que aí vem, mas com atitudes como as de hoje, os tugas estão a abrir caminho para que estes casos se repitam.
    Como há dias escrevi no CR, qq dia ainda vamos receber o salário em géneros, ou teremos de pagar para trabalhar.

    ResponderEliminar
  9. De facto Teté... já para não falar da desavergonhada campanha de descontos do Pingo Doce...

    ResponderEliminar
  10. Quem trabalha no comércio dificilmente tem feriado... Em contrapartida, os funcionários do Governo tem o privilégio de "enforcar" um/dois dias e gozar de feriadões! Mas, o patrão sempre tem razão, né? Triste realidade... Bjks Tetê - Avaliando a Vida

    ResponderEliminar
  11. Em tempos de crise, medidas de crise...entre os que andaram à chapada no pingo doce e os que protestaram na avenida da liberdade, poucos devem ter aproveitado o "descanso" do feriado.

    ResponderEliminar
  12. A campanha de descontos do Pingo doce não foi desavergonhada, o empresário leu Bertold Brecht e sabia que:

    "Erst kommt das Fressen, dann kommt die Moral!"

    Pobre Portugal!!!

    ResponderEliminar
  13. Sem comentários...Tons de azul disse tudo.

    Sabes que já dizem por aí que a gasolina está a baixar porque devido aos aumentos constantes o consumo baixou 7,5%???

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
  14. Fechavam três dias por ano, VIC, que raio de mesquinharia é esta?

    Parece que vão investigar que não houve "dumping", mas deve ficar em águas de bacalhau, como de costme... :P

    ResponderEliminar
  15. 100% de acordo, TONS DE AZUL! Vou a hipermercados em sábados, domingos e feriados (embora tente evitar), mas nem as promoções de 50% me convenceram a ir lá hoje! Quer dizer, se calhar ainda menos, porque segundo li e vi por aí, alguns até tiveram de fechar, tal era a confusão... :P

    E sim, dinheiro não é tudo na vida, mas ainda há quem não perceba isso! ;)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  16. Os princípios e a solidariedade estão caducos, SÃO, e com o matarruano lá a acenar com umas promoções excecionais, ainda mais! Que desilusão com este povo, que se "vende" assim tão facilmente... :((

    Respeitar quem trabalha, é chão que já deu uvas!

    Abraço fraterno (e solidário)! :)

    ResponderEliminar
  17. Exatamente, MOYLE! Pior é que os pamonhas e os chicos-espertos desta terra correm atrás da cenoura que lhes balançam em frente do focinho... :P

    ResponderEliminar
  18. Bananas e peras, tudo pelo preço da uva mijona, EMATEJOCA, deu uma confusão do caraças!

    Que desilusão com este povo, que além de ignorante (muitas vezes por culpa das circunstâncias), deu hoje provas da sua tacanhez... :P

    E não, não pus lá os pés, como deves calcular! Mas quando escrevi o post, ainda não sabia da "promoção"...

    ResponderEliminar
  19. Infelizmente, GRAÇA, estamos mesmo nesse caminho... :(

    Beijocas e boa semana para ti, que o feriado já passou! :)

    ResponderEliminar
  20. Também me sinto envergonhada, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA, se bem que não tenha porquê! É só aquela sensação de vergonha pelas figuras tristes alheias, num consumismo, oportunismo e estupidez à prova de bala!

    E sim, depois os tugas choram-se muito, porque estão a perder direitos, mas a triste realidade foi a que se viu! Sem palavras! :((

    ResponderEliminar
  21. Sabes, LUISA, até li uma patega a dizer que o fulano do Pingo Doce era um grande senhor, a zelar pelo povo! Pois... :P

    ResponderEliminar
  22. TETÊ, aqui há quem esteja a arranjar a corda para se enforcar e só perceberá quando estiver a caminho da forca... Desculpa, o "espetáculo" foi muito triste! ;)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  23. Bem-vind@, 60 SINAIS!

    Por acaso, não tenho pena nenhuma de quem andou à chapada! A falta de nível foi tanta, que só se perderam as que caíram no chão... Cambada! :P

    ResponderEliminar
  24. E lá fui ao dicionário, saber o que era fressen, TERESA HOFFBAUER! Mas achas que os pobres coitados que mal têm dinheiro para comer estiveram nas fileiras do Pingo Doce? Não, pobre não enche carros de compras, à conta da promoção e do desconto...

    E se fossem os esfomeados, sem-abrigo, etc. a estar lá, nem abria a boca!

    Pobre Portugal mesmo, com governantes e uma gentinha desta! E somos todos nós a "pagar as favas"... :(

    ResponderEliminar
  25. Disse tudo, sim, MARIA! O que não se sabia é que desse esta confusão toda, tão pouco dignificante! Quer dizer, pelo menos eu não sabia, quando agendei o post... ;)

    Não me admira muito! Então depois onde é que eles vão buscar os impostos? A recessão tem a ver com isso mesmo... :(

    Beijocas! :)

    ResponderEliminar
  26. Enquanto os alemães foram às ruas contra a austeridade da Angela Merkel com os países como a Grécia e Portugal, o nosso povo vai às compras e, apesar da miséria que reina em Portugal, por causa da Angela Merkel, milhares de pessoas gastaram mais 700€.

    ResponderEliminar
  27. Minha cara EMATEJOCA, não foram os pobres e miseráveis que foram açambarcar produtos para o Pingo Doce, que esses têm o dinheiro contadinho para tudo, não podem encher a despensa para os próximos 6 meses! Foram chico-espertos e arruaceiros, enfim, gentinha ignorante (o que é como o outro, que nem todos tiveram hipóteses de estudar), mesquinha e néscia... ;)

    ResponderEliminar
  28. Tive direito a feriado e usei um dia de férias para fazer a ponte. Não fazia ideia que o Ping Doce tinha feito uma campanha 50% de desconto a não ser no telejornal da noite mas mesmo que soubesse não tinha ido às compras só porque sim.

    Não discordo da campanha e não compreendo as criticas que fizeram. Afinal, a malta que lá trabalha ganha 3 dias e tem um dia de folga extra. Se me dissessem para vir trabalhar no dia 1 com essas condições, eu vinha!

    Quanto aos direitos que se perdem e tal e coiso... essa história é outra e só quem trabalha nessas condições é que pode fazer alguma coisa contra isso. Ou então procurar emprego noutro lado (fora ou dentro do país).

    ResponderEliminar
  29. Caro W: tens um ponto de vista diferente do meu, apesar de concordar que foi uma grande operação de marketing. Mas o que está por detrás dela não são só essas aliciantes condições num dia de trabalho, mas acabar com mais um feriado! Porque se os trabalhadores aceitam assim, o povo acorre porque até há grandes promoções, num tempo como este, pró ano já se sabe que as condições vão diminuir, as promoções não serão tão vantajosas e daqui a dois ou três anos já ninguém fala no assunto. Acabou-se o feriado e MAINADA!

    Se estas atitudes empresariais prepotentes continuarem, alargadas a outros setores, tu e todos ficam com o dia de Natal e Ano Novo... e já gozam!

    Capisce? ;)

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)