segunda-feira, 5 de março de 2012

DOMINGO À TARDE

Final da tarde de domingo, em Lisboa. A exposição está prestes a encerrar o expediente, de modo que guardamos para outro dia: é no que dão as noitadas ao sábado - num levantar e almoço tardio, num ripanço domingueiro, na incerteza do passeio a dar. Mas valeu a pena, que a festa foi divertida!

Vou tirando uma fotografia aqui e ali, sem pressas, apenas à medida que as imagens envolventes captam a minha atenção. O sol tímido e amarelecido deixa-se fotografar na linha do horizonte, por entre as árvores nuas... 

Sentamo-nos numa esplanada resguardada, para um lanchinho. À minha frente está um homem com dois cães, um ao colo e outro deitado pachorrentamente no chão. Conversa em inglês com outros quatro conterrâneos, na mesa ao lado. Segundo ele, toda a gente em Portugal conhece a raça do grande cachorro que tem ao colo e que adquiriu na véspera. Olho, duvidosa! O meu marido senta-se à mesa, trazendo na mão a revista que foi buscar ao carro. Deixo de ver o homem e o cão, mas ele, para demonstrar a veracidade da sua afirmação, pergunta à jovem empregada se sabe qual é a raça do animal. Ela diz que não e eu sorrio para dentro. 

A mesma empregada fornece-nos a lista. Comentamos os preços quase escabrosos e que é local a que não podemos ir muitas vezes. Ali, a paisagem também se paga:

Entretanto, a companheira do homem dos cães senta-se frente a ele. Uma das raparigas da outra mesa já tem o seu colo completamente ocupado pelo bicho de pelo loiro escuro, enquanto a outra se inclina para afagar o cão preto deitado no chão, que se derrete para ela, de barriga para cima e patas no ar.

Comentamos a docilidade dos cães. E depois a revista, que folheio e leio alto em pequenos trechos...


Viajamos pelo mundo, conhecido e desconhecido, dos destinos vividos e sonhados. Ali, à beira do rio Tejo. A vida é assim!

ps - o cão "que todos os portugueses sabem a raça" pareceu-me um serra da estrela; o preto não sei, mas lá que era meiguinho, era...

12 comentários:

  1. Tardes de domingo são mesmo boas para ripanço em esplanadas, quando o tempo o permite. O remate ideal para mim é um cineminha ( ontem foi A Invenção de Hugo) e depois mastigar qualquer coisa leve, para amansar o estômago.

    ResponderEliminar
  2. Por acaso a ideia até era mais ou menos essa, só que a sala de cinema que nos dava jeito só levava o filme quase às 10 da noite, de modo que ficámos pelo passeio, e um jantar frugal mais tarde, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA! :)

    ResponderEliminar
  3. o cão podia ser um rafeiro alentejano...
    tendo em conta que tem o porte idêntico ao serra e a posição em dizes que estava :D

    ResponderEliminar
  4. Não sendo especialista em raças de cães, pode ser, VÍCIO! Mas pelo tom do pelo comprido, meio preto meio loiro, pareceu-me um serra da estrela. Nas fotografias que depois pesquisei em casa também. Mas certezas, nem por isso... :))

    ResponderEliminar
  5. Daquela cor não seria um golden retriever?
    (estiveste em Belém, Tété? Pela foto, parece. E eu de vez em quando vou até lá com a minha parceira e a minha cadela)

    ResponderEliminar
  6. Assim que vi as fotos junto ao Tejo, pensei logo que tivesses ido ver a exposição. Mas já vi que chegaste a más horas... Ai essas festas de sábado à noite!! ;)
    Quando está um solinho, os passeios de domingo aí tornam-se em ajuntamento, não? Vai tudo para o mesmo local passear... Ehehe No fundo é como aqui. Tudo o que é junto ao mar ou rio agita movimentações domingueiras.
    Também andas de volta do JLP? :) Se não fosse por ele, não compraria a revista, como é óbvio! Tem demasiada publicidade!!
    Beijocas

    ResponderEliminar
  7. Pelas fotos foi um bonito fim de tarde. Fiquei com inveja da leitura da revista. Tenho que arranjar um exemplar :)

    ResponderEliminar
  8. Não tenho certezas, VIC, mas para o fulano dizer que todos os portugueses conheciam aquela raça, deduzi que era portuguesa. Pensei logo no serra da estrela e pelas fotografias que vi na net é bem possível, que tem o mesmo tipo de pelo e é um cão grande (este era apenas um filhote, mas dava ideia que ia crescer um bom bocado...)

    E sim, íamos ver uma exposição no museu da eletricidade e depois acabámos a dar uma volta pela zona... :D

    ResponderEliminar
  9. A ideia era essa, mas já era tarde, TONS DE AZUL! :D

    No verão há mesmo muita gente a passear junto ao Tejo, no Domingo passado nem por isso. Claro que havia quem andasse por lá a correr, passear ou a andar de bicicleta, mas a extensão do passeio na margem do rio é grande, portanto andava-se à vontade...

    Ainda só folheei as primeiras páginas, nessa tarde, mas concordo que tem muita publicidade. Já se sabe também que as revistas vivem da publicidade e não dos eventuais compradores... :)

    Beijocas!

    ps - e obrigada pelas duas dicas! :D

    ResponderEliminar
  10. Pois foi, LUISA, sobretudo calminho! :)

    Também foi a Tons de Azul que me deu a dica da revista, inteiramente escrita por José Luis Peixoto. E tratei de a comprar, antes que esgote! :D

    ResponderEliminar
  11. eu passei o Domingo em ressaca depois de um jogo de poker no sábado até às 5h. e eu nem sequer sei jogar poker e sai num instante. mas whisky... isso já sei jogar :)

    ResponderEliminar
  12. Poker e whisky é uma combinação perfeita para a ressaca do dia a seguir, MOYLITO! :D

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)