quarta-feira, 14 de março de 2012

DOWNTON ABBEY

Séries que retratam a sociedade inglesa do início do século passado já provaram ser fórmula que funciona em televisão: "A Família Forsyte", em 1967, ou "A Família Bellamy", entre 1971 e 1975, com continuação em 2010 (que não sei se passou por cá), tiveram um enorme sucesso na época!

Há poucas semanas a SIC estreou uma nova série do género. Enfim, estreou é como quem diz, que a primeira parte da série já passou num canal cabo, não sei qual, daí que me tenham alertado para a sua nova exibição e para a grande qualidade da série da ITV, tão ao meu gosto! "Downton Abbey", à semelhança das suas antecessoras, conta-nos a história por dois prismas - dos nobres que residem na grandiosa mansão e da criadagem que a serve e que conhece os seus segredos mais íntimos. E onde, inevitavelmente, despontam paixões e conflitos, amores e intrigas e uma sucessão de acontecimentos que nos prendem agarrados ao ecrã.

Por motivos que se prendem com o direito sucessório inglês da altura, lord Crawley tem de deixar a sua imensa propriedade a um herdeiro masculino, mas ele só tem três filhas. Quando o seu herdeiro morre no naufrágio do Titanic, ele descobre que na linha da sucessão segue-se Mattthew Crawley, um jovem primo afastado, que é advogado em Manchester. A condessa, mãe do lord, a sua mulher e a filha mais velha desaprovam totalmente os termos do testamento e tentam encontrar um advogado que tome conta do caso, o que todos recusam. Por sua vez, dado o grande apreço que tem pela propriedade que salvou da ruína, o próprio lord aceita sem grandes rebuços os termos testamentais, convidando o seu sucessor a mudar-se para a região e ficar mais a par da sua gestão, o que este aceita. As mulheres da família vêm a chegada deste e da sua mãe com alguma má vontade, mas têm também a grande esperança que o primo se case com uma das donzelas. Quer dizer, todas menos Mary, a filha mais velha, que em princípio seria a eleita por ser a mais lesada com o testamento... e, aparentemente, também a preferida do causídico.

Entretanto na cozinha e nos aposentos da criadagem também se adivinham algumas intrigas amorosas entre os serviçais, uns calados por timidez ou complexos, outros que nitidamente estão a bater na porta errada e ainda outros que apenas se entretêm com mexericos. Ainda só vai no terceiro episódio - suponho que são 18 já exibidos na televisão britânica e uma terceira temporada ainda em filmagens - mas certo é que a série promete. Muito! 

Vejam o trailer:


Maggie Smith, Elizabeth McGovern e Jim Carter são algumas das caras mais conhecidas do público português, mas os atores mais jovens também contribuem com o seu vibrante e insuspeito talento para abrilhantar um argumento já de si muito bom, de Julian Fellowes. Love it!

Imagem da net.

30 comentários:

  1. Salvo erro, o canal cabo onde passa esta série é um dos Fox, mas não tenho a certeza de qual.

    ResponderEliminar
  2. Da série, cuja 3ª temporada está programada para ser transmitida a partir de Setembro no UK, já foram exibidas as 2 ªs temporadas e um especial de Natal na Fox Life.
    É na verdade uma série excelente, não só pela estória, mas também pelo guarda-roupa, interpretação e até a banda sonora, muito de acordo com a época em que decorre a acção.
    É sem dúvida uma série a não perder, e as relações entre os senhores e a criadagem são um ponto alto em toda a série.
    Muito bom tópico, Teté :)

    ResponderEliminar
  3. É de facto uma série aliciante. Não só pela história em si, mas também pelos contornos que vai desenhando à medida que os episódios vão sendo transmitidos. Uma boa aposta da televisão,das poucas nos últimos tempos que aplaudi.

    Tens um desafio no meu blog. =D

    Beijinhos
    Patrícia

    ResponderEliminar
  4. Estou a gravar na esperança de ter tempo para ver. O teu post ajudou-me imenso para conseguir perceber a trama, visto que a primeira série tambem me passou ao lado...
    :)

    ResponderEliminar
  5. Comecei a ver ao sábado à noite, mas falhei o primeiro episódio! Estou a gostar :)

    ResponderEliminar
  6. normalmente quando a escolha é muita a exigência aumenta e acontece com as séries.
    são tantas que só me prendo a alguma que seja mesmo marcante e, apesar de não conhecer esta, desconfio que não me prendia.
    vi recentemente a mini serie "Os Tudor" que retrata a vida de Henrique VIII e o inicio da igreja anglicana e gostei!

    ResponderEliminar
  7. lá vou ter que obter esta série :P

    ResponderEliminar
  8. O quê, nem um troll ou um goblin? Ao menos um zombie? Não me parece que me vá cativar... Beijocas!

    ResponderEliminar
  9. Não vejo séries!

    Tentei ver uma mini-série policial inglesa (só vi o primeiro capítulo) que esqueci no domingo seguinte e que nunca cheguei a saber quem era o assassíno.

    Adoro a actriz Maggie Smith!

    A tua camarada está a caminho das melhoras, hoje já foi à biblioteca perto de casa e, amanhã pensa visitar uma exposição, graças à Maria e ao tempo primaveril.

    ResponderEliminar
  10. Não aprecio séries, já há anos que não tenho paciência para seguir tantos episódios, rrss

    Abraço grande

    ResponderEliminar
  11. Eu só vi alguns episódios, mas gostei bastante :D

    ResponderEliminar
  12. A Família Forsyte segui atentamente e era uma belíssima série. Já quanto à Familia Bellamy não me posso pronunciar...

    ResponderEliminar
  13. Não vi nenhum episódio e se já deram 2 ou 3, também não vou começar a ver, se bem que agora deixaste-me curiosa...

    Leste o que disse a ematejoca? Deu resultado...que bom :)

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
  14. Esta série é soberba. Eu já vi tudo, não consigo ver séries na tv estar à espera que venha a próxima semana. Comigo tem de ser tudo de enfiada.
    Eu adorei e a série está com uma classificação a cima de 9 no imdb. São séries destas que nos mostram o quanto a ficção portuguesa é fraca...
    Depois claro, não como não amar a Maggie Smith.
    Beijos

    ResponderEliminar
  15. Obrigada, ANA, mas aqui o Vic já explicou que foi no Fox Life e que já passou a série toda, exceto a que ainda está por estrear! :)

    ResponderEliminar
  16. Olha, VIC, não sabia que já tinham passado a série toda, exceto a 3ª temporada prevista para setembro no UK! Estamos sempre a aprender, além que fico esperançada que a SIC depois não faça interregnos na sua emissão... :))

    E sim, foi a história que mais me cativou (e a História dentro dela), mas a interpretação, o guarda-roupa, os magníficos locais de filmagens e tudo mais conseguem um todo muito bem conseguido. Tenho é de reparar mais na música... ;)

    Obrigada pelas informações! :D

    ResponderEliminar
  17. Nem posso falar muito, que também vejo muito pouca televisão e séries ainda menos, PATRICIA! Mas esta comecei a gravar, por indicação de amigos, e não vou perdê-la - tem tudo para me agradar! :D

    Mais uma vez obrigada e duplamente! O desafio publicarei em breve! :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  18. Também gravei para ver um dia, SAFIRITA, aproveitei estar aí adoentada para me pôr em dia! Se bem te conheço, vais adorar tanto quanto eu! Não percas! :)

    ResponderEliminar
  19. Em havendo oportunidade, o melhor é pôr mesmo a gravar, ESPECIALMENTE GASPAS! Assim mesmo que se perca no dia, vê-se noutra altura... :)

    ResponderEliminar
  20. Bom, se tu és como o Rauf, que gosta de um troll, goblin ou pelo menos um zombie como condimento da série, pois, esta não será mesmo o teu género, VÍCIO! Se bem que creio que a dos "Tudor" não tem lá nada disso, embora certamente não faltem contornos sanguinários... :e

    ResponderEliminar
  21. Não estou a ver como, que não está à venda, MOYLITO... =))

    ResponderEliminar
  22. Tu és um insensível, é o que é, RAUF! Então é preciso um goblin, troll ou zombie para uma série ser boa?!? =))

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  23. Pois é pena que não vejas, EMATEJOCA, imagino que desta ias gostar e muito! A bem dizer também as gravo, e depois vejo quando tenho tempo, assim uns poucos episódios de enfiada. Ainda para mais se adoras Maggie Smith! :D

    O que é preciso é melhorar, o resto são cantigas! A mesinha da Maria resultou mesmo?! :)

    ResponderEliminar
  24. Também não vejo muitas, SÃO, mas esta caiu-me no goto! :)

    Abraço!

    ResponderEliminar
  25. Mas também há de chegar aí, CATARINA! :))

    ResponderEliminar
  26. Como estou a ver do início, espero ver todos, WHITE_FOX! :))

    ResponderEliminar
  27. D' "A Família Forsyte" só tenho uma leve ideia, segui mais de perto a outra. E esta também tenciono, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA! :)

    ResponderEliminar
  28. Se fosse a ti repensava, MARIA, que acho que ias gostar! Perdeste 3 episódios, mas ainda faltam 15... :))

    Ela diz que sim! :D

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  29. Conheço alguns jovens que pensam da mesma maneira que tu, PSIMENTO! :))

    Vi que a classificação na IMDB é de 9/10, o que é raro até para filmes! :)

    Parece que todos concordamos que Maggie Smith é uma grande dama na arte de representar! Quanto à ficção portuguesa, acho que nem nunca sequer pretendeu meter-se numa obra desta envergadura... ;)

    Beijocas!

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)