sábado, 2 de março de 2013

PORTUGAL SAIU À RUA...

Acabadinho de pintar! 










Ao som de "Grândola Vila Morena", de outras músicas e de várias palavras de ordem, a manifestação decorreu pacificamente por todo o país, demonstrando inequivocamente o descontentamento do povo com o atual governo e as medidas de austeridade que tem implementado desde que foi eleito, e contrárias a todas as promessas eleitorais.

O povo é sereno... mas tem limites!

28 comentários:

  1. GOSTO MUITO:

    PREFIRO CAVALO NA LASANHA DO QUE BURROS NO GOVERNO.


    Coelho, vai à merda.
    Seguro, vai com ele...


    "Vai estudar Relvas" já tem barbas!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem barbas, mas mas é sinal que ninguém esquece o trafulha que práli anda, EMATEJOCA! :)

      Mas claro que o descontentamento não é só com o governo, mas também com os políticos em geral! :P

      Beijocas!

      Eliminar
    2. Da trafulha e das habilitações que esse pessoal tem para nos governar...

      Beijocas

      p.s. O que é que significam aquelas máscaras anonymous?

      Eliminar
    3. Trafulhas destes só têm o que merecem, POPPY! :P

      Já li uma explicação sobre as ditas máscaras, mas não sei ao certo de onde vem. Só sei que não gosto muito delas, fotografei pela curiosidade, mas prefiro estar longe. Nunca se sabe se atrás da máscara não estará alguém que pretende ter comportamentos menos pacíficos e próprios, a coberto do anonimato... ;)

      Beijocas!

      Eliminar

  2. Há cartazes giros mas quando é uma criança a segurá-los.... confesso, não concordo. Tentamos incutir nas crianças o respeito por si próprias e pelos outros... e depois aparece um pai com uma T-shirt destas ....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acontece que a maior falta de respeito veio destes governantes e políticos, CATARINA, parece-me natural que o povo lhes retribua da mesma moeda.

      Nunca levei o meu filho a uma manifestação. Nem o faria hoje, se ele ainda fosse pequeno. Mas há quem tenha outro ponto de vista. De qualquer forma, não conheço ninguém que aparece nas fotos, que foi a "reportagem" possível do acontecimento! ;)

      Abraço

      Eliminar
    2. Concordo contigo em absoluto, Catarina, mas porque levam as crianças?

      Nunca levei um filho meu a uma manifestação, porque era manipular os meus filhos com as minhas ideias políticas.

      Crianças são crianças e ainda não sabem o que estão lá a fazer, portanto é pura manipulação da parte dos pais.

      Eliminar
    3. Sabes, EMATEJOCA, nem acho que o maior problema seja a "manipulação" que referes: os putos crescem e formam as suas próprias ideias independentes das dos pais! E, de alguma forma, todos tentamos dar-lhes normas de conduta semelhantes à nossa, sendo certo que estas variam de pais para pais...

      O que acho é que é perigoso, não só por não se saber se a coisa corre para o torto (felizmente não é normal, mas já aconteceu em alguns casos!), mas porque os putos se podem perder no meio da multidão e certamente para os mais pequenos é uma enorme canseira... que ainda foi um longo percurso a pé! ;)

      Eliminar
  3. Será que o Governo e criaturas afins vão ainda continuar a afirmar que são meia dúzia de arruaceiros que os vaia?

    E Cavaco ainda está vivo ou é um duplo que nos mostram de vez em quando?

    Dorme bem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eles podem dizer o que lhes der na gana, SÃO, facto é que o milhão e meio de portugueses que saiu à rua não se pode confundir com meia dúzia de arruaceiros... ;)

      Cavaco deve andar a preparar mais um interessantíssimo discurso sobre as vaquinhas nos prados, daí andar sumido! :P

      Bons sonhos! :)

      Eliminar
  4. Mais uma.
    Grão a grão enche a galinha o papo. Espero.
    bji

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como dizia o outro, NINA, não me calo nem que a voz me doa... :)

      Estou convencida que ainda se vão seguir muitas cenas nos próximos capítulos... Mas sempre é melhor que andar a modorrar no sofá ou a lamuriar tipo faduncho! ;)

      Beijocas

      Eliminar
  5. Não generalizes. Só podemos considerar como válido o teu raciocínio nas urnas. Aí vais ter muitas surpresas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não generalizo, CARLOS?!? Um milhão e meio de portugueses na rua não te parece prova suficiente de descontentamento? Se há coisa que prezo é a democracia e a liberdade, mas o que fazer quando os eleitos não cumprem minimamente as promessas eleitorais? E não é por ter votado nestes ou nos anteriores, que há muito tempo que são todos farinha do mesmo saco... ;)

      Cumprimentos!

      Eliminar
  6. Aqui em Leiria também saiu muita gente à rua (para ser em Leiria/Cavasquistão, até foi uma boa enchente!) e correu tudo ordeiramente.

    O povo é sereno (de mais)!

    Beijinho e boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tanto quanto ouvi nos noticiários, GRAÇA, só no Porto houve um pequeno conflito e já a manif tinha acabado. Mas ao contrário do que dizem esses jornalistas, e sendo certo que todos sairam para demonstrar o seu descontentamento e indignação, a marcha para além de ordeira e pacífica também foi alegre... :)

      Certo que não é por aí que as mentalidades mudam, mas sempre é melhor que não fazer nada... ;)

      Beijocas!

      Eliminar
  7. Há limites para tudo, mas, até quando?
    Lá estarei no pôr do sol.
    Beijinho Teté

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até quando, é uma pergunta difícil de responder, KIM. Mas estaremos cá para ver, espero! :)

      E desde já agradeço a participação, que haja Sol para todos nós... :D

      Beijocas!

      Eliminar
  8. Há uma coisa que não me sai da cabeça. Teté. Por que razão a maior vaia foi para o Cavaco? Ele está morto, não conta para nada. Já o coelho rabino anda a tramar-nos, mas ontem foi tratado como cordeirinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não notei isso durante a manif, CARLOS, é só o que posso acrescentar, como mera manifestante anónima na multidão. Embora também não tenha nenhuma simpatia pela múmia... ;)

      Eliminar
  9. Eu não estive na manifestação...quando o objetivo for outro, contem comigo.

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. MARIA, para mim o objetivo é tão simples como manifestar a minha discordância com as políticas/medidas seguidas. Em democracia não deviam existir uns chico-espertos a fazer promessas eleitorais, para depois borrifarem nelas ou em quem os elegeu... ;)

      Beijocas! :D

      Eliminar
  10. No meu "sector" ninguém foi tratado com paninhos quentes!
    Aquilo foi a eito!:-))

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os paninhos quentes estão a perder a graça, ROSA, já se viu que ninguém entende se as vozes não subirem de tom. Ou as marchas e manifs. Podem tentar ignorar, mas não é por aí que vão mais longe... :)

      Abraço

      Eliminar
  11. Não tenho a certeza de que estas manifestações atinjam os resultados pretendidos. Não por não terem razão de existir (pelo contrário; devem sê-lo e até com maior ênfase), mas porque podem não ser ouvidas pelos destinatários, porque o pior surdo é o que não quer ouvir.
    Nem querem ouvir nem se preocupam em perceber. Não merecem os votos que receberam. É o que acho.

    Beijokas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo contigo, KOK, os fulanitos instalados vão fazer orelhas moucas, como se não fosse nada com eles. Mas igualmente concordamos que é melhor manifestarmo-nos, do que ficar refastelados no sofá, como se a vida lá fora se pautasse por programas televisivos de gosto muito duvidoso... :)

      Não muda nada? Talvez não! Mas que (também) serve para acordar uma sociedade "um pouco amorfa", de certeza! :D

      Beijocas, sempre soridentes!

      Eliminar
  12. Anónimo3/04/2013

    Levar crianças a uma manifestação, qualquer manifestação desde que democrática, é uma lição preciosa que os pais podem dar aos filhos: exercer a cidadania! Uma cidadania activa e consciente. E não venham com a história das manipulações porque educar uma criança é "manipula-lá" de modo a que adquira os valores que os pais consideram correctos. E exercer a cidadania é algo muito pouco visto pels portugueses em geral - talvez se em cranças alguém lhes ensinasse a defender os seus valores...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, dentro de certos limites, ANÓNIMO! Havia lá bebés de carrinho, crianças pequenas de colo e essas não retiram nenhuma lição da ida à manifestação. Acho até perigoso e cansativo para elas... (obviamente não sei se os pais fizeram todo o percurso com esses filhos mais pequenos) Já não me choca quando são miúdos mais crescidos, estes de 8/10/12 anos estavam tão empenhados como os pais em participar e com bastante mais energia, até. :)

      Mas durante cerca de 30 anos não fui a nenhuma manifestação, logo nunca tive esse "problema" de levar o meu filho a uma manifestação - já era crescidinho quando voltei a ir, vai fazer 21 anos em breve, óbvio que não vai atrás de mim... E não está nem aí para manifestações, mas filhos de amigas (mais ou menos da mesma idade) que estiveram comigo, também participaram, embora fossem com os seus próprios amigos. E não é por essas amigas os terem levado quando eram crianças, porque, tal como eu, são pessoas que estiveram um largo período sem se manifestar. Portanto, suponho que a consciência e perceção do estado do País desses jovens fala mais alto do que ideias que lhes pretendam inculcar em pequeninos...

      Eliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)