terça-feira, 12 de março de 2013

CORRIDA ÀS FLORISTAS

Há esquecimentos desastrosos. E para quem já sabe que a corrida às floristas acontece apenas em 4 ou 5 dias no ano, esquecer de comprar umas florzinhas de véspera (que fazem o mesmo efeito), é um deles. Porque homens a comprar flores são um desatino...

O maridão ofereceu-me as rosas da foto e comentou que tinha apanhado uma cambada de indecisos à sua frente. Adorei as rosas, mas não serviam para o efeito que pretendia - um pequeno centro de mesa. E como ainda tinha de passar pelo supermercado, decidi ir a um que tem florista.

Primeiro problema: cerca de 10 homens à minha frente, em que só um se despachou rapidamente e saiu com uma flor em punho (é preciso mais?); Segundo: flores já muito escolhidas, cravos inexistentes, rosas quase esgotadas (umas três, num tom rosa-choque bem giro, mas em que nenhum pegava), pequeninas e maneirinhas, nem vê-las; Terceiro: a tal indecisão de que o maridão já falara - "esta fica bem com aquela ou aqueloutra?", "qual é o preço desta?", "e se juntar aquela folhagem?", "tem cartões já escritos?" (esta achei o máximo!), "qual é que fica melhor?" e por aí adiante. OMG!

Bom, certeza só a de que não gastei a pipa de massa que alguns deles gastaram, com ramalhetes de gosto duvidoso para mulheres, mães, filhas, gatas ou periquitas, embora o meu também não fosse exatamente o que desejava - era o que havia...

De outra coisa também estou certa: a experiência serviu-me de emenda. O que ignorava completamente era esta indecisão masculina... numa trivialidade destas! (mesmo sem mencionar o modo meio envergonhado como alguns seguravam os ramos, ao sair da loja...)

32 comentários:

  1. ::)) Essa maneira envergonhada de pegar o ramo só prova o que eu digo: o machismo é péssimo até para os homens!

    Tem um dia muito florido...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida, SÃO! :)))

      Bons sonhos! :)

      Eliminar
  2. Mas qual machismo?
    Um gajo que é gajo sai de uma florista trazendo numa das mãos um presunto e na outra mão uma garrafa de tinto!
    Kais flores, kais kê!
    Gajos indecisos? Isso é para a marikagem!

    Prontes, agora que já ri o que tinha a rir vou comprar umas flores para a gaLINA!

    Beijokas (sempre) sorriDENTES! :))))))))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não duvido que algumas mulheres preferissem esses presentes às florzinhas, KOK! Mas já viste quão cara lhes saía o presente? Nem faço ideia quanto custa um presunto hoje em dia, que só compro embalagens dele já fatiado de 200 gramas e essas já são caras para xuxu! :)))

      Gajos indecisos, sim, a comprar flores! :D

      Então vai lá vai, que a GaLINHA merece! :)

      Beijocas sempre muito sorridentes!

      Eliminar
  3. Essa de ver os homens envergonhados com um ramo de flores faz-me recordar quando "tinham vergonha" de empurrar um carrinho de bebé! Naqueles tempos remotos... : )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Disso já não me lembro, CATARINA, mas machistas como alguns eram antigamente, não duvido... :)

      Eliminar
  4. Ou, então, Catarina, quando coram porque têm vergonha de assumir que ajudam nas lides domésticas (ainda na semana passada presenciei um caso assim!:))

    beijocas, Teté
    (já mandei foto(s):))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sério, Nina?! É homem português de certeza! : )

      Eliminar
    2. Devo ser eu que só conheço homens mais evoluídos, NINA, porque a maior parte dos que conheço ajudam nas lides domésticas, com os filhos e com o que for preciso. E não coram por isso... :)))

      Beijocas e obrigada!

      Eliminar
    3. Bom, CATARINA, na geração do meu avô e do meu pai é óbvio que ajudavam pouco ou nada, mas na minha quase todos os que conheço ajudam e não se envergonham nada com isso... :)

      Felizmente, muita coisa mudou para melhor! :D

      Eliminar
    4. O meu pai preparava as refeições de vez em quando embora preferisse ser responsável pelos petiscos. Já o meu avô sentava-se à mesa e esperava que a minha avó o servisse. Nem sequer se levantava quando necessitava de mais alguma coisa.

      Há dois anos, de regresso a Toronto, fica sentado quase ao meu lado, nos bancos do meio, um casal com um bebé. A criança passou praticamente a viagem toda (cerca de 7h) a choramingar e muito irrequieta. A pobre da mãe às tantas nem sabia o que fazer. O marido apenas pegou na criança quando ela foi ao quarto de banho, entregando-a logo assim que se sentou. Eu nem podia acreditar que aquele homem, impávido e sereno, não tivesse ajudado a cuidar do filho nem por uma hora.

      Ao passar por eles, olhei para ela e comentei: Como a senhora deve estar cansada e como os seus braços devem estar doridos. Olhou para mim, sorriu e confirmou que estava exausta.

      Não me contive e olhei para ele com um ar reprovador que espero tivesse entendido.

      Excluindo alguns casos tristes, dizes bem, os homens da nossa geração evoluiram. : )

      Eliminar
    5. É, CATARINA, o meu pai também dava uma ajudinha esporádica (era ele que costumava comprar os melões, já que a minha mãe se saía sempre mal nessa tarefa e grelhar o peixe, quando era almoço ou jantar de fim de semana, bem como fazer o recheio da sapateira ou santola), o meu avô também não se mexia, embora nos últimos anos de vida fosse à praça. Mas tem a sua lógica, porque a minha avó nunca trabalhou fora de casa e a minha mãe só trabalhou por um curto período, além que ambas tinham empregadas domésticas, primeiro a tempo inteiro, depois só parcial. Quando os meus avós saíram de Lisboa e foram viver para o campo é que deixaram de ter empregadas e aí o meu avô, que era o único a ter carta de condução, ia fazer as compras à vilória mais próxima.

      Mas claro que tudo isso são outros tempos, nem percebo como uma mulher hoje em dia casa com um gajo desses, que nem a ajuda com o filho. Quer dizer, casar até podia ter casado enganada, mas normalmente não costuma acabar bem. Pelo menos as minhas amigas que casaram com gajos que julgavam ainda viver nos tempos dos nossos avós, sem mexerem uma palha, acabaram todas por se divorciar. A história das fadas do lar já foi chão que deu uvas... ;)

      Além que da maneira que isto está, aquele ou aquela que está desempregado é que costuma tratar do essencial da casa e dos filhos, por uma questão de lógica... ;)

      Eliminar
  5. Antes que o Gaspar

    acabe com as flores

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Gaspar é um danadinho para acabar com tudo o que dê gozo ao povo, MAR ARÁVEL! A questão é: vamos deixar que ele continue a atazanar-nos a vida? ;)

      Eliminar
  6. Eu adoro receber flores!
    Por motivos profissionais dou-me muito com estrangeiros e é muito vulgar eles trazerem flores e vinho quando são convidados para jantar os portugueses aparecem com vinho e chocolates o que também é bom :)))
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem não gosta, PAPOILA? :)

      Quando vou jantar a casa de alguém, também costumo levar flores... :)))

      xxx

      Eliminar
  7. Todos os dias de manhã, no local onde costumo encontrar-me com a colega com a qual partilho carro, costumo ver um homem que também espera alguma boleia. No "dia da mulher", para além da mochila que transporta diariamente, trazia na mão uma rosa. Não era rosa comprada na florista. Via-se que tinha sido colhida de um qualquer jardim. Fiquei a pensar a quem se destinaria aquela rosa :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom, uma vez que estava a caminho do trabalho, certamente seria para alguma colega, não, LUISA?!? :)

      Eliminar
  8. Como eu os compreendo ! rsrs... Talvez não fizesse ou não faça, nem um bocadinho melhor que qualquer deles ! :))
    Tenho que confessar que não tenho jeito nenhum para escolher flores ! :)))

    Beijoca ! :))
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom, RUI, não deviam ser só aqueles que eram indecisos... Mas francamente não vejo complicação nenhuma em escolher uma flor, não percebi porque se meteram quase todos em ramalhetes complicados! :)))

      Está certo que já não havia muita escolha, mas na dúvida até podiam ter comprado um vasinho de violetas, que também é uma prenda bonita e agradável! :)

      Beijocas, amigo!

      Eliminar
  9. Touché! Sou um desajeitado nessa matéria e quando tenho que as transportar, até me envergonho das figuras que faço. Tenho, porém, uma atenuante. Sou alérgico ao polen das flores. Atiça-me a asma e deixa-me os olhos em mísero estado. Nem imagina o meu suplício na Primavera, Teté!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelos vistos, não é só o CARLOS a envergonhar-se, sem saber bem como as segurar... :)))

      E sim, imagino, que também tenho um alérgico cá em casa! ;)

      Eliminar
  10. eheheheh tadinhos dos homens :(

    Não é fácil comprar flores, são cada vez mais caras, são bonitas, mas duram cada vez menos e há tantas variedades e tantas cores que a tarefa é difícil...depois disso ainda têm que saber segurar no ramo e passeá-lo pela rua fora? Ninguém aguenta...homem sofre ehehe

    Gosto das tuas :)

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nestes dias ainda estão mais caras, MARIA! Mas o que não entendo é porque não escolhem apenas uma florzinha que achem bonita, em vez de se meterem a misturar uma série de flores em ramalhetes um bocado estranhos. Claro que as floristas agradecem a despesa, mas as companheiras ficavam igualmente agradecidas só com uma, né?!? :)))

      Ah, e não, o maridão não pertence a esse grupo de indecisos... :D

      Beijocas!

      Eliminar
  11. Por essas, e por outras ($$$$$$) vou comprar as flores aos mercados municipais.
    Homem desenrascado....:)))
    Beijocas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em 10 havia apenas um desenrascado, PEDRO COIMBRA! Folgo em saber que é o seu caso... :)))

      Beijocas!

      Eliminar
  12. eu não tenho indecisões dessas!

    ResponderEliminar
  13. Por aqui anda tudo tão complicado que o parceiro mal me viu só me deu os bons dias! :-))
    Como no dia 9 fazia anos tudo se compôs com um perfume!

    Nota: estou de apoio a uma familiar...

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, percebi por um comentário teu, ROSA! Que tudo se revolva pelo melhor possível, é o que desejo!

      Abraço!

      Eliminar
  14. Não há nada como receber rosas em vaso ;) Não há risco de serem feias porque mais natural não pode ser, e por norma não vêm com apetrechos e tingimentos de gosto a meu ver duvidoso!
    Lá nisso tenho sorte, além do namorado ser apegado a oferecer flores tem um bom gosto. Não deixa é de ser um bocadito chato e exigente para com as floristas porque é capaz de as mandar desfazer ramos e pedir para fazerem de novo se não gostar de determinada coisa...

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, é sempre uma solução segura, POPPY! :)

      No ano passado também recebi um vasinho, a flor é que não durou muito tempo! :P

      Beijocas!

      Eliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)