quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

LOUCURA?

"Loucura é repetir a mesma coisa vezes sem conta, esperando de cada vez um resultado diferente."
Albert Einstein

Não se sabe exatamente porque razão, mas enquanto primeiro-ministro Cavaco Silva resolveu acabar com o Carnaval. Não se sabe, mas imagina-se que na sua habitual falta de sentido de humor não entendesse uma tradição popular tão antiga de cerca de dois séculos... ou mais! Não existiam leis que estipulassem que a terça-feira era feriado nacional, era apenas um costume de longa data, de modo que decidiu unilateralmente acabar com a tradição. Decorria então o ano de 1993. 

O fiasco foi enorme! Se até aí a contestação ao seu governo decorria maioritariamente na Assembleia da República, ela passou para as "ruas": tanto adversários como correlegionários não acataram de bom grado a medida, sucederam-se desobediências de ministros, autarcas e demais funcionários públicos, tornando-se no Carnaval mais contestatário de sempre no país. Em consequência dessa determinação (e de outras que se seguiram) abandonou a liderança do partido no final do mandato, antecipando os maus resultados nas eleições seguintes. Aí, acertou na 'mouche'!

Então porque é que 20 anos depois aparece um Passos Coelho - "El-Rei Dom Koelhone Esfolado Intéaotutano", na versão carnavalesca de Torres Vedras - com a mesma fixação? Como era de prever, foi novamente cilindrado! Não lhe bastava a experiência de Cavaco ou a do ano passado? Não! Insistiu, com a hipocrisia  de sempre e o blablabá da produtividade em tempos de crise e tal. 

Com tanta gente temerosa de perder o emprego (e o seu sustento!), supus que desta vez a injustiça passaria  "em branco". Mas não! O "feriado" existiu para a maioria da população e os poucos trabalhadores de serviço a pegar no batente ainda se divertiram com as máscaras e as cabeleiras dos colegas mais ousados... Quer dizer, os que não ficaram ainda mais indignados e irritados com o PM e a sua desnorteada governação...

Bingo!

Imagem de Vlad Rodriguez, artista peruano residente em Miami.

20 comentários:

  1. Eu trabalhei e não me aborreceu nada, porque não gosto do Carnaval... Mas apercebi-me que o Português não desistiu da sua tradição de passear em véspera de início da Quaresma e do jejum... haja alegria!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo, BRISEIS: Haja alegria! Goste-se ou não do Carnaval, que o mote serve para o ano inteiro... :)

      Eliminar
  2. Só os funcionários públicos foram fingir que trabalhavam...
    No entanto, pelo que vou ouvindo aqui e ali, parece-me que há mais resignação do que contestação à medida deste governo do que quando Cavaco tomou tal medida ( não vivia em Portugal nessa altura e não posso fazer comparações). O que me parece- e isso assusta- é que os tugas andam adormecidos e não será o fim da tolerância de ponto em dia de Carnaval, que os impedirá de voltar a votar em Coelho em 2015. Pelo menos a avaliar pelas sondagens...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade que no tempo de Cavaco a desobediência foi tal, que muita gente faltou ao trabalho, CARLOS! Mas na verdade não havia o desemprego de hoje, nem era tão fácil despedir ninguém... ;)

      Não vi essas sondagens! Mas na verdade Seguro não é uma alternativa e enquanto o PS não descobrir isso, estamos feitos... :P

      Não me parece é que o pessoal esteja tão conformado como o Carlos diz... :)

      Eliminar
  3. Confesso que me assustei ao ler o que o Carlos diz. A ser verdade o que indicam as estatísticas, é grave! Muito grave!
    Quanto ao teu texto, concordo em absoluto! Há tradições que se devem manter e, sobretudo, respeitar.
    Por mim falo! Se ontem tivesse sido obrigada a ir à escola, o meu trabalho (extra-aula, já que os miúdos estavam em casa)não teria sido tão produtivo como hoje foi e como será na próxima 4ª.
    Idiotas, é que são!

    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Idiotas é uma palavra muito soft para designar esta gente, NINA! ;)

      Posso estar enganada, mas vejo algum pessimismo na opinião do Carlos... ;)

      Beijocas!

      Eliminar
  4. Alguns funcionários públicos não tiveram tolerância de ponto... em nome da produtividade. Mas mais de metade do país,incluindo grande parte do setor privado não quis saber de ser produtivo... e fez bem :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que fez bem, LUISA! Nem a produtividade se consegue com gente a ir trabalhar contrariada... A minha irmã, tal como tu, também foi das que não tiveram tolerância de ponto. E diz ela que se viu grega para encontrar um local para almoçar, já que estava tudo encerrado... :)))

      Eliminar
  5. A produtividade é muito relativa... Eu talvez não fosse muito produtiva se tivesse que trabalhar obrigada num determinado dia.

    Muitos restaurantes estavam encerrados? Curioso. Aqui é quando todos estariam abertos ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que é relativa, CATARINA! ;)

      Tal como o Kok refere, o movimento na capital - onde acabaram com a tradição carnavalesca, imagina-se porquê - nestes dias é reduzido, daí terem fechado. Acresce que ela trabalha numa zona já de si mais movimentada nas noites que nos dias... :)

      Eliminar
  6. "Muitos restaurantes estavam encerrados? Curioso. Aqui é quando todos estariam abertos ... "

    Semelhanças entre o Canadá e Macau.
    Fecham quando há mais gente na rua?
    Que medida inteligente!!!

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Semelhanças em dias que se preveem movimentados, no Canadá, em Macau, cá e em todo o lado, PEDRO COIMBRA! Mas não era o caso... que Lisboa esteve praticamente "às moscas"! ;)

      Beijocas

      Eliminar
  7. um dia estava uma loira a ver um filme com uma amiga e numa cena em que um tipo estava no topo dum prédio para se atirar, a loira diz "Ele não se vai atirar!"
    logo após ela dizer isso ele atira-se e ela exclama "Eu já tinha visto este filme e pensei que ele não se atirasse de novo"

    o nosso governo não é nenhuma triologia, ou algo que se pareça, em que filmam cenas novas! o que eles fazem é um clássico sem qualquer nova cena.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É, VÍCIO, tal como a loira do cinema, nem se lembram das cenas e muito menos têm ideias inovadoras! Uma cambada de idiotas fechados em gabinetes e mainada! :P

      Eliminar
  8. Eu já dei para este peditório, mas ainda assim atrevo-me a acrescentar que estes (e outros) governantes tomam atitudes provincianas, alternando entre preocuparem-se com assuntos acessórios (e desleixarem-se (voluntariamente?) com factos importantes).
    O dia de Carnaval é um bom exemplo, tal como a abolição de feriados para aumentar a produtividade.
    Haverá quem ainda pense que toda esta gente trará algo que se aproveite?

    Beijoka:))

    Uma nota sobre os restaurante fechados: gostava de sublinhar que em Lisboa aos feriados, domingos e sábados à tarde, muitos restaurantes estão encerrados precisamente porque as pessoas moram fora e o movimento não o justifica.
    O que não acontece (nesta época de Carnaval) nas terras onde há os respectivos desfiles. Não confundir a parte com o todo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, KOK, mas infelizmente não temos mais por onde escolher, só mudam os bimbos (ou as moscas, como diziam os outros)! :P

      E é óbvio que concordo a 100% com a tua nota, devo-me ter explicado mal! Embora não faça muitos anos, ainda havia cortejos carnavalescos escolares na estrada de Benfica, onde muitas vezes acompanhei o meu filho e sobrinhas... Acabaram com isso, suponho que mais por preguiça da nova Junta de Freguesia, da área do PSD. A anterior era PCP e PS e muita mais dinâmica junto da população! Fazer o què? Ainda apareciam uns velhinhos a reclamar do barulho e automobilistas do corte do trânsito, numa manhã por ano... :S

      Beijokas! :)

      Eliminar
    2. Ainda sobre os restaurantes.. De facto, Teté, interpretei mal. Pensei que partes de Lisboa ainda eram de muito movimento e, consequentemente, não se justificava o encerramento dos restaurantes na época do Carnaval mas como tenho visto tanta coisa que não faz sentido.... No ano passado quando cheguei a Lisboa no fim das férias e quis ir jantar na véspera de me vir embora (a um domingo), tive dificuldade em encontrar um restaurante aberto. Acabei por ir parar a um café, que tinha uma sala de jantar com luz apagada e ar condicionado desligado. Perguntei se me poderiam preparar o jantar para 3. Disseram que sim. Acenderam a luzes. Estava um calor insuportável naquela sala. Abriram uma janela pequena por onde não entrava ar fresco porque o ar lá fora estava muito quente. Fiz com que o empregado ligasse o ar condicionado!

      Talvez se estivessem abertos, atraíssem mais turistas tanto os internacionais como os nacionais ! Que as pessoas que trabalham em Lisboa não estejam interessadas em regressar ao fim de semana, compreende-se mas e os outros que gostam de ir passear à grande cidade?!

      Assim, de momento, não conheço nenhum restaurante em Toronto que não esteja aberto 7 dias por semana. Talvez aconteça nas pequenas cidades ou vilas.

      Eliminar
    3. CATARINA, se fores para as zonas mais turísticas de Lisboa, certamente encontras muitos restaurantes e cafés abertos todo o ano, incluindo no verão. Esses normalmente só encerram no Natal, no dia 1 de janeiro, eventualmente no dia 1 de maio (e do trabalhador). Como os centros comerciais.

      Apesar de tudo, Lisboa tem mais movimento aos dias de semana e sábados à noite, com os trabalhadores, residentes e turistas nacionais e estrangeiros.

      Fora das zonas turísticas, muitos cafés e restaurantes encerram ao domingo - não só o movimento é menor, como também não têm um número de empregados suficientes para trabalharem por turnos. Durante o verão, alguns chegam mesmo a encerrar 15 dias ou um mês, para descanso do pessoal (ou seja, férias). Resumindo: num domingo de verão, e fora das zonas mais turísticas e/ou badaladas, arriscas-te a encontrar muitos restaurantes e cafés fechados. Restam os centros comerciais, os macdonald's, as Portugálias e todos os chineses, e, claro, outros que encerram por exemplo à segunda-feira.

      Espero ter ajudado, para uma próxima vinda! :)

      Eliminar
  9. Não sei o que me aconteceu mas com o tempo fui perdendo gosto ao Carnaval, e era bem carnavaleira, chegava essa altura e era data obrigatória de fazer as fatiotas ou os acessórios, agora cada vez mais o Carnaval me passa ao lado, mas de facto acho que se devia manter a tradição para quem goste da mesma.

    :)*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Óbvio que o Carnaval tem mais encanto quando somos crianças, POPPY! Mas não é pela vontade de meia dúzia de políticos sem o menor sentido de humor que uma tradição acaba. Doa-lhes o que doer... :)))

      E ainda há muita gente que gosta e até regiões do país em que é um factor de dinamismo para a economia local! Estes gajos não entendem o básico... :P

      :)*

      Eliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)