terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

CANÇÕES DE AMOR...

"Cada dia te amo mais, hoje mais que ontem e bem menos que amanhã."
Rosemonde Gérard, num poema dedicado a seu marido, Edmond Rostand, no século XIX.

Seria portanto de imaginar que os dois poetas vivessem felizes para sempre, como nos contos de fadas, embalados pelo gosto comum pela poesia e pelo teatro, mas tal não aconteceu: um dia, tomado de amores por uma jovem atriz, ele abandonou a mulher para não mais voltar. Ou julgam que no início do século XX os amores e desamores não aconteciam?

Edmond viria a falecer uns três anos depois, da gripe pneumónica que assolou a Europa em 1918, a mulher e a amante sobreviver-lhe-iam durante várias décadas...

Ah e tal que estou pessimista e com pensamentos negativos? Nada isso! O amor é bom, enquanto ambos  partilham sentimentos, cumplicidades e momentos de paixão, carinho e ternura. Assim, é de aproveitar hoje e sempre, em qualquer fase da vida, como se não houvesse amanhã. Quanto ao resto... o tempo o dirá!
 

DIVIRTAM-SE!
(se for caso disso...)

Imagem da net.

25 comentários:

  1. Esta noite vi no canal ARTE o par de namorados mais actual: Merkosy!

    Quanto tempo vai ainda durar esse amor?
    Ninguém sabe!

    PS: A minha aventura de domingo deixou-me, uma vez mais, presa em casa, ou antes, no meu quarto.

    ResponderEliminar
  2. Gostei imenso da música! :)
    Muitos mimos amorosos para este dia. :p

    ResponderEliminar
  3. O tempo o dirá, mesmo!:))
    Voltarei quando puder para ouvir esta canção.
    Ah...as coisas que tu sabes!:))
    bji gde

    ResponderEliminar
  4. Confesso que não tive paciência para ler o poema (não estou para poemas de amor) mas adorei o vídeo!

    Beijinhos,
    FATifer

    ResponderEliminar
  5. Não é só divertir. É também amar :)

    ResponderEliminar
  6. Malandro do Edmond, mas tavez ele soubesse que não iria viver muito mais e por isso teve que aproveitar...

    A Rosemonde mais tarde vendeu o poema, tornou-se rica, arranjou um ator, amou e foi amada até ser velhinha...:p

    O vídeo está muito giro e também gostei da música.

    Quanto ao Amor para sempre...o tempo o dirá.

    Vou tentar divertir-me...amar também é diversão :)

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
  7. Mas ... acima de tudo, o amor é aquilo que uma mulher quiser! E - às vezes, não quer.
    Beijinho Teté!

    ResponderEliminar
  8. Ah, já tinha visto esses "casal" no FB, EMATEJOCA. Ou "par de jarras", se preferires! :))

    Quanto ao resto, já sabias que era um risco! As melhoras para ti!

    ResponderEliminar
  9. Achei piada essencialmente ao filme, TONS DE AZUL. Assim como uma preparação para "O Artista"... :D

    ResponderEliminar
  10. As coisas que eu sei, NINA?! O poema, ou melhor dizendo, o verso, conheço desde os meus tempos de adolescente, quando lia Berthe Bernage... :))

    Quanto ao resto, com esta idade já vi muitos amores que pareciam ser inseparáveis e que um dia, sabe-se lá porquê, cada um foi para o seu lado. Não é cepticismo, é aceitar a realidade como ela é... ;)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  11. Só pus o poema para quem gosta, FATIFER, e uma vez que refiro o verso! Também achei o vídeo pândego! :))

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  12. Amar não é diversão, VITOR? Quer dizer, frete não é de certeza e obrigação também não... :))

    ResponderEliminar
  13. Temo que a história não tivesse sido bem assim, MARIA, quem depois da morte dele arranjou uma série de amantes e maridos foi a jovem atriz... quanto à mulher suponho que não! E a wiki é omissa em relação ao assunto... :D

    Por muito que nos custe, os contos de fadas são ficção! Portanto, e como para amar são precisos dois, não há possibilidade de dar palpites sobre o futuro... :)

    E entendeste-me perfeitamente quanto à diversão! :))

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  14. Ora aí está uma teoria que não partilho, KIM! Para querer, são precisos dois... :D

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  15. Aqui pelas Américas : ) metade dos casamentos resultam em divórcio.
    O amor existe, de facto, mas parece que as pessoas conhecem vários amores ao alongo da vida.
    Coisa complicada, o amor! : )

    ResponderEliminar
  16. alongo - deve ler-se "longo"... evidentemente. Nada a ver com o AO.

    ResponderEliminar
  17. O homem tentou levar a letra a frase:

    Trocar uma de 40 por duas 20. Não teve foi tempo de arranjar a 2ª de 20 :P

    ResponderEliminar
  18. Bom, para ser franca, cá parece-me que já esteve mais longe disso CATARINA! Mas também entendo que é preferível os casais separarem-se, se a relação se torna indesejada e/ou infeliz!

    É, o amor não é simples, não! :)

    ps - percebi que não tinha a ver com o AO, apenas um errozito de digitação! :))

    ResponderEliminar
  19. Sim, ou uma de 50 por duas de 25, W! :P

    ResponderEliminar
  20. Eu ia fazer um comentário diferente, um pouco a puxar ao sentimento mas, inadvertidamente, li o primeiro comentário ( só costumo ler depois de fazer o meu comentário) e perdi toda a sensibilidade. Merkozy? Isso é um casamento de conveniência que nada tem a ver com amor :-)

    ResponderEliminar
  21. Pois, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA, aquela dupla Merkozy tem mais a ver com cifrões e (ambições de) poder, nada com o amor... ;)

    ResponderEliminar
  22. o dia dos namorados é todos os dias, certo? davam um rico casal, sem dúvida, até porque mais um bocadinho os nomes de ambos seriam anagramáticos :)

    ResponderEliminar
  23. Certíssimo, MOYLITO! :D

    Não percebi se te referias à Rosemonde e ao Edmond, se ao tal Merkozy! ;)

    ResponderEliminar
  24. era à Rosemonde, mas é uma boa dúvida :)

    ResponderEliminar
  25. É, o casal tinha nomes um bocado cacofónicos, MOYLITO! :))

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)