domingo, 19 de fevereiro de 2012

O ARTISTA

Um filme mudo e a preto e branco, nos dias de hoje? E tanta gente rendida aos seus encantos, a ponto de ter uma classificação de 8.4/10 na IMDB e nomeado em 11 categorias na cerimónia dos OSCAR 2012? No mínimo, tem de ser muito original... E é!

George Valentin (Jean Dujardin) - nome que, à partida, nos recorda logo o do célebre Rodolfo Valentino - é uma estrela do cinema mudo, sempre rodeado de fãs e de jornalistas nas suas aparições públicas, mas mantendo o sorriso e a boa disposição nessas ocasiões. É numa delas que choca com Peppy Miller (Bérénice Bejo) e a jovem fica atrapalhada, mas ele brinca com ela que, por fim, lhe dá um beijo na face, momento captado pelos fotógrafos presentes que, posteriormente, publicam as fotografias nas primeiras páginas dos jornais. Apesar de viver numa enorme mansão hollywoodesca, a sua vida privada não parece ser tão animada: a mulher, loira e de arzinho enfastiado, não aparenta grande interesse nele, só o seu cão (também companheiro de filmagens) lhe proporciona agradável companhia. Decorre então o ano de 1927, que, como se sabe, foi o da estreia do primeiro filme sonoro - "The Jazz Singer"!

Valentin volta a encontrar Peppy (que está a dar os primeiros passos como atriz) e contracena com ela numas filmagens, sendo a atração mútua notória. Mas agora a carreira dele começa a entrar em declínio, pois recusa-se a fazer filmes sonoros, que não evidenciam a sua arte de ator, enquanto a dela está em franca ascensão. Despedido dos estúdios faz o seu próprio filme mudo - tornado um fiasco de bilheteira - e, para piorar ainda mais a situação, a grande depressão de 1929 leva-o à ruína...

Para quem ainda não viu, espreitem o trailer


Terminada a sessão, não sabemos exatamente o que mais nos cativou: a história simples e sem pretensões, que, não sendo um retrato da época, aborda suavemente os dramas vividos nesses anos? A música orquestral que funciona como fio condutor das emoções vividas na tela? Os trejeitos da face do ator que tão bem imitam as estrelas do cinema mudo? A fotografia a preto e branco, marca de outros tempos? O modo como sentimos a alegria e a tristeza, a ternura e a amargura, os sonhos e o desespero de cada uma das personagens, quase sem palavras? O cão que faz um papelão?

Uma obra deste fôlego só podia ter dois finais: ou um retumbante fracasso ou um "happy end" fenomenal! Independentemente dos prémios cinematográficos que já recebeu e dos que ainda venha a alcançar, a película realizada por Michel Hazanavicius é, sem sombra de dúvida, uma obra de génio!
 
Imagem de cena do filme da net.

26 comentários:

  1. Com esta brilhante sinopse, só pode ser brilhante.
    Vim trazer um beijinho com sabor transmontano:))

    ResponderEliminar
  2. Ainda não vi, mas parece mesmo ser interessante.
    Beijos e um bom carnaval:)

    ResponderEliminar
  3. Gostei imenso de ler este teu post, Teté, e concordo com tudo que nos dizes sobre este admirável filme.

    "O Artista" é o meu favorito para vencer o Oscar. Vamos lá ver no dia 27!!!

    Rath, Helau!

    ResponderEliminar
  4. Já não sei se vou conseguir vê-lo no cinema daqui... Mas sei que tenho de o ver. :)

    ResponderEliminar
  5. Quero mesmo ir ver! Mas quando é que chegará cá à parvónia?!

    Beijinhos cinéfilos.

    ResponderEliminar
  6. O João César Monteiro fez uma coisa parecida, e foi considerado louco (por acaso até era, pois eu conhecia pessoalmente e bem).
    A esta hora a Branca de Neve já está explicada.
    Beijinho Teté

    ResponderEliminar
  7. Os filmes bons aparecem todos ao mesmo tempo, a dificultar-nos a tarefa! Mas acho que tenho mesmo de ver este "Artista".
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Parece interessante :)

    ResponderEliminar
  9. Estou com muita curiosidade! Tem que ser "uma coisa" muito especial !
    :))
    .

    ResponderEliminar
  10. Estou com tantos filmes em atraso, que não sei por onde começar...
    Estou a ver que nas próximas semanas vou submeter-me a sessões contínuas...

    ResponderEliminar
  11. É mesmo um filme fora de série, NINA! :D

    Beijinhos para ti lá no frio!

    ResponderEliminar
  12. Se tiveres um tempinho, vai ver, CONCHITA! :)

    Beijocas e bom Carnaval para ti também!

    ResponderEliminar
  13. Todos será difícil, mas também tenho quase a certeza que vai levar algumas estatuetas douradas para casa, EMATEJOCA! :)

    Bom Carnaval!

    ResponderEliminar
  14. Vais gostar de certeza, TONS DE AZUL! :D

    ResponderEliminar
  15. Aqui estreou a 2 de fevereiro, GRAÇA, mas não conheço a programação das salas de cinema dos diferentes distritos do país. Mas há de chegar, tenho a certeza! :)

    Beijocas cinéfilas!

    ResponderEliminar
  16. Ah, KIM, tomara o João César Monteiro ter feito algo que chegasse aos calcanhares deste filme: o que ele fez e causou polémica foi um filme sem imagens onde só se ouvia o som e diálogos! O que não tem mesmo nada a ver... :))

    Se era louco ou não, não sei, mas que devia ter pancada e grande, lá isso era quase certo. Digo isto pelo que li, que não gastei um tostão a ver um "filme" desses... :D

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  17. É verdade, TERESA, nesta altura aparecem sempre uma série de filmes na corrida aos principais prémios de cinema, para aguçar a curiosidade da malta! Chegando o verão, é a pasmaceira completa... :))

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  18. Parece e é, LOPESCA! :)

    ResponderEliminar
  19. Claro que com estas premissas tem de ser especial, RUI, senão virava fiasco... :D

    ResponderEliminar
  20. Também ando aqui "atarefada", CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA, a tentar ver pelo menos os principais nomeados aos Oscar... :)

    Já tou quase lá! :D

    ResponderEliminar
  21. Ainda não vi este filme e não entendo bem porquê.
    Ontem acompanhei uma amiga que queria ver “Big Miracle”. Um filme para todas as idades. A sala era pequena. Queria ficar na última fila mas verificámos que as duas últimas filas estavam “reserved”! Quem as iria ocupar? Um grupo de crianças que festejavam o aniversário de um(a) amigo(a). Então sim, ouvia-se o mastigar das pipocas, os comentários, as risadas... até que começaram a prestar atenção ao filme uns 10 a 15 minutos mais tarde. : )

    ResponderEliminar
  22. É só mais uma prova da superioridade do cinema europeu em relação ao mercenarismo americano, onde o rei dólar continua a imperar. Se ganhar, é só uma pequena vingança pelos anos de ignorância a que tem sido votado o cinema francês, embora para mim, um óscar não signifique rigorosamente nada. Desde que "Quem quer ser milionário" ganhou o óscar para melhor filme...

    ResponderEliminar
  23. tenho muita curiosidade para ver este filme. mas o filme é mesmo uma obra-prima ou é uma agradável novidade em relação à mediania geral?

    ResponderEliminar
  24. Os filmes para putos têm sempre esse senão, CATARINA: até eles sossegarem, é um caso sério! :))

    Tento vê-los nas sessões de fim de tarde, que costumam ter menos gente! :)

    Mas vai ver, que o filme vale a pena!

    ResponderEliminar
  25. Muito antes do "Quem quer ser milionário", VDEALMEIDA, que até é um bom filme, já o "Serenata à chuva" tinha limpo uma série de estatuetas, com o tio Gene a cantar à chuva... E isso sim, é confrangedor! :))

    Quanto ao cinema francês, não sou assim grande fã. Acontece que há exceções, que suplantam e em muito as películas hollywoodescas... ;)

    ResponderEliminar
  26. Do meu ponto de vista, é mesmo uma obra-prima, MOYLITO! Mas talvez outros achem que apenas se destaca devido à mediania reinante... Quando o vires, logo me darás a tua opinião! :D

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)