terça-feira, 13 de dezembro de 2011

O ELO MAIS FRACO (3ª edição)

Há concursos televisivos que parecem uma "pescadinha de rabo na boca": acaba uma série de um e lá vem outra, ou então intervala-se com aqueloutro, sem grandes variações nos "enlatados" bem sucedidos nos formatos estrangeiros. A terceira temporada de "O Elo Mais Fraco" voltou assim ao pequeno ecrã da RTP, 9 anos depois da sua primeira apresentação por Júlia Pinheiro, seguida por uma segunda a cargo de Luisa Castel-Branco e agora liderada por Pedro Granger.

As perguntas e respostas de rajada, para obedecer a um tempo limitado, a geralmente parca cultura geral dos concorrentes, algumas questões mal formuladas e a dicção atabalhoada do apresentador (pior do que a das suas antecessoras) garantem que o prémio nunca será exorbitante. Apesar de tudo isto e de também jogar com o fator sorte, como acontece em quase todos os concursos, talvez seja o melhor dos últimos tempos... sempre dá para rir um bocadinho! E também lá se vai o mito que a 4ª classe de antigamente supera, em muito, os conhecimentos dos atuais estudantes universitários...

Ah e tal, que estou armada em intelectual, a rir a "bandeiras despregadas" das respostas alheias, a não perceber que o nervosismo e as "brancas" dos candidatos também motivam algumas falhas? Nem pensar! Mas espanta-me sempre que a maioria da malta não tenha o mínimo pejo em exibir a própria ignorância perante as câmaras televisivas. Será que os tais 5 minutos de fama valem a pena? E as desculpas após a expulsão, que "não fui eu o elo mais fraco", "correu-me mal esta ronda" ou "os meus adversários jogaram na estratégia"? Lindo, lindo... para quem não se olha ao espelho!

Nem vale a pena considerar a arrogância do apresentador que, no seu papel de "mau da fita", vai bombardeando os concorrentes com sarcasmos do género: "quem é que aqui tem um cérebro de amiba?"; "burro velho não aprende línguas - nem novo!"; ou "qual de vocês é o caruncho deste psiché?" É formato! Mas será que ninguém neste país tem a capacidade para criar um concurso do estilo, sem descambar na agressividade gratuita, só porque assim se supõe ter mais audiências?

Mistério...

Imagem da net.

23 comentários:

  1. Mas isto diz muito sobre o povo que dá audiências a este género de programas, infelizmente.
    Pior, pior é mesmo a casa dos segredos. Uma gaja não sabe nada de nada e conquista meio mundo com a sua ignorância militante e orgulhosa! É demasiado...

    ResponderEliminar
  2. Costumo ouvir esse concurso, e ficar pasmado perante certas respostas. Mas confesso que não me atrevo a colocar-me na pele deles, pois poderia ficar com o ego estraçalhado... Beijocas!

    ResponderEliminar
  3. Anónimo12/13/2011

    É por essas e por outras que televisor é objecto que não entra em minha casa!

    (Rei da Lã)

    ResponderEliminar
  4. Oi, Teté! Claro q estamos sujeitos às "intempéries", mas é melhor ter um planejamento financeiro e um controle do q deixar o barco ao léu, né?
    Beijos da Taís.

    ResponderEliminar
  5. Nunca tive a mínima pachorra para esse concurso. Demasiado mecânico, impessoal e arrogante. Passa-me ao lado.

    ResponderEliminar
  6. já não tenho paciência. a princípio ainda acompanhava, embora por alto, este tipo de concursos. sem grande fidelidade, mas também sem mudar de canal. Mas agora já não consigo. e normalmente dá a horas em que ou não estou a ver televisão, ou estou a ver outras coisas que me interessam um pouco mais.

    ResponderEliminar
  7. Sinceramente, deixei de ver esses concursos, desde que me comecei a irritar com a ignorância e falta de vergonha dos concorrentes. Não tenho pachorra...

    ResponderEliminar
  8. Deste, não consegui ver nem 1 minuto ! Primeiro porque já não gostava dos anteriores , quer da Júlia Pinheiro, quer da Castel-Branco. Não suporto o "formato" de arrogância e insulto gratuito ! É revoltante !
    .

    ResponderEliminar
  9. Conquista meio mundo que vê isso, ANA, que já ouvi falar de muita gente burra lá nessa casa, mas nem sei quem são... :))

    Este sempre entretém, naquela de tentar responder às perguntas! :D

    ResponderEliminar
  10. Bom, também nunca pensei em concorrer, RAFEIRITO. Para começar, não gosto de ser insultada, mesmo que em prol do formato do programa e sem nada de individual envolvido. Por outro lado, porque tenho lacunas em várias áreas, nomeadamente desporto e música, de modo que para fazer papel de ignorante mais vale ficar em casa... :h

    Beijocas! :)

    ResponderEliminar
  11. E a tua "rainha" não protesta, REIZÃO? =))

    ResponderEliminar
  12. Claro que sim, TAIS! Só estava a referir algumas das dificuldades por cá... :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  13. VÍCIO, o teu comentário não apareceu aqui, mas chegou por mail. Não entendi o porquê... Apagaste-o? ;)

    ResponderEliminar
  14. Acontece que a essa hora costumo estar a jantar, PAULOFSKI, e gosto de ir tentando responder às perguntas... (e não sou só eu, claro!) :)

    ResponderEliminar
  15. Vejo pouca televisão, MOYLITO, mas este calha quase sempre à (nossa) hora de jantar e costumamos ir vendo... e respondendo às perguntas! Manias, claro! X)

    ResponderEliminar
  16. Pois, passa um bocado por aí também, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA: pior do que ser ignorante - tendo em conta que muitos não tiveram oportunidade de estudar - é fazer gala de a exibir, para aparecer na TV! :)

    ResponderEliminar
  17. Na verdade é o que me faz mais confusão, RUI, que pensem que para o concurso ter maior sucesso seja necessária essa agressividade insultuosa! E mais me faz que alguém concorra, para ser insultado... :D

    ResponderEliminar
  18. UM ELO MAIS DO QUE FRAQUÍSSIMO!!!

    Vi SÓ UMA VEZ este programa, quando estive em Portugal em Setembro/Outubro e, não foram os concorrentes que me desagradaram, mas sim, esse parvalhão do Pedro Granger, que pensa que é esperto e bonito.
    Claro que os meus familiares me explicaram, perante a minha indignação, que ele se porta assim para aumentar as audiências.
    Então, o público é um pobre de espírito.

    ResponderEliminar
  19. Também não sou fã deste apresentador. Não foi mesmo talhado para este concurso. Vi duas ou três vezes e bastou-me. Tinha era ideia que a Luísa veio antes da Júlia, mas posso estar errado.
    Beijos

    ResponderEliminar
  20. Pois, EMATEJOCA, tenho ideia que o concurso "ganhava" mais se não tivesse essa dose de agressividade insultuosa. Claro que o Granger está a fazer o seu papel, que não era diferente nas apresentadoras anteriores... Mas os concorrentes também não ajudam muito, exibindo uma ignorância confrangedora, até em perguntas básicas! ;)

    O mal destes "enlatados" é que não distinguem as diferenças culturais do público a que se dirigem. Admito que em Inglaterra esta espécie de gozo com os concorrentes o torne mais aliciante, já que os ingleses adoram esse sentido de humor, aqui, pois... :n

    ResponderEliminar
  21. Acho que o ponto mais fraco do apresentador é mesmo a má dicção, em perguntas que têm de ser efetuadas rapidamente, PSIMENTO! ;)

    Por acaso tinha a mesma ideia que tu, que a Luisa apresentou antes da Júlia, mas a wiki diz que não. Para o caso, tanto faz... :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  22. Vi uns minutos e não gostei :s

    ResponderEliminar
  23. Vejo quase sempre, LOPESCA, mas desagrada-me um bocado os insultos do apresentador. Não havia nexexidade! :D

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)