sexta-feira, 8 de Abril de 2011

O GRANDE MESTRE DO SUSPENSE

Desta vez não é para adivinhar: trata-se mesmo de Alfred Hitchcock, na foto esculpido nas areias da Fiesa 2008, subordinada ao tema "Hollywood". Ideia antiga, de homenagear aqui grandes personagens do cinema, da literatura ou da história, ao virar o centenário da postagem. Raramente concretizada, diga-se de passagem, tanto quanto me lembro só Jane Austen (com o seu livro "Orgulho e Preconceito", que deu azo a uma série da BBC ) e Agatha Christie obtiveram entrada. E este já é o 900º post do Quiproquó...  
Nem de propósito, encontrei este exemplar num escaparate de uma livraria, quando já tinha prometido a mim própria não comprar mais livros, enquanto não adiantasse os que se encontram em fila de espera na estante a pedirem para ser lidos. Não resisti! Além da filmografia completa do mestre, ainda a um preço convidativo e quase simbólico (para os preços de mercado dos editores portugueses, escandalosamente caros) de 9,99€?
Não é exactamente um livro de leitura, mas antes de consulta, que relata parcialmente a vida de Hitchcock, a par de algumas características comuns aos seus filmes (medo das alturas e quedas, protagonistas loiras, o fetiche por algemas ou amarras, várias fobias, o simbolismo de escadas, chaves e pássaros,  ângulos de câmara, etc. e tal), episódios durante as filmagens e fotografias de algumas cenas das películas ou de bastidores. Resumindo, um autêntico achado!
A longa carreira de Alfred Hitchcock iniciou-se em 1925, ainda com o cinema mudo e em Londres, onde em 1929 realizou o primeiro filme sonoro - "Chantagem" ("Blackmail"). Só em 1939, pouco antes do início da II Grande Guerra Mundial, se mudou para Hollywood, a convite de David O. Selznick, o que conferiu um novo alento e potencial ao trabalho do talentoso cineasta. "Rebecca" (1940)  foi a sua primeira obra nos EUA, e valeu-lhe uma nomeação ao Oscar (seguir-se-iam outras cinco, sem nunca ganhar a ambicionada estatueta), terminando a carreira em 1976 com "Intriga em Família" ("Family Plot"), num total que perfaz 57 filmes, sem contar com os da série televisiva que apresentou na década de 50. Viria a falecer 4 anos depois, não sem antes ter sido agraciado com o título de cavaleiro pela rainha de Inglaterra e homenageado com um prémio de carreira pelo American Film Institute. Casou-se com Alma Reville em 1926, mulher que o acompanhou até ao final da sua vida.
Não vi todos os seus filmes, suponho que nenhum dos mudos, mas os que mais me agradam ainda hoje foram realizados nas décadas de 40 e 50: "Rebecca", "A Casa Encantada", "Chamada para a Morte", "O Homem que Sabia Demais", "A Mulher que viveu Duas Vezes", "Janela Indiscreta" são alguns deles. 
"A força de Hitchcock como realizador reside na capacidade de visualizar os seus medos e desejos subconscientes e de transformá-los em pesadelos insones no ecrã. Muitos espectadores partilham os seus medos e desejos subconscientes, e é exactamente por isso que Hitchcock permanecerá na consciência do público durante muito tempo", resume Paul Duncan, o autor deste livro.

BOM FIM DE SEMANA PARA TODOS!!!

28 comentários:

  1. Era fácil demais para advinhar!!!

    ResponderEliminar
  2. Queria escrever "adivinhar"!!!

    MUITOS PARABÉNS pelo 900º post do Quiproquó, espero ainda assistir ao 1800º.

    Até logo!

    ResponderEliminar
  3. Penso que é a primeira vez que entro em seu espaço. Gosto da forma que escreve e do formato do blogue. Estarei sempre por cá para lêr teus belos postes. Vou ser seu seguidor, seja meu também em:

    transpondo-barreiras.blogspot.com
    congulolundo.blogspot.com
    minhalmaempoemas.blogspot.com
    queriaserselvagem.blogspot.com


    Um grande abraço e tudo de bom. Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  4. A filmografia de Hitchcock é inspiradora. Num dos mais recentes episódios da séria CSI New York que vi inspiraram-se no "Janela Indiscreta".

    900! Já... e quando cegar o milionésimo vai haver festa?

    ResponderEliminar
  5. Dessa série de filmes fantásticos, não me lembro bem do "Rebecca" e será de acrescentar "os Pássaros", realmente uma mão cheia de filmes do outro mundo !
    Também a merecer uma especial referência as dezenas de filmes para TV, de cerca de uma hora de suspense de cortar a respiração, chamados “Hitchcock Apresenta”.
    Não perdia uma ! :))
    .

    ResponderEliminar
  6. Para quem gosta do género o livro é bastante útil.
    Há um outro filme que não mencionas e que é uma delícia; "O Terceiro Tiro" é puro humor negro.

    Bom fim-de-semana.

    ResponderEliminar
  7. O Carlos II tem razão: "O Terceiro Tiro" é puro humor negro. É um verdadeiro Hitchcock, no entanto, é muito pouco apreciado pela maior parte dos admiradores deste grande realizador.

    Bom fim-de-semana para ti. Eu cá estou proíbida de sair para evitar uma recaída, e o tempo lá fora está uma maravilha. Que chatice!

    ResponderEliminar
  8. Um dos raros casos em que cedo ao cinema...

    ResponderEliminar
  9. Cum caneco 900!!!! Estiveste a contá-los?

    ResponderEliminar
  10. Também não perco o vício de comprar livros, sem dar escoamento à longa fila de espera, mas cada vez que vou a uma livraria, ou ao lançamento de um livro, não resisto.
    Bom fds

    ResponderEliminar
  11. Pois era, EMATEJOCA! Quanto aos posts, a este ritmo, pode levar 4 anos ou mais... :))

    ResponderEliminar
  12. Um spamzinho, JOSÉ SOUSA? Não é muito simpático... :g

    Fica bem!

    ResponderEliminar
  13. Já perdi a onda de CSIs, PAULOFSKI, nunca sabia quando eram novos episódios, ficava à espera e lá vinha um que já tinha visto... :h

    Festa haverá... se na altura reparar que é o milésimo! :-L

    ResponderEliminar
  14. "Rebecca" é capaz de ser o filme que mais gostei, RUI, e é baseado no romance de Daphne du Maurier, escrita em 1938 (segundo a wiki), que faz lembrar um pouco "Jane Eyre". Com Joan Fontaine e Laurence Olivier.

    Também vi alguns dessa série "Hitchcock Apresenta", que felizmente deu mais tarde por cá! :))

    Vi "Os Pássaros" mas não é dos que mais gostei. É muito fóbico, sei lá... :D

    ResponderEliminar
  15. Só mencionei alguns dos meus preferidos, CARLOS, e esse não é um deles. Mas tens razão, é humor negro puro! :)

    O livrinho vai-me fazer uma jeitaça: sempre que assistir a um filme do mestre vou consultá-lo! :D

    Abraço!

    ResponderEliminar
  16. É, também não é dos meus preferidos, EMATEJOCA! ;)

    Pois é, primeiro tens mesmo é de te tratar convenientemente, só depois é que dá para a aproveitar bem o fim de semana! Tem paciência, amiga! :)

    Por aqui também esteve um dia quase de Verão!

    ResponderEliminar
  17. O que só prova que tens bom gosto, SISNANDO! :D

    ResponderEliminar
  18. Não, CONSTANTINO, estive a somá-los! =))

    ResponderEliminar
  19. Pois, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA, para não cair nessa tentação, é preciso não entrar em livrarias... :D

    ResponderEliminar
  20. Olá Teté!! Os afazeres do mestrado têm-me afastado da blogosfera nos últimos tempos mas já dei uma vista de olhos aos teus últimos posts. Tenho a dizer que dos actores em caricatura distorcida só não reconheceria a Miley Cyrus e a Drew.
    Quanto ao grande mestre do suspense, o Alfred Hitchcock eu também não vi todos os filmes dele, mas os que vi gostei. É sem dúvida um marco do cinema que dever ser lembrado. Já não se fazem filmes como os dele :p
    Beijos. Parabéns pelo 900º post, estás quase no 1000 aí é que vai ser comemorer :p

    ResponderEliminar
  21. Também eu li este livro sobre o Hitchcock de Paul Duncan em alemão. O livro não é meu, pedi-o emprestado à biblioteca.
    O autor escreveu vários livros sobre cinema e uma das suas biografias é sobre o James Dean.

    Gosto e vi todos os filmes deste grande realizador, uns gosto mais do que outros; mas a minha filha Luísa é uma louca por ele, tendo todos os filmes que há à venda, mesmo os mais antigos.

    Continuação de um óptimo fim-de-semana.

    ResponderEliminar
  22. Era o que me fazia a mim falta agora: um filme do Hitchcock que me tirasse esta soneira que tenho encima.

    ResponderEliminar
  23. Alguns tentam seguir-lhe as pisadas, PSIMENTO, mas é difícil porque o homem era um génio! :))

    O post 1000 só será daqui a uns largos meses, se mantiver o mesmo ritmo. Comemoro, certamente, se não me esquecer de fazer contas de somar... :-L

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  24. Também tenho duas colecções em DVD de filmes dele, EMATEJOCA, mas ao todo são só 12 e nem todos os que mais gosto: Rebecca e a Casa Encantada, por exemplo, não constam. Ambas me foram oferecidas, um dia destes hei-de ver se encontro pelo pelos estes dois... :)

    O livro não o li, só o início genérico e a parte relativa ao filme "Sabotagem", que revi este fim de semana. Também não é dos meus preferidos...

    Quanto ao James Dean, bem sei que ele é um mito para muita gente, mas a carreira dele foi curtíssima, suponho que esse mito deve-se mais a ter morrido novo e giraço... nada comparável ao mestre! ;)

    Boa semana para ti e continuação das melhoras!

    ResponderEliminar
  25. Sim, é verdade que é difícil adormecer durante um filme de Hitchcock, SUN! :D

    ResponderEliminar
  26. uma das primeiras e mais duradouras imagens que tenho de um filme, são as gaivotas a debicar os olhos de alguém. de resto... olha, o meu toque de mensagem é aquele trecho clássico do Psico :)

    ResponderEliminar
  27. ahhhh, e parabéns pelos 900 :D

    ResponderEliminar
  28. "Os Pássaros" é dos filmes que menos gosto dele, MOYLITO, por ser tão fóbico. A cena do filme "Psico" é a que quase todos se lembram quando se fala no mestre... :)

    Obrigada! :D

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)