segunda-feira, 15 de novembro de 2010

O RAPAZ DE OLHOS AZUIS

"Há livros fáceis de escrever. Outros são bastante mais difíceis. E outros ainda são como os cubos de Rubik, sem qualquer solução aparente à vista. Este cubo de Rubik, em particular, nunca teria sido resolvido sem a ajuda da minha editora [...] e do meu agente [...], que me encorajaram a perseverar", garante Joanne Harris nos agradecimentos iniciais. Com razão, já que este livro também não é fácil de ler!
A começar pela própria estrutura, em jeito de blogonovela, com caixa de comentários incluídos. Sendo que num circuito limitado a alguns aderentes (chamemos-lhes assim!), por vezes funcionando só como diário privado. Mas se em jornais ou revistas (de outras eras) e na blogosfera (às vezes) o folhetim consegue cativar o leitor, na leitura de 432 páginas só atrapalha.
Por outro lado, as personagens não são minimamente atraentes, estranhas e violentas, algumas  a raiar a psicopatia. O rapaz de olhos azuis, que sofre de sinestesia (experiência sensorial, em que se associam as sensações  de um dos cinco sentidos a outro) confessa nessas páginas internéticas assassínios imaginativos e pormenorizados com requintes de malvadez, que nunca cometeu. Os alvos que se vangloria de matar, na escrita, são todos aqueles que desde miúdo o trataram violenta e arrogantemente, com toda a impunidade. A começar pela mãe, uma autêntica megera! O seu grupo restrito de comentadores incentiva-o a continuar na senda "criminosa", com comentários de "genial", "muito bom", etc. e tal. Confesso que a isso achei piada!
Finalmente, o enredo é demasiado intrincado e confuso, com trocas de nomes e personalidades e até uma suposta amnésia, onde nem sempre se entende o que é mito ou realidade, dando a sensação que a escritora  alia o mundo virtual a histórias de terror...
Adorei outros livros dela, mas para este só tenho uma palavra: desilusão!

15 comentários:

  1. Tu achaste piada ao facto das pessoas considerarem genial a forma dele "assassinar"?!? PI-PI-PI-PI (barulho da minha pessoa a sair do blog em marcha-atrás)

    ResponderEliminar
  2. Não, RAFEIRITO, achei piada serem tão acríticas, tontas e com tanta falta de nexo, que ainda o estavam a incentivar a prosseguir aquele rumo... :D

    ResponderEliminar
  3. Vê se começas a ler autores dignos desse nome, Teté!

    ;)

    ResponderEliminar
  4. Deixei uma indicação para você lá no meu blog...é sobre o que vc escreve :o)
    Bjoss

    ResponderEliminar
  5. Olá Teté, tenho andado meio ausente da blogosfera mas não podia deixar de cá vir. Na verdade li quase todos os livros da Joanne Harris como te disse, mas essa último não li porque as minhas leituras andam pela rua da amargura (acabei de receber um e-mail a dizer que comentaste o meu blog, viva as coincidências eheh). De qualquer modo como já li tanto dela acho que me vou aventurar por esse livro quando tiver tempo principalmente porque adoro personagens tangentes à psicopatologia ehehhe.
    Tomei a liberdade de adicionar-te no facebook, acho eu… Se calhar não era tu ehehhe. Beijos e tenta deitar a mão ao “Chocolate” e ao “Cheque ao Rei”.

    ResponderEliminar
  6. Gostei muito de "Chocolate" , o filme, mas nunca li nenhum livro dela. Depois de ler o seu comentário, de certeza que ainda não vai ser desta.

    ResponderEliminar
  7. E só os escritores portugueses são dignos, REIZÃO? :))

    ResponderEliminar
  8. Obrigada, TURMALINA! Publicarei em breve... :D

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  9. Tenho mesmo de agarrar esse "Cheque ao Rei", PSIMENTO, mas o "Chocolate" não sei, que vi o filme e custa-me ler uma história que já conheço... Quanto a este, se o leres, depois dá-me a tua opinião! ;)

    E sim, és capaz de ter acertado! :))

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  10. Também gostei muito desse filme, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA! E de outros dois livros que li dela ("Sapatos de Rebuçado" e um de contos intitulado "Danças e Contradanças"), mas este desiludiu-me... (o que também já não é a primeira vez que acontece, com um escritor que gosto) ;)

    ResponderEliminar
  11. Desculpa erro meu, não é "Cheque ao Rei" mas sim "Xeque ao Rei". Eu li o original "Gentelman & Players" em inglês, gosto mais :p

    ResponderEliminar
  12. Obrigada pela correcção, PSIMENTO! Mesmo assim, não seria difícil lá chegar... :D

    Não leio livros em inglês, apesar de algumas traduções fatelas, mas prefiro ler mais rápido! ~xf

    ResponderEliminar
  13. ooookkkkk, eu deixo lá o rapazinho em paz então :)

    ResponderEliminar
  14. Também devia ter deixado, MOYLITO! :))

    ResponderEliminar
  15. Anónimo1/17/2011

    por acaso o rapaz de olhos azuis eu tb n li mas li 5 quartos de laranja, xeque ao rei, chocolate, valete de copas e dama de espadas
    e gostei
    tenhu de ler este para comparar

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)