terça-feira, 21 de agosto de 2012

JARDINS TRANQUILOS...

O dia mundial da fotografia foi no passado domingo, mas dia da fotografia não é sempre que quisermos e tivermos uma máquina por perto? Aconteceu recentemente, após uma visita gorada ao Museu do Brinquedo, em Sintra. Não conseguimos lá chegar, devido ao trânsito caótico - se é que se pode chamar caótico a uma fila de carros parados, sem andar para a frente nem para trás! Meia volta e toca a rumar noutra direção...

Até que nos deparámos com um jardim desconhecido (para nós!) e a passeata apetecia, para desenferrujar as pernas depois da monótona viagem. Não tardou a que a máquina fotográfica saltasse da mochila... como não podia deixar de ser!

Patos, galos, pavões, gatos e cágados circulavam livremente pelos caminhos, entre as flores e o arvoredo, ou  nadavam calmamente nos lagos, enquanto as crianças brincavam nos relvados ou no parque infantil, vigiadas de perto por familiares.

No romântico palácio, onde funciona um museu e uma biblioteca, de que começámos por vislumbrar a torre (tentámos não incomodar o parzinho a namorar lá por perto, como ele não incomodou a foto!), encantou-nos a arquitetura e o lindíssimo fontanário próximo da entrada. 

Do lado oposto, encontrámos este sossegado recanto - e um banco de azulejo a gritar por restauro, mas pronto! - com vista para uma língua da enseada.

Na capela e noutros locais pudemos visionar outros exemplos da belíssima azulejaria, com hortenses, arbustos e árvores a compor o perfil paisagístico.

A citação latina no topo daquele painel, traduzida pela wiki (que o meu latim está muito enferrujado, eheheh!), significa qualquer coisa como: "Deus concedeu-nos esta tranquilidade"

Muito mais haveria a explorar: uma zona de jogos tradicionais, percursos pedestres e de manutenção e claro, o museu/biblioteca e a capela, que estavam encerrados.   

A esplanada estava a abarrotar de gente, de modo que fizemos uma breve pausa noutro jardim, portão a meias com este, mas mais sossegado e com música no ar... 

Regressámos pelo caminho inverso, com a ideia de uma tarde muito bem passada. Ficam as questões:

1. Que jardins visitámos?
a) Trata-se do Parque Marechal Carmona, em Cascais, inaugurado em 1944 e reunindo as propriedades dos condes de Castro Guimarães (que cederam o palácio e parte do jardim, para o efeito, e onde se encontram sepultados) e do visconde de Gandarinha. Pós 25 de abril houve a tentativa de alterar o nome para parque da Gandarinha, mas nunca pegou, resultando daí que mantém a sua designação original;
b) Bom, aqui é que estava a pequena "armadilha": ao lado fica o "Jardim da Cerveja", que não é propriamente um jardim, mas um bar-restaurante!

2. Dia da fotografia, mesmo que amadora, não é sempre que quisermos?!?
Esta era retórica!

ADENDA a 22 de agosto de 2012:  Tudo o que esteja escrito a verde. Parabéns à Rosa dos Ventos, que foi a primeira a adivinhar qual era o jardim principal, à Nina, ao Vício e ao Carlos Barbosa de Oliveira que por pesquisa ou por conhecimento próprio lá chegaram! Obrigada a todos pela participação!

32 comentários:

  1. Concordo contigo, plenamente.

    E já que não visitaste o Museu, vou deicar-te um post com fotos que lá tirei recentemente, rrss

    Não sei que jardins fotografaste, não.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eh, SÃO, já vi, muito obrigada pela lembrança! E não é que vá desistir de lá voltar, mas certamente não num fim de semana ou feriado... :))

      Já atualizei! :)

      Beijocas e obrigada mais uma vez!

      Eliminar
  2. Um post de suspense. Eu a ver cada foto (lindas) e a rolar cada linha de texto para ver se dizias onde estas delicias se situam e tu acabas com uma adivinha. Ora esta, heim? Já cá virei ver a resposta. Beijocas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom, a resposta já lá está, VITOR! E tem muitos cantos e recantos para fotografar, também... :))

      Beijocas!

      Eliminar
  3. Sintra tem tantos jardins e todos tão bonitos que fica difícil dizer qual é este...de certeza que já cá estive, mas saber o nome???

    A última vez que fui a Sintra, havia tamanha confusão no trânsito que bebemos café, comprámos queijadas e ala que se faz tarde...normalmente deixo o carro longe e ando a pé, por vezes kilómetros, mas desta vez estava de saltos...

    Tal como o Natal é quando um homem quiser, o dia da fotografia também é quando quisermos, pode ser todos os dias, a menos que a máquina tenha ficado em casa :p

    Belas fotos :)))

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adoro Sintra, que realmente tem muitos jardins e palácios lindíssimos para passear, mas não consegui chegar lá, MARIA! Daí termos rumado a Cascais... :D

      O problema de Sintra é e sempre foi o trânsito, especialmente aos fins de semana e feriados... ;)

      Obrigada e beijocas!

      Eliminar
  4. Jardim? Pelas fotos que publicas deve ser um regalo por lá passear.
    Mas acho que não sei.

    Beijokas !!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca lá tinha ido, embora o jardim seja de 1944, KOK! E sim, gostei muito, que se vê a olho nu que está bem estimado - também não sei se foi "intervencionado", como agora costuma dizer-se... :))

      Beijokas!

      Eliminar
  5. É claro que dia da fotografia são todos os dias, exactamente como o dia da mãe, do pai, dos namorados etc etc etc. E eu não sei onde é esse jardim, mas de uma coisa tenho a certeza, eu nunca lá estive.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que esses dias não dependem de um calendário de entidades internacionais ou coisa, ELVIRA! Também nunca lá tinha estado, porque não faz parte dos meus circuitos normais... :)

      Abraço e boa semana para ti também!

      Eliminar
  6. Anónimo8/21/2012

    Oh! Que pena que eu tenho de não ter tempo para pesquisar.
    Volto mais tarde, se ainda aqui estiver o desafio.
    Lindas fotos.
    bji
    Nina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, NINA!

      Normalmente só revelo a "solução" depois da meia noite... :)))

      Beijocas!

      Eliminar
  7. Começando pela segunda pergunta: Sim. Claro. Quanto à primeira: não conheço mas fiquei com vontade de conhecer. Volto para ver a resposta. :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A resposta já lá está, LUISA!

      A segunda pergunta era mais ou menos retórica, já que não vejo fotógrafos a pegarem na máquina fotográfica apenas um dia por ano... Mesmo que só amadores! :)

      Eliminar
  8. Belas fotos, Teté. Tens razão no que dizes sobre ser o dia da fotografia ser um qualquer. Por isso, agora esta coisa dos telemóveis terem câmara é muito bom se for boa, porque é no imprevisto que se tiram as melhores fotos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, VIC!

      O meu telemóvel é do tempo do sol posto, não tira fotos. Daí andar sempre "armada" com a máquina fotográfica, que nem é grande "espiga", nem precisa de andar à tiracolo com câmaras e zooms XPTO, fica dentro da mochila ou da mala e dá mais ou menos para o que quero. Tenho pena, mas não tira boas fotografias à noite... :)

      Eliminar
  9. É o mais antigo museu de uma simpática e cosmopolita cidade da "linha", quanto ao outro espaço não o encontrei ainda...:-))
    Dia da Fotografia? Sempre!

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa, ROSA! Já estava a pensar que a minha questão era mais difícil do que parecia à primeira vista, com tanta dica... :)

      Sempre que haja máquina à mão... e vontade de fotografar (ou filmar)! Conheço gente que tem "equipamentos" muito melhores que o meu, mas falta-lhe a vontade! :D

      Abraço!

      Eliminar
  10. Não ficará perto de um farol?

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fica, mas dali não o vi, ROSA! (o que não quer dizer que não seja visível, que não palmilhei exaustivamente todo o pedaço!) :)

      Outro abraço!

      Eliminar
  11. Anónimo8/21/2012

    Obrigada pela dica, Rosinha.
    Tinha-me perdido por Guimarães.:)

    O segundo, perto de um farol?
    Nina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Logo vi que lá chegas, NINA! :D

      O farol fica ali perto de ambos os espaços, divididos apenas por um portão! :)

      Eliminar
  12. eu sei onde foi mas não vou estragar o desafio!
    (é assim que funciona, não é?)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, não é assim que funciona, VÍCIO! A pessoa pode chegar e dizer logo - e não, não recrimino ninguém por isso! - mas para não induzir as respostas dos restantes, pode-se limitar a dar uma dica ou a dar as iniciais do(s) espaço(s)... :)

      Mas tu já sabes que estás à vontade, para quê repetir?! =))

      Eliminar
  13. Anónimo8/21/2012

    Ó Teté, trocaste-nos as voltas com as fotos, misturando as dos dois jardins?
    É que a 1ª pertence a outro jardim...ou parque, vá. Construído na década de 40, é a junção dos jardins do Palácio atrás referido com a propriedade de um Visconde.
    Por isso, não encontrava aquela escultura do casalinho nos jardins do palácio. Marota!:))
    bji
    Nina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eheheh, NINA, desculpa ter-te induzido em erro: era um casal de namorados de carne e osso, não nenhuma escultura! Tirei a fotografia e desandei, não interrompi mais... :D

      E sim, o parque é a junção dos dois, a "armadilha" estava no jardim ao lado que afinal de jardim só tem o nome... (e no seguimento da esplanada estar entupida de gente!) :))

      Mais beijocas!

      Eliminar
  14. Afinal, acabo de encontrar todas as fotos (à exceção da última) no mesmo jardim, com a variante de lhe atribuírem mais do que um nome. Agora é que me baralhei toda!
    Fico-me por aqui. Tu darás a resposta:))
    bji

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. NINA, a baralhação dos nomes vem das manias pós 25 A de trocar os nomes a tudo, especialmente quando se tratava de um conhecido nome do regime, como o Marechal Carmona... Mainada! Sempre se chamou assim desde 1944, não conseguiram alterar-lhe o nome... :))

      Eliminar
  15. Um passeio inesperado que foi um sucesso.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem mais, CATARINA! Não dizem que há "males que vêm por bem"? :)))

      Abraço!

      Eliminar
  16. De um desses jardins sou quase vizinho, mas não todos os dias. Também já lá estive em alguns festejos de croquete, que são sempre uma chatice e não deviam ter lugar naquele espaço. Ao outro só fui uma ou duas vezes.
    Quanto ao dia da fotografia nem sabia da sua existência porque apesar de agora andar um bocado preguiçosos e a adaptar-me a uma nova máquina digital, ainda há poucos anos andava sempre com uma câmara atrás de mim ( ou mesmo duas) para o que desse e viesse.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem sabia que existiam festas do croquete no Jardim da Cerveja, CARLOS, que antigamente até se chamava "Biergarten", se não me engano! Enfim, as especialidades estão mais para as salsichas ou outras especialidades alemãs do que para croquetes. Suponho... :)

      Como podia saber, se há dias para tudo e mais alguma coisa, alguns bem disparatados até? ;)
      Mas raramente largo a minha máquina digital... :D

      Eliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)