quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

NA MINHA RUA, MANDO EU!

Fotografia de Ian Britton
(Bergen, Noruega)

Há um complexo qualquer de ser dono e de mandar, que atinge portugueses insuspeitos de qualquer posição de chefia! Alguns são apenas taralhocos ou velhos, ou as duas coisas em simultâneo, mas facto é que agridem tudo e todos sem consequências de maior. Adiante!

Numa recente visita de estudo, mero passeio pelos bairros típicos lisboetas, a professora estava entusiasmada em mostrar a cidade e a convivência entre as várias etnias que aqui habitam e trabalham, para futura discussão na aula. Ia fotografando os locais por onde passavam, dinâmica e animada, sem reparar nos olhares "de lado" que o grupo causava, incentivando os alunos a também tirarem as suas fotos. Jovens, com certeza barulhentos, a turma suscitou uma grande animosidade local, a meio da tarde. Que era proibido fotografar no centro comercial, tudo bem, acataram. No quiosque de rua, a velhota lá dentro começou por insultar a rapariga que clicou a primeira foto, seguiu-se um chorrilho de palavrões para todos, professora incluída. Mas faltava a cerejinha no topo do bolo, vinda de uma mulherzinha pendurada na janela (e não é que estão todas?!):

- Oh, 'miga, qué que 'tá a fazer?

Delicada, a professora ainda respondeu que só estava a fotografar a rua, mas lá veio mais saraivada de palavrões, ameaças de que era proibido e ainda uma espécie de desabafo de que "estes 'turistas' não têm mainada p'ra fazer?!"

Professores e alunos são maus? Pois! E o que dizer dos que se consideram donos da sua rua? Tenho aqui umas palavrinhas debaixo da língua, mas não digo... mainada!

25 comentários:

  1. Eu dizia à tal mulher:

    "Oh minha senhora, lave essa boca porca!"

    Ou qualquer coisa do género...

    ResponderEliminar
  2. Diz aos meninos que podem vir aqui à minha rua que eu deixo :)

    ResponderEliminar
  3. penso que os portugueses são tão desconfiados que ao mínimo perturbar da sua existência (mesquinha?) refilam de imediato

    ResponderEliminar
  4. Oh pah!!!!!...mas que mesquinhez, que mal estar!! que gente pequenina!! eu cá ainda lhes ensinava palavrões novos... :D

    ResponderEliminar
  5. Quem não têm "mainada" para fazer são essa pessoas, que arranjam problemas onde não os há, só para haver falatório.
    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  6. Isso aconteceu-me na Rua Strasbourg St.Denis, em Paris......imagina bem porquê????
    Mas olha que é veridico, ia com o meu cunhado e irmã e o meu cunhado achou piada que os sex-shops e as casas de meninas tinham marcado " SALDOS", vai daí queria tirar uma fotografia para mostrar aos amigos....pois só não apanhou e ficou sem a maquina por pouco.....pois as meninas pensavam que ele estava a tirar fotos a elas e saltaram-lhe em cima....ahahahahah

    ResponderEliminar
  7. se essa rua fosse minha... la la la
    eu mandava ladrilhar... la la la
    com o brilho dos teus olhos... la la la
    para o meu amor passar... la la la

    ResponderEliminar
  8. Desculpa mas só é que penso em que bairro estarias cós pequenos...

    ResponderEliminar
  9. E ainda estavas a ser delicado, CAPITÃO! :)

    Oh, que magnânimo, PREDATADO!!! :)))

    Eu acho que isto já não é desconfiança, TERESA DURÃES! Tanta mesquinhez raia o ensandecimento... ;)

    Bom, se fosse comigo, VAN, também ficaria tentada a ensinar-lhes alguns novos... :D
    Mas a professora não quis dar esse (mau) exemplo aos alunos e teve razão!!! ;)

    ResponderEliminar
  10. Pois, também acho que sim, CAPRICCIO! Quem não tem mainada para fazer tem de chamar a atenção de qualquer maneira... ;)
    Beijinhos!

    Eh, eh, eh, também estive nessa rua de Paris, PARISIENSE! Por acaso, na época não estavam em "saldos"...
    De qualquer das formas é diferente, porque essas devem estar habituadas a tarados que as queiram fotografar peladas ou até fazer dinheiro com as fotos... ;)

    É um triste fado, MOYLITO! A mania de que se é dono da própria rua... :S

    Eu não estive, CONDADO! Mas passou-se na Mouraria... (`_^)

    ResponderEliminar
  11. Isso tem um nome aliás, dois: "falta de ocupação" e "falta de educação"...
    É o país que temos... infelizmente!

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  12. Claro, Teté!
    Como o meu próprio apelido indicia, sou um homem educadíssimo.

    :))

    Bem, até sou, dependendo do(a) interlocutor(a)...

    ;)

    ResponderEliminar
  13. Infelizmente é isso mesmo, MATCHBOX31! E gostar de azucrinar a vida dos outros também!
    Beijinhos!

    Mas esta gente quer lá saber quem são os interlocutores, CAPITÃO! Vêem muita coboiada, disparam primeiro (o chorrilho de palavrões) e no fim nem querem saber!
    Há situações em que apetece mesmo dizer uns palavrões! Aqui, não era o caso... ;)

    ResponderEliminar
  14. LOOOOOOOOOOL, tb me lembrei logo da cançoneta que o moyle está a trautear!

    ResponderEliminar
  15. Mouraria, não vás aos primeiros raios do dia!

    Ai que lindo que isto me saiu! Eu acho que o problema foi estarem a fotografar a rua e não as "moradoras da rua"! Agora voltem lá e ofereçam essas fotos a essas refilonas! Na próxima é de passadeira vermelho que os recebem!

    ResponderEliminar
  16. pois olha, aqui no burgo até se faziam a foto, de certeza...

    ResponderEliminar
  17. Ahhh, em Luanda quando se chateavam as pessoas, uma delas dizia prá outra; olha, vai prá tua rua!...enfim, ja vem dos tempos do nosso tempo... se fossem turistas nem deviam dizer nada, ams gente da nsosa gente leva logo com uma estopada...
    Haja paciência, mas que taralhocos...
    beijinhos. laura.

    ResponderEliminar
  18. é melhor não dizeres mesmo "mainada"
    lol

    ResponderEliminar
  19. Lá vamos cantando e rindo, VAN? Ná... :)))

    Saiu-te bem, sim senhora, INÊS! Pena ter sido à tarde... :)))
    Acho que ninguém ficou com vontade de lá voltar, com ou sem passadeira vermelha! C'est la vie... ;)

    Pois, LEONOR, nem toda a gente é taralhoca... ;)

    Talvez os turistas chamassem menos a atenção, LAURINHA, mas nunca se sabe com taralhocos, né?
    Jinhos, nina!

    Não digo, não, ESCARLATE.DUE! ;)

    ResponderEliminar
  20. Ora, a professora foi apanhada de surpresa porque podia ter dito que era para o 'pograma da Fátima' e até lhe ofereciam um cházinho.
    Agora a sério, acho incrivel o linguajar que se ouve de pessoas que têm idade para ter juizo. E em frente de miudos, ainda por cima.
    Que tristeza...
    Bjs

    ResponderEliminar
  21. Oh, sim, esta gente pela-se por câmaras televisivas, SAFIRITA...

    Linguajar ordinário mesmo, parece que não sabem falar de outra maneira! É uma tristeza, mesmo!

    Jinhos!

    ResponderEliminar
  22. É, não é, LOPESCA? :/

    ResponderEliminar
  23. Desconfio que nesta rua há muitos membros da Al Qaeda infiltrados entre os moradores comuns. Daí, a reação às fotografias. Vaí lá que uma delas chega até a CIA.
    Também não entendi por que era proibido fotografar no centro comercial.
    Um beijo!

    ResponderEliminar
  24. A cena de ser proibido fotografar em centros comerciais é mesmo meio ridícula, OLIVER, mas é em quase todos (receio que lhes copiem as montras, decorações e assim).

    Como é óbvio, com telemóveis (celulares?) podendo fazer o mesmo sem ninguém reparar, já se tornou uma proibição obsoleta... :)

    Também acho que tiveram um bocado de azar nesta "excursão"! Principalmente a professora, que devia estar longe de imaginar esta recepção!

    Beijocas!

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)