segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

O PERFUME


Apesar do título - "O Perfume - História de um assassino" - o livro de Patrick Süskind não desenvolve um policial propriamente dito, mas um romance estranho, que nos conduz através de um percurso olfactivo de aromas, odores e fedores, em várias regiões francesas do século XVIII.

A personagem principal, Jean-Baptiste Grenouille "nascido sem odor no lugar mais fedorento do mundo", a 17 de Julho de 1738, era o quinto filho de uma jovem mulher que mantinha uma banca de peixe no mercado de Montmartre, que sempre dera à luz "nados-mortos, ou quase", atrás da dita. A sobrevivência do recém-nascido (por um mero acaso) determina a decapitação da mãe, desenrolando-se, a partir daí, um atropelo de várias autoridades policiais e eclesiásticas a descartarem-se do bebé para uma ama atrás da outra. O rapaz cresce nesse ambiente de desamor constante, com a particularidade de não ter cheiro próprio, mas possuir uma capacidade olfactiva muito superior à dos comuns mortais. Um verdadeiro "nez", conforme o apelidariam actualmente os perfumistas, com a bizarra faceta de todas as suas ambições girarem em torno de perfumes, com que sonha um dia conquistar o mundo. Isento também de quaisquer outros valores, homicídios sem problema...

A maior parte das restantes personagens com quem se cruza parecem alegóricas dos mais nefastos sentimentos humanos, onde grassa a mesquinhez, a estupidez, a vaidade, a hipocrisia e a ambição, a par da notória divisão de classes sociais da época. Aliás, sem querer repetir o que se escreve na contra-capa do livro, o retrato das mentalidades e das vivências desse período histórico é brilhantemente alcançado pelo autor. Ou, pelo menos, no que imaginamos que devia ter sido!

A originalidade do livro provém da sua descrição sensorial, com larga primazia para o olfacto, a ponto de supor aromas no ar que julgava fruto da leitura empolgada dos últimos capítulos - bastante inesperados, diga-se de passagem! Mas nem por isso: os cheirinhos provinham de uma vela próxima, apagada, que ainda exalava odores a pinho, em que não tinha reparado anteriormente...

CITAÇÕES:

"E tomou súbita consciência de que não havia sido o caldo de pombo, nem estes imbecis rituais ventilatórios que o tinham transformado num homem normal, mas sim estas roupas, este corte de cabelo e um pouco de artifícios cosméticos."

"Suspeitou-se dos ciganos. Podia esperar-se tudo dos ciganos. Era do conhecimento geral que os ciganos faziam tapetes com pedaços de roupa velha, que utilizavam cabelos para encher almofadas e fabricavam bonequinhas com a pele e os dentes das suas vítimas. Um crime tão perverso apenas podia ser cometido pelos ciganos. Só que naquele momento não havia rasto de cigano numa distância de léguas em redor; fora em Dezembro que os ciganos haviam atravessado a região pela última vez."

"Ele era, na realidade, o seu próprio deus e um deus mais glorioso do que esse deus tresandando a incenso que habitava as igrejas."

31 comentários:

  1. Confesso: Ainda nao li "O Perfume" de Patrick Süskind, apesar de possuir 3 exemplares. Este livro foi um sucesso aqui, na Alemanha, daí o ter recebido como presente 3 vezes.
    Nao posso dizer a razao do meu desinteresse... talvez, este ano o leia, quem sabe?

    O filme também nao o vi. Mas os admiradores/as ferranhos/as desta obra dizem, que o filme nao se deve ver.

    Estou mais interessada em ler " A rapariga, que roubava livros", mas ainda nao o encontrei.

    Saudacoes de um Düsseldorf cheio de sol, afundado em neve, que nao se via há mais de 12 anos!!!

    ResponderEliminar
  2. Este livro não é o que deu origem ao filme?????
    È que eu vi o filme e achei tão morbido que não tive vontade de ler o livro.
    A historia pelo menos parece-me a mesma.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. não gostei deste livro... ops

    ResponderEliminar
  4. nos tempos que correm, esse tipo era capaz de ter futuro nas investigação criminal! superava qualquer cão :D

    ResponderEliminar
  5. Li o livro na altura em que se publicou em espanhol, já nem lembro quando, mas há anos. Causara-me um impacto grande e sei que gostara. Depois, a ano passado (acho que?) vi o filme e enfim... digamos que quando se tocam determinados temas prefiro deixar actuar a minha imaginação em lugar de confrontar imagens explícitas. (Para nos entendermos: posso ler a descrição duma operação a coração aberto, mas antes prefiro ver ao vivo do que isso mesmo em filme, com alguém a mostrar o que quer que eu veja.)

    ResponderEliminar
  6. O livro é genial e o filme uma me...
    É uma boa introdução à história da época moderna e o enredo é brilhante.

    ResponderEliminar
  7. Tété, é nestas alturas que gostaria muito de ser tua vizinha... A propósito de teres tantos livrinhos e ias emprestando á laura, ela devolve como os trouxe e devolve sempre, nunca os guarda ou os esquece, o contrário de algumas minhas que ficam com eles na estante em casa e nunca mos devolvem, porque? ainda nem os leram, minha nossa!... Beijinhos e que sorte poderes ter livrinhos giros, mas, adoro romances,só que de terror, ná, ná... Adorei ler livros de escritores Franceses, nos tempos em que os podia comprar, em Luanda e África do Sul, e tinha alguns que eram tesouros lindos, mas, foram-se. Beijinhos minha querida..

    ResponderEliminar
  8. O livro é genial, como diz Moyle! O filme não o vi por opção! Preferi ficar com as imagens (dos cinco sentidos) que fui captando durante a leitura!

    Genial mesmo!

    ResponderEliminar
  9. Já o li há uns bons anos e gostei.
    Também gostei do filme, anos depois.
    Talvez se tivesse visto o filme logo de seguida, não gostasse.

    ResponderEliminar
  10. atenção isto é apenas a minha opinião e não constitui a verdade.

    Na linguagem do cinema a história é mais forte e bela, mesmo que se trate da história dum serial-killer com muitas vitimas à mistura. Mesmo que seja um assassino diferente. Pelo menos as suas motivações são peculiares.

    No livro é fabuloso como o escritor consegue transmitir, os ambientes de época, como as cenas são mais densas, e descrever o perfil do personagem.

    Todos nós temos um cheiro próprio. O nosso personagem tinha um poder olfactivo fora do vulgar. Perseguia jovens frescas muito belas para num processo diabólico realizar o seu sonho, um perfume raro. Um aroma ainda mais inebriante que pudesse conquistar as pessoas. É aqui, que a história é interessante.

    Por fim, o nosso personagem, julgo que, por fim já confundia o amor que tinha pelas jovens com o seu natural aroma que transparecia de sua pele, e da necessidade de as perder para um pequeno frasco que seria a sua glória.

    ResponderEliminar
  11. Li.
    Reacções no principio do livro: suspense e curiosidade;
    Reacção a meio do livro: fantástico! absolutamente fantástico!
    Reacção no final: epá...que granda merda.
    :\

    ResponderEliminar
  12. UIiiiix, ADORO esse livro, migo. Divinal, surpreendente. Li-o ainda em adolescente e não consegui parar, foi de enfiada e à socapa (quando já deveria estar de luz apagada lol). Vi o filme mais tarde, também me maravilhou, aquele era o grenouille que sempre imaginei! Na verdade, tenho vontade de o reler - acredito que nesta fase e idade me vai parecer como se fosse a primeira vez, lol.

    ResponderEliminar
  13. Miga, eu queria dizer miga, sorrrryyyyyyyyy :( é o que dá tar no messenger ao mesmo tempo, heheheheh.

    Pah, gostei do filme. Não é merda nenhuma, moylito, desculpa lá... talvez a crueza com que se vê algo tão mórbido e chocante que nos faz não gostar, ou achar que não gostamos, do filme...? na sei...eu gostei, e gostos, olha, não se discutem lol.

    Quanto ao final...bem...essa parte...pois...já não gosto/gostei tanto.

    ResponderEliminar
  14. Já li, gostei bastante.
    Viste o filme? Também é bastante giro mas, como quase sempre, o livro é bem melhor. Lol!

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  15. Ainda não o li... :(

    beijocas

    ResponderEliminar
  16. Considero que este livro continua a ser aquele com as melhores descrições de sensações olfactivas que alguma vez li. É, sem dúvida, um dos livros que gostei muito de ter lido. Gostaria de conseguir apreciar o original para ver até que ponto a tradução foi bem feita mas considero este livro um texto muito bem conseguido.

    Ainda não vi o filme…

    Beijinhos,
    FATifer

    ResponderEliminar
  17. LI o livro e gostei muito. Achei fabulosa a forma como o autor nos conduz aos ambientes. Quase conseguimos cheirar o fedor a peixe e visualizar o Grenouille recem nascido, a nadar nas tripas da pechunga...Blargh

    Mas não vi o filme, talvez porque tenho más experiências com adaptações ao cinema. Os argumentos nem sempre são fieis, e perde-se um pouco da riqueza narrativa.
    Mas se tiver oportunidade de ver em DVD, não digo que não. Na verdade, tenho uma certa curiosidade em saber como pegaram no livro.

    Beijinhos
    PS: tens 'A historiadora' da colecção da Sábado? Desta ultima que saiu? São 475 paginas, mas é bastante bom. Estou quase no fim, e mal posso esperar!!!!

    ResponderEliminar
  18. Vim aqui para lhe dizer outra coisa, mas depois pus-me a ler os comentários e cheguei à conclusao, que tenho de ler este livro sem falta e também de o ler em portugues para ver como está traduzido. Quanto ao filme, repito o que já disse, quem adora o livro, acha o filme uma m... como diz a Moyle.

    Estou a cair de sono, amanha digo, o que queria dizer...

    ResponderEliminar
  19. Gostei do livro pois é no mínimo... perturbador :)

    ResponderEliminar
  20. ematejoca,

    não é a Moyle, é O MOyle :D

    ResponderEliminar
  21. O sucesso do livro é grande, não só na Alemanha, EMATEJOCA! (não deve ser em vão que esta é a 42ª edição portuguesa).
    Achei-o muito original, o filme não vi!
    Saudações para essa terra cheia de neve! :)*

    É sim, PARISIENSE, mas não vi o filme. Do livro gostei!
    Beijoca!

    Gostei, TERESA DURÃES, mas admito perfeitamente que seja um bocado chocante... :)

    Superava sim senhor, VÍCIO! Aliás o homem guiava-se exclusivamente pelo seu faro... :)

    O livro é de 1985, SUN! Mas concordo que ver o filme não seja tão atraente (se bem que não o tenha visto). Como dizes, há coisas que prefiro não ver mesmo ficticiamente, chega imaginar... (`_^)

    ResponderEliminar
  22. Não me posso pronunciar em relação ao filme, MOYLITO, mas também achei o livro genial. Embora, como alguns disseram, a "surpresa" do final seja realmente estranha... ;)

    Ah, LAURINHA, o livro não é de terror, mas tem algumas facetas dessas, afinal é a história de um assassino sem escrúpulos nenhuns...
    Empresto poucos livros, à conta de várias desilusões como as que referes... ;)
    Beijoca, linda!

    Concordo, INÊS! Há coisas que prefiro que se cinjam à minha imaginação... :)

    Para já também não estou muito inclinada a ver o filme, RODERICK!
    Mas gostei do livro! :)

    Ai, REI, até me admiraria se a monarquia soubesse o que se passava com o povoléu... :)))

    ResponderEliminar
  23. A personagem tem imensas peculiaridades no livro, CARLOS! Suponho que no filme não deve ser muito diferente, quando não o filme será outro.
    Não considero o Grenouille diabólico, mais assim a dar para o louco desfasado da realidade, vivendo apenas para as sensações olfactivas. Convenhamos que é invulgar...
    Também achei extraordinário o enquadramento histórico, mas após uma breve pesquisa descobri que o escritor estudou precisamente História Medieval e Contemporânea, de modo que até as mentalidades se adequam à época! ;)

    Concordo que o final não convence muito PHYSALIA PHYSALIS! Mas não retira a genialidade entretanto desenvolvida... ;)

    Também gostei muito do livro, VAN! O filme, para já, não me está a apetecer muito. Se o livro é fantástico, filmes fantásticos não me convencem tanto assim... :D
    Claro que gostos não se discutem e mainada! Mas dá sempre para entender outras opiniões, né?
    Já percebi que voltaste cheia de estrica! :)))

    Depois de ler o livro, normalmente os filmes desiludem-me, MACTHBOX31! Não sei se é defeito ou feitio...
    Beijinhos!

    Oh, oh, GATINHA, depois de tantos comentários a "escalpelar" o livro, é quase como se o tivesses lido... :D
    Beijocas!

    ResponderEliminar
  24. É realmente um livro que nos conduz pelo olfacto, FATIFER! E também gostei, especialmente pela originalidade! O filme... talvez um dia!
    Beijoca!

    Eh, eh, eh, SAFIRITA, gostei dessa imagem olfactiva do Grenouille recém-nascido a nadar nas tripas da pechunga... :P
    Quanto às adaptações cinematográficas, não posso concordar mais contigo! Por enquanto, a curiosidade não é muita em relação ao filme..
    Beijocas e obrigada pela dica sobre "O Historiador" (que sim, está na prateleira, em fila de espera)! :)))

    Hummm... EMATEJOCA, coisa que não me passava pela cabeça era ler o mesmo livro duas vezes, para verificar se a tradução estava bem feita! :)
    E amanhã também é dia (ou hoje, à hora a que estou a escrever)! ;)

    Perturbador é de certeza, LOPESCA! :)

    Boa chamada de atenção, MOYLITO! :D

    ResponderEliminar
  25. O filme não me desiludiu, sabes. Mas, confesso que entre a leitura do livro e o visionamento do filme, se devem ter passado mais de dez anos looool! daí que...

    estrica, eu??? na verdade, nem muita... mais stress que outra coisa lol.Ora pois imagina se tivesse mesmo estrica lol.

    ResponderEliminar
  26. VAN, em relação ao filme, parece que houve quem gostasse e quem detestasse. Já se sabe: são gostos!

    Eh, eh, eh, mas olha que parece que estás cheia de estrica, assim à distância... :)))

    ResponderEliminar
  27. Já ouvi falar deste livro em vários lugares, mas ainda não li o livro e nem vi o filme que foi adaptado a cinema. Ainda tentei vê-lo na TV no outro dia, mas quando me lembrei já era tarde...

    ResponderEliminar
  28. Não vi o filme, TONS DE AZUL! Mas o livro tenho quase a certeza que vais gostar...

    Muito original, é o mínimo que se pode dizer, perante um livro que parece emanar muitos odores! :)

    ResponderEliminar
  29. Olha olha este livro...

    Sabes, não consigo eleger o livro que mais gostei de ler, mas, seguramente, "o Perfume" foi o que mais detestei.

    enxofre

    ResponderEliminar
  30. Ora, já não é mau saber o que mais se detesta, DIABBA! :)))

    Beijocas enxofradas!

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)