quarta-feira, 6 de junho de 2012

E OS DOCES RECANTOS?

São de pau, são de pedra, mas não no fim do caminho, como cantava Elis Regina, antes distribuídos ao longo de todo o percurso pedestre do Zoo de Lisboa. 

E como deixar de lhes fazer referência, se alguns são lindíssimos e ilustram tão bem a arte de azulejaria tipicamente portuguesa?

Frente a pequenos tanques cobertos de nenúfares ou a qualquer ponto da caminhada, convidam ao descanso de miúdos e graúdos, talvez até a um beijo de eternos namorados...

Mais direitos e lineares...


ou prontos a reunir toda a família em semicírculo, há bancos para  todos os gostos. Nomeadamente para fotógrafos amadores, que não conseguem passar ao lado sem uns quantos 'clics'!


Ou só para descansar os pés, quando o cansaço (ou a idade) já pesa. (o banco está lá ao longe, mas não era necessário incomodar a senhora...)

Confesso que os de azulejo são os que mais me encantam, daí terem sido o alvo preferencial da máquina fotográfica, mas facto é que o "jaleco" tem sempre novos recantos para explorar e muito para fotografar. Dependendo dos olhos de cada um...



31 comentários:

  1. Também gosto dos bancos em azulejo. Especialmente quando eles contam uma história.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Recantos encantadores :)

    ResponderEliminar
  3. Isto é no Zoo de Lisboa???' Tenho de lá voltar para apreciar. Já lá não vou á uns 15 anos.....e claro que quando lá fui com os filhotes ainda pequenos foi para ver os elefantes, girafas, macacos.....e toda a bicharada.
    Um dia destes volto lá.
    Beijokitas

    ResponderEliminar
  4. E são todos lindos, gostei muito e já nem me lembrava que existiam :)))

    Estava eu triste por te ver a chorar quando ontem te disse que eras má e hoje mostras-me isto? Afinal eu tinha razão...se vi os banquinhos aqui e gostei tanto agora quero vê-los ao vivo e a cores, e para isso tenho que gastar 17€...não é justo Teté! :p

    Fazendo contas, são 17€ pró jardim, 17€ pró livro de ontem, mais 17€ pró livro do outro dia...ainda me vais levar à falência, miúda...mas eu perdoo que sou uma querida cof cof cof

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
  5. Agora fiquei com vontade de ir ao Zoo!
    Lá se vão mais uns "aéreos"...:-))

    Abraço

    ResponderEliminar
  6. Que recantos e bancos giros, dão vontade de por lá passar.

    ResponderEliminar
  7. Bonitos esses recantos! E não me lembro deles. : ( Recordo-me sim com quem fui. Levei os meus filhos, a minha mãe e uma prima. Quando li o teu primeiro texto sobre o “jaleco”, falei-lhe (À MINHA MÃE) sobre o passeio que tinhamos dado, com quem tinhamos ido... Não se lembrava, evidentemente, e duvido até que saiba é um jardim zoológico.

    ResponderEliminar
  8. Passei muitos dias da minha vida por estes recantos, Teté :). E com a idade vêm as saudades. Agora, os recantos são outros :)

    ResponderEliminar
  9. Realmente lindos, amei.
    beijos

    ResponderEliminar
  10. Adorei as fotos. Tudo o que é ajulejaria me encanta.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  11. Queria dizer "azulejaria"

    ResponderEliminar
  12. Adoro estes recantos!
    Na minha aldeia puseram um banco em ferro, a imitar o inox, em frente à igreja centenária! Que chateada fiquei quando o vi.:)
    beijocas

    ResponderEliminar
  13. Ora aqui está algo que também gosto imenso de fotografar! Bancos e mais bancos, sejam eles redondos, pequenos ou compridos! ;)
    Os de azulejos são lindos.
    Bom feriado!

    ResponderEliminar
  14. Também gosto de bancos de azulejo e adorei estes recantos. Alguns fazem lembrar-me a casa dos meus avós (:-

    ResponderEliminar
  15. Se estes bancos contassem histórias, ELVIRA, tinham muito que contar... :))

    Abraço!

    ResponderEliminar
  16. Concordo, LUISA, se bem que o Zoo tem muitos mais... :)

    ResponderEliminar
  17. Volta, PARISIENSE, que o Zoo de Lisboa tem muito para ver, para além dos animais! Bancos, candeeiros, lagos, árvores, flores e a bicharada dão sempre ótimas fotografias... :))

    Quer dizer, os animais às vezes não, que nos viram costas! :D

    Beijokitas!

    ResponderEliminar
  18. Se te consola, MARIA, o livro de ontem não custa tanto! O do outro dia... não sei qual é, daí não te saber dizer o preço! :D

    Mas que os bancos são lindos, lá isso... :)

    Vá, e vai curar essa tosse, com um chazinho de limão, que esse por enquanto ainda sai baratinho! :))

    Beijocas ó constipadita!

    ResponderEliminar
  19. Sou suspeita, ROSA, que adoro o Zoo desde pequena! Mas que tem recantos encantadores, não é mentira nenhuma... :))

    Abraço!

    ResponderEliminar
  20. Passar, passear e sentar, RAINHA! Ou fotografar, está claro! :))

    ResponderEliminar
  21. Ao fim de uns anos, é natural que a pessoa não se lembre de alguns pormenores, como da beleza dos bancos do jardim, CATARINA! Em relação à tua mãe, o caso já é diferente, evidentemente. E infelizmente!

    ResponderEliminar
  22. Também eu, VIC! Mas facto é que não os olhava como olhei agora, com olhos de ver... :)

    Saudades é bom, mas também é preciso viver o presente! :D

    ResponderEliminar
  23. São mesmo, MARY! :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  24. O segredo das fotografias é tirar muitas, JU, que algumas hão de sair boas... :))

    Também gosto muito deste género de azulejos, tão tipicamente português. :D

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  25. Pois, percebo-te lindamente, NINA! E não é que tenha alguma coisa contra bancos a imitar inox, agora depende do local onde os colocam, não é? ;)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  26. Têm a grande vantagem de não se mexerem, TONS DE AZUL, estragando a pose e a fotografia... :))

    Mas também tenho várias fotos de bancos por toda a Lisboa, um dia ainda os coloco em post... :D

    Bom feriado!

    ResponderEliminar
  27. São lindos, mesmo, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA! E fazem sempre lembrar antigas casas senhoriais ou conventos ou das pessoas que ali viveram. Muitas histórias teriam para contar, se pudessem falar... :))

    ResponderEliminar
  28. Foi mesmo, LOPESCA! Aliás, no mês de junho fiz vários.. :))

    ResponderEliminar
  29. desde a primária que não vou ao Zoo de Lisboa. já lá passei à frente várias vezes mas com os olhos fitos noutros horizontes. Tenho que resolver essa injustiça.

    ResponderEliminar
  30. É, tens mesmo, MOYLITO! É outro passeio que vale sempre a pena... :)

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)