quinta-feira, 25 de agosto de 2011

FRASCOS E COMPANHIA...

Já aqui referi várias vezes a minha colecção de livros e que só quando os contabilizei é que percebi que era uma verdadeira coleccionadora: uns selos, uns cromos e uns bonecos de papel em miúda (esta última ainda guardo carinhosamente numa caixinha) e nunca mais julguei ter vocação para tal. Coisa que o vento levou com a infância...
Porém, certo dia, e já ufana de ser coleccionadora de livros, ponderei melhor sobre o assunto e descobri que afinal era uma coleccionadora nata - para além dos livros, existia a dos frascos de perfume (pelo menos um deles foi-me oferecido por uma amiga do liceu), muitos deles ainda cheios com o respectivo conteúdo, dado que sou esquisita com os aromas. Uso apenas 3 ou 4, os outros ficam no frasco, assim numa espécie de decoração da bancada da casa de banho. É até melhor que nem os use, porque com tantos anos em cima podem estar deteriorados! Evidentemente foram todos oferecidos, excepto os que vou gastando no dia a dia.
Mas as colecções não se ficam por aqui: lenços e écharpes ocupam uma gaveta inteira do armário; colares, brincos e restantes acessórios guardados em caixas e bolsas; a porta do frigorífico está pejada de imãs, especialmente com bonecada de animais; outra gaveta do escritório está repleta de marcadores de livros;  last but not least, canetas e lápis de todas as cores abundam pela casa, sem local definido, onde eventualmente possam ser úteis.
Como é que nos podemos enganar tanto sobre nós próprias?

34 comentários:

  1. Eu coleciono papéis. Tenho ficheiros cheiinhos de contas, extratos de contas, cartas circulares e sei lá que mais. Pensei triturar a maior parte deles, deixando apenas os importantes dos últimos 5 anos. Mas ainda não o fiz por falta de paciência.
    Estou com tendência para uma decoração minimalista. Tudo o que me oferecem, guardo. Muitas coisas nunca foram nem vão ser utilizadas. Este teu post fez-me recordar o que deverei fazer nos próximos dias. E acho que até vou começar amanhã. Também coleciono livros (e respetivos marcadores – ainda relativamente poucos) embora ultimamente vá à biblioteca e apenas compre aqueles que vale a pena possuir. Ah! E coleciono fotografias!! : ))))
    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Nunca consegui ter/fazer uma coleção. Cheguei a guardar frascos de perfume... mas aborreci-me e joguei fora. Ainda hoje, penso que gostaria de coleccionar algo. Mas acho que não tenho alma, nem paciência para isso. A não ser que ainda não tenha descoberto verdadeiramente o que colecionar... :)

    ResponderEliminar
  3. Também já fui de coleccionar, desde latas de cerveja a multas de estacionamento, coisas inúteis que após uns tempos a ocupar espaço a maior parte acabou no caixote do lixo, sem valor nem exposição. Outro dia encontrei na arrecadação uma caixa de sapatos cheia de canetas, algumas bem originais, daquelas de propaganda médica. Mesmo não havendo uma sequer que escrevesse voltei a guardá-las, sabe-se lá para quê!

    ResponderEliminar
  4. Diz-se que quem tem mais que uma peça da mesma "coisa" é sinal que já iniciou uma colecção.

    Se assim for eu tenho muitas colecções...de frascos de perfumes, de canetas e lápis, isqueiros, imãs, livros e marcadores, postais, blocos de notas e cadernos, bolsas e bolsinhas, bijouteria, bonequinhos de peluche, caixas e caixinhas de todos os tamanhos, sacos de papel(das lojas), alguns selos, calendários de bolso, conchas e pedrinhas, revistas de ponto cruz, textos e caricaturas que recortei de jornais e revistas, cartas que me escreveram...e acho que estoua esquecer-me de algumas =))

    Como diz o Paulofski, e porque também já coleccionei latas de cerveja ;) ,são uma infinidade de coisas inúteis que andam espalhadas pela casa em caixas, gavetas ou armários :n

    Algumas começei ainda em criança ;))

    Quando descobrimos alguém que sofre da mesma "doença" que nós, pode não ajudar à nossa "cura", mas conforta-nos saber que não somos os únicos :d

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
  5. Eu colecciono documentos em latim...

    ResponderEliminar
  6. Eu creio que é uma coisa que "passa" por todos. Colecccionar, propriamente, talvez não, mas "juntar" determinadas coisas, sim ! Quem poderá dizer que nunca o fez ?... mas com o tempo, a maior parte dessas coisas se vai ! :((

    ResponderEliminar
  7. ahahahahha, ontem, qd olhei para o chão da minha cozinha e depois para o da sala, suspirei e admiti: ok, Ana, és uma coleccionadora. Neste caso, de livros. Compulsiva. De tal maneira que já tenho a cozinha e a sala cobertas de caixas com livros á espera q eu os organize... livros de lazer, divulgação cientifica, enciclopédias, livros escolares, manuais, livros técnicos... não escapa nada. :D E já te contei que me meti a carregar dez quilos de livros, sozinha, desde a estação de correios até casa? e q hoje mal me mexo?... :D e q dou graças ao grande esparguete voador por ter encontrado um carrinho de compras abandonado pelo caminho? :D ok, já foi perto de casa, mas sempre pude empurrá-los até à porta do prédio... :D LOOOOOOOOOOOOOOOOOOL

    ResponderEliminar
  8. A culpa é da Wook!!!!!!! :D

    ResponderEliminar
  9. Olha!!! falando em livros, finalmente li As Mulheres do Meu Pai. As gripes servem pra alguma coisa :D nem q para pôr leituras em dia :D (já q, pela primeira vez na mi vita, tenho carradas de livros à minha espera p ler...). Adorei, adorei, adorei. Claro. :)

    Tb li Uma Casa na escuridão do Peixoto. Maradoooooo! Muito muito maradoooooo! mas muito bom, adorei, se bem q se soubesse q iria falar de guerra, teria deixado para outra altura. É q tinha acabado de ler o Pintor de Batalhas do Perez Reverte e este é muito cru e violento, fiquei impressionada e cheguei a sentir-me mal com a violência retratada. mas o livro é soberbo. E antes desse tinha estado a ler o Viriato. :D e por aí fora ahahahahaha. :D

    ResponderEliminar
  10. Estava aqui a ver a tua lista de livros; não queres deixá-los ali com link para os posts em q fazes a critica/sinopse?

    olha lá, pq é q ainda ninguém te chamou para critica de livros???? eu adoro as tuas criticas ihihihih..



    q achaste do Livro e do Cemitério de Pianos do Peixoto? e o Marina do zafon? :D

    ResponderEliminar
  11. Também coleccionei frascos de perfumes durante anos. Depois, ocupavam demasiado espaço e deixei-me desse prazer.
    Agora, já não colecciono nada para além de fotografias.

    ResponderEliminar
  12. Que pena que a minha família não leia este teu artigo, Teté, para ficarem a saber, que não sou eu a única colecionadora neste mundo. Penso mesmo, que é uma mania alemã de deitar tudo fora.

    ResponderEliminar
  13. Quando era miúdo, não sei se tinha tendências pirómanas ou vivia um bombeiro frustrado dentro de mim,mas coleccionava carteiras e caixas de fósforos. Não sei se se lembra daquelas colecções giríssimas que havia ( ainda guardo uma das figuras do circo) Depois, já fumador, deu-me para coleccionar cinzeiros ( ainda tenho umas dezenas no Porto e um do Charlie Brown aqui em casa)
    Mais tarde comecei a coleccionar esferográficas com publicidade ( continuo a não resistir a um bomexemplar, embora sejam cada vez mais difíceis de encontrar)
    Quando vivia no Oriente dei por mim a coleccionar relógios ( todos made in China e comprados na Tailânsia ao preço da uva mijona, mas iguaizinhos aos originais).
    Agora, apenas colecciono canetas ( uma colecção minúscula, mas todas oferecidas) e livros, claro. Há uns anos dei uma boa parte à Junta de Freguesia para fazerem uma biblioteca.
    Não sei se posso chamar aos CD e DVD colecção, mas tenho mais do que o bom senso impõe.
    desculpe a extensão do comentário Teté... mas olhe é uma colecção de letras :-)))

    ResponderEliminar
  14. Antes de me deitar, quero responder ao teu comentário:

    Foste tu a única que compreendeu o trocadilho:

    Arbeit macht frei (o trabalho liberta)

    Rudy Marchal, alias Bondy Boy, o autor da fotografia da cortina "Arbeit macht Frau", nasceu 1968 em França e é homossexual.

    "O LAR: O LUGAR DA MULHER" não é o título da exposição em Berlim. Só quis provocar e ler a vossa reacção.

    ResponderEliminar
  15. Papeladas também colecciono, CATARINA, mas essas não é por gosto, mas por ser obrigatório ficar com todos os papéis relativos a impostos e afins dos últimos 10 anos e respectivos comprovativos de pagamento... Como se vivessemos todos em palacetes! :P

    O acesso a bibliotecas aqui é relativamente limitado! Mas fotografias também tenho muitas, ultimamente nem as reproduzo em papel. Aliás, estou a pensar reproduzir algumas das melhores dos últimos 2 anos! :)

    Abraço!

    ResponderEliminar
  16. É, LUISA, também pensava não ter alma de coleccionadora, mas afinal... :))

    ResponderEliminar
  17. A minha irmã, que sempre foi uma coleccionadora nata, também fez colecção dessas latas, PAULOFSKI. Mas aquilo dava muito trabalho a limpar e no dia em que trocou de casa, para uma melhor mas mais pequena, que remédio teve senão mandá-las todas para o lixo! :D

    A maior parte das minhas canetas também são dessas beruchas, mas quando não escrevem vão para o lixo! :))

    ResponderEliminar
  18. Eheheh, MARIA, isso é que é alma de colecionadora! Mas, verdade se diga, não comecei nenhuma colecção em criança, tirando os tais bonecos de papel e selos, que ainda guardo. E os livros, claro, só que não sabia que iam virar colecção... :D

    Enfim, aqui o maridão diz que não gosto de deitar nada fora... e tem alguma razão! =))

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  19. Ah, essa colecção é muito intelectual para os meus parcos conhecimentos de latim, SISNANDO! ~xf

    ResponderEliminar
  20. Pois, é isso mesmo, RUI, vamos juntando até perceber que afinal temos uma colecção! :))

    E sim, por vezes temos de desistir delas! C'est la vie! ;)

    ResponderEliminar
  21. Carregar 10 quilos de livros, ANA?! Ui, a filha mais velha da minha mãe ficava uma semana de cama sem se conseguir mexer! ;))

    Mas não me fales da Wook, que a última que vez que lhes encomendei um livro fiquei 2 meses à espera e nada! Nem se dignaram a responder que tinham esgotado o stock ou assim, népias! Vale que era de lazer... ;)

    Já és a segunda pessoa que hoje me fala desse livro do Peixoto, no sentido de ser pesado. Mas tenho de ler, que fiquei fã dos que li! :D

    Quanto aos links dos livros que li, a ideia era essa, mas como boa naba informática que sou, não o consigo fazer! O "Cemitério de Pianos" li este mês (ainda está linkado) e gostei muito. O do Záfon li em Janeiro e achei um bocado miscelânea sem nexo!

    Beijocas e as melhoras para ti! :x

    ResponderEliminar
  22. Bem-vinda, NANI! Hummm... ou será que já nos conhecemos destas lides blogosféricas? :D

    É verdade que também colecciono fotografias, mas essa até me esqueci de referir, já que o motivo é o "para mais tarde recordar", conforme dizia a antiga campanha publicitária... :))

    ResponderEliminar
  23. É a sociedade de consumo que leva as pessoas a deitarem fora tanta coisa em bom estado, EMATEJOCA!

    Acredites ou não, uma antiga criada de uma tia-avó com quem mantivemos contacto durante largos anos, esteve uns anos emigrada em França. E todos os electrodomésticos que tinha em casa tinha encontrado no lixo - ou seja, avariavam e os franceses mandavam fora. Isto prái nos anos 70/80! Como o marido era técnico dessas coisas, arranjava e pronto! Sei que ao fim de alguns anos conseguiram voltar a Portugal e montar uma casa de comes e bebes! :)

    Quanto ao trocadilho era óbvio e o intuito provocatório também! Não adivinhava era que o teu fosse "espevitar" reacções... 8-/

    ResponderEliminar
  24. Eheheh, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA, a minha irmã também fez colecção de carteiras e caixas de fósforos, não me parece que tivesse nada a ver com instintos pirómanos! :D

    Canetas também guardo todas, de propaganda ou não, desde que escrevam! Cinzeiros é que nem por isso, têm a chatice de se partir com facilidade... ;)

    CD também são a predilecção do meu marido e LP de vinil ainda estão guardados em dois caixotes na despensa, sendo que meus são apenas meia dúzia de uns e outros. DVD é mais departamento do filhote, nós continuamos a preferir ir ao cinema! :)

    Gostei da colecção de letras!!! ;;)

    ResponderEliminar
  25. Pois, NANI, bem me parecia... :))

    ResponderEliminar
  26. eu tenho um problema em deitar coisas fora. sofro do mesmo problema mas relativamente a objectos diferentes, como está bom de ver :D

    ResponderEliminar
  27. Ui, teté, nunca tive esses problemas com a Wook! sempre me informaram de tudo, qd um artigo estava esgotado, etc, sempre devolveram o dinheiro direitinho... nunca tive qq problema!

    ResponderEliminar
  28. Ah, sim, esse livro do peixoto é mto pesado. Muito mesmo, porque descreve, embora metaforicamente e contudo crua e cruelmente, atrocidades de guerra. Usando muitas hipérboles, também. Mas é muito bom. Muito, muito marado tb.

    Eh paaaah, eu gostei do Marina :D totalmente gótico! :D

    ResponderEliminar
  29. Ah (LOL), agora estou a ler "A verdadeira invasão dos marcianos" de João Barreiros :D e antes estava a ler "Deuses à Solta" do Douglas Adams :D

    A gripe deu pra isto: devorar livros :D

    ResponderEliminar
  30. Imagino que sim, MOYLITO, que os itens "coleccionados" serão outros... =))

    Mas sim, normalmente só há extremistas: os que guardam tudo e os que deitam tudo fora! :D

    ResponderEliminar
  31. Bem, o dinheiro também devolveram, ANA, era o que mais faltava que não o fizessem! :-w

    Pois, gótico não faz muito a minha onda! Nem ficção científica! Quanto ao do Peixoto hei-de ler!

    Pois, nessas alturas de gripalhada não se pode fazer muito além de ler, não é? Mas importante é que recuperes dessa gripe, espero que estejas melhor! :)

    ResponderEliminar
  32. Xiii grande colecção :)

    ResponderEliminar
  33. "Improvisada", mas sim, acaba por ser grande, LOPESCA! :D

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)