sexta-feira, 1 de julho de 2011

IMPOSTO EXTRAORDINÁRIO?!?

Em Portugal há uma extraordinária capacidade de se aceitar o improviso, o que foi escrito em cima do joelho, discursos aparentemente sóbrios e pacatos que referem a impossibilidade de decidir de outra maneira, provisoriamente! Como se a memória se esvaísse de todo um povo, que devia saber de antemão que neste país tudo o que é provisório rapidamente se torna definitivo...
Para quem não se lembra, o Imposto Complementar também surgiu como medida provisória (salvo erro, quando Medina Carreira era Ministro das Finanças), que realmente desapareceu para dar lugar ao actual IRS. Mudam-se os nomes aos impostos, mas vem a dar no mesmo. Mais aprimorados até, com retenções na fonte (ou seja, no salário de cada um), que o boom da informática permitiu. Para evitar calotes!
A maior desfaçatez é a de afirmar que dois terços dos pensionistas não vão ser afectados! Traduzindo por "miúdos", todos os que não auferem pensões superiores ao ordenado mínimo nacional de 485 euros, certo? O que só por si é assustador...
Acabar com o Natal de tantas famílias portuguesas assim de uma "penada", no final de Junho, é capacidade única que reconheço ao novo galo no poleiro, inquilino de S. Bento!

FIQUEM BEM!
(que hoje não consigo escrever melhor, depois das contas feitas...)

29 comentários:

  1. Um verdadeiro assalto por esticão!

    ResponderEliminar
  2. não fales assim! tu sabes bem que o natal é sentimento, é confraternização, é estar junto da familia...
    estás com umas ideias tão materialistas da quadra!!! =))

    ResponderEliminar
  3. Eu bem disse que vamos acabar depenados. Ó menos que não percamos a cabeça! :((

    ResponderEliminar
  4. Como sabes, a obesidade é um problema complicadíssimo em Portugal.

    E depois, como é que era no Natal?

    O povinho gastava desproporcionalmente em porcarias que, se não fazem engordar, dão cabo dos dentinhos ou provocam o aumento do colesterol e coiso.

    Temos de combater estes maus hábitos...

    ;)

    ResponderEliminar
  5. Anónimo7/01/2011

    esta caixinha de comentários está desagradável - estou a tentar nem me lembrar do assunto

    Teresa Durães

    ResponderEliminar
  6. Meninos, deixem-se de brincadeiras (fartei-me de rir com os comentários) que o caso é sério: a Europa está de tanga, e não é só em Portugal que reina o descontentamento.

    Não interessa que galo está no poleiro, Teté, milagres só em Fátima e não em S. Bento.

    ResponderEliminar
  7. Ora... pois eu concordo contigo, Teresa.
    Não há milagres.
    Também me queixo...
    Com um único vencimento em casa, os subsídios davam ao menos para ir ao dentista, mas há bem pior do que todos os que aqui estão a queixar-se. Já reparaste, Teté, que nós temos dinheiro para ter pc e net? É porque o temos para comer, certo? Olhemos à nossa volta. Há quem precise desse dinheiro para ter um Natal condigno, como bem o dizes...mas não somos nós.(se bem me pareceu, também tu pensas mais nessas pobres pessoas...mas há quem só olhe para si. O que ouvi hoje na escola, por gente em final de escalão, que ganha pipas de massa, enojou-me.)

    beijinhos e bom fds

    ResponderEliminar
  8. Sabíamos que isto agora tinha que doer... fosse qual fosse a cor do chicote.

    ResponderEliminar
  9. A malta do gamanço em acção, TEONANIZI! :P

    ResponderEliminar
  10. Tenho a certeza que a ceia familiar não está em causa, no meu caso, VÍCIO! Infelizmente, não sei se será assim para todos... :(

    ResponderEliminar
  11. Pois, já se adivinhava, PAULOFSKI! Mas este sacrifício é maior até do que os exigidos pela troika... não estava no programa! :-w

    ResponderEliminar
  12. Tens razão, OOPS, devíamos todos desabituar-nos de comer, que aí acabava-se a obesidade... ou, para não sermos tão drásticos, assim umas folhinhas de alface, uma cenourinha ou um iogurte de vez em quando!

    É salutar que os nossos governantes se preocupem com isso, se calhar até foi tendo em vista esse excesso de açúcar e outras porcarias, que resolveram implementar a medida... ~xf

    ResponderEliminar
  13. E se o Coelho já esta a tomar estas medidas para o Natal, já podemos ponderar em pensar no que fará na pascoa... Lá se vão os "ovos" = subsidio de férias, quiçá...
    Enfim pena que estas medidas não afectem só quem votou nele, mas já muitos ganiram ontem... deve ser de dor na consciência eheheh.
    Beijos

    ResponderEliminar
  14. E adiante não te lembrares do assunto, TERESA DURÃES? É começar a ruminar na maneira de fazer face às despesas a que cada um se comprometeu, sem uma parcela da retribuição que nos era devida legalmente... ;)

    ResponderEliminar
  15. Garanto-te, EMATEJOCA, que não achei piada nenhuma à medida, nem sequer consigo rir dela! Este sacrifício é exagerado, nem sequer foi exigido pela troika! E, como sempre, são os mesmos a pagar... :P

    O descontentamento europeu é generalizado, em alguns casos até violento, mas se a meio do ano te dizem que vais manter as despesas e até aumentá-las, mas igualmente te cortam uma verba nas receitas, qualquer que seja o teu orçamento, óbvio que vais ter de matar o tutano para não entrares em 2012 com dívidas... :(

    Milagres, minha cara, nem em Fátima!

    ResponderEliminar
  16. Claro que não há milagres, NINA! E as medidas já tinham sido divulgadas, parcialmente. Esta estava fora do pacote!

    Cá em casa somos três, também com um único vencimento! Com o filhote a estudar na faculdade. Concordo que não estamos no fundo do poço, felizmente! Teremos a nossa ceia de Natal familiar, como sempre, sem faltar comida na mesa. Se tiver menos, paciência, isso não me preocupa. Imagino que a muitos preocupará e isso choca-me!

    Mas não sou tão altruísta assim, também me preocupa pagar as despesas "extra", não só de dentistas para três (ainda hoje lá fui, que parti mais um dente), mas de propinas, livros de estudo, condomínio, outros impostos (que consta que também vão aumentar) e sei lá que mais, quando o subsídio diminui! Porque, no fundo, os subsídios sempre serviram para equilibrar o nosso orçamento familiar! :[

    Enfim, desabafos!

    Beijocas e bom fim de semana para ti! :)

    ResponderEliminar
  17. Lá a cor do chicote não interessa nada, LUISA, e claro que sabíamos que ia doer! Mas esta era escusada, nem o FMI exigiu isto... :(

    ResponderEliminar
  18. Sabes que tinha pensado nem sequer falar de politiques até ao final do Verão, PSIMENTO? Para lhes dar tempo a fazer alguma coisa que se veja, dar-lhes o beneficio da dúvida... ;)

    Mas esta medida de chofre, tirou-me todas as dúvidas que eventualmente tivesse: imagino que vai ser mesmo por aí! Agora o do Natal, pró ano o de férias e o do Natal novamente, etc. e tal, para além dos aumentos de todos os outros impostos e de vários serviços essenciais (água, luz, gás, por exemplo)!

    E sim, era bem bom que só calhasse na rifa dos eleitores do Coelho, mas infelizmente a democracia não funciona assim: uma vez eleito, toca a todos! :[

    Mas óbvio que vai haver muita gente a ganir, à conta do seu ódio pelo Sócrates! Daqui a seis meses, já vão dizer que afinal não era assim tão mau... Queres apostar? ~xf

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  19. Não muito diferente do que se passa desse lado do oceano,"depenam" apenas a nós,pobres mortais e pagadores de (assombrosos!)impostos.
    Fica bem Teté,não se há muito o que fazer mesmo,rs.
    Beijooooooo!

    ResponderEliminar
  20. "depenam apenas" que esquisito! ahahahahahaha.
    E eu volto!

    ResponderEliminar
  21. Peço perdão pela minha ignorância e parcialidade na matéria mas nos últimos 16 anos os marotos só estiveram no poder 3 anos mal paridos... e segundo parece, não há que pagar pelos erros do futuro mas sim do passado...

    Luís Campos e Cunha, ex-ministro das Finanças de José Sócrates explica:

    http://sicnoticias.sapo.pt/pais/article690452.ece?tabPane=Comments

    (Alguém utilizou o arsénico, agora há que administrar a cicuta. Coisa esquisita em relação aos venenos...)

    ;)

    ResponderEliminar
  22. É verdade, parece que apesar de nos queixarmos (e com razão) não estamos nos 2/3 dos pensionistas que têm menos que o salário mínimo para viver. A senhora Merkl só reparou ainda nos feriados. Será que se os alemães ganhassem o que ganham os Portugueses seriam assim tão sobranceiros?

    ResponderEliminar
  23. O que chateia é isso mesmo, KÁTIA, banqueiros que tem lucros astronómicos e grandes empresários escapam miraculosamente de pagar estes impostos, toca de ir cobrar ao Zé Povinho, que já vive com dificuldades... :(

    Não há nada a fazer, mas o direito a indignar-nos ainda temos! ;)

    Beijocas e bons cheirinhos para ti!

    ResponderEliminar
  24. Obrigada, OOPS, gostava de ter visto teu link, mas não consegui! Quer dizer, vi o primeiro minuto em cinco minutos, e como eram 16 minutos ou coisa, com aquilo sempre a engasgar, desisti! ;)

    É verdade que esta "AD" só esteve lá cerca de 3 anos nos últimos anos, mas isso porque o primeiro ministro que o povo elegeu deu à soleca da sua responsabilidade de eleito e foi ganhar mundos e fundos para a Europa. Mesmo assim, foi nessa altura que o PP contratou a compra dos submarinos, que o Sócrates é que teve de pagar... Mas sim, concordo que cada um que vem, mais contribui para nos envenenar a vida... ;x

    ResponderEliminar
  25. Pois, CONSTANTINO, e se mesmo esses pensionistas se forem comparar a alguns miseráveis que vivem no 3º mundo, até concluem que há gente com mais dificuldades. Mas quer dizer, não é a falta de pão, água, luz, hospitais ou escolas alheias que lhes enche a barriga, não é? :(

    Os alemães, tal como todos os outros governantes europeus, só olham para o próprio umbigo, estão-se nas tintas para as dificuldades alheias e nem se importam de se aproveitar dessas fragilidades, para especular ainda mais! :P

    ResponderEliminar
  26. Legal, mas nem por isso menos custoso, LOPESCA! :P

    ResponderEliminar
  27. estes gajos nem repararam que ao anunciar que 1 milhão e tal mil pessoas não serão afectadas é, precisamente, admitir que que há 1 milhão e tal mil pessoas - pelo menos - na miséria. acho que desfaçatez é pouco, Teté, para mim esta cena toda anda na casa da filhadaputice (e penitencio-me pelo teor da linguagem).

    ResponderEliminar
  28. Mas é filhadaputice mesmo, ainda por cima quando o fulano para ser eleito disse que não ia aumentar os impostos, só eventualmente o IVA, MOYLE! Criar um novo imposto não é uma mentira chapada às promessas que fez? Temos pena, mas é! :[

    Eles topar topam, mas viram o discurso ao contrário, para parecer mais 'light' e os distraídos caírem na esparrela! :P

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)