terça-feira, 5 de julho de 2011

MUITO QUE PEDALAR...

Fotografia de Ian Britton

... têm as repartições de Finanças, para conseguirem um serviço minimamente eficaz e aceitável!
Há muitos anos que não precisava de lá ir e a última vez não deixou saudades: uma dívida irrisória com mais de 10 anos em cima, obrigou, salvo erro, a cinco deslocações, entre a repartição da área da minha residência e a de Chelas, onde decorria o processo de liquidação. Mas então porquê, se o montante era irrisório? Ah, esse não tive dificuldade em pagar, mas acontece que eles tinham de verificar se existiam outras dívidas - como se me achassem com cara de caloteira - e o sistema informático... estava em baixo!
Entretanto, a semana passada recebemos uma daquelas cartinhas das Finanças, de teor mais agradável que as habituais (desta vez sem montante a pagar!), a declarar oficiosamente a cessação da actividade (recibos verdes). OK! Mas com data a partir de 31/12/2010?! A que propósito, já que o último recibo foi passado mais de 7 anos antes?
Escusado será dizer, que a repartição estava a abarrotar: gente enfileirada ou encostada às paredes, dentro e fora do edifício, cadeiras de espera todas ocupadas, e o plim plim do quadro a decorrer lento. Mais uma vez, para pagar era relativamente rápido, mas o atendimento era a passo de caracol... A quantidade de contribuintes era acrescida pelo número de acompanhantes, pois muitos dos presentes já denotavam idade avançada nas suas cabeças brancas ou calvas - dificuldades de locomoção, essencialmente, ou uma certa distracção (nem todos reparavam quando eram chamados). Mesmo assim, uma das funcionárias ainda perguntou a um velhote de canadianas se não tinha Internet, ao que ele se riu, com um "isso já não é para mim!". Como, aliás, estava mais que na cara! Uma sexagenária perorava sobre o doloroso momento em que ela e as amigas tinham sabido da morte de Sá Carneiro, como tinham ido logo vestir luto, etc. e tal. 
Hora e meia depois, chegou a minha vez. Adivinham qual foi a resposta? (a. Volte amanhã; b. Estamos sem sistema informático; c. A culpa não é de ninguém; d. Ou todas elas?)

14 comentários:

  1. quer dizer então que eles estavam a jogar solitário com as cartas na mesa por não terem sistema informático?

    ResponderEliminar
  2. Fantástico!
    Valeram-te esses minutos em que pudeste observar o que se passava à volta.:)
    beijocas

    ResponderEliminar
  3. Aí bicla do Ian é bem porreira... e achas que é mesmo necessário adivinhar a resposta!? é a d, pronto :n

    ResponderEliminar
  4. eu voto pela d) e parabenizo-te pela fidelidade com que retrataste qualquer uma das repartições de finanças desta santa terrinha.

    ResponderEliminar
  5. Déjà-vu!!!

    Em Matosinhos para pagar àgua, luz e os impostos da nossa casita de praia.

    Esta tarde escrevi um comentário lá em baixo, mas a rede caíu, mas lá ver agora.

    ResponderEliminar
  6. O bom senso não é um conceito universal, nem de longe, nem de perto...

    ;)

    ResponderEliminar
  7. Não, VÍCIO! O jogo que eles estavam a jogar era assim: precisa de dados do computador para fazer o que veio cá fazer? Se sim, volte amanhã! Se não, a gente resolve. Devagarinho, mas resolve! :-o

    ResponderEliminar
  8. Fantástico não me parece assim tanto, NINA, garantida que está mais uma dose de observação! Mas fazer o quê? :[

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  9. Bem calculei que gostarias da bicla do Ian, PAULOFSKI! Mas o assunto já é chato, tem de se animar com qualquer coisinha! :)

    Certo!

    ResponderEliminar
  10. E votas muito bem, MOYLITO, embora na verdade a pergunta fosse mais retórica que outra coisa! :)

    Não conheço muitas, mas pelo menos esta e a de Chelas funcionam pela mesma bitola. Imagino que realmente não será muito diferente nas restantes! :s

    ResponderEliminar
  11. Não imaginava que para ti fosse 'déjà vu', EMATEJOCA! Basta uma vez, para nunca nos esquecermos da experiência... ;)

    Quanto ao comentário desaparecido, não sei de nada! :)

    ResponderEliminar
  12. Por acaso o bom senso parece estar um bocado arredado destes funcionários das Finanças, OOPS, porque no meu modesto entender deviam avisar as pessoas do que se passava, quem quisesse esperar que esperasse... ;)

    E sim, tinham lá uns papéis a avisar que tinham alguns problemas informáticos, daí o serviço estar mais DEMORADO! Não que nem sequer tinham sistema informático a funcionar! :-o

    ResponderEliminar
  13. Parece-me que enquanto este país continuar a funcionar desta forma não chegaremos longe... Se este tipo de problemas só acontecessem nas Finanças, até se pode dizer que estávamos nós bem. Enfim... Há que rir com as situações para não desanimar.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  14. Tens razão, KARENB, se fosse só nas Finanças, que assim como assim é prái uma vez (enfim, fora as bisadelas por cada problema) de sete em sete anos, ou coisa, nem nos podíamos queixar muito. Quer dizer, fora estes velhotes sem net, claro!

    Mas como não é (até por compras via PC damos com este sacudir de água do capote, quando algo não decorre pelo melhor) e a culpa é sempre dos outros ou do sistema informático, há dias em que realmente nos apetece pegar numa marreta e desatar aí à marretada! Enfim, se resolvesse, mas antes pelo contrário, só acarreta mais problemas... ;)

    E pronto, resta-nos desabafar! :[

    Beijocas!

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)