domingo, 26 de junho de 2011

QUANDO A ÚNICA PONTE...

... que se vê por perto é esta, mesmo simpática e a dar um tom bucólico à cidade, ainda por cima com o calor a apertar, a inspiração esvoaça, sabe-se lá para onde...
Mas, no reverso da medalha, tive oportunidade de passar por aqui:
Uma sardinhada no meu antigo liceu D. Pedro V, onde a alegria e a boa disposição não faltaram. E quem é que encontrei? Para além dos amigos destas andanças, aquela minha colega que consolei por SÓ ter tido um 17 ou 18 num ponto (assim se apelidavam, na época), enquanto outra conseguira uma nota de 18 ou 19 (que também lá estava, que as duas seguiram a camaradagem e a "compita" até acabarem a universidade, segundo me informaram e, pelos vistos, pela vida fora), em que a tonta aqui tinha tirado um 4 ou coisa do género (na escala de 0 a 20, equivale a mau), mas como não suportava lágrimas e desgostos, lá estava a consolar a "marrona".  Engraçado, é que assim que ela revelou o primeiro nome reconhecia-a imediatamente, mas ela não fazia a mínima ideia de quem eu era. Pudera! A minha competição era no recreio, não nas aulas... Ou seja, tem pior memória do que eu, ahahah!
Mas todas as amenas cavaqueiras souberam muito bem. Adoro estes convívios dos "velhos tempos" aliados aos actuais. E as sardinhas estavam convenientemente grelhadinhas nas brasas...


CARPE DIEM!

12 comentários:

  1. Adoro estas reuniões, principalmente as primeiras, se passados muitos anos !
    Nas mulheres, há mais os “disfarces” das gorduras e dos cabelos mais brancos, mas nos homens, além disso ainda são as carecas e as barbas ! :))
    Alguns absolutamente irreconhecíveis ! rsrs Curioso que sou um privilegiado. Dizem que estou sempre na mesma ! (?) rsrs ... quanta “gentileza” a dos meus colegas !
    Muito mais triste, quando vêm à baila os já desaparecidos !...

    ResponderEliminar
  2. ainda não comi sardinhas este ano :(

    ResponderEliminar
  3. É engraçado como há um par de anitos que não vejo ninguém do liceu, por cá.
    No Porto já encontrei alguns.

    Uma gde beijoca e Carpe Diem...sempre!

    ResponderEliminar
  4. Por acaso são muito giros estes encontros de malta "antiga". Mais ainda quando nos lembramos de coisas que ninguém mais se lembra (ou vice versa) e começamos ou alguém começa a desfiar as memórias- É um fartar de rir. Quanto às sardinhadas foi o meu hobby de fim de semana :)

    ResponderEliminar
  5. Para ser sincera, tenho adorado todos estes convívios, RUI. Ninguém está igual, obviamente, nem física nem mentalmente, ainda por cima quando naquele tempo a rapaziada usava e abusava de grandes cabeleiras e barbas "revolucionárias", eheheh! Carecas, com óculos e uns 30 quilos mais gordos, os homens estão, na prática, mais irreconhecíveis... :))

    Elas disfarçam mais, embora mais gordinhas também, mas mantêm o cabelo, pintado ou não, não têm os disfarces barbudos, de modo que são mais fáceis de identificar. Neste em que esteve menos gente, devido à ponte e tal, até as conversas fluíram mais próximas. :D

    ResponderEliminar
  6. Epá, MOYLITO, vê lá se te apressas, porque senão entras na era dos congelados... (suponho que estas também eram, ou semi, mas também não teve importância nenhuma para o caso) :-L

    ResponderEliminar
  7. É engraçado que o primeiro convívio onde fui, 10 anos depois de acabar o liceu, só com colegas dos últimos anos, não correu lá grande coisa, NINA. A organizadora telefonou para quase todos os números que conhecia, obteve outros, mas ficou (e com razão) um bocado "atrofiada" com as respostas: "não me lembro de ti!"; "já passaram tantos anos..."; etc. e tal. :N

    Claro que não voltou a organizar nenhum! Mas estes têm acontecido por as pessoas se encontrarem via FB, só de um grupo restrito, ou já da malta que se mexe, instiga o actual director, incentiva o pessoal. 33 ou 34 anos depois, mas só vai quem tem prazer nestes encontros, né? :D

    Beijoca e Carpe Diem sempre, evidentemente! :)

    ResponderEliminar
  8. Eheheh, obviamente que não comentei com a "marrona" esse consolo que lhe dei um dia, CONSTANTINO, mas ainda me fartei de rir com outra antiga colega (aluna melhor que eu naquele ano, mas longe das notas geniais da outra), porque ela lhe perguntou se tinha tirado um curso superior, como se duvidasse que alguma vez sairíamos do "marasmo" da pré-adolescência. E como tive a crueza de dizer que naquele ano tinha chumbado, ela a mim nem perguntou nada... =))

    Ninguém lhe tira a vantagem de ter amadurecido mais cedo, de ter sido excelente aluna e tal, de todo esse mérito! Mas também não fiz questão de lhe dizer que cursos tirei, nem de lhe perguntar onde trabalha. Espero que esteja bem, só isso! Mas que foi uma risota pegada, lá isso foi! :))

    Sardinhadas combinam bem com qualquer convívio! :D

    ResponderEliminar
  9. Sardinhas?
    Nem que me pagasses para as comer, Teté!

    ResponderEliminar
  10. E eu ia lá pagar para isso, SISNANDO? Não gostas, mais ficam... :))

    ResponderEliminar
  11. É sempre bom rever colegas do tempo da escola e relembrar as travessuras de outrora!Gostava de participar de um evento assim,porém nunca soube de terem organizado algo.Mais fácil,o pessoal da faculdade o fazer.Quanto as sardinhas,eu adoro e de todo jeito!Coisas de minha avó que preparava umas assadas envolta na folha da bananeira com recheio de mel,com alho e pimentas,huuuummm,delícia!Já a Carole King é enlevo...fiquei tempos bons escutando e escutando essa canção.

    ResponderEliminar
  12. Com a malta da Faculdade, quem não iria era eu, KÁTIA, que até já houve e não participei. Tirando meia dúzia de excepções, eram todos uma cambada de emproados... Mas estes não, foram mesmo companheiros de brincadeiras! :))

    Também gosto muito de Carole King! :D

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)