quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

A MÁ-LÍNGUA CHEGA ÀS RUAS?!

Um grupo de "amigos e admiradores" de Carlos Castro vai propor à CML que seja dado o seu nome a uma rua de Lisboa, segundo o semanário "Sol". Ahn, como é que é?! Então ainda recentemente a CMP rejeitou a inclusão de José Saramago na toponímia do Porto - muito controverso e discutível, porque afinal de contas foi o único português laureado com o Nobel da Literatura - e na capital querem impingir-nos Carlos Castro?
Nem contesto que os amigos tenham ficado chocados com o seu homicídio - isso é óbvio e evidente! Mas, quer dizer, deviam ter o mínimo discernimento para perceber que não fez nada de tão memorável em vida que o destacasse dos demais cidadãos. Nem jornalista era, nas suas crónicas em revistas cor de rosa exagerava nas insinuações de "se eu dissesse o que eu sei" ou do "cala-te boca", muitas vezes sem sequer ter a frontalidade de indicar o nome das personagens alvo desses boatos, má-língua ou ódios de estimação. Circulava em meios da moda, televisivos e alguns culturais, entre amigalhaços daquele jet-setzinho tuga que se farta de papar croquetes em múltiplos eventos, onde a sua presença era bem vista, pois era sinal que na sua coluna iria traçar rasgados elogios ao acontecimento. Feiras de vaidades, onde as trocas de "favores" são uma constante. Nem consta que tivesse mais admiradores, para além desses. Claro que nem por isso, e  muito menos por ser assumidamente gay, merecia ser assassinado - ninguém merece!  
Agora nome de rua... tenham dó!!!

20 comentários:

  1. Moral da história: não é preciso ter tomates para ter o nome numa rua.

    ResponderEliminar
  2. Antes dava-se o nome de ruas a pessoas que faziam coisas importantes, agora a única coisa importante é sair na televisão.

    ResponderEliminar
  3. Nem tomates, nem coisíssima nenhuma, RAFEIRITO, para lá de uns amigalhaços... :P

    ResponderEliminar
  4. Pelo andar da carruagem, SUN, já estou a visionar a rua da Maya, da Lili Caneças, do Zé Maria e de outros que tais, sem que se saiba bem se fizeram alguma coisa de útil na vida, para além de aparecerem na televisão... :g

    ResponderEliminar
  5. Eles que metam o nome dele onde eu cá sei......na porta da casa deles.
    Gente ignorante neste país é o que não falta.
    Para onde caminha este povo??????

    Beijokitas Tété

    ResponderEliminar
  6. eu sei que às vezes sou um bocado assim, mas também não queria ser "aquele" tipo que é um chato de primeira e que aborrece e tal... lê bem o teu post. eu sei que o escreveste, mas lê agora de novo. ... já está? ok, boa onda. Não achas que, no país que temos, nos dias que correm, fizeste a descrição de quem mais merece o nome numa rua? quer dizer, ia ser o Saramago, um gajo que escrevia livros a ser toponomizado e não um gajo que era má-língua e escrevia boatos. às vezes Teté, só às vezes, eu acho que vives no estrangeiro e fazes de conta que vives por cá :e

    ResponderEliminar
  7. Já tinha lido esta anedota no CR do Carlos!!!

    Estou de fugida, porque tenho que acabar de ler esta noite "Liverpool Street".

    Volto amanhã!

    ResponderEliminar
  8. Há dias escrevi sobre isso lá no CR. Perfeitamente lamentável, mas também elucidativo sobre certas pessoas que lançaram a iniciativa. La Feria? BRrrrrrrr!!!!!

    ResponderEliminar
  9. Por mim até podem encher a casa deles com o nome ou posters do homem, PARISIENSE, mas uma rua de Lisboa (ou doutra grande cidade qualquer) com o nome dele? Esta malta está maluca, é o que é! ~xc

    Beijokitas!

    ResponderEliminar
  10. Já me desiludi muitas vezes na vida, MOYLITO, com esta mania que quase todo o mundo é minimamente sensato! Mas acho que vai morrer comigo, porque por mais que me desiluda, a esperança que um dia seja assim ainda não morreu... :e

    E vale que pelo menos em Lisboa só podem ter nome de rua depois de morrerem, senão ainda andavam todos em vida à estalada, para ver quem puxava melhor os cordelinhos: praça Lili Caneças, rotunda Zé Maria, avenida Luciana Abreu...? Não te causa arrepios? ;x

    ResponderEliminar
  11. Bem sabia que já tinha lido isto em qualquer lado, EMATEJOCA, mas como nunca mais tinha ouvido falar, pensei que fosse um devaneio momentâneo (não do Carlos, obviamente, mas dos tais amigalhaços, chocados ainda com a morte do homem). Só ontem quando li no jornal on line é que tomei consciência que estavam a falar a sério! Mas esta gente anda toda doida???

    Já tinha estranhado a tua ausência, mas se é devida a um livro, que ele seja bom! :D

    ResponderEliminar
  12. Como disse à Teresa, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA, sabia que já tinha lido em algum lado (sorry, não me lembrava ao certo onde), mas pensei que ainda fosse resultado do choque dos amigos. Ontem começou a circular uma página no FB contra esta proposta e verifiquei com espanto que os amigalhaços estão a tentar seguir com a ideia em frente: La Féria, João Baião, Victor de Sousa, Eládio Clímaco e mais uns quantos que não me lembro o nome. Será que estão todos doidos?! :-o

    ResponderEliminar
  13. um bocadinho Teté, só um bocadinho...

    ResponderEliminar
  14. Nem um beco sem saída quanto mais uma rua. Esta gente não se enxerga!

    ResponderEliminar
  15. Mas só um bocadinho de sensatez também chegava, MOYLITO! :D

    ResponderEliminar
  16. Não se enxerga mesmo, PAULOFSKI!

    Um cronista do Expresso (que li no FB, não no jornal, e por isso vale o que vale) até sugeriu, em tom de brincadeira, que a ser fosse de rampa, por ter servido de rampa de lançamento para todos os pára-quedistas sociais... :))

    ResponderEliminar
  17. Minha nossa este país está mesmo mal! Então agora qualquer pessoa pode ter o nome numa rua? Mas esse senhor fez alguma coisa que mereça ser reconhecida e lembrada? Ai, ai, ai onde andam os valores das pessoas... Basta ser conhecido na rua para depois de morto se lembrarem de propor ideias destas sem pés nem cabeça!

    ResponderEliminar
  18. Conhecido por escrever uns boatos e intrigas sobre o jetsetzinho tuga e mainada, TONS DE AZUL! E só no ano passado foram assassinadas 40 mulheres pelos seus "machos latinos", será que também mereciam dar o nome a uma rua, como vítimas? Enfim, o que não falta por aí é gente tola... ;x

    ResponderEliminar
  19. Teresa
    Esta é daquelas que até a mim me espanta! Mas, a ir para a frente, acho que devíamos lançar uma iniciativa paralela, para dar nomes de ruas a essas mulheres assassinadas por situações de violência doméstica.
    Bjs

    ResponderEliminar
  20. Oh, TERESA, era preferível que se fizesse qualquer coisa de eficaz contra a violência doméstica, do que andar a pôr o nome das vítimas nas ruas... embora suponha que uma rua a lembrar todas essas mulheres, não fosse mal pensado!

    Também é verdade que estas ideias dos amigalhaços do CC espantam quase todos! :-/

    Beijocas!

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)