terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

É APENAS FUMAÇA!

Por acaso, não era! Alguém já levou com gás lacrimogéneo por perto?! Não queiram, que aquilo dá para lágrimas, baba e ranho à fartazana, com tosse à mistura!!! Nesse dia, eu estava lá! Como militante partidária, vergonha que carrego até hoje! Só com a desculpa de ser tão jovem e idealista.

Tantos anos volvidos, já me deixei de militâncias há muito! Voto sempre (com três excepções no cardápio, por razões diversas), desde que o pude fazer, conforme a consciência me dita na altura. Mas a política e os políticos portugueses desiludiram-me bastante, curvados ao poder económico, sem coragem de o afrontar quanto toca a grandes enriquecimentos, mas com a palavra crise sempre na boca para justificar os baixos salários dos trabalhadores por conta de outrem ou os impostos excessivos que pagam. Cambada de hipócritas!

Assim, a canção que escolhi para homenagear Zeca Afonso - sugerida pelo Rui do blog "Coisas da Fonte", na sequência do 23º aniversário da sua morte (OK, aqui a homenagem é para a sua vida, música e valores!) - mantém-se actual:



(e se os vampiros estão na moda: há livrarias que já dedicam espaço exclusivo à temática!!!)


Fotografia daqui.

23 comentários:

  1. Era muito mais em tempo de ditadura, EMATEJOCA! A democracia tem destas idiossincrasias, mas é um "mal menor"... :)

    ResponderEliminar
  2. Obrigado, Teté.
    Ele merece. Quanto à multidão, eu não estava lá, mas estava a acompanhar pela TV.
    Tempos complicados aqueles, mas hoje não será muito melhor, por outras razões.
    .

    ResponderEliminar
  3. Podias ter colocado o Belmiro de Azevedo a cantar o fado, Teté.

    ResponderEliminar
  4. bons velhos tempos :)

    ResponderEliminar
  5. Resta saber em que quadrante te encontravas na altura. Ali havia gente desde a extrema-esquerda, centro e direita. Excepto os cunhalistas do PC.
    Era um tempo de idealismos e não é vergonha nenhuma. Naquela altura todos éramos partidários de qualquer coisa.

    ResponderEliminar
  6. Desculpa, utilizei no meu post outra conta.

    ResponderEliminar
  7. Homenagem merecida a um cantor e Homem superior.
    Isto isento de qualquer cariz partidário, porque se há algo com que actualmente embirro é com política, com políticos e especialmmente com poliyiquices.
    Beijinhos
    Licas

    ResponderEliminar
  8. Eles comem tudo , eles comem tudo e não deixam nada, foi o que me pareceu perceber , e, tinha razão, passados tantos anos continuam a querer só para eles e o povo cada vez mais à mingua!
    Gosto do zeca, muito, beijinho a ti, laura

    ResponderEliminar
  9. Não entendo essa paixão pelos vampiros, na verdade. Como se não houvesse chupistas bastantes no mundo real a nos tirarem o sangue. X)

    ResponderEliminar
  10. Livrarias! E salas de cinema.
    Detesto vampiros. Adoro o Zeca!
    Beijinho Tété

    ResponderEliminar
  11. Sempre actual :)

    infelizmente

    ResponderEliminar
  12. O Zeca merece sempre todas as homenagens, RUI! :D
    As razões são outras e as desilusões talvez sejam maiores, que a ingenuidade "foice"! :p

    Lamento, REIZÃO, mas não sou apreciadora dos fados do Belmiro! :-t

    São velhos tempos, sim, MOYLITO, não tenhas tanta certeza de serem bons! Estávamos todos iludidos, convictos que aqueles governantes fariam o melhor possível pelo futuro do País... ~xf

    ResponderEliminar
  13. Já percebi que também és admirador do Zeca, PAULOFSKI! :))

    Ná, CARLOS, não havia lá extrema-esquerda: PS, PPD, CDS e PPM! Mas hoje em dia sou mais esquerdista (se assim se pode dizer), depois de ver como ao longo dos anos estes partidos (e respectivos 'leaders'!) têm governado o país, mais em proveito próprio e da sua pandilha do que dos cidadãos! :]
    Não te preocupes, sei com quantos is se escreve Carlos! :D

    Sim, LICAS, o Zeca foi um grande cantor e compositor e, politicamente, um homem que acreditava nos valores que defendia. E isso poucos podem afirmar, concordando-se ou não com os seus ideais... :)
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  14. E percebeste muito bem, LAURINHA! Quem não gosta do Zeca?! ;) Beijinhos, nina!

    A paixão pelos vampiros é coisa que também acho inconcebível, SUN. Não aqui na música, que o sentido é figurado, mas mesmo nos livros, séries, filmes que têm saído sobre a temática, cada vez mais desenxabida e enjoativa! Modas... ~xo

    ResponderEliminar
  15. Somos dois a detestar vampiros e a adorar o Zeca, KIM! :))
    Beijinho!

    É, infelizmente a música continua actual, LOPESCA! ;)

    ResponderEliminar
  16. Detesto vampiros e tudo o que é filmes desse género.
    Quanto ao Zeca a mim não me diz nada, por isso não tenho especial apreço pelo Senhor.

    Quanta a manifestação nunca fui a nenhuma porque sempre achei que na maioria das vezes as pessoas são manipuladas e não estão lá porque defendam verdadeiramente aquilo pelo qual estão ali a manifestar.
    Até no liceu sempre achei que era mais esperteza de uns na manipulação de outros.

    Beijokitas

    ResponderEliminar
  17. Por mim metiamos os politicos no mesmo saco que os ciganos e mandavamos todos para o fundo do mar.
    Lá bem fundinho.
    Onde não chega a luz do sol.
    Nem outra qualquer...

    ResponderEliminar
  18. mas eu estava a pensar nas tartarugas, dada a ainda controlável proeminência abdominal soarista :)

    ResponderEliminar
  19. Somos duas, PARISIENSE, no que toca a vampiros!
    Não tinha essa percepção no liceu, agora tenho!
    Só quanto ao Zeca entramos em discordância... :))
    Beijoquitas!

    Epá, que espírito 'mafiosi', FAUSTO! Só faltava atares uns pedregulhos de cimento nos pés de todos... =))

    Ah, bom, MOYLITO, aí nessas tartarugas e respectivo "equipamento" ~v nunca me senti enganada!!! ~xf

    ResponderEliminar
  20. Militante partidária é coisa que nunca fui. Mas fui militante de ideais e sonhos, felizmente e não me envergonho nem um bocadinho.
    Sonhos e ideais têm de nos acompanhar pela vida fora ou então nada vale a pena, digo eu.

    ResponderEliminar
  21. Pois é, MARTA, fui militante partidária e de ideais e de sonhos (destes últimos também não estou nada arrependida)! Mas aos 16 anos temos de aprender a dar as nossas cabeçadas (digo, eu!), valeu-me a lição para a vida... :))

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)