quinta-feira, 11 de outubro de 2007

NOBEL DA LITERATURA 2007

A Academia sueca anunciou hoje que o Prémio Nobel da Literatura 2007 foi atribuído à escritora inglesa Doris Lessing.

Nascida na Pérsia (actual Irão) a 22 de Outubro de 1919, com o nome de Doris May Tayler, viria a publicar o seu primeiro livro em 1949 – “A Erva que Canta”: “uma denúncia zangada da hipocrisia do poder colonial, com o qual Lessing se familiarizou durante a juventude dela na África do Sul – e uma análise da mentalidade colonial que ela provoca quer no colonizador quer no colonizado.” (In “1001 Livros para Ler Antes de Morrer”)

Activista feminista, a escritora é a 11ª mulher a ser agraciada com este prémio, que já homenageou outros 103 escritores. O Nobel não foi concedido em alguns dos anos da I e II Guerra Mundial.

Fiquei curiosa: é mais uma a acrescentar à lista de autores a ler num futuro próximo!

37 comentários:

  1. Nem conhecia esta autora... talvez uma boa opção para ler brevemente e a ficar a conhecer.

    ResponderEliminar
  2. Não conheço nem livro nem autora...nem sabia que já tinha sido anunciado o Nobel. As notícias mais mediáticas são de outro género! Tal é a filtragem...ou a minha ausência de espectadora assídua de tv!
    Mas fica como referência para conhecer...sempre é um Nobel. Somente 11 mulheres receberam o Nobel, entre 103 "agraciados"!?! Pois...pois...

    Beijos grandes.

    ResponderEliminar
  3. É para mim uma ilustre desconhecida, tenho que reconhecer! Mas ainda bem, pois desta forma irei com certeza vasculhar a sua obra.

    Fnac...here i go!

    Aquele abraço infernal!

    ResponderEliminar
  4. Pois, é uma opção sim, Psycho-mind!
    Mas olha que ela é feminista... não sei se fará muito o teu género.

    O Nobel foi noticiado hoje de manhã, Su. Quanto aos prémios atribuídos, com ela são 104 e desses apenas 11 são mulheres!!! Entre essas, só li um livro da Selma Lagerlof (1906) e vários da Pearl S. Buck (1938). Tirando a austríaca de 2004, todos os outros nomes me são desconhecidos...

    Então, Belzebu, boa viagem até à Fnac! E sim, tenho a vaga ideia que o prémio também serve para dar a conhecer ao mundo autores que doutro modo passariam despercebidos a muita gente...

    ResponderEliminar
  5. Desconheço a obra da senhora e não admira: é raríssimo dedicar-me à leitura de literatura que não a nacional...

    ResponderEliminar
  6. Em que lugar ficou a Margarida Rebelo Pinto?

    ResponderEliminar
  7. Desde que Saramago ganou o prémio Nobel, deixei de comprar cegamente os livros que ganha esse prémio... é pá, comecei a questionar em que é que eles se baseiam, pois não é pelo respeito à língua e/ou gramática.

    ResponderEliminar
  8. Já estive a ler sobre a notíia do Nobel.Saramago comentou-o como mais que merecido!
    E como a escritora recebeu a notícia: "Doris Lessing, que completa 88 anos no próximo dia 22, foi hoje surpreendida pelos jornalistas, quando regressava a casa das compras, com a notícia de que ganhara o Nobel."
    Só a mim é que não sai nada quando vou às compras!!

    ResponderEliminar
  9. Olááááááá, voltei...tou aquiiiiiii...

    Esta senhora tem uma linda idade, e prova que em qualquer idade se pode vencer.. Força e garra.
    Quando cheguei à áfrica do sul, ainda existia o aparteide e nem te digo, mas, ainda bem que já acabou, mas claro só melhorou para alguns que para o povo, esse será sempre oprimido pela pobreza e más condições...
    Obrigada pelos teus miminhos,,adoro a ti moça linda...

    ResponderEliminar
  10. Capitão, enfim, já se sabe que não dá para ler tudo, mas nem só tudo o que é "nacional é bom". Hummm, vou ali comer uma bolachinha!

    Pelintra, essa gaija é tãaaao gira! Xi, acho que tenho de ir ali vomitar uma bolachinha...

    Crestfallen, foi o ensaio que te cegou? Sabes lá se em sueco eles puseram lá as virgulazinhas todas no sítio? Quer dizer, já não era uma tradução, era mais uma adaptação, eh, eh, eh!

    ResponderEliminar
  11. Oh Su, ainda me fartei de rir com essa de "só a mim não sai nada quando vou às compras!" Quer dizer, nem um descontozinho numa garrafa de azeite? É mesmo um ganda galo!

    Mas a sério que fiquei curiosa, que a mulher tem uma data de características que aprecio: além de feminista, anti-racista, anti-ditaduras, anti-colonialismo, ainda é defensora dos animais...

    Ah, e o livro (1001 Livros...) diz sobre a experiência de vida dela na África do Sul, mas ela viveu foi na antiga Rodésia (actual Zimbabwe), portanto deve ser tradução mal feita, queriam referir o sul de África... Acho?!

    ResponderEliminar
  12. Laurinha, que bom estares de volta!
    Os computadores são muito bons, mas quando deixam de funcionar... só dão arrelias!

    Esta "moçoila" deve ter sido fresca, na sua época! Mas suponho que ela não viveu mesmo ma África do Sul, mas sim na antiga Rodésia. Não quis foi alterar o que o livro dizia... que como já disse, deve ser uma tradução mal feita, queriam dizer sul de África... Faz fronteira, de qualquer maneira!

    Continuação de boas lides blogosféricas!

    ResponderEliminar
  13. Eu adorava Saramago até que dei no da cegueira e agora já não supero a crise. De Doris Lessing não li nada mas conhecia. Não se pode ler tudo neste mundo, e ainda temos de deixar para ai um oco livre para experimentar a vida na pele. Não dão os dias...

    ResponderEliminar
  14. Também fiquei curiosa, quando ontem ouvi a notícia!

    Pensei ser a minha proposta a apresentar no dia 17/11.

    Bjs

    ResponderEliminar
  15. Mais um prémio nobel, cujo o nome nunca tinha ouvido falar!!

    ResponderEliminar
  16. nunca tinha ouvido falar na erva que canta mas conheço a erva que faz cantar!

    ResponderEliminar
  17. LOLOLOL! não consegui deixar de ficar com o a erva que faz cantar na cabeça...LOLOLOLOL!!!

    Mais uma alma (pelos vistos triste!) que nunca tinha ouvido falar na vivida Sra! Mas, fica a ideia! Boa Tete, serviço público, é o que é!

    Dos Nobels literários (que coincidencia, os tremoços tb cantaram sobre nobels hoje) conheço a pearl s buck, que lia em jovenzita e adorava, o gabriel garcia marquez por quem tem um carinho especial, o saramago, por quem nutro um fiel ódio de estimação, o orhan pamuk (ou lá como se escreve!),cuj cidadela branca ainda não tive pachorra para ler...

    De momento leio "As palavras sensuais da nossa ausência", de Joaquim Manuel Pinto Serra, do qual também já li Os Novíssimos Afectos e alguma poesia. Um romance de ficção científica no qual muitos se irão rever...

    ResponderEliminar
  18. Ah, tete, pois tou a gostar dessa velhotita querida e forte! Só não vou muito à bola com as cenas feministas, que sempre considerei um machismo no feminino...

    ResponderEliminar
  19. mais uma curiosa.

    Nem sabia que existia! andemos a dormir!

    bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  20. BOm fds e até segunda!!!!! se na formação não me chagarem...

    ResponderEliminar
  21. Também tenho tido alguns problemas com a internet...não sei se será do servidor ou (des)servidor que não anda a fazer o seu serviço, como o nome indica! Bad joke!
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  22. Sun, és a 2ª pessoa que me diz que pelo menos conhecia de nome. Mas tens razão: ler, ir ao cinema, ver TV, blogar é bom, mas também há que ter um pouco de tempo livre para conviver, namorar e amar a vida, de um modo geral!

    Querida Aninhas, a Cat também falou nisso, não precisamente para a próxima sessão, mas para uma das futuras...

    Tons de azul, pois, como já disse à Sun, ela é a 2ª pessoa que diz conhecer a escritora de nome, todos os restantes ninguém conhecia. O mais engraçado, sem ter graça, é que a única pessoa que conheço que já leu alguns livros dela, supunha que a mulher já tinha morrido...

    ResponderEliminar
  23. Idem! Não conheço,mas vou tentar ler.
    Beijos e bom fds.

    ResponderEliminar
  24. Vício, a erva que faz cantar??? Ah, ah, ah!

    Vanadis, por acaso já vi que os tremoços também falam do Nobel da Paz, mas não é o único... Quanto aos escritores já li vários, Gabo, Sartre, Steinbeck, Pasternak, Solzhnitsyn, etc. No caso, só estava a falar das "meninas"! Quanto ao feminismo, fazia sentido nos anos 60, quando as mulheres ainda estavam muito longe de um estatuto mais ou menos equiparado ao "sexo forte". E suponho que foi mais nessa altura que ela teve um papel mais activo como feminista.

    Inês, tu e pelos vistos meio mundo, mesmo de pessoal que gosta de ler...

    ResponderEliminar
  25. Pois é Su, isto aqui anda meio marado também, duas em cada três vezes que pretendo ver uma página na net ou um blog, não tenho acesso... O meu inclusivé! À conta disso até perdi um texto. Mas paciência! Jinhos, nina!

    ResponderEliminar
  26. JINHOS E BOM FIM-DE-SEMANA PARA TODOS!

    ResponderEliminar
  27. Xi, Gatinha, perdi-te no meio dos meus próprios comentários, eh, eh, eh!

    Mas pronto, como vês, quase ninguém conhece, o que não significa que seja mau. Na volta não teve muita publicidade cá na terra...

    ResponderEliminar
  28. Teté e Leitores,
    gosto muito de cá vir, nunca tinha comentado, no entanto.
    Gosto do que escreves, dos assuntos, dos pontos de vista.

    COnvite:

    Novos gatos, outros assuntos, novo formato, maior qualidade. Visitem:

    http://sevenblackcats.blogspot.com

    Sejam bem-vindos

    ResponderEliminar
  29. Parece-me bem mais merecido que o prémio atribuido ao Al Gore... como é que se deixam enganar assim? Sempre gostava de ver o comportamento dele caso não tivesse perdido as eleições para presidente dos EUA. Beijoca e bom FDS!

    ResponderEliminar
  30. Psst... o comentário anterior é meu, mas houve alguém que aproveitou a minha ida ao WC e mudou o nick, e eu não reparei. Sacana da gata está viciada, agora sempre que pode vem para aqui! ;)

    ResponderEliminar
  31. Também partilho a opinião de que no inicio do séc XXI o estatudo da mulher é equivalente ao do homem, pelo menos na minha profissão, informática.

    Mas com a 'moda da consciência social da empresa', foi criado em várias empresas multicionais o que eu costumo chamar ' o grupo das mulheres', directamente patrocionado pelo administrador... estranho, não acham?
    Assim, na multicional onde trabalho existe o "Portuguese Women Leadership Council".


    Será que 'esta consciência social' foi um dos factores que ponderou a escolha da prémio Nobel, à imagem e semelhança do Al Gore?

    ResponderEliminar
  32. Olhó raio do turco outra vez....

    ResponderEliminar
  33. Bem-vind@, black-cat!
    Já dei uma espreitadinha, ainda bem que puseste o nome do blog específico... porque são tantos...
    Vou ler com mais calma e depois comento, OK?

    Gatinha e rafeiro, entendam-se 'tá bem?
    Quanto ao Gore, ele perder não perdeu, que teve mais votos que o outro moina. Agora que aquele sistema democrático deixa muito a desejar, lá isso...

    Olhó nosso amigo Mustafa. Brigada por desta vez ser em inglês...

    ResponderEliminar
  34. Aninhas, disso já falámos ao vivo e a cores. Na verdade este mundo do trabalho está cada vez mais estranho!

    Pois é Vanadis, o raio do turco a marcar presença. Será que ele fez uma aposta lá na Turquia, para ver quem tinha mais visitantes, estrangeiros, portugueses, whatever?

    ResponderEliminar
  35. ou os meus comentarios andam a desaparecer ou eu tenho alzheimer...

    Gosto desse livro "1001 livros para ler antes de morrer". Quanto à senhora, não faço ideia de quem seja e vai levar o mesmo caminho que o saramago. Nao leio e nao.

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)