domingo, 11 de abril de 2010

UM SONHO POSSÍVEL

Baseado numa história verídica, "Um Sonho Possível" ("The Blind Side", no título original) retrata a mudança de vida de um adolescente negro, pouco instruído e sem residência fixa, ao ser acolhido por uma família da alta sociedade norte-americana. Por mero acaso, o físico imponente do jovem e o seu jeito para jogar basquete capta a atenção do treinador desportivo de uma escola cristã, que convence os restantes membros da direcção a aceitá-lo como aluno, apesar das reticências destes ao analisar o seu cadastro escolar.

Um dia, quando vai buscar o seu pequeno filho à escola, Leigh Anne (Sandra Bullock) vê-o a conversar com aquele "gigante" e fica intrigada, mas só algum tempo depois encontra o rapaz a vaguear numa noite de invernia, vestido apenas com uma t-shirt e uns calções. E quando ele lhe diz que não tem onde ficar, ela toma a decisão de o levar para sua casa, uma mansão luxuosa numa zona chique de Memphis. Aos poucos, o tristonho e ensimesmado Michael Oher (Quinton Aaron), que todos conhecem pela alcunha de "Big Mike", começa a sorrir e a confiar mais nos que o rodeiam, apesar de alguma maledicência sobre a sua "adopção" - os preconceitos do costume, lá como cá! Mas o caso vai mudando de figura, à medida que o jovem se torna num importante jogador da equipa escolar de futebol americano...

Realizado por John Lee Hancock, que também adaptou o argumento do livro de Michael Lewis, conta ainda no elenco com Kathy Bates, Tim McGraw, Jae Head e Lily Collins, entre outros.

Menos lamechas do que seria de esperar, um caso de vida que dá que pensar: será que as instituições dos países ditos civilizados têm capacidade de resposta para auxiliar as crianças que nascem em meios desfavorecidos e disfuncionais?Hummm... muito duvidoso! Eis o trailer:




Imagem de cena do filme da net.

21 comentários:

  1. Fui ver ontem, adorei! :D

    ResponderEliminar
  2. sendo americana tem algumas vantagens porque não ficando contente com a adopção pode sempre devolver o puto :)

    ResponderEliminar
  3. Não tenho nenhum interesse em ver este filme.
    A Sandra Bullock tem mãe alemã e ganhou o Óscar, mesmo assim não lhe acho piada nenhuma, já a Kathy Bates a considero uma actriz admirável. Que papel faz a K.B. no filme?
    Há quase um ano, que não vou ao cinema, pelos vistos não é das coisas que mais gosto, excepto dos filmes muito antigos, da geração da minha mãe.

    Começa bem a semana, Teté!

    ResponderEliminar
  4. Não sendo um daqueles filmes "da minha vida", também gostei, VANI! :D
    Da interpretação dela, do rapaz, de Kathy Bates e do puto - porque é que os pequenos actores portugueses parecem estar a soletrar um papel e estes são tão naturais? Mistérios... :))

    Não foi uma verdadeira "adopção", MOYLITO, e cá também há casos de pais adoptivos que querem devolver os meninos às instituições, quando eles crescem... Tal como abandonam gatos ou cães, quando deixam de ser pequeninos e fofinhos! :(
    Gente estúpida há em todo o lado... ;)

    Gosto muito da Sandra Bullock, que me parece uma actriz muito versátil, EMATEJOCA. A Kathy Bates faz o papel da explicadora que ajuda o rapaz a estudar (para poder entrar na equipa) e, embora tenha um papel secundário, também vai muito bem.
    Mas não, não me fico pelos filmes do tempo da minha mãe, embora ainda seja uma grande admiradora de Hitchcock (especialmente) e de outros realizadores de meados do século passado.
    Cinema é um dos meus "pratos" preferidos... :D

    ResponderEliminar
  5. Ainda bem dizes que é menos lamechas do que cabia esperar, porque depois de lido o argumento, não fosse a tua valoração, nem me molestaria em ver. :)

    ResponderEliminar
  6. Fui ver na sexta. Nem sequer tinha visto o trailer, por isso não sabia para o que ia. Não costumo ir ao cinema assim em branco, mas assim até melhor pois somos surpreendidos e não vamos com grandes expectativas!
    Gostei da história, por ser verídica ainda consegue atingir-nos mais na sua profundidade. Está muito bem conseguida e os personagens estão todos muito bem no seu papel. Adorei o miúdo pequeno. :) Brilhante! A Sandra Bullock realmente demonstra o porquê de ter levado o óscar para casa! Só não a gosto de ver de loira, mas era o papel dela... :)
    Deixa-nos a pensar e sem cair no lamecha, como bem referes!

    ResponderEliminar
  7. Vi na sexta, e também gostei bastante. Achei a Sandra Bullock o espectáculo de sempre, parcial que sou à mocinha (dentro do panorama holiwoodesco acho-a muito normal e autêntica).
    Acho é de facto lamentável que as instituições não cheguem às crianças carenciadas como deviam. Mas isso não é só um problema nos EUA; acho que estamos todos de acordo que por cá também se faz muito pouco, e muito mal feitinho. A diferença é que não vejo muitos dos nossos grandes capitalistas a acolher em suas casas meninos sem rumo dos bairros sociais. Se calhar também deviam ir ver o filme...digo eu. Mas hoje tou com a rabuja :)
    Beijocas

    ResponderEliminar
  8. Talvez seja um exagero quando digo que a "nossa Angie"
    é a mulher mais poderosa do mundo, por isso mudei o título. Eu pensei, se o Obama é o homem mais poderoso, a Angela Merkel é o seu pendão, uma vez que a Alemanha é um dos países mais poderosos na Europa.
    Quem é a Oprah? Nunca ouvi falar!

    Os filmes de Hitchcock quase os considero da minha geração. Os filmes que considero da geração da minha mãe são os filmes, que foram realizados quando eu ainda não era nascida ou era bébé.

    Beijinhos e dá sempre a tua opinião, minha querida Teté, o que não suporto é quando leio "lindo, bonito" sem saber onde está o "lindo ou o bonito"!

    ResponderEliminar
  9. vi o trailer há uns dias e até achei interessante (ao contrário do louro da Sandra) mas é possível que não vá ver apesar de eleger a Sandra a minha actriz preferida (e linda, e ...)

    ResponderEliminar
  10. As instituições nem sempre tem o pessoal qualificado para avaliar e tratar de crianças ou pessoas desfavorecidas.....
    Acho que o problema põe-se sobretudo no excesso de burocracia (falsa) e na falta de leis praticas e eficazes....
    Contam mais os papeis(falsos) do que as pessoas realmente.
    Existe uma falta de sensibilidade humana e um excesso de problemas burocraticos.
    Só quem é esperto é que consegue sobreviver....e isto trás problemas a qualquer país que muita gente nem pode imaginar.....o egoísmo humano fala muito alto.

    Parece-me um bom filme. Vou ver.

    Beijokitas

    ResponderEliminar
  11. Na verdade não tenho ido muito ao cinema, mas a Sandra Bullock está no meu "top five".
    O post aguçou-me o apetite. :))
    .

    ResponderEliminar
  12. Está na lista, mas para ver em casa. Sim, cinema para mim tem de meter acção à séria! Beijocas!

    ResponderEliminar
  13. Este filme vou vê-lo em casa para poder chorar baba e ranho à vontade!!
    Só de ver a apresentação fiquei com a lágrima no olho...

    ResponderEliminar
  14. Isto só prova que todos os sonhos são possíveis. Este sim, faz o meu género!
    Beijinho Tété!

    ResponderEliminar
  15. Ainda não vi, mas está na lista. Espeo é que se aguente mais duas semanas, caso contrário terei de esperar pelo DVD

    ResponderEliminar
  16. Tenho algumas dúvidas que gostes, SUN, mas que não é excessivamente lamechas, podes ter a certeza... :)

    Concordo que ir ao cinema cheia de expectativas é uma desvantagem, TONS DE AZUL. E o miúdo pequeno vai tão bem, que ainda comentei com o maridão como é que os actores portugueses em ponto pequeno se saem tão mal, a parecer que estão a papaguear o papelucho de uma assentada só, monocórdicos, como se estivessem a "cantar" a tabuada na escola... :h
    O pormenor da loirice da Sandra não me afectou, considero-a uma das melhores actrizes da actualidade! :D

    Também sou suspeita em relação à Sandra Bullock, SAFIRITA, muito autêntica e versátil em todos os papéis que a vi actuar. :)
    Claro que não é só um problema dos EUA, mas faz muita falta um sistema que funcione e não deixe estas crianças ao deus-dará! Mas não, também não estou a ver os queques-ricalhaços-cá-da-praça a levar um miúdo destes para casa! Enfim, pode ser que vejam... ;)
    Beijocas!

    ResponderEliminar
  17. Eheheh, EMATEJOCA, dou sempre a minha opinião (se a tenho, às vezes nem por isso!), há quem não goste muito! :))
    A Oprah Winfrey é uma das mulheres mais influentes do EUA, não só por ter um programa de televisão há muitos anos, como por ser sensata e sensível a problemas sociais. Não passa por ai?! Estranho... ;)
    Hitchcock está na manga para sair um post qualquer dia, já comecei e adiei para mais tarde!
    Beijinhos, amiga!

    Também é uma das minhas actrizes preferidas, VÍCIO, mas nem sequer é por ser giraça (loira ou morena)! Mas aqui a intenção também não é impingir filmes, vai ver quem quer, pode ou tem disponibilidade... =))

    Imagino que vais gostar do filme, PARISIENSE! Quanto ao excesso de burocracia, de pessoal pouco qualificado e de avaliações baseadas em papeladas que não correspondem exactamente ao que está em causa - o bem estar das crianças - concordamos a 100%! Aqui, como em todo o mundo, infelizmente! :p
    Beijokitas, nina!

    ResponderEliminar
  18. Bem me parecia que estava, REIZÂO! :)

    Para mim também está por aí, RUI! Mas aviso já que não sou conselheira de idas ao cinema, que cada um tem o seu gosto... :D

    Ui, RAFEIRITO, essa acção à séria, no cinema, quer dizer exactamente o quê? Muita pancadaria, explosões e afins? Passo! Já 'tou fartinha de heróis a salvar o mundo, a torto e a direito! :))
    Beijocas!

    Já percebi que vais ver em casa, GATINHA, mas não precisas de muitos lenços... Tem alguns toques comoventes, mas não é lamechas! Suponho que vais gostar! :)
    Beijocas!

    ResponderEliminar
  19. A história pode ser edificante, KIM, mas convenhamos que não é usual famílias ricaças preocuparem-se com adolescentes ao "deus-dará", ao ponto de lhes dar abrigo.
    Mesmo assim, quase de certeza que vais gostar... :D
    Beijinhos!

    Vai aguentar, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA, que este passe-a-palavra costuma dar resultado! (e não, não estou a referir-me a este post, mas a tudo o que já tinha lido sobre o filme, que ofereceu o Oscar e tudo à actriz). Basando-se numa história verídica (e improvável, nos dias de hoje) ainda mais... :)

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)