quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

QUATRO PARÁGRAFOS

Fotografia de Ian Britton

Dizem que... ninguém lê uma carta comercial, notícia, blog ou quejandos com mais de quatro parágrafos. Não acredito!

Dizem que... toda a informação é útil. Falso! Tanto o excesso como opiniões contraditórias só servem para baralhar.

Dizem que... não há tempo para nada! Pois, é preciso saber geri-lo, o que nem sempre é fácil com tanta solicitação...

Dizem que... todo o mundo é composto de mudança. Verdade! Mesmo que músicas antigas ainda nos toquem cá dentro, como se fosse ontem, sem acrescentar nenhuma palavra:




(só para contrariar estes ditames, este 5º parágrafo deseja a todos um BOM DIA!!!)

18 comentários:

  1. A verdade é essa, metade do que se diz é só "balelas"! Acho muito bem que contradigas isso tudo! :)

    Adorei a música!

    Besito

    ResponderEliminar
  2. Dizem que há duas formas de fazer um povo ignorante: não lhes dar informação ou dar-lhes muita

    ResponderEliminar
  3. Essa ideia feita é mesmo uma balela. No caso das cartas comerciais pode até ser perigosa, pois podemos perder informação que nos poderá fazer bastante falta em caso de necesitarmos de fazer uma reclamação

    ResponderEliminar
  4. nada é tudo e tudo é nada:)

    ResponderEliminar
  5. deixai-os falar... :-t ~xf

    ResponderEliminar
  6. Deixa-os dizer, deixa-os faalr, a música é linda e gostei de aqui estar!...Um beijinho da laura

    ResponderEliminar
  7. Bela musica...fez-me recordar os bailes do liceu.....aiaiaiaiaiaii

    Muitos mais paragrafos haveria a acrescentar, mas para quê????

    Vive a vida como a desejas, tudo fazendo para seres feliz....tudo o resto deixa-os dizer.

    Beijokitas

    ResponderEliminar
  8. (Continuo a sorrir para o filme, Teté :)).

    O problema é que as pessoas lêem tudo a correr ou em diagonal demasiado inclinada e muitas vezes perdem o essencial da mensagem.
    Quantas vezes me debato com situações em que alguém lê títulos, argumenta baseado neles e esses títulos têm muito pouco a ver com os textos.
    Nesses casos, as pessoas julgam-se informadas, o que não é verdade.
    .

    ResponderEliminar
  9. dizem que a água é incolor... mentira
    dizem que não é possivel fazer um boneco de neve com um cão... mentira

    dizem que na blog quando o texto é grande a maioria não l~e, e escreve: lindo... é verdade
    jajajaj

    abrazo serrano, amiga

    ResponderEliminar
  10. Dizem que o Santana até sabe tocar ;)

    Beijinhos,
    FATifer

    ResponderEliminar
  11. Também não acredito, que ninguém leia nada com mais de quatro parágrafos. Eu, pelo menos, leio tudo.

    Concordo com a Teresa: "Dizem que há duas formas de fazer um povo ignorante: não lhes dar informação ou dar-lhes muita"

    Eu nunca tenho tempo para nada! Pois é Teté, preciso de aprender a geri-lo, o que é bem difícil.

    Todo o mundo é composto de mudança. É verdade! Claro, que não me refiro às músicas antigas, mas sim à mudanca em nós próprios; por exemplo, na minha juventude era toda das esquerdas... e agora? Votava na Merkel, se tivesse a nacionalidade alemã, coisa que não quero ter!

    ResponderEliminar
  12. Bem essas métricas são uma média. Pode parecer frustrante e não sei se será verdade que a média sejam 4 parágrafos. Podem ser até mais mas não tenham dúvida que o tempo médio de atenção a um texto diminuiu drasticamente. E ao tempo médio está associado um volume máximo de texto, parágrafos e até linhas por parágrafos. Há testes feitos de leitura online que provam sem margem para dúvida que acima de 5/6 linhas por paragrafo e 5/6 parágrafos por página se perdem a maioria dos leitores. Aliás se forem as estatísticas dos vossos blogs facilmente poderão ter uma ideia pelo tempo médio de sessão e pela repartição do mesmo. Obviamente não é sempre igual - depende do objectivo da leitura, da necessidade do leitor etc ... enfim tenho a certeza que por exemplo poucos vão ler isto até ao fim.

    ResponderEliminar
  13. Pois é, BRANQUINHA! Mas as pessoas não se cansam de repetir frases feitas como se fossem verdadeiras... :)
    Besitos!

    Dizem isso e é verdade, TERESA DURÃES! Não haverá maneira de se conseguir um meio termo? ;)

    Nem mais, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA! Então com contratos de seguros, se não lermos as letras minúsculas, estamos feitos... :))

    ResponderEliminar
  14. Muito filosófico, MOYLITO!!! :))

    ... que eles calarão-se-ão, como dizia o meu pai, VÍCIO!!! =))

    E nos outros dias não gostas, LAURINHA?! :D
    Beijocas para ti!

    ResponderEliminar
  15. Eheheh, pois é, PARISIENSE, esta tocava sempre! :D
    Mas há músicas que não precisam de palavras... e frases que são ditas à toa!
    Beijokitas!

    Está tudo gravado, RUI! :D
    Ainda no outro dia li na capa de uma revista (daquelas cor-de-rosa "muita boas") algo contraditório com um post que tinha publicado aqui. Quando fui ler o artigo, não havia contradição nenhuma, a chamada de capa é que resolvera apimentar a "polémica"... :p
    Não há pachorra!!!

    O quê, MIXTU?! A água já não é insípida, inodora e incolor? Como as coisas mudam... =))
    Não sei se será a maioria, mas que alguns não lêem e dizem que está lindo e mandam beijinhos, lá isso... ;)
    Abrazo citadino para ti, amigo!

    ResponderEliminar
  16. Este Santana sabe, FATIFER!!! :D
    Já o outro, hummm... (será que a canção da vítima conta?!) ;)
    Beijinhos!

    Ah, não, EMATEJOCA, não leio tudo: só o que me interessa! Senão é que não tinha tempo para nada... :)
    Até tenho vergonha de dizer isto, mas quando andava aí a malta toda armada em revolucionária não alinhava nada, até me filiei num partido (tenho desculpa, que tinha 16 anos) não esquerdista e fiz bancas por ele em plena baixa lisboeta. Sem ter mudado muito de ideias (algumas sim, dada a imaturidade da época), hoje em dia sou mais esquerdista que alguns dos meus amigos que foram filiados no PCP, no MRPP, na UDP... :))

    Bom, eu li, FERNANDO VASCONCELOS! :)
    Já aqui disse várias vezes que não consigo ler Saramago (também já "levei na cabeça" por isso!), precisamente por serem textos tão "compactados" e quase sem pontuação. Mas adorava as "Crónicas da Guidinha" do Sttau Monteiro...
    Mas não, não costumo consultar as estatísticas, mesmo assim percebo quem lê... ou não! :))
    (e sim, acredito que textos muito longos, com longos parágrafos, desconcentrem os leitores, o que não é o mesmo que dizer que tudo se deve resumir a quatro parágrafos curtos...)

    ResponderEliminar
  17. Importa lá o que dizem! Falam, falam ,falam, falam, falam falam e eu nos os veja a fazer nada!

    ResponderEliminar
  18. Tens razão, PAULOFSKI: falam muito e não fazem nada!!! :))

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)