terça-feira, 24 de junho de 2008

PLÁGIOS!


Foto de Ian Britton, daqui.

Em 2006, recebi por mail um artigo escrito por um norte-americano sobre o nosso País, que continha inúmeras gaffes geográficas e históricas: à beira-mar plantados no oceano Pacífico, com um pequeno acesso ao oceano Atlântico através do estreito de Gibraltar, que Lisboa era uma extensa planície e que o povo português tinha sofrido uma prolongada ditadura por parte do marquês de Pombal, durante a II Guerra Mundial. Se não era exactamente assim, era parecido! O jornalista - Mike Lopresti, do "Green Bay Press-Gazette" - evidenciava nestes moldes a sua ignorância, enquanto apoiava a selecção portuguesa no mundial, com aquela altivez do "deixem lá os pobres coitados ganhar qualquer coisinha"!

Recentemente, deparei com uma chamada de atenção num blog que costumo visitar, para um artigo praticamente idêntico, desta vez publicado na revista brasileira "Turismo & Negócios". Escusado será dizer que o link de 2006 já não está activo, com muitas desculpas por uma remodelação informática, quem quiser que o peça por mail. Pois, com jornalistas deste gabarito, imagino que não é só Portugal que se situa à beira do Pacífico...

Abordar temas semelhantes ou muito idênticos torna-se normal, porque afinal de contas vivemos todos no mesmo mundo. Mas copiar tudo tintin por tintin? Sem verificar se o que se escreve tem uma base mínima real? Que ninguém detecta o plágio? Uma escritora portuguesa foi "dispensada" da sua colaboração numa revista porque se esqueceu, por duas vezes, de citar a fonte - uma publicação estrangeira - que copiou quase integralmente. Outra foi "desmascarada" por se copiar a si própria, de uns livros para os outros. Ou seja, tem de escrever uma cena de amor, por exemplo, vai buscar uma narrativa anterior, faz umas ligeiras alterações, muda o nome das personagens "Et voilá!", eis que surge uma "nova" cena amorosa...

Outro bloguista queixava-se que o seu blog foi copiado também quase integralmente por um moçoilo de Braga. O intuito? Pois, ganhar dinheiro com a publicidade incluída no novo canto, sem que para isso se tivesse de gastar mais de 5 minutos diários a fazer a cópia do original. Segundo creio, o caso seguiu para tribunal! Hummm... ou Braga tem muitos trapaceiros, ou este indivíduo é o mesmo que aqui há uns anos queria que eu lhe enviasse por mail cópias das notícias dos principais jornais portugueses, para ele colocar numa publicação on line. O plágio seria meu, o trafulha limitar-se-ia a negar saber a origem das notícias e, claro, o dinheirinho da publicidade cantaria do lado dele. Contactos? Nenhuns, está claro! Só o do telemóvel, mas nem por aí se conseguia detectar sequer se o nome do sujeito era verdadeiro. Muita gente "dinâmica" há nesta Terra!

Com tantos e "bons" exemplos, não é de admirar que os estudantes achem que, para fazer um trabalho, basta ir à net e copiar um qualquer texto que tenha minimamente a ver com o assunto. É que escrever e pesquisar dá cá uma trabalheira...

39 comentários:

  1. é por isso que eu estou descansado! o que escrevo não interessa a ninguém!

    (recebi um mail recentemente que falava de tintin... mais propriamente da depilação dos tintins! é claro que sorri ao ver que tinhas escrito tintin por tintin :D)

    ResponderEliminar
  2. Ah, VÍCIO, modéstia tua!

    Tu cuida-me lá desse trauma: primeiro eram os pelos púbicos das senhoras, agora já vais na depilação de tintins??? :D

    ResponderEliminar
  3. Ai podes crer que dá mesmo muita trabalheira!!
    Pesquisar dá imenso trabalho e além disso é também chato. Perde-se muitas horas... Mas o resultado é sempre melhor, pelo menos no meu entender...
    Mas olha que copiar também não é pêra doce!!

    ResponderEliminar
  4. TONS DE AZUL, copiar não dá trabalho nenhum, se fôr só fazer copy + paste... que foi o que aconteceu, na maioria destes casos que citei!

    E claro, não se pode acreditar em tudo o que se lê na net. A wikipédia é escrita por diversas pessoas, além de eventuais enganos de digitação, nem todas têm grande objectividade... ou informação fidedigna!

    Não há nada como fazermos nós próprios a pesquisa, preferencialmente usando várias fontes. Perdem-se horas? Pois, daí aparecerem estes "chicos-espertos" no copianço...

    ResponderEliminar
  5. e se dá... A humanidade espanta-me cada vez mais pela negativa...
    Um bj

    ResponderEliminar
  6. JASMIM, plagiadores sempre houve, mas agora com a facilidade de estar tudo à distância de dar meia dúzia de toques no teclado, é capaz de ser mais frequente...

    Jinhos!

    ResponderEliminar
  7. se alguém vir o Moyle plagiado avisem-me. tenho que cumprimentar pessoalmente aguém que revela tão bom gosto.

    ResponderEliminar
  8. Olha, se calhar é por isso que a outra "rapariga" se plagia a si própria, MOYLE!

    Mas fica sossegado, que se encontrar por aí algum imitador moylístico (será possível alguém com tão extremo bom gosto?), aviso-te logo! :D

    ResponderEliminar
  9. Nao é assim tao dificl detectar quem é o plagiador, existem ferramentas online para buscar cópias dos nossos blogues, ao ponto de encontrar simplesmente frases nossas.

    Existem maneiras de registar o nosso trabalho, tornando o processo mais fácil. Existem grupos de blogger que nos ajudam.

    Nao há problema em referir que eu fui o blogger plagiado, o caso seguiu para os tribunais, pois em 32h consegui o nome, idade, profissao, numero de telefone e morada e até os dados bancários desse senhor.

    O anonimato na internet é virtual, nao existe. Só se é anónimo até ao momento que alguém queira saber quem somos.

    ResponderEliminar
  10. CREST, por mim não estou especialmente ralada, embora vá tentar averiguar como é que isso dos direitos de autor funciona...

    Uma frase aqui ou outra ali também não me parece motivo de grande preocupação. Se os Gatos Fedorentos fossem processar toda a gente que utiliza frases deles, nem saiam de tribunal.

    Diferente é este "chico-espertismo" de fazer cópias quase integrais de textos alheios, para ganhar dinheiro fácil sem trabalho praticamente nenhum. Quer seja de um blog, quer de trabalhos jornalísticos!

    Fizeste muito bem em processar o gajo (senhor, só pode ser epíteto irónico)!

    Vou seguir as cenas dos próximos capítulos... ;)

    ResponderEliminar
  11. Eu tenho a dizer que ando muito triste com esta cena dos plágios. Não só por constatar que há por aí muito camafeu sem vida própria, e como tal têm de se apropriar das experiências alheias, como constato que ninguém me plagia, o que me deixa indicações preocupantes sobre a qualidade do que escrevo... Beijos!

    ResponderEliminar
  12. Pena que cada vez mais as pessoas sejam tão falsas. Não ter vida propria, opiniões proprias deve ser mesmo de uma tristeza.....
    E cada vez mais as pessoas procuram fazer "copy e paste", até da vida dos outros.....copiam as roupas, a maneira de fazer, andar.....
    Tornaram-se verdadeiros automatos programados com um cd alheio.....ahahahahah

    Beijinhos grandes nina

    ResponderEliminar
  13. Vinha procurar um texto para plagiar, que estou sem ideias, mas quase vou procurar noutra parte, que o ambiente está um tintin susceptível.
    Roubei-te, sim, o nome para um capítulo da Velha Polaca, com licença ou sem ela. (^_^)

    ResponderEliminar
  14. Quando for grande quero ser plagiador...

    ResponderEliminar
  15. Quem nunca deu um controlc+controlv que atire a primeira pedra :)

    Boa semana!

    ResponderEliminar
  16. RAFEIRITO, acordaste muito modesto hoje, não? Com o número de leitores que tem o teu blog, certamente que o plágio era rapidamente descoberto. Isto para já não falar do teu sentido de humor, que para muitos já é inconfundível... :)))
    Beijocas!

    PARISIENSE, não diria que não têm opiniões próprias, não estão é para ter trabalho, copiam e está a andar, que acreditam que os outros são todos patetas e ninguém nota.
    Já essas "cópias" dos ditames da moda sugerem falta de personalidade e também alguma escassez de espelhos em casa... :)))
    Jinhos, nina!

    ResponderEliminar
  17. Ah, SUN, a ti nunca te faltam ideias!
    Muito imaginativas, por sinal...
    O ambiente está um tintin susceptível???
    Impressão tua... (`_^)

    Bem-vindo, APLEMAN!
    Sabes que com essa futura profissão, corres o risco de ter de arranjar outra, para pagar as indemnizações referentes à primeira, não? :)

    MYLLANA, plágio é uma coisa, citação é outra. Ainda ontem puseste um magnífico texto de Arnaldo Jabor no teu canto, mas não lhe confiscaste a autoria pois não? Nem me parece que os próprios autores fiquem aborrecidos com citações do trabalho deles, que contribui para os divulgar a quem ainda não os conheça.
    Boa semana para ti também!

    ResponderEliminar
  18. Eu não faço outra coisa que não plagiar, Teté!
    O quê não sei bem...

    ;)

    ResponderEliminar
  19. É uma das características do tempo em que vivemos. As pessoas querem bons ordenados trabalhando pouco ou nada, querem tudo para agora (ou ontem) porque não estão para esperar. Querem euromilhões, totolotos (disto também eu não me importava...), enfim tudo para já e sem o menor esforço.
    Passou-se da fase das citações por tudo e por nada para o plágio puro e simples... é que assim acham que ficam com os "louros" das ideias...

    ResponderEliminar
  20. é por isso que eu estou descansada! o que escrevo não interessa a ninguém!

    Olha, Teté, vê lá se adivinhas o que acabei de fazer. Fiz plágio ao Vício. ;)

    ResponderEliminar
  21. Não passas nada, CAPITÃO!
    Referes a tua opinião e dás o link onde leste a notícia! Que estando ou não assinada pelo autor, refere a fonte.
    Beijoca e continuação de boas férias, que julgo ainda ser o caso! :)

    INÊS, não percebo quem julgam enganar, mas cá por mim é essa pressa toda de ser muito bem sucedido e endinheirado, dando um arzinho "meio intelectual". Nem que para isso se tenham de aproveitar de trabalho alheio...
    Quanto ao Euromilhões, pois, essa é unânime, dos 7 aos 97 anos (parece-me que já li isto em algum lado, salvo erro numa BD, não me lembro é de qual)! :)

    ResponderEliminar
  22. EM BICOS DE PÉS, parece-me que o Vício até vai gostar, para além de finalmente alguém ter o bom gosto de o plagiar, ainda te pode processar... :)))

    ResponderEliminar
  23. Olá
    Vim só deixar um beijinho e dizer que os momentos foram bem passados, o único senão foi que 3 do grupo apanhamos virose...
    mas tudo bom.
    Bjos

    ResponderEliminar
  24. De facto é uma prática generalizada e este meio facilita muito a vida a quem o quer fazer.

    Eu estou como diz o vicio, os meus textos não devem interessar a ninguém e também não me dou ao trabalho de copiar ninguém. Quando não estou inspirada, recorro aos jogos ou às piadas.

    Umas fotozitas desviadas, uns poemazitos (não tenho scanner) já tenho tirado daqui e dali, mas geralmente refiro a fonte, até pq receio cometer gaffes e vir o autor (geralmente são poetss já falecidos eheheheh) reclamar ou meter-me em tribunal.
    Mas é verdade, há por aí quem se aproveite e lucre com as ideias dos outros!!!

    ResponderEliminar
  25. JASMIM, essas coisas acontecem...
    Ainda há pouco tempo uma familiar ficou desconsolada, porque depois de um almoço que fez, várias pessoas (5 em 20) ficaram com má disposição. Nem deu para perceber o que tinha sido, que todos comemos mais ou menos o mesmo...
    Jinhos e as melhoras para ti! ;)

    E às guloseimas culinárias, PASCOALITA, esqueceste-te de acrescentar, eh, eh, eh!
    De qualquer das formas acho que uma citação de um poeta ou de um texto é diferente de uma cópia integral. A diferença também passa pela tentativa de auferir lucros com trabalhos alheios...
    Quanto aos joguinhos, muito me divirto por lá!!! :)))
    Jinhos, nina!

    ResponderEliminar
  26. Eu lhes chamo os Srs. Engenheiros das obras feitas, assim qualquer um é "Engenheiro".
    Beijos:)

    ResponderEliminar
  27. Embora os meus textos não interessem nem ao menino Jesus, no início do blog descobri um artista que os copiava e os punha no fórum dele, sem qualquer indicação.

    Com o Google te safas, com o Google te enterras, "espertinho"

    ResponderEliminar
  28. CONCHITA, ser "ingenheiro" assim é fácil mesmo... ;)
    Beijocas!

    SORRISOS, pelos vistos interessam a alguém... 'tás a ser muito modesto!
    "Artistas" destes, também parece que são vários! Há distância de uma go(og)lada!
    Não percebi foi o que enterraste...
    ;o)

    ResponderEliminar
  29. o problema tambem esta em quem (nao) lê esses ditos trabalhos. tenho muitos professores que, aposto, nao leem nadinha do que foi escrito. se tiver bonito e com a quantidade de folhas pedida... perfeito.

    gostei bastante de aprender um bocadinho de historia ao ler este post. nao me lembrava que o marques de pombal tinha sido o responsavel pela ditadura e muito menos na IIª guerra mundial.

    isso dito num qualquer programa de stand up comedy dava para sacar umas gargalhadas valentes :D

    ResponderEliminar
  30. FAUSTO, no caso de professores desses (e sim, não é de agora, que tive alguns do género), estes alunos do copy-paste podem fazer um brilharete! Alunos perfeitos, para professores igualmente perfeitos... ;)

    O que me fez mais confusão até foi a geografia do país, que basta olhar para um mapa para verificar a incorrecção. A parte histórica, deve ter sido copiada de uma wikipédia local manhosa... E claro, ignorantes sempre houve e haverá!

    ResponderEliminar
  31. Infelizmente parece que esse é um dos assuntos que anda mais na baila, ultimamente...a questão dos plágios. Esse simpls gesto do copy paste é simplesmente revelador da personalidade fraca das pessoas que o executam...fraca e desinteressante.
    Mas olha que deu para rir quando comecei a ler algumas das referências desse tal artigo do senhor americano...santa ignorância e preguiça.

    ResponderEliminar
  32. é incrivel o que a falta de ocupação mental gera por aí....

    ResponderEliminar
  33. Olha também vi as queixas do Crest por terem plagiado seu blog.Eu acho mesmo terrível e se tem meios para punir os "preguiçosos" de plantão,então que se faça justiça.Eu desse lado,só espero que se virem algo em meu blog que não tenha referência de autor que me digam,conforme um conserto que acabei de fazer.
    Mas,na blogosfera há de se esperar tudo ou quase tudo.
    Beijo!

    ResponderEliminar
  34. Ah, SU, quando recebi esse mail em 2006, reenviei a algumas amigas, algumas passaram a outras, várias respondemos ao "jornalista".

    A uma, um pouco insultuosa, diga-se de passagem, ele até respondeu... Daí lembrar-me tão bem da história, depois copiada lá pelo jornalista brasileiro mais recentemente.

    Também é verdade que quase todos dizemos frases que entraram no nosso dia a dia, via publicidade, humoristas ou coisa.

    Daí até plagiar textos quase integralmente, para se ficar com os "frutos" de trabalho alheio são outros 500 paus...

    E alguns até sabem escrever, não estão é para se dar ao trabalho. Outros nem isso, é ir ao PC, copiar e pronto! Uma tristeza e uma falta de personalidade, de gente ambiciosa demais, sem capacidade para ter uma ideia própria (exceptuando o lucro)!

    Jinhos, amiga!

    ResponderEliminar
  35. VAN, falta de ocupação mental e muita cara de pau! Uns roscovs, que andam por aí para ganhar dinheiro com o esforço dos outros... :S

    KÁTIA, no mínimo é ridículo copiarem o trabalho do Crest, que para além de ter um estilo muito próprio, ainda é bastante controverso (o que se calhar dá jeito ao plagiador, que assim obtém mais comentários a favor e contra). Ou seja, muito identificável!
    Uma falha ou esquecimento pode acontecer esporadicamente, não é o mesmo que vender "gato por lebre"...
    Jinhos, nina! :)

    ResponderEliminar
  36. Olha, fiquei surpreendida!
    Cada vez mais acho que a minha mãe é que tem razão quando diz que anda meio mundo a enganar o outro meio.
    Só que a percentagem dos trafulhas deve estar a subir cada vez mais!
    Qualquer dia nem vão ter a quem enganar!
    Eu achava (na minha inocencia e ignorancia) que isso do plágio era uma questão de ego ou estupidez pessoal, mas afinal o interesse é lucrativo... claro, faz sentido.
    Mas ainda há quem faça algumas coisas só e apenas por prazer, de certeza!

    :)

    ResponderEliminar
  37. PAX, mal estaríamos se todos nos guiássemos apenas pela cupidez!

    Quanto a essa frase de andar meio mundo a tentar enganar outro meio, pode parecer um pouco exagerada, mas a verdade é que andam muitos "chicos-espertos" por aí.

    E uma vez ou outra todos caímos, mas depois começamos a aperceber-nos de quando estamos "a ser levados" e já não caímos tão facilmente em esparrelas... ;)

    ResponderEliminar
  38. São as quedas que nos fazem aprender mas, infelizmente, também a ficarmos cada vez mais frios e insensiveis.

    ResponderEliminar
  39. Pois, PAX, traz essa consequência...

    Mas um dia tenho esperança de discernir completamente o "trigo do joio", de milongas que só servem para nos "engrupir", das histórias verdadeiras, às quais devemos prestar mais atenção... :)

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)