sábado, 14 de junho de 2008

AS DOIDAS DAS GAIVOTAS...


Foto de Ian Britton.

Alguém se lembra de Fernão Capelo Gaivota, livro de Richard Bach e filme de 1973 realizado por Hall Bartlett, com música de Neil Diamond? Pois as doidas das gaivotas da Praia da Rocha parece que não aprenderam nada da filosofia da sua congénere cinematográfica e literária: não faziam mais nada senão grasnar... dia e noite!

Bom, se tivessem sido só elas a coisa nem seria muito má, mas um vizinho resolveu fazer-lhes concorrência e no dia do jogo com a República Checa vai de dar música em altos berros para toda a rua ouvir. Das 5 da tarde à 1 e meia da manhã. Chamei música áquilo? Bom, eram mais uns batuques, alguns em ritmo de samba, outros tipo rap. Então o Sérgio fazia anos - nunca o vi nem mais gordo nem mais magro, mas ao cantarem-lhe os parabéns o nome foi bem audível - e a festa continuou até às 4 e tal da manhã, se não já para a rua inteira, para toda a vizinhança do prédio. Acrescente-se ainda que houve samba, com as convidadas dançando de saltos altos na tijoleira da sala... Um mimo!!!

Exceptuando essa dor de cabeça (ninguém ficaria incólume a tamanha chinfrineira) e alguma histeria generalizada visível nos noticiários, as férias decorreram lindamente, com Sol, praia, mergulhos, passeios à beira-mar, esplanadas, gelados, petiscos e livros. Com o fiel da balança a pender para a serenidade...

O "bronze" mal se nota, mas também não se pode ter TUDO!

Música boa, pois, a das viagens, como por exemplo esta, num poema lindíssimo de Viriato da Cruz, com cheirinho a África:




Fausto Dias - NAMORO


28 comentários:

  1. Afinal, a música também não estava assim tãaaaaaaao alta, para conseguires ouvir as gaivotas a grasnar à noite....
    ;o)

    Conselho dum amigo dj: levar SEMPRE headphones para todo o lado. Não servem só para ouvir música. Também servem para NÃO ouvir!!!

    ResponderEliminar
  2. Ô amiga!

    Há sempre algo que deixa a desejar.E essas foram as gaivotas(Vixe!..o que me faz lembrar que tenho horror a qualquer aproximação com os pombos,que são tão incômodos quanto elas).

    O melhor de tudo?Seu passeio pelas esplanadas,os petiscos,a boa companhia de seus familiares e os demais prazeres que sentiu.Muito bem!!!Que não tarde a ter novos passeios como esse.Faz um bem!Eu desse lado já ando a precisar,ai,ai

    Volto mais tarde para escutar a música.Por agora o soninho chegou e devo nanar.

    Beijo,cheiro e excelente domingo!
    :)
    Ah!Eu já tava com saudades de ti Teté
    :*

    ResponderEliminar
  3. Bem vinda de novo...a saudade e a ausência já se notavam...
    Esse Fausto foi colega do meu manel em Nova Lisboa ou nos estudos ou na tropa, mas sempre que o vê na tv fala fala fala... Esse esteve em áfrica e portanto sabe quais são os cheiros e os sentires...

    Quanto aos vizinhos que faltam ao respeito ao resto dos moradores chama-se a policia e tá feito...
    Adoro gaivotas exactamente por não as ouvir e as ver a planar...
    Ora ai vai uma poesia que fiz sobre elas...


    Gaivotas!...


    Gaivotas que voam na bruma
    E nela perdem seu rumo
    Os caminhos se apagam
    E voam por ali baixinho
    À procura dos seus ninhos...

    Gaivotas de asas brancas
    Que se confundem com o mar
    Quando ele se veste de espuma
    E se zanga com a areia
    E lhe dá para se espalhar...

    Gaivotas de asas paradas
    Ficam no ar a balançar
    Deixam-se deslizar
    E caem no mar
    Quando ele se aquietar...

    Gaivotas são seres do Infinito
    Que voam até se perder de vista
    E como não as vi regressar
    Deduzi que por lá iriam ficar
    Ou a flutuar no mar...

    Gaivotas seres de asas brancas
    A ondular
    Que vivem e nascem do mar
    Sempre a voar sempre a voar!...

    Poema do Sons de amor...
    Um jinho a ti da, laura..

    ResponderEliminar
  4. Hello, Miss! Welcome back! Ainda bem que relaxaste e serenaste nestes dias, apesar dos esforços do tal Sérgio para que tal não acontecesse. Há gente que não se manca mesmo. Tenho horror a comportamentos desses, infelizmente tão habituais.

    Mas a gaivotas, ai as gaivotas. Adoro gaivotas. Eu sei que têm um grasnar muito chatinho, mas há coisa mais linda do que uma gaivota num ceú azul? (bom, por acaso há: um pelicano num ceu rosa de dia a nascer, mas isso fica para outras aventuras lá no meu tasco).
    Beijocas

    ResponderEliminar
  5. Li o fernão capelo gaivota e adorei. Já tive uma paixão por gaivotas, especialmente depois daquela que o gato ensinou a voar =D. Mas que não têm lá muito de romantico...o grasnar não lhes ouço, mas as cagadelas, o meu carro ressente-se!!!

    Andaste pela praia da rocha???? olha e eu aí tão perto, looool, às 4as dou formação em portimão!! =DD e vi o jogo com os checos em portimão, na casa da minha sogra!! o mundo é mesmo pequeno!! =DDD Foste à pastelaria Marcelino ?? são os pais do meu amigo dos dwelling (que por acaso acabaram, a banda...) e sogros da barriga feliz (happy belly)! ;-)

    ResponderEliminar
  6. Se lá voltares, dá um apito e vamos buber um cófi! ;-)

    ResponderEliminar
  7. E falar com os vizinhos não mudaria nada?!
    Bem, mas férias são férias...o calor por aqui esteve insuportável.
    Sempre gostei das gaivotas...provavelmente a imagem literária do Fernão Capelo Gaivota contribui imenso...mas olha, agora já é tarde para mudar essa mesma imagem! :))

    Beijinhos e bom regresso.

    ResponderEliminar
  8. gaivotas a sério só as do Hitchock. era maná-las para o teu vizinho e vias se a chinfrineira não acabava rapidamente :)

    ResponderEliminar
  9. Pois é, nada perfeito na vida...
    bjocas

    ResponderEliminar
  10. SORRISOS EM ALTA, a barulheira era tal nesse dia, que as próprias gaivotas se puseram a milhas... mas grasnaram nos restantes!
    Sabes que nunca tinha visto a utilidade de ter uns headphones? Mas desta vez entendi!!! :o)

    Claro que as férias, mesmo que mini, fazem sempre bem KÁTIA!
    Pombos, não sei porquê, rimam com Lisboa: há-os por todo o lado!
    Um resto de bom Domingo para ti também, amiga soteropolitana! :)))

    Ah, LAURINHA, nunca fiz queixa de um vizinho à polícia (não é que alguns não merecessem), muito menos estando numa casa que não é minha...
    Concordo que observar o vôo das gaivotas acalma. Já os grasnidos não são tão simpáticos... :)
    Gracias pelo teu poema!
    Jinhos, amiga!

    ResponderEliminar
  11. SAFIRITA, preparada para o joguito a feijões???
    Também acho piada a gaivotas, mas da próxima vez vou levar mesmo uns headphones, para evitar o que não quero ouvir... como aconselha o Sorrisos!
    Sobre comportamentos de vizinhos (não destes assim esporádicos), pois, ficará para outro post!
    Fico a aguardar esse teu texto sobre pelicanos... :)))
    Beijocas!

    VAN, por acaso não cheguei a ler o livro, mas gostei imenso do filme, que vi uns anos mais tarde, quando passavam em reprise no Verão...
    Mas não andei muito por pastelarias, esplanadinha da praia mesmo.
    Para a próxima (passo quase todas as férias de Verão no Algarve) combinamos: tu bebes o teu café, eu prefiro uma imperial, OK? :)))

    ResponderEliminar
  12. SU, pois, de férias não me apetece nada estar a arranjar conflitos com os vizinhos, mas também nunca pensei que aquilo durasse até aquela hora... E a bem dizer, depois de um festarú daqueles, bem se percebia que já estavam todos um bocado "tocados" (urros, gritinhos, coisas a cair e a partir), não resolvia nada ir lá educadamente chamar a atenção... ;)
    De gaivotas, também tenho essas imagens mágicas do Fernão Capelo, mas as aves reais são bastante menos românticas... :D
    Jinhos, amiga!

    Ah, MOYLITO, esse pássaros hitchcockianos eram um pouco mais assustadores...
    Mas por enquanto ainda não tenho o dom de comunicar com as aves e mandá-las azucrinar os ouvidos de um vizinho mais que incómodo... :)

    Pois é, JASMIM, perfeito, perfeito, nunca é! Mas mesmo assim o "saldo" foi positivo... :)
    Jinhos!

    ResponderEliminar
  13. São bichinhos adoráveis...mas se não gostas segue o conselho do Sorrisos!

    beijos

    ResponderEliminar
  14. Ah, GATINHA, garanto que vou seguir de certeza... para a próxima! :)))

    Jinhos!

    ResponderEliminar
  15. Era pegares numa mangueira e começar a mandar uns esguichos para as janelas, a ver se arrefecias os ânimos da malta.

    Beijoca e boa recuperação de sono!

    ResponderEliminar
  16. A musica da viagem para compensar o barulho esta-me a dar vontade de bailar/cantar baixinho baixinho. (`_^)

    ResponderEliminar
  17. Eu gostei da parte de " praia, passeios a beira mar, banhos de sol"......afinal não foi assim tão mal.
    E se o bronze não foi muito, tambem é preciso bronzear devagarinho, pois o sol está muito forte para os primeiros dias de bronze.....
    Deu para relaxar e vires com mais força, não deu????!!!!!!
    Então boa semaninha, que as ferias acabaram.....

    ResponderEliminar
  18. RAFEIRITO, mesmo que tivesse mangueira, não me parece que desse grande resultado... A força da gravidade, sabes... é que eles estavam no andar de cima... :)))
    Beijoca!

    Então canta e dança à vontade, SUN, que isso não é proibido... (`_^)

    Ah, PARISIENSE, as férias servem para isso mesmo: para repôr energias!
    E foram boas mesmo, seriam até perfeitas se não fosse o chinfrim do tal Sérgio... e das gaivotas!
    Jinhos e boa semana para ti também!

    'Tá, VAN, para a próxima aviso-te! :-)

    ResponderEliminar
  19. Tirando a parte dos anos do tal Sérgio, soube-me muito bem este "cheirinho" a Praia da Rocha. Vou sempre para lá nas minhas férias de Verão (já só faltam 15 dias...)mas felizmente o meu "cantinho" é bem sossegado, com praia de um lado e o rio do outro...

    ResponderEliminar
  20. INÊS, a Praia da Rocha, especialmente depois das obras (há uns 3 ou 4 anos, não foi?), é mesmo espectacular!

    Não vou sempre para lá, mas gosto muito de lá estar! Mas também foi a primeira vez que apanhei um vizinho incómodo destes, que embora haja gente a viver lá no prédio permanentemente, muitos apartamentos são alugados para passar férias...

    Ainda bem que o teu "cantinho" é mais sossegado!

    Os meus mails ainda estão em atraso, em termos de respostas! Mas já me ri com a outra dos pés castanhos... ;)

    ResponderEliminar
  21. Se deu para desfrutar não foi mau! :)
    Há sempre alguém que gosta de dar música aos vizinhos e são sempre esses que são recordados em certos momentos! :)

    Beijocas

    ResponderEliminar
  22. gaivotas em terra, neste caso era o contrário, eheheheh

    4 da manhã? e não te convidaram? Bronze, tenho para a troca! Quers que te envie por DHL?

    ResponderEliminar
  23. Pois, TONS DE AZUL, mas desses só ficam as más recordações...
    De resto foram bem boas!
    Jinhos!

    INÊS, vê lá a falta de chá daquela gente: nem se lembraram de me convidar, e eu que estava "mortinha" por sambar... :)))
    Bronze para a troca? E depois ficas tu lulinha??? Ná! Fica-te lá com o teu bronze, que já estou mais ou menos habituada a ficar branquela! ;)

    ResponderEliminar
  24. o Fausto tb canta esta???? lá estás tu a descobrires um videos que não lembra...

    gosto imenso de gaivotas, mas quando em comício de 1º de Maio, o barulho pode ser irritante...

    ResponderEliminar
  25. LEONOR, a música é do Fausto, o poema é que é do outro fulano, que presumo ser angolano. Ahn, pensando bem, ainda vou indagar...

    Quando o "comício" é dos vizinhos de cima, piora um pouco! ;)

    ResponderEliminar
  26. nao canto nada! tenho uma voz muito boa para escrever à maquina :P

    oh tete, que ferias seriam essas sem ter um vizinho que atormenta toda a gente?
    ainda bem que correu tudo bem :)

    ResponderEliminar
  27. Umas férias mais descansadas, não, FAUSTO??? :)))

    Mas correu tudo lindamente e já estou com vontade de mais... ;)

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)