domingo, 1 de julho de 2012

DE INSPIRAÇÃO MEXICANA?!?

Em tempos idos, segui (mais ou menos) uma telenovela mexicana, que era um dramalhão pegado... mas que me fazia rir à gargalhada! Não eram só os atores que pareciam apatetados, o argumento não tinha ponta por onde se lhe pegasse: uma jovem pobre, mas muito trabalhadora e estudiosa, apaixonava-se pelo professor que por acaso era da fina nata da sociedade e rico até mais não, ele por ela, mas depois mete-se pelo meio uma megera que queria casar com o ricaço e a relação complica. Uma amnésia, um paraplégico e, salvo erro, até um ceguinho depois, a rapariga permanentemente chorosa casa com o paraplégico, por julgar ser a sua obrigação moral (ou coisa do género!), por ter sido um soco do namorado que colocou o amigo naquela situação. Mudam de cidade (e de cenários) e vão viver para uma zona rural (que por acaso parecia um estúdio, mas pronto!), metade do elenco desapareceu como por artes mágicas, mas claro que o bonzão do ex-namorado tinha uma fazenda naquela zona, acabam por se encontrar e, ainda por cima, descobrir que o paraplégico só estava a fingir, para casar com ela...

Li agora que essa telenovela, intitulada "Maria José", era um remake de outra chilena, de uns 20 anos antes, que é sempre coisa que me custa a entender - não há ninguém para escrever mais, melhor e com maior atualidade do que aquilo? E as indumentárias e penteados, mesmo há 20 anos, não eram de cair pró lado? 

Julgava já ter visto o pior do que se pode exibir em telenovela (e sim, cenas mais-que-parvas também já vi em brasileiras, até recentemente, mas agora não vem ao caso!), quando ontem tive a ocasião única de perceber que estava redondamente enganada! Com o capítulo final de "Rosa Fogo", transmitido pela SIC. O único que vi, diga-se!

Não conhecendo as personagens ou o enredo, pasmei com várias cenas: numa há um bolo "milagroso" cheio de luz que esvoaça para as mãos de uma fulana e ficam todos muito contentes; noutra, uma mulher grávida que tinha aprisionado um latagão, que afinal conseguiu fugir para se encontrar com a sua amada, consegue algemar esta numa velha casa a que deita fogo, mas, coincidência das coincidências, chegam-lhe as dores de parto e ficam para lá as duas até que o herói de ambas as salva, com uma indolência que não lembra, ela tem o filho logo ali e morre; entretanto, outro mau da fita rapta uma miúda que afinal é filha dele, deixa-a ir embora para depois ir para a campa da mãe desta com insultos e cuspidelas, a menina assiste e insurge-se, chegam lá uns outros "heróis" que dão um tiro nas costas do gajo, este agarra a criança, clímax, um súbito tremor de terra, abre-se uma brecha no chão e o mau... é "engolido"! Quer dizer, parece que é, porque mesmo no final ele volta a aparecer, para vislumbrar de longe o tal casal que está num piquenique (no mesmo local?), com a filha dele e o filho da outra megera, já mais crescidinhos.

Desculpem lá, estes guionistas drogam-se, ou quê?!? Como é que um ator/atriz, por muito bom que seja, pode dar credibilidade a cenas destas? Coitados...

Imagem da net, da telenovela "Maria José", com Cláudia Ramirez e Arturo Peniche.

12 comentários:

  1. : )))
    Que seca!

    Aqui passam, no canal multicultural, entre as 16h e as 17h, telenovelas portuguesas ou brasileiras De vez em quando até as seguia mas ultimamente não têm conseguido captar-me a atenção.
    E agora vou tomar o pequeno-almoço! : )

    ResponderEliminar
  2. Por acaso também assisti a isso, Teté. Tinha acabado o Midsommer Murders. E como tu, foi a 1ª vez que vi. E pela amostra, a última. Realmente, aquilo foi mau demais

    ResponderEliminar
  3. Ehehe Também cheguei a ver alguns episódios desta novela mexicana, "Maria José". Aquilo era só rir. Havia com cada drama mais aparvalhado que era de bradar aos céus. Mas pelos vistos as novelas portugas estão a conseguir ultrapassar as mexicanas nas parvoíces inverossímeis. ;) Não vejo nenhuma.
    Gostava de ver a brasileira "Morde e Assopra"...

    ResponderEliminar
  4. A maioria das telenovelas são aquilo que a gente sabe. De tempos a tempos lá vou dando uma catrapiscadela, fruto da amizade que tenho com alguns actores/actrizes, mas normalmente são estórias de faca e alguidar.
    De tempos a tempos lá aparece uma novela com algum interesse mas depois andam ali a mastigar e a fazer render o peixe e lá se vai o apetite.
    Em tempos que já lá vão e quando só havia dois canais, as telenovelas eram o pão para a boca do telespectador, eu incluído.
    Beijinho Teté

    ResponderEliminar
  5. Alguém que concorda comigo!
    A minha mãe, inicialmente viciada nas telenovelas brasileiras -de que sempre gostei, excetuando os momentos em que faziam render o peixe-,é, agora, fã das portuguesas.
    Quando estamos juntas, temos por hábito de nos deitarmos a ver tv, enquanto conversamos. Nem dois minutos lá fico,tamanha é a seca.
    Quanto às mexicanas, também já me diverti com alguns enredos.

    beijocas, sem telenovelas, por falta de tempo, apenas.:)

    ResponderEliminar
  6. Podes crer, CATARINA! :))

    E também é verdade que há muito tempo que não sigo telenovelas (vejo um episódio ou outro das brasileiras do fim de tarde, que normalmente são de comédia, nem me apercebi que a última tinha acabado... :D), mas para estas cenas de faca e alguidar, não tenho paciência! :)

    Só vi o último capítulo desta porque estava em casa da minha irmã e uma das filhas dela queria ver... mas ainda me ri um bocado com tanto disparate junto! :))

    ResponderEliminar
  7. Quando é mau demais, VIC, pelo menos ainda dá para rir um bocado! E o drama do latagão entre a grávida e a algemada, e a quem salvar durante o incêndio, foi cá uma coisa, com imensa converseta pelo meio... que só para rir, mesmo! :))

    ResponderEliminar
  8. Eu até acho que os atores portugueses têm melhorado bastante, TONS DE AZUL, agora com argumentos inverosímeis destes... não vão a lado nenhum! :))

    E tens razão, a "Maria José" só dava para rir mesmo! :D

    Essa acabou e nem dei por ela! Via um episódio de vez em quando, calhou não ver os últimos... :)

    ResponderEliminar
  9. As portuguesas são todas de faca e alguidar, KIM! Mas não costumam inventar tanto no final... :))

    Coitados dos atores e atrizes que têm de desempenhar estes papelaços! :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  10. Com aquela mexicana qualquer argumentista aprendia o que NÃO devia escrever no guião, se queria que aquilo não virasse uma lamechice pegada e sem nexo, NINA!

    Pelos vistos, quem escreveu esta, não teve essa "escola"! Mas de um modo geral também não gosto das telenovelas portuguesas, porque se têm sucesso prolongam, até aquilo também já não ter nexo nenhum! Isto quando inicialmente o fazem, o que não é linear... :))

    E não, também não tenho pachorra! :D

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  11. ahahahahahahahahahahahahah. estiveste a ver foi o levanta-te e ri, admite! :P

    ResponderEliminar
  12. Não foi, MOYLITO, mas o efeito foi mais hilariante até... :))

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)