terça-feira, 3 de julho de 2012

ESGAZEADOS!

Não sei ao certo quando foi decidido que se iam mudar as canalizações de gás para o natural, mas terá sido lá para meados dos anos 90, desfasadamente, por todo o país. Assim, uma chusma de inspetores entrou casa adentro de milhões de pessoas, famílias ou empresas, para verificar canalizações, torneiras e equipamentos, num chumbo quase generalizado - estava quase tudo mal! E a responsabilidade era de cada um adaptar tudo o que considerassem errado, para receber aquela nova maravilha da moderna tecnologia em sua casa ou empresa, por decisão governamental... (não houve cá abébias para alguém dizer que não queria a mudança!)

Segundo apregoavam os governantes e os jornais da época, o gás natural só tinha vantagens. Apesar do ligeiro inconveniente de não ter cheiro, daí qualquer fuga não ser detetável pelos utentes. Não duvido que existissem muitas instalações perigosas nessa primeira triagem, uma vez que uma operação destas nunca tinha sido efetuada. 

Para ultrapassar essa questão de descaso do povo português quanto à própria segurança (e da vizinhança), no final da mesma década saiu uma portaria que tornou as inspeções de gás obrigatórias em todas as novas instalações, de 5 em 5 anos (para os prédios com mais de 20 anos), ou em qualquer remodelação. Esclareço que nem sou contra!

Certo é que não conheço ninguém que tenha "passado" numa dessas inspeções à primeira: segundo estes inspetores novatos, toda a gente corria (e corre) o risco de morrer esgazeado, em casa ou no trabalho! Se só muito raramente acontecia sem inspeção (e nem sequer se está a falar de malucóides a meter a cabeça no forno com intuitos suicidas, para explodirem eles e o prédio inteiro!), o perigo agora é iminente, nem sequer em cada esquina, mas em quase todos os apartamentos visitados. Pior ainda, quando chega o novo inspetor, o que foi exigido na inspeção anterior já não presta, tem de se chamar uma empresa credenciada (e todos sublinham o credenciada!) para executar o serviço. 

Consta (sublinhado meu!) que a empresa despediu um vasto número de empregados, na sequência desta inovação, que se organizaram entre si e formaram pequenas empresas, que a empresa-mãe (chamemos-lhe assim!) certificou. E os antigos colegas fazem o jeitinho de lhes encontrar clientes...

Seja ou não uma "teoria da conspiração" - que odeio, diga-se de passagem! - a dificuldade de aturar estes "doutores do gás", que se trancam na minha cozinha sem serem convidados (lei é lei!), enquanto conversam alegremente ao telemóvel, para depois anunciarem sorridentes que todos os residentes nesta casa estão em risco de vida, porque existem umas falhas não compatíveis com a portaria e fugas suspeitas não sabem exatamente onde, por acaso até me dão energia. Não será a deles... mas temos pena!

Imagem da net.

15 comentários:

  1. Vivam as leis à portuguesa!

    Vivam as empresas intermediárias!

    Viva Portugal!!!!!

    Um abraço solidário(tenho também gás natural)

    ResponderEliminar
  2. Tenho gás canalizado, mas não é o natural, aqui no prédio todos se opuseram para a mudança, mas não escapámos à inspecção de uma empresa para ver se estava tudo bem com as canalizações.

    ResponderEliminar
  3. Eu passei à primeira, sou boa estudante ehehe...que me lembre só tiveram que mudar a torneira de segurança, que era igual às torneiras da água, por uma amarela feiosa, de resto estava tudo ok, mas como também só tenho gás no esquentador...e claro é gás natural.

    Acho muito bem estas fiscalizações apesar de não confiar muito nestes drs. do gás...brincam demasiado para um assunto que, segundo eles, é muito sério, e como nestas coisas eu sou muito medricas e desconfiada...

    Chateia-me a própria empresa que me fornece o gás não ter gente especializada para fazer essas verificações, pior que isso é que se há um problema ninguém é responsável por nada, mas isso é outra história, daquelas que está muito mal contada...acontece no gás, na luz, na água, em quase todas as inspeções, seja do que for...

    Ainda esta semana recebi uma carta a dizer que está na altura de fazer nova inspeção...

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
  4. Quando em 1997 fiz o contrato para ter gaz natural, (porque o marido estava doente e não podia ir buscar as bilhas) foi a própria empresa que fez toda a canalização. Na altura foi-me dito que a respectiva inatalação sofreria inspeções de 5 em 5 anos. Acontece que só voltaram há 3 anos porque eu telefonei a dizer que estava com uma fuga.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  5. Não gostei.
    Tendo eu comprado a minha humilde casinha há 4 anos, isto significa que tenho um para poupar para as exigências dos doutores do gás?!
    Não gostei.:)

    beijocas (ai, o nosso subsídio! Que falta faz para estas coisas!)

    ResponderEliminar
  6. É isso mesmo, SÃO - passa-se do 8 para o 80, dando a ganhar a essas tais empresas intermediárias... :P

    Obrigada pelo abraço solidário e outro para ti! :)

    ResponderEliminar
  7. Aqui não houve abébias para ninguém dizer que não queria, RAINHA! No prédio e na rua inteira: obrigatório e mainada! :S

    ResponderEliminar
  8. Se tiveram de mudar a torneira, já não és assim tão boa estudante, MARIA! :)

    Não confio nada nestes "doutores", porque nunca são os mesmos a fazer a inspeção e depois fazem as novas exigências com grande cara de pau, dizendo que não têm nada a ver com os anteriores! Segundo este último, tenho de partir parede e bancada (com pedra de granito) para mudar a posição da dita torneira do fogão - que foi exigida e aceite nas anteriores. Estou a ponderar seriamente é mudar a placa do fogão para um de indução, que deve sair mais barato, mas não era despesa que estivesse prevista para já... :S

    A especialização deles deve ser grande, se dizem que há fuga, mas se trancafiam na cozinha de portas e janelas fechadas a conversar alegremente ao telemóvel! Topas?! Aí já não há risco de ESCABUM?!?

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  9. Pois, mas aqui são mais ou menos atempadas, ELVIRA! E as canalizações eram antigas, foram remodeladas, mas sempre que voltam inventam mais umas obras. E dizem que há uma ligeira fuga, mas não sabem onde, tem de se chamar lá uma das tais empresas, as fiscalizações seguintes já se pagam. Um maná para todos, especialmente em altura de férias, que um dinheiro extra sabe tão bem! :P

    Abraço! :)

    ResponderEliminar
  10. Depende da casinha, NINA! Se tiver mais de 20 anos, a obrigatoriedade é a fiscalização ser de 5 em 5. Mas pelo que percebi, aqui em Lisboa andam mais em cima... :S

    E sim, sempre foi com os subsídios que estas despesas extras eram pagas. Agora, não sei bem como é que a malta se arranja! Nem a m... do reembolso do IRS ainda foi devolvido este ano!

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  11. Há quem esteja a fazer uma pipa de dinheiro com essas fiscalizações! Que esquemas.

    ResponderEliminar
  12. Pois, CATARINA, deve ser um maná para estes "doutorados" em gás! E mais um rombo no nosso bolso... :S

    ResponderEliminar
  13. esgazeados andamos todos, com ou sem gás natural. no meu prédio não há, por exemplo. felizmente, porque isto de andar a aturar estrangeiros dentro de casa é coisa que me não agrada.

    ResponderEliminar
  14. Estrangeiros, MOYLITO! Tugas chatos e a quererem ganhar algum à nossa pala, isso sim... :P

    ResponderEliminar
  15. Anónimo7/24/2012

    o mais engraçado é que consultar o "site": httpp://dgeg.pt, é o mesmo que FICAR NA MESMA! onde está a lei clara informando o consumidor para se defender dos crâneos inspectivos desejosos de facturar? EM MINHA CASA SÓ E APENAS MUNIDOS DE LEI CLARA E INEQUÍVOCA é que entram. Se até a PSP/GNR só podem entrar no domicilio munidos de autorização de juíz, porquê franquear a porta a credenciados especuladores?

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)