quarta-feira, 25 de maio de 2011

NA PRIMEIRA NOITE

Fotografia de Ian Britton

"Na primeira noite eles se aproximam e colhem uma flor do nosso jardim. 
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem, pisam as flores e matam o nosso cão.
E não dizemos nada.
Até que um dia, o mais frágil deles, entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a lua, e, conhecendo nosso medo, arranca-nos a voz da garganta.
E porque não dissemos nada, já não podemos dizer."
Vladimir Maiakovski

A polémica em torno deste poema tem cerca de um século de existência, porque outros poetas se inspiraram nele, ou, alguns mais descarados, reivindicaram-o como seu. E, claro, o plágio sempre existiu! Nisso a net é muito saudável, pois cruza dados antigos e recentes e, se o poeta russo morreu em 1930, é muito improvável que seja "obra-prima" de outro poeta em 2007...
Não sendo especialmente ligada à poesia, só me lembrei deste assunto, porque vários amigos da blogosfera referiram dificuldades em entrar em blogues alheios ou comentar: se calhou no canto deles, provavelmente também vai passar por aqui!
Um dia depois do blogger ter devolvido os comentários desaparecidos no passado dia 12 - para o caso de não terem reparado, como a Maria (desculpem se não respondi, mas já lá iam mais de 10 dias...) - dá para perceber que toca a todos, mais cedo ou mais tarde...
Até que tudo se resolva, fiquem bem!

24 comentários:

  1. Não conhecia este poema. É lindo!
    Quanto ao blogger, outra vez?!
    Antes o blogue do que nós, cá fora, não é?:))

    jinhos

    ResponderEliminar
  2. São uns ladrões de comentários estes blogger dot comes.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo5/25/2011

    vou tentar escrever de novo um comentário (Teresa Durães)

    Primeiro vieram buscar os coxos mas como não sou coxa, não disse nada

    (e continua. Aposto que esta parte está errada pois sou uma troca tintas, a Maria sabe este poema)

    isto não está bom, ou fica ou desisto
    Bj

    ResponderEliminar
  4. é tipico reclamar logo e por vezes desistir mas se muitos bloggers procurassem um pouco de informação podiam saber que o blogger prepara grandes mudanças e tal como numa obra publica, antes de ficar bem, passa por estar mal.

    ResponderEliminar
  5. Presumo que a Maia tenha sido invadida pelos sovietes!

    :)


    Bom fim-de-se.........

    ResponderEliminar
  6. Será que desta vez o comentário entra?

    ResponderEliminar
  7. Parece que consegui fintar o blogger Upps!

    ResponderEliminar
  8. Estou a ter esse problema neste momento. Não consigo comentar blogs. Mas só acontece com o Internet Explorer por isso recorri ao Mozilla Firefox e está a funcionar na normalidade. Quanto ao poema eu de facto não conhecia mas tal como tu, sou mais adepto da prosa. Quanto ao plágio na minha faculdade toda a gente morre de medo sequer de tentar. Quem já o fez ainda tem essas cadeiras pendentes… Claro que eu aprovo esse castigo e sei que é um crime…

    ResponderEliminar
  9. Também isso se está a passar comigo.
    Umas vezes não consigo comentar, outras nem sequer consigo postar.
    Modernices. Vou fazer como os alentejanos e esperar que passe.
    Beijinho Tété

    ResponderEliminar
  10. Pois, NINA, também há uma vida lá fora... :)

    Mas suponho que será um período de mudança, como diz o Vício! Por aqui ainda não me bateu à porta, mas é esperar para ver... ;)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  11. Ninguém gosta de ficar sem os seus comentários, CONSTANTINO, daí a um problema ser considerado ladroagem... :D

    ResponderEliminar
  12. TERESA DURÃES, não sejas tão pessimista, a situação há-de resolver-se! Talvez não com a celeridade que gostaríamos, mas também a vida é assim, nem sempre corre como desejamos... ;)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  13. é realmente um belo poema. gosto muito :)

    ResponderEliminar
  14. Ah, mas não falei em desistir, VÍCIO! Achas?! :D

    Estou à espera para ver no que dá, só isso... De qualquer forma, obrigada pela tua informação, que é a mais plausível de todas! :)

    ResponderEliminar
  15. Só falta a... mana, SISNANDO! :))

    Agora que os sovietes são culpados de tudo, não me restam dúvidas! =))

    ResponderEliminar
  16. Ainda não tive problemas, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA, mas, se calhar, é por usar o Mozilla e não o IE, como refere o Psimento. De uma maneira ou de outra consegue-se "fintar", mas dá muito mais trabalho... ;)

    ResponderEliminar
  17. Se calhar até é por aí que ainda não tive problema, PSIMENTO, que só uso o Mozilla! :D

    Plágio é daqueles crimes que pouca gente acha que o é, sei lá, porque provavelmente pensam que poderiam ter a mesma ideia! Mas em teses de curso, agora que não basta ir apanhar um livro esquecido num canto de uma biblioteca recôndita (que, suponho, daria pano para mangas se se fossem verificar teses de ilustres personagens), evidentemente que complicou... :)

    Há crimes e desonestidades que não compensam, pelo menos a longo prazo e com novas tecnologias! :))

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  18. Vai passar, KIM, não te preocupes! :D

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  19. Passaste no Facebook antes de passar por aqui, MOYLITO?! :))

    Também gosto muito! :)

    ResponderEliminar
  20. Bonita poesia.
    Não a associei aos problemas do blogger, mas fez-me lembrar um ditado usado pelo povo brasileiro e que diz: "o galo se mata na primeira noite".

    Por enquanto os ditos "problemas blogosferianos" de não conseguir comentar ou postar ainda não me chegaram. A ver vamos...

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  21. Ah, e uso o Chrome. Será por isso que também tenho conseguido fintar a malta do blogger?
    Mas se é para mudar, que seja para melhor!

    Beijinhos novamente ;)

    ResponderEliminar
  22. Eheheh, KARENB, não foi o poema original que associei aos problemas do blogger, foi outro baseado nele, de Martin Niemoller, igualmente semelhante ao de Brecht! (as pesquisas dão nisto) :D

    Adorei o provérbio, que não conhecia! ~c

    Mudar, só pode ser para melhor, esperemos que assim seja... :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  23. hummmm. escapou-me o motivo da tua questão, mas é do adiantado da hora :)

    ResponderEliminar
  24. Talvez a lógica do pensamento também não tivesse sido muito bem explicada, MOYLITO! Tem dias assim... ;)

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)