quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

JOHN LENNON FOREVER!

Fotografia de Ian Britton (mural em Praga)

Faz hoje precisamente 30 anos que John Lennon foi assassinado à porta de sua casa, em Nova York, quando regressava de um estúdio de gravação. Tinha 40 anos. Músico e compositor, o ex-Beatles era também um pacifista convicto, activamente empenhado na luta contra todas as guerras do seu tempo. Como todos os ídolos que morrem prematura e drasticamente, tornou-se um mito.
A sua mensagem permanece actual, hoje e enquanto a nossa memória o permitir:


John Lennon, thank you, forever!!!

22 comentários:

  1. Nas duas vezes que estive em Praga não vi lá este mural.

    Também pensei em escrever alguma coisa sobre a morte trágica do John Lennon no "ematejoca azul", mas preferi continuar a chatear os meus leitores com o Advento na Alemanha.

    Saudação natalícia!

    ResponderEliminar
  2. A fotografia é de um pormenor de um mural maior, EMATEJOCA! :)

    Saudação natalícia para ti também!

    ResponderEliminar
  3. Sim John para sempre!
    É bom recordar pessoas como o John Lennon, que marcou várias gerações e acredito que continuará a marcar, mesmo que não seja, claro, com o mesmo vinco. ;)

    ResponderEliminar
  4. Era bom rapaz, sim senhora!

    ResponderEliminar
  5. Há 30 anos que o sonho de John Lennon terminou, e o que seria hoje o mundo se estivesse vivo? Certamente seria diferente porque Lennon teria muitas músicas para cantar.

    Recordo-me bem do momento em que Luis Filipe Barros deu notícia da morte de Lennon. Estava a estuda no meu quarto e, como sempre, a ouvir rádio sintonizado no Rock em Stock.

    ResponderEliminar
  6. John forever, sem dúvida nenhuma. Ia dizer o mesmo q o paulofski: como seria o mundo hoje se o John tivesse continuado a contagiar-nos. Imagine é uma das músicas mais inspiradoras de todo o sempre.

    ResponderEliminar
  7. Um génio da música pop.
    Dos Beatles nunca tive dúvidas que era o grande inspirador daquela banda que revolucionou a música popular.
    Aproveito para escutares as músicas "God" ou "Woman". A primeira um sentimento de revolta, em tudo que acreditava, embora de texto polémico. A segunda uma homenagem à mulher (não só à sua).

    Saudações

    ResponderEliminar
  8. Sinceramente, tinha-me esquecido da data. Só quando entrei no avião, um artigo no Clarin me recordou a efeméride. Vim boa parte da viagem a ouvi-lo.

    ResponderEliminar
  9. o mark david chapman só precisava de amor :)

    ResponderEliminar
  10. A exemplo da maioria das suas cançõesm esta é extremamente bela. Nas palavras e na melancolia da música.
    Todos os sonhadores imaginam o mundo como ele imaginava.
    Eu também!
    Beijinho Tété

    ResponderEliminar
  11. "Mother...you had me, but I never had you", canta John Lennon mais tarde.
    Não só a sua morte foi trágica, o que lhe valeu ficar imortal, pelo menos na nossa geração, a vida dele foi desde o início uma tragédia.
    "Nowhere Boy" é um filme sobre Lennon. Conheces? Ainda não o vi, pois com o tempo glacial que está, nem apetece sair de casa.

    O calendário de Advento da Ema também é com uns chocolatinhos dentro, para abrir uma janelinha cada dia. Ela diz, que o meu não é um calendário de Advento, mas sim velas com números!!!

    Beijocas com cheirinho a canela.

    ResponderEliminar
  12. Impossivel esquecer, Teté !
    Estive em NY em Junho passado e não pude deixar de passar no singelo "memorial Imagine", apenas em poucos m2 no chão do Central Park e dedicar-lhe alguns minutos de recolhimento e memória!
    Diz-se que foi morto à porta de casa, mas foi naquele sítio exacto, onde a mulher dele pretendeu que ficasse registado para o futuro. Depois do tiro ainda foi amparado até casa , onde veio a morrer.
    Ficou-me "marcado" !
    .

    ResponderEliminar
  13. Nunca é com a mesma intensidade com que marcou os seus contemporâneos, TONS DE AZUL, mas acredito que continue a marcar... :D

    ResponderEliminar
  14. O sonho não terminou, PAULOFSKI, mas está um bocado metido na gaveta, por falta de gente empenhada em defender as mesmas causas, quase todos mais preocupados com os cifrões! :p

    Eu vi na TV, e não queria acreditar! :((

    ResponderEliminar
  15. Também acho, VANI! As coisas talvez fossem diferentes, porque há realmente pessoas que nos inspiram a defender as nossas causas mais acerrimamente! ;)

    ResponderEliminar
  16. Também conheço bem "Woman", que até tive em EP quando saiu, CARLOS... :))

    Também acho que ele foi o grande compositor dos Beatles, sem desprestígio nenhum para McCartney, que era quase tão brilhante quanto ele, e sem esquecer Harrison também ele muito bom! De qualquer das formas, Lennon era também o mais contundente e carismático! :D

    Saudações!

    ResponderEliminar
  17. É normal, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA, até porque já passaram 30 anos... ;)

    Os Beatles, em conjunto, e cada um deles individualmente, ainda têm muitos fãs! :D

    ResponderEliminar
  18. O Chapman era "mal cozido", MOYLITO! ~xp

    ResponderEliminar
  19. E todos continuaremos a imaginar, KIM, embora nos possam apelidar de utópicos... :)

    Beijocas, amigo sonhador!

    ResponderEliminar
  20. Não, ainda não vi esse filme, EMATEJOCA!

    O meu filho todos os anos tinha um calendário desses com os chocolatinhos, que às vezes comia antes da data prevista... :))

    ResponderEliminar
  21. Sim, também vi essa imagem do "memorial" em Central Park, "Strawberry Fields", publicada nos últimos dias, RUI! E quando for a Nova Iorque, onde nunca estive, certamente não deixarei de visitar... :)

    Quanto à morte propriamente dita, ele levou 4 tiros, 3 no peito e um num braço, dos 5 que o assassino disparou, e foi conduzido pelo carro da polícia ao Hospital, onde chegou já sem vida. Pelo menos é o que consta em tudo o que li... E sim, "à porta de casa" é força de expressão, significa mais que se dirigia na sua direcção e estava nas proximidades... ;)

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)