quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

UM FRIO DE RACHAR

Fotografia de Ian Britton

Está mesmo, mas para constatar isso basta pôr o nariz fora da janela, sem mais conversas. O que me intriga mesmo é a origem da expressão, que tentei pesquisar na net, em vão. O significado todos sabemos que é o de "muito frio", mas porquê rachar?
À partida associei ao rachar da lenha no Inverno e aos lenhadores (dos contos infantis e não só!) que tinham essa tarefa, para alimentarem fogões, fornos ou lareiras que permitiam aos povos sobreviver mesmo com baixas temperaturas, num tempo em que Edison ainda nem sonhava em nascer. Já os imaginava a sair de casa de machado ao ombro, enquanto avisavam a famelga que "está um frio de rachar (lenha)", que toda a vizinhança agradecia. Um cowboy também serve para a imagem, embora esses às vezes apareçam nos filmes em tronco nu, a exibir a musculatura, sem sombra de qualquer incómodo devido à temperatura ambiente. Adiante! Dessa explicação, que inicialmente me parecia tão óbvia, não encontrei nem vestígios...
Longe de não reconhecer a facilidade da informação via net (com todas as Wikis, incluídas), convenhamos que nem sempre é isenta e fiável. O que descobri é que uma frase tão comum na língua portuguesa - mesmo que de origem incerta - recebe título de regionalismo tanto numa aldeia recôndita de Portugal, como assume  foros de gíria gaúcha ou portoalegrense, no lado de lá do Atlântico. Se bem que aqui já tenham acrescentado (ou mantido) "os beiços" - faz sentido, mas será a fórmula original ou alterada pelo tempo?
Claro que ainda existe a vaga hipótese de ser um estrangeirismo qualquer, mas quem souber a resposta para esta questão faça-me o favor de esclarecer, sem "bairrismos", que estas saloíices de quem "inventou" a expressão tiram-me logo a vontade de investigar mais...
Resumindo: está um briol do caraças! 

21 comentários:

  1. Ao ler o título apeteceu-me logo dizer: "Parece que o mundo inteiro se uniu pra me tramar!" :)))
    Também não sei a origem. Ainda ontem escrevi ao correr do teclado "caír no goto". É outra que tal.
    Goto (glote-garganta-entaladela)- quando é o contrário.
    Goto (Gosto) pareceria bem, mas não tem nada a ver. É errado (segundo o Google).
    Frases feitas em que dificilmente se sabe a origem. :))
    "Essa" do "briol" também terá que se lhe diga.
    Já, "caraças", essa é à Porto, carago e carago vem do espanhol ! :)))
    Saíste duma para te meter noutra pior, carago!
    Carago não. Carago. :)))
    .

    ResponderEliminar
  2. Em galego também se diz "frío de rachar" e sempre o associei a rachar a pele, não pensara no da lenha. Só que "rachar" também se utiliza na expressão "festa rachada", que é uma festa com toda a pompa ("de escacha e arromba", que também se diz cá). Rachar tem, pois, um sentido figurado de causar uma impressão forte, que bem se pode aplicar aqui, mas eu inclino-me pela tua primeira versão da lenha.

    Cá também se diz: "está um frío que pela" (de pelar a pele) e usa-se também para as coisas quentes, que queimam (a sopa quente "pela" na língua, e o frio intenso queima também a pele. Não, sei mas talvez esse "pelar" e o "rachar" tenham relação.

    Eu sei, não resolvi nada. Só estive a matutar em voz alta para distrair o frio...

    ResponderEliminar
  3. UM FRIO DE RACHAR... OS OSSOS!

    ResponderEliminar
  4. Frio de rachar é um "modo de dizer", uma expressão popular, que já ouvi dizer da boca dos mais velhos transmontanos ter que ver com o dito "vento suão" que rachava montes e secava fontes. É um vento que vem dos lados do este, dos espanhóis (nem bom vento nem bom casamento). É um vento muito frio e seco, associado à falta de chuva que seca as terras causando por vezes prejuízos.

    Ainda ontem à noite rapei um frio de cortar sentado nas bancadas do Dragão. Mas aqueci as mãos ~c

    ResponderEliminar
  5. Tenho estado a pensar, enquanto da janela do meu quarto observo a neve a cair, que a tua associação do termo "um frio de rachar" ao rachar da lenha no Inverno e aos lenhadores até tem lógica.

    O Paulofski diz que é uma expressão popular dos transmontanos. Acredito! A minha mãe era transmontana e usava às vezes esse termo.

    Saudação de um Düsseldorf afundado em neve e com a temperatura de 8 graus negativos.

    BRR! QUE FRIO DE RACHAR!!!

    ResponderEliminar
  6. Nunca tinha ouvido falar do Carlos Nuno de Abreu Pinto Coelho — só agora é que vi no Google que foi um jornalista português.

    A neve e o "frio de rachar" impediu-me de sair esta tarde de casa para visitar a Feira do Natal.

    ResponderEliminar
  7. Já sei qual é o teu conto, que afinal era um dos que estava na minha lista, sem saber que era o teu.
    O que eu acho estranho é de certos concorrentes terem votado no seu próprio conto. Bem - então prefiro ter ZERO PONTOS!!!

    ResponderEliminar
  8. Oh Teté estás a divagar pelas expressões como o rafeiro eheheh.
    Francamente eu não sei o porque desse “dizer” mas a verdade é que a hipótese dos lenhadores tem a sua lógica. Mas de resto cowboys em tronco nú também não me parece nada mal. :p
    Beijos e foge para o quentinho ;).

    ResponderEliminar
  9. Porquê, RUI? Muitos bloguistas a escrever sobre o frio?! :D
    Há expressões muito estranhas, essa do goto é outra delas: mas vendo bem a coisa, algo que fica entalado, leva mais tempo a esquecer que o que passa facilmente... :))
    Caraças é à Porto??? Olha que não...
    Carago concordo que vem daí e de Espanha!
    E o briol não tem esse sentido no dicionário, mas é comummente usado por todos, no sentido de muito frio! :))

    ResponderEliminar
  10. Há muitas expressões semelhantes na Galiza e no Minho, que certamente vêm do convívio entre as populações, SUN. Saber a origem delas (não propriamente quem inventou) é que se torna mais complicado... e algumas fazem-nos pensar! :D

    Deve ser do frio... :p

    ResponderEliminar
  11. Também li essa do vento de "rachar montes e secar fontes", PAULOFSKI, é possível que seja uma explicação. Mas onde li tinha um significado de vento de concelhos vizinhos, não propriamente só de Espanha. Nem mencionava o frio, mas por associação de ideias é possível que tenha entrado no linguajar... :D

    Ah, o Porto ganhou? Parabéns para ti e todos os adeptos! ~c

    ResponderEliminar
  12. Também li que gramaticalmente é uma hipérbole (figura de estilo), EMATEJOCA! Daí, rachar os ossos até fazer algum sentido... ;)

    A expressão do vento que o Paulofski falou não conhecia, portanto essa deve ser mesmo dessa região. Agora a do frio também aparece no Brasil, portanto não o é.

    Bom, o Carlos Pinto Coelho cá era bastante conhecido.

    É, pelo que percebi pelo menos 3 votaram nos seus próprios contos. Além que houve ali uma "publicidadezinha" de alguns, para os amigos irem lá votar, eheheh! Esta gente faz batota, mesmo a jogar a feijões... :e

    Mas pronto, a Licas esforçou-se e conseguiu juntar um bom número de participantes, só por isso já valeu a pena. ;)

    ResponderEliminar
  13. Ah, e o Rafeiro é o único a poder ter dúvidas sobre as expressões que usamos habitualmente, PSIMENTO??? :D

    Essa dos lenhadores, que sempre me pareceu tão óbvia, deve ser filme da minha cabeça. Já os cowboys é de filmes reais e alheios... =))

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  14. Vou explicar, Teté :
    Rui Veloso) ...
    Para mim hoje é Janeiro, está um frio de rachar,
    Parece que o mundo inteiro se uniu pr'a me tramar! ...

    Digo que “caraças” é à moda do Porto, usado no sentido de atenuar o efeito do “carago” que tem uma carga mais pesada. :)
    É como dizer “porreta” ou “carvalho”, para não dizer outras coisas ! :))
    .

    ResponderEliminar
  15. Ah, pois, RUI, dito (ou cantado) assim faz mais sentido... :))

    Caraças é muito luso, em qualquer parte do país! E carnavalesco, também... :D

    ResponderEliminar
  16. `Não suporto frio, pronto! ( Mas vou ter de o aguentra nos próximos dias, ao qu parece).

    ResponderEliminar
  17. Demasiado frio (ou calor) é sempre desagradável, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA... ;)

    ResponderEliminar
  18. Bem, sempre entendi o frio de rachar como o frio que torna a agua em gelo e como se sabe o gelo espande e racha.
    Mas já li nos comentários o "rachar a pele" e faz-me muito sentido.

    Há coisas que são como são só porque o são desde sempre :)

    ResponderEliminar
  19. Desde sempre não serão, FAUSTO, dá-me ideia que a origem é bastante remota, porque também se usa no Brasil. E é de "rachar os beiços", com o cieiro, que também faz sentido...

    Essa do gelo/neve não me passou pela cabeça, mas também é possível! Especialmente se teve origem em terras altas... :D

    ResponderEliminar
  20. o frio extremo e o gelo faz rachar as pedras porque a água sólida expande. mesmo antes do conhecimento científico desse fenómeno físico, o conhecimento empírico dos seus resultados pode ter levado a essa expressão. digo eu, c'os nervos :h

    ResponderEliminar
  21. Pois, é possível que seja essa a origem da expressão, independentemente dos teus nervos, MOYLITO! :e

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)