terça-feira, 1 de junho de 2010

JOÃOZINHO DA VOZ DOCE

Há alcunhas que não funcionam para atazanar a vida das pessoas, mas como uma imagem de marca que fica para a vida inteira. Carinhosa, até!

É o caso de "Joãozinho da Voz Doce", professor de Educação Musical do Liceu D. Pedro V (depois passou a chamar-se Escola Secundária, porque o que os MECs, MEICs e afins souberam fazer foi trocar os nomes, os números aos anos, etc. e tal) e do qual todos os antigos alunos se lembram. João Chafes, assim se chamava ele, era um professor empenhado, que incentivou muitos discípulos a participarem no coro de canto coral, com ensaios à hora do almoço, aos Sábados, quando desse.

Claro que também tinha de aturar os desafinados, como eu e muitos mais, durante as aulas. Lembro-me de um puto cheio de estrica - o Gica - combinar com o pessoal: "Hoje vamos todos desafinar!" E desafinávamos como ó caraças, propositadamente, e o professor cheio de paciência só dizia: "Vamos repetir!" E lá voltávamos nós:

"Minhas botas velhas cardadas,
palmilhando léguas sem fim,
quanto mais velhinhas e estragadas,
tanto mais vigor sinto em mim."

Até que no final, ele dizia: "Está melhor!" Ao fim de várias repetições...

A certa altura, começou a colocar num placard da sala de música, a "anedota da semana": normalmente era um recorte de jornal, tipo cartoon, um pouquinho simplório. Vai daí que numa turma mais inventiva, na época do Carnaval, combinaram que alguns iriam lá ler a anedota e largar uma bombinha de mau-cheiro. Dito e feito! Nem com isso se atrapalhou: mandou os alunos fazerem um teste, que ficassem sossegadinhos, que ele tinha de ir à secretaria. E lá ficaram todos a aturar o pivete que eles próprios provocaram, enquanto ele foi arejar!

Durante um jantar de antigos alunos do liceu, em que graças às "intempéries" nem todos se reconheceram - mais velhos, mais gordos, mais carecas ou com cabelos brancos, desmemoriados - tentando perceber os elos que em tempos nos ligaram, TODOS se lembravam do "nosso Joãozinho". Bons professores nunca se esquecem, nem no coração dos desafinados...


A fotografia encontrei no blog de João Gonçalves, "Portugal dos pequeninos", aqui.

20 comentários:

  1. Não consegui pedir autorização a João Gonçalves para publicar a foto, que tendo sido postada em 2007 já não admite comentários. Não foi tirada por ele, mas é do seu álbum.

    Mesmo assim acredito que não ficará ofendido pela sua utilização, para homenagear um professor tão querido por todos.

    E sim, tanto quanto sabemos ainda é vivo, mas já está reformado... :)

    ResponderEliminar
  2. Bons professores não se esquecem, não. Afinal a escola é a nossa vida durante muitos anos.

    ResponderEliminar
  3. Mesmo desafinada, SUN, percebia o entusiasmo deste professor! Chama que não existe em todos... :)

    ResponderEliminar
  4. gostei da parte da bombinha de mau cheiro!
    a experiência de vida que ele mostrou deve ter servido como uma boa lição para os espertinhos dos alunos...

    ResponderEliminar
  5. Belas memórias da escola e de um professor em particular, também gosto de partilhar as minhas ;)

    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  6. Professor sofee, mas quando am a profissão e sabe lidar com os alunos, nunca mais é esquecido

    ResponderEliminar
  7. esse gajo era para despedir imediatamente. onde é que já se viu um professor motivado, a abdicar dos sábados para os alunos. muito estranho. nunca ouvi falar de tal travestismo.

    ResponderEliminar
  8. VÍCIO, alunos "espertinhos" sempre houve, compete aos professores pô-los na linha... :D

    Alguns professores são inesquecíveis, FERNANDA, normalmente os muitos bons ou muito maus. Este era dos empenhados, que se dedicava aos alunos e à sua profissão. Mas já na altura havia alguns que enquanto não arranjavam emprego melhor iam dar aulas (alguns até muito bons) e depois abandonavam o ensino a meio do ano ou quando calhasse...
    Beijinhos! :)

    Amar a profissão de professor devia ser condição para o ser, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA! Evidentemente, esses que a amam e se empenham em novos projectos, envolvendo alunos (nem sempre fáceis), são inesquecíveis... :)

    ResponderEliminar
  9. Ahahah, MOYLITO, estamos a falar dos anos 70, em que ainda existiam aulas aos sábados de manhã, por exemplo. A foto é do ano lectivo de 1976/77 (creio que nessa altura já tinham acabado as aulas aos Sábados), mas o grupo coral do liceu apresentava-se ao público, noutros dias.

    Suponho que neste caso, no dia 10 de Junho (que já era feriado, eheheh!) :D

    ResponderEliminar
  10. Tete Tete...o que é que tu me foste lembrar, snif snif... eu ADORO essa cantinela :) Quando era pikena, a minha mãe ia-nos buscar à escolinha e depois lá iamos nós a pé para casa, pelo descampado (ainda era um bocadito), cantando:

    Minhas botas, velhas, cambadas...

    snif snif snif

    Vou ligar à minha mãe... :)

    ResponderEliminar
  11. ups, afinal é cardadas... a mim ficou-me o cambadas ahahahahah!

    ResponderEliminar
  12. aiii, a bela da nostalgia...

    Tb recordo vários professores pelos bons motivos. A Dona Graça de FQ (infelizmente perdeu a razão, com uma arterosclerose cerebral :( ), o Professor Avelino de BIologia (que ainda encontro de vez em quando :)), a Professora Ondina de Geografia, a Professora Aflitos de Inglês... assim de repente são estes os que me vêm à memória, porque são os que mais evoco, por amarem demais a profissão, por acreditarem em mim, por estarem sempre do meu lado e por terem contribuído muito para que eu amasse a profissão :)

    ResponderEliminar
  13. Ai as saudades...fiquei com saudades deles...tenho de lhe ligar :)

    ResponderEliminar
  14. Há cantilenas assim, VANI, que nos ficam para sempre! :D

    Mas não, não escrevi por saudosismo, apenas por admiração pelo professor. E sim, também desafinei nas aulas nessas "ondas de rebeldia", mas felizmente não foi na minha turma que surgiu essa ideia das "bombinhas de mau-cheiro"... :p

    E sim, todos recordamos bons professores, mas este foi dos poucos de que todos se lembravam durante o jantar de antigos alunos... E tinha uma paciência para aturar a malta! :b

    ResponderEliminar
  15. Estes que referi tb são dos poucos que todos lembrarão para sempre :). Acabei mesmo por contactar com duas, a de Inglês e a de Geografia lolololol, aiiii que saudades :). Não seria a pessoa que sou sem o contributo delas, isso é mais do que certo, e ainda hoje penso muito, quando preciso de uma estratégia pedagógica, o que faria a professora Ondina? O que faria o professor Adelino? :)

    Minhas botas velhas cardaaaaaaaadas! :)))))

    ResponderEliminar
  16. Eheheh, VANI, vale sempre a pena relembrar antigos professores, daqueles que nos ensinaram a dar o nosso melhor! :D

    Minhas botas velhas cardadas, forever! :x

    ResponderEliminar
  17. Anónimo6/21/2011

    Durante todos os anos que passaram e longe de Portugal, O professor Joaozinho da voz doce e parte das minhas memorias e um professor que me marcou profundamente. Falo varias vezes dele e das partidas que as vezes faziamos, mas sobretudo de como o admiro como um professor dedicado.

    ResponderEliminar
  18. Neste caso específico, a admiração estende-se a quase todos os antigos alunos do liceu D. Pedro V deste professor, tivessem maior ou menor "queda" para a música ou para o canto. Tanto, que no passado dia 28 de Maio foi-lhe feita uma homenagem no liceu, onde não faltaram antigos elementos do grupo coral que cantaram as musicas que ele lhes ensinou, e muitos outros alunos que lá estiveram para o cumprimentar e aplaudir! Foi muito comovente e ele estava muito satisfeito! :)

    ResponderEliminar
  19. Anónimo6/21/2011

    adorava ter podido participar, mas estou muito longe. Fica aqui o meu grande carinho por este professor

    ResponderEliminar
  20. Carinho partilhado por todos, podendo ou não ter estado presentes na homenagem! :)

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)