sexta-feira, 11 de abril de 2008

QUIPROQUÓ


Foto da net

A menina d' A Grafonola que Sabia Falar desafiou os seus visitantes a explicarem o porquê do nome que cada um atribuiu ao seu blog. Ora certamente haverá pessoas que têm explicações bastante buriladas e sofisticadas, que confesso não ser o meu caso. Como há objectos de que gosto especialmente - livros, marcadores de livros, conchas, palhinhas para beber refrescos, isqueiros, penas, canetas coloridas, por exemplo - também existem palavras que me agradam preferencialmente. Quiproquó é uma delas, entre tantas outras!

Quis escolher só uma palavra, por me parecer mais simples e despretensioso. Verborreia e estaminé, também estiveram em ponderação, "As Conversas São Como As Cerejas" foi eliminado à partida por demasiado longo. E como quiproquó significa "engano; equívoco; confusão de palavras", pareceu-me o mais adequado. Et voilá, deslindou-se o "mistério"!

Quanto ao nick, esse ainda é menos misterioso: muitos familiares e amigos mais próximos me chamam assim, desde que me lembro!

Curioso é o facto da "Grafonola" ter escolhido essa designação - entre outras razões, por a mãe a apelidar assim em criança - e a minha irmã, que nasceu exactamente no mesmo dia (com uns anos de diferença), também ter tido essa "alcunha", a nível familiar...

Hummm... sabem quem está a bater à porta? O fim de semana!!! Que seja Ó P T I M O, para todos!

31 comentários:

  1. Ah, pois, REI, é bom tirar anotações de matéria tão controversa... :D

    ResponderEliminar
  2. Vai ser bom para o mestrado que estou a fazer na área do assentamento de azulejos.

    ResponderEliminar
  3. E como é que assentas os azulejos, REI? Com os dedos dos pés em flor?

    É que, segundo creio, também aceitaste o desafio... :)))

    ResponderEliminar
  4. Não me comprometas, Teté, que não aceitei qualquer desafio.

    Como assento os azulejos?
    Ora essa! Com um pé-de-cabra.
    Com que mais haveria de ser?

    ResponderEliminar
  5. Um pé-de-cabra dá jeito para assentar azulejos???

    Oh pá, estamos sempre a aprender na blogosfera! Cá para mim, julgava que era só para arrombar portas... ;)

    ResponderEliminar
  6. eu fui lá a aceitei e agora lembrar-me...

    :)))))

    ResponderEliminar
  7. Oh INÊS, mas no teu caso o nome entende-se logo à partida... ou não?
    :)))

    ResponderEliminar
  8. É que eu trabalho com a dama pé-de-cabra, tás a ver?

    ResponderEliminar
  9. Ah, coitada, deve ter dificuldade em encontrar sapatos apropriados, REI... ;)

    ResponderEliminar
  10. Ela calça botas de homem...

    ResponderEliminar
  11. AAAAAAAAAAAAAH, reizão, tás desafiaaaaaaaaaaado!!! Toma, agora não te safas...aguarda aí q já vou lançar-te o desafio às flores dos teus dedos dos pes...

    Tete, já calculava que fosse algo assim ;-). Ah, a alcunha de grafonola ainda se mantém, LOL!

    Tete, os dedos dos pes em flor migraram para o quiproquo!! =D

    ResponderEliminar
  12. O meu não precisa de explicação, pois não? eh eh eh

    ResponderEliminar
  13. Então, REI, cada uma com as as suas preferências... :)

    VAN, a palavra quiproquó pode não ser das mais comuns, mas a escolha não foi especialmente sofisticada... :)))
    Então, entende-te lá no desafio ao reizão!

    MÃE GALINHA, o teu suponho que é mais do que evidente... :-)))

    ResponderEliminar
  14. Acho que o meu também não precisa de explicações. Qualquer dia mudo para "continua sem nome"... :)

    ResponderEliminar
  15. gosto do verborreia :D

    bom fim de semana **

    ResponderEliminar
  16. É um blog com pano para mangas...e mais ainda! :))) Que tem dado azo a discussão e leitura de várias temáticas! O que é muito bom! :))

    O Sky já está quase recuperado...e já tirou o candeeiro o que é óptimo! Parece outro!
    Beijinho bem grande.

    ResponderEliminar
  17. eu??? com este ar angelical???

    ResponderEliminar
  18. Ah, INÊS, desde que continue, por mim está 5 * à mesma...
    Só tenho pena que eu nem sempre consiga comentar no teu cantinho, dada a minha inultrapassável (já melhorou um pouco) nabice informática... ;)

    FAUSTO, gosto de verborreia, mas soa assim a verbo + diarreia, daí ter preferido quiproquó... :D
    Bom concerto para ti!

    ResponderEliminar
  19. Xi, SU, obrigada! Mas não me fales em leituras, em que estou atrasada q.b., que estes meses (Março e Abril) são de sempre em festa, entre familiares e amigos, fora cinemas e tal, não tem dado muito tempo não, para as pôr em dia...

    Ainda bem que o Sky já está quase fino! :)

    Jinhos grandes, amiga!

    ResponderEliminar
  20. Ah, INÊS, o teu nome de blog recorda-me sempre aqueles desenhos animados antigos, em que a personagem tem numa orelha um anjinho a dizer-lhe como deve fazer bem e na outra um diabinho a contradizer, acicatando para o mal...

    Agora se vence o lado angelical ou o demoníaco, isso já fica ao teu critério! :D

    ResponderEliminar
  21. tem dias... mas quem não é assim? uns dias anjos, outros demónios?

    ResponderEliminar
  22. Somos quase todos, INÊS!

    Mas ainda há os que descambam completamente para um dos lados... ;)

    ResponderEliminar
  23. Que estejas a ter também um fantástico fds!

    Beijoca

    ResponderEliminar
  24. http://comecardenovo2008.blogspot.com/4/13/2008

    Gostei da foto e da discussão...

    ResponderEliminar
  25. SORRISOS EM ALTA, foi óptimo, sim, mas já passou...
    Hoje nasce um novo dia! :o)

    Bem-vinda, COMEÇAR DE NOVO!
    Sem ter tido tempo para ler o teu blog (isto ao fim de semana, às vezes, complica), esse teu título faz-me lembrar uma música da série "Malú Mulher", com a Regina Duarte.
    Já lá vou espreitar... ;)

    ResponderEliminar
  26. Verborréia e estaminé. Foste sensata em optar por Quiproquó.
    A questão crucial é o que se passava na cabeça de uma mãe ao alcunhar a filha de Grafonola. Coitada da menina.
    Quanto à Teté, logo de primeira passa a sensação de um apelido carinhoso. Parece nome de personagem de desenho animado. Caia bem numa daquelas sobrinhas da Margarida, a namorado do Pato Donald.
    Aqui no Brasil, o termo grafonola é pouco usado, utiliza-se mais fonógrafo ou gramofone.

    "E nessa calma, enquanto rola
    A lua pela amplidão
    Subitamente se evola
    O som duma grafonola
    Quebrando a paz do sertão."

    (Paulo Setúbal, Alma Cabocla)

    Um beijo!

    ResponderEliminar
  27. Mas a "alcunha"/"apelido" Grafonola é relativamente comum aqui, para crianças muito faladoras, OLIVER! Nem sequer tem essa conotação pejorativa... é mais assim a constatação de um facto, em estilo de brincadeira!

    Mas ela vai adorar esses versinhos... :)))

    Jinhos!

    ResponderEliminar
  28. :) Agora já sei um pouco mais de ti, menina linda!

    ResponderEliminar
  29. Ora bolas, passei à pressa na Grafonola e nem vi o desafio. Tenho de lá ir penitenciar-me e responder! ;)

    Acho que o Quiproquo é a mais gira das três hipóteses. Sábia decisão, querida Teté!
    Beijocas

    ResponderEliminar
  30. Ah, TONS DE AZUL, às vezes, nem eu sei... :D

    SAFIRA: a Van "prega-nos" destas! Uns dias faz posts atrás de posts, em que alguns passam despercebidos, noutros de grafonola não tem nada...
    A decisão do título tem mais de ano e meio, não me lembro de todas as palavras em cogitação (esta também é boa, não é?) Sábia ou não, foi no que deu! ;)
    Jinhos!

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)