sábado, 25 de abril de 2009

25 DE ABRIL, SEMPRE!


E ao som da segunda senha - "Grândola Vila Morena", de Zeca Afonso - as tropas puseram-se em marcha, o País amanheceu em revolução! E o povo saiu à rua, gritando a palavra que lhe estava presa na garganta: "LIBERDADE!"

A alegria dos portugueses transbordava em sorrisos e abraços, mesmo entre desconhecidos, os cravos vermelhos simbolicamente enfiados nos canos das espingardas que não chegaram a ser disparadas, os dedos no ar em V. E logo os poetas puseram nas ruas e nas vozes de todos outras canções, como esta...



O que é que correu mal, para 35 anos depois ser esta a canção que demonstra a indignação que nos corre nas veias???



HAJA FORÇA PARA LUTAR, HOJE E SEMPRE!!!


Fotografia da net.

20 comentários:

  1. Bom Dia Teté

    Entro a trautear "Uma gaivota voava", ainda bem que ninguém me ouve!

    Na altura estava a terminar o liceu, foram dias inesquecíveis.

    ...Hoje e sempre 25 de Abril!

    Beijinhos e um cravo fesco ainda,
    Isabel

    ResponderEliminar
  2. Foram mesmo, ISABEL!

    Quanto aos cravos, pois, cabe-nos a nós não os deixar murchar... :)

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  3. Também já lá tenho o meu contributo...
    O estado das coisas, só vem dar razão à teoria em que tudo é cíclico o que acontece agora, daquí a um determinado espaço de tempo, volta a acontecer...

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  4. O que correu mal?

    Eu digo-te, Teté:
    Muitos daqueles que comiam da gamela da velha senhora passaram a dizer-se democratas. Ou seja, reciclaram-se e rapidamente voltaram à pesca do tutano do povo.

    E deixaram delfins...

    ResponderEliminar
  5. Olha amiga,

    faço minhas as palavras do comentador que me precedeu.

    Essa é a triste verdade.

    Esperemos que outras gentes mais sensíveis e honestas possam dar a volta a este texto.

    25 de Abril SEMPRE!

    ResponderEliminar
  6. Não se questiona o anterior regime. Tinha muitos defeitos mas tinha muitas virtudes. Mas estou é zangado com esta corja de tecnocratas e bajuladores do regime insensíveis que destruiram um sonho.

    O 25 de Abril, nem Sempre.

    Nem sempre, porque uma democracia adulta, não necessita de vir para a rua de papelinho vermelho na mão, todos os anos, falando em liberdade, quando esses próprios nos aprisionam hipotecando o nosso futuro colectivo.

    Abraços

    ResponderEliminar
  7. Estava a pensar, nem mais, que se podemos escutar essa canção dos X&P é sem dúvida porque houve um 25 de Abril.

    Haja força para lutar

    E beijos

    ResponderEliminar
  8. Faço minhas as palavras da Sun Iou, pois que não estaríamos agora a partilhar estas canções se não tivesse existido um 25 de Abril!

    Aos menos somos "livres" de voar..

    Beijooooo ;)

    ResponderEliminar
  9. Só é cíclico, MATCHBOX32, se deixarmos que estes oportunistas nos atropelem...
    Temo que algumas máquinas partidárias e respectiva propaganda "ceguem" grande parte da população!
    Beijinhos!

    Bem sei que foram várias coisas, CAPITÃO, essa é apenas uma parte da questão! A memória curta do povo e os oportunistas que surgiram entretanto, já é outra...

    Bem-vinda, TITE!
    Ora é essa esperança que nunca deve esmorecer: gente sensível e honesta, que dê a volta a este texto...

    ResponderEliminar
  10. Bom, sinceramente, CARLOS, virtudes do anterior regime não conheço muitas. Uma ou outra e já é um pau!
    Com os tecnocratas, bajuladores e afins que tomaram o poder, suponho que não és o único indignado.
    Os ideais ainda existem, cruzar os braços e só apontar o dedo aos erros do passado, não ajuda em nada!
    A democracia ainda não é adulta, apesar dos seus 35 anos... (muitas arestas a limar, parece-me)
    Abraço!

    É verdade, SUN, a malta está desiludida com o curso do regime democrático, esquece-se que no anterior nem estas vozes discordantes soariam...
    Beijocas!

    Por muitos defeitos que tenha esta democracia, TÁ-SE BEM!, ainda nos resta a liberdade de "voar"... ;)
    Beijooocas!

    ResponderEliminar
  11. Muitas coisas correram mal nestes 35 anos depois de 1974. Muias das pessoas não estavam preparadas para viver em liberdade. Liberdade sim. Mas liberdade com responsabilidade. Era inevitável que o regime anterior tina que cair, ou pela via democrática ou pela revolução. Foi pela revolução. Uma revoluçao em que não houve derramamento de sangue e em que houve algum espeito pelas pessoas do anterior regime.
    Mas volvidos todos estes anos uitas promessas estão por cumprir. e outras nunca sequer chegarão a ser cumpridas.
    É evidente que o mundo evoluiu em todos estes anos. Os antigos paíes do leste da Europa deram também origem a regimes democráticos e mais justos. Mas também houveram coisas negativas como o descontrol completo da ecónomia e das fnanças mundiais que nos conduziram ao caos que hje atravessamos.
    Termino este comentario dizendo. Liberdade sim, mas com responsabilidade.
    E pergunto ainda; será que hoje muita dessa liberdade não estará ameaçada por algus que se julgam donos e senhores de toda a verdade e acima de qualqueruspeita?
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Não sei responder à tua pergunta. Acho que houvesse uma única resposta, a solução seria fácil.

    Mas sei que, como aconteceu com muita gente, fui suficientemente ingénua para na época me regozijar e durante algum tempo acreditar que Abril nos libertara de tiranos.

    E fico-me por aqui ...

    Boa semana para ti, lindinha

    Jinhos

    ResponderEliminar
  13. Não te sei responder :S

    ResponderEliminar
  14. Bom, então eu vou responder.

    Acho que, de facto, Portugal morreu. Morreu porque nestes 35 anos não soubemos preservar o que de melhor tinhamos, entretidos que estivemos numa luta política sem sentido, desguarnecendo as nossas defesas. Agora, uma vez integrados na Europa, ficámos ao sabor de países mais poderosos, que vão continuar a ser. Daqui para a frente, seremos uma provincia da Europa, um povo com uma lingua exótica, um lugar cheio de sol, com imensas praias, com gente muito simpática, com uma cozinha espectacular, belos monumentos, para turista visitar. Quem quiser viver aqui ou nascer aqui, terá que pagar bem caro esses luxos de ser português.

    Portanto nós não podemos fazer mais nada.

    Uma boa semana.

    ResponderEliminar
  15. 4ever, mesmo, MYLLANA! :)))
    Jokas para ti!

    Claro que nem tudo correu bem, JC, e que o povo não estava preparado para saber o que significava a liberdade. 48 anos não são meia dúzia de dias, além do mais era propositadamente mantido na ignorância pelo anterior regime, na sua política obscurantista.
    Concordo com a "liberdade com responsabilidade", que o mundo evoluiu em diversos sentidos, que não é da exclusiva responsabilidade da classe governante (a actual ou a anterior) este regabofe. Mas de alguns também será!
    Não sou filiada em nenhum partido, nem pretendo vir a ser!
    Mas parece-me que tendo liberdade para escrever e falar, há que não esquecer que o 25 de Abril foi um sonho de igualdade e justiça, que não pode morrer por estarmos desencantados com alguns "representantes" do povo, que se estão nas tintas para tudo, excepto para se promoverem a si próprios e encherem os bolsos!
    E é contra esses que devemos lutar, hoje e sempre!
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  16. Começando pelo fim, PASCOALITA, tiranos há e haverá sempre! Convém é que não tenham muito poder nas mãos...
    Os erros podem ser emendados! E parece-me que o espírito do 25A ainda existe, apesar de entravado por alguns gajos infiltrados nos partidos, sindicatos, lobbys, ordens e afins, com o único intuito de se refastelarem no poder e de se darem bem. Povo?! Qu'é isso?
    Justiça é preciso, encolher os ombros não leva a lado nenhum...
    Jinhos, nina!

    A resposta é difícil, LOPESCA! E não é única, muito menos objectiva... :/

    Já vi que és um pessimista nato, CARLOS!
    Enquanto tiver liberdade para escrever e falar, sou como o outro, a mim ninguém me cala!!! :)
    Achas que vou?! Não tenho outras armas, nem sei utilizar nenhuma!
    Nem acredito que a entrada na CE seja o pior dos nossos males. Província da Europa? Mesmo que fosse ou viesse a ser, não me interessava rigorosamente nada, desde que todos conseguissemos viver na nossa terra (ou Pátria) com um mínimo de dignidade e igualdade.
    Não são meia dúzia de políticos pouco recomendáveis que me fazem perder as raízes, e desistir do meu pedaço de chão...
    Boa semana para ti também!

    ResponderEliminar
  17. Pra você, pela passagem deste dia:

    TANTO MAR
    (Chico Buarque)

    Versão 1975

    Sei que estás em festa, pá
    Fico contente
    E enquanto estou ausente
    Guarda um cravo para mim

    Eu queria estar na festa, pá
    Com a tua gente
    E colher pessoalmente
    Uma flor do teu jardim

    Sei que há léguas a nos separar
    Tanto mar, tanto mar
    Sei também quanto é preciso, pá
    Navegar, navegar

    Lá faz primavera, pá
    Cá estou doente
    Manda urgentemente
    Algum cheirinho de alecrim

    Versão 1978

    Foi bonita a festa, pá
    Fiquei contente
    E inda guardo, renitente
    Um velho cravo para mim

    Já murcharam tua festa, pá
    Mas certamente
    Esqueceram uma semente
    Nalgum canto do jardim

    Sei que há léguas a nos separar
    Tanto mar, tanto mar
    Sei também quanto é preciso, pá
    Navegar, navegar

    Canta a primavera, pá
    Cá estou carente
    Manda novamente
    Algum cheirinho de alecrim

    Um beijo!

    ResponderEliminar
  18. como disse o Eanes, cada povo tem o regime que merece... a culpa é toda nossa. o Estado Novo durou todo aquele tempo porque percebeu com o que contava, isto é, a inércia. e continuamos na mesma. há coisas que nem as revoluções mudam.

    ResponderEliminar
  19. Já pus a segunda versão da canção do Chico no blogue, OLIVER, chamando a atenção que houve uma anterior. Adoro as duas! Às vezes, é mais fácil ver de longe... ;)
    Beijoca!

    Pois é, MOYLITO, povo inculto e inerte dá nisto!
    O Eanes podia não saber falar, não andar de dentuça sempre à mostra (aliás, só muito esporadicamente), mas sabia por o dedo na ferida, sem verborreias desnecessárias...
    E, como tal, colocaram-no a um "canto"! É assim! :|

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)