segunda-feira, 18 de julho de 2016

O ASSASSÍNIO DE CINDERELA

"Sob suspeita" é um programa televisivo produzido por Laurie Moran, que recria crimes por resolver no intuito de os solucionar. Assim, 20 anos depois, o misterioso homicídio da estudante universitária Susan Dempsey reúne todos os ingredientes para ser um sucesso, tanto mais que os principais suspeitos a serem entrevistados pertencem agora à elite hollywoodesca e empresarial. Mas será que esta investigação televisiva não vai amedontrar o assassino e obrigá-lo a cometer novos crimes?

Este novo policial de Mary Higgins Clark, escrito em parceria com  Alafair Burke, não levantou grande polémica no Clube de Leitura: de leitura acessível, com motivações dos potenciais suspeitos suficientemente claras, a única discussão que suscitou foi se o final era previsível ou não, já que não tem uma grande reviravolta final. E aí as opiniões dividiram-se - mas não é sempre fácil dizer que se desconfiou desde o início do A ou do B? Pessoalmente, não considerei particularmente previsível. Por outro lado, sendo este o primeiro livro que li da escritora norte-americana de 88 anos, as suas 319 páginas não são propriamente geniais. Ou seja, uma leitura agradável q.b. para os leitores de policiais... mas só isso! 

*******
A próxima reunião do Clube de Leitura terá lugar no dia 17 de setembro, com o romance de Kate Morton "O Último Adeus".

20 comentários:

  1. Tu já falaste aqui num romance desta autora escrito em parceria com Alafair Burke, Teté. É o mesmo?

    Junto a mim, tenho um romance Mary Higgins Clark e Alafair Burke com um título muito diferente, mas o plot é o mesmo, só que a Susan Dempsey é uma jovem actriz.

    Ainda não o li, mas penso que seja a leitura indicada para ler no jardim, embora o último romance que li desta autora não me agradasse mesmo nada.

    Beijinhos e uma óptima semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Falei que seria o próximo livro a ler no âmbito do Clube de Leitura, EMATEJOCA, só isso!

      E sim, não tenho o livro por perto, mas ela era estudante e ia a um casting para um papel de atriz, não é exatamente uma contradição. Também me parece uma leitura indicada para um relax desses... :)

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Prefiro ficar com o Gabriel Allon.
    Bjos : )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por mim, é todo teu, CATARINA! :)))

      Beijocas

      Eliminar
  3. Pois, linda, continuo a não me entusiasmar com policiais, rrss

    Beijufas e boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, SÃO, em termos de livros temos gostos muito diferentes: eu só leio ficção e tu coisas sérias. Os gostos são mesmo assim, cada um tem os seus! :)

      Beijufas e bem regressada à net!

      Eliminar
  4. Eu adoro policiais mas estou a tentar ler Murakami e não está a ser fluido...:(
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Murakami não suscita unanimidade, conheço quem adore de paixão e quem odeie visceralmente, PAPOILA. Até conheço quem goste de alguns dos seus livros e deteste outros... ;)

      Beijocas

      Eliminar
  5. Um destes dias, experimento um policial... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A experimentar, LUISA, vai para um daqueles mais clássico, tipo Agatha Christie ou Ruth Rendell, ou mais moderno, tipo Stieg Larsson ou Camilla Lackberg... :)

      Eliminar
  6. Qual é o título original, Teté, do livro de Kate Morton?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vale que esse trouxe comigo, CATARINA,porque tem 600 e tal páginas que tenciono começar em breve... :D

      Eliminar
  7. Acabei de comparar enredos. O título em inglês deve ser “The Lake House”.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É esse mesmo, CATARINA! :)

      Eliminar
  8. Tetéamiga

    Sou fã incorrigível de livros policiais clássicos desde a Aghata Cristie atá ao Erle Stanley Gardner e sobretudo o Rex Staut. Da nova geração adoro a Camilla Läckberg e o David Silva. E muitos outros.

    Mas nunca li Mary Higgins Clark. De acordo com a tua opinião, O Assasínío de Cinderela não me diz grande coisa e do que escreves sobre a autora é que tem 88 anos, mas o Andrea Camilleri já fez 90.

    Portanto muito obrigado pela análise - mas não comprar o livro... :-)))

    Qjs do Leãozão

    Na NOSSA TRAVESSA há um texto meu intitulado Nice: volta o terror Um dia se me der na mona quero escrever um livro policial... :-))))))))))))))))))))))))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também sou fã desses clássicos, com a correção que o criador de Nero Wolfe se chamava Rex Stout, HENRIQUE. E que David Silva não conheço nenhum, mas é possível que te queiras referir a Daniel Silva, o criador de Gabriel Allon - mas desse não sou fã!

      Se o enredo for bem engendrado, o teu policial é muito bem-vindo! :)

      Abraço

      Eliminar
    2. Tetéamiga

      As correcções que fazes têm carradas de razão. Mas tenho de te explicar que as gralhas resultam da maldita PDI... :-)))

      Já agora, outra correcção mas não vou comprar o livro

      Qjs do Leãozão

      Eliminar
  9. Adoro essa escritora

    Clube de leitura???

    Blog LopesCa | Facebook

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca tinha lido nada dela, LOPESCA!

      Sim, um grupo de amigas com quem me reúno mais ou menos de 2 em 2 meses(já há alguns 9 anos), para "discutir" um livro pré-estipulado. Como no FB, mas ao vivo e a cores... :)

      Eliminar
    2. Adorava, nunca consegui reunir um grupo desses :)

      Eliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)