domingo, 11 de agosto de 2013

TERESINHA

Maria Bethânia é e sempre foi uma das minhas cantoras brasileiras preferidas. Lembro-me de uma das poucas "discussões" que tive com o meu avô ser sobre ela: segundo ele, a artista era tão feia, que devia ser proibida de cantar. Por essa ocasião ele já era velhote e viúvo, estava mais amargo do que sempre o conheci. Bem o tentei convencer do disparate que estava a dizer, que a beleza não tem nada a ver com a voz e, apesar de tudo, nem considerava Bethânia esse expoente de fealdade que ele dizia. Teimoso, continuava a insistir e a "discussão" parou por ali. Só muitos anos depois percebi que tentar mudar a mentalidade de homens de uma determinada época (ele nasceu em 1905), não faz o menor sentido - cresceu numa família burguesa, com convicções religiosas, políticas e sociais muito marcadas, a que uma (grande) dose de machismo não era alheia. Nada do que eu dissesse iria mudar a sua opinião... 

Simultaneamente, esta música faz-me lembrar umas férias de verão num parque de campismo de Lagos, quando andava na faculdade. Creio que em 1982. O grupo era grande, quase todos aos pares, fui com uma amiga. O meu último namorado descartara-me umas semanas antes ou coisa, mas ela ainda estava pior: a recuperar de uma depressão, após um casamento "relâmpago" de 3 meses seguido de divórcio. E se bem que acompanhássemos normalmente o grupo, algumas vezes percorríamos a pé o caminho da praia ao parque. E ela cantava várias músicas da Bethânia no percurso, entre elas esta "Teresinha" (só soube mais tarde como se intitulava), que me parecia muito próxima dos meus últimos desaires amorosos (sendo que o "não" nem sempre foi meu) - longe que estava do "príncipe encantado" do liceu e de conhecer aquele que "só me chamasse de mulher"!


De alguma forma, a amizade com essa minha amiga dura até hoje, se bem que atualmente não sejamos muito próximas. Mas a lealdade e o apoio em momentos menos bons nunca falhou, aconteceu que os rumos foram diferentes. Cada uma de nós encontrou o compagnon de route que nos faltava, mas certo é que longe também vão os tempos dos contos de fadas da nossa infância, que invariavelmente terminavam com a frase "casaram e foram felizes para sempre"...

post-scriptum - não sei se dá como contributo para o desafio lançado pelo Carlos no blogue "crónicas on the rocks", sobre canções de amor, mas esta seria a minha escolha!

Imagem da net.

28 comentários:

  1. Eu gosto de Maria Bethânia e de tudo o que ela canta!
    Não me apercebi do desafio do Carlos...


    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Somos duas, ROSA! :)

      Ainda estás a tempo de responderes ao desafio do Carlos... ;)

      Abraço

      Eliminar
  2. Venho directamente do Carlos e já escolhi a canção, até porque ele colocou Silvie Vartan.

    Gosto da voz e da maneira de interpretar de Bethânia e também sempre a achei feia. Agora menos , pois as feições adoçaram-se. Mas claro que nem de longe concordo com o teu avô, caramba! Aí há como dizes machismo, que até a ti atingiu, porque também és mulher, se fosse um neto talvez ele aceitasse melhor.

    Coitada da tua amiga. Mas que se passou para um divórcio três meses depois? Claro que a pergunta é tão-só académica, não é para responderes, é só para mostrar a minha estranheza.

    Que tenhas um excelente domingo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O chato, SÃO, é que ele não achava que homem feio devesse ser proibido de cantar, já mulher devia ser escondida e trancada ao público... Mas enfim, nem vale a pena relembrar esses "machismos" de outrora, facto é que me lembro sempre do meu avô (numa fase mais amargurada), quando oiço Bethânia... ;)

      Importante é que a minha amiga passou por isso, mas deu a volta por cima! Se bem que de princípio fosse complicado e nem teve nada a ver com agressões físicas. Mas mesmo que a fealdade não seja muito importante para qualquer relação, esse primeiro marido dela era um expoente máximo dela... :P

      Boa semana para ti!

      Eliminar
  3. Também gosto da Bethânia. Houve um tempo em que ouvia muita música brasileira. Quanto à história, e assim sendo, escolheste uma canção de amor que foi banda sonora dos vossos desamores. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão, LUISA!

      No caso, foi mais banda sonora de desamores, mas continuo a gostar da canção... :)

      Eliminar
  4. Há que "séculos" que não ouvia esta música!
    Gosto de todas as músicas dela mas realmente não é bonita só que com aquela voz...quem precisa de ser linda ?!?:))))
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tb eu passei/vivi a fase Maria Bethânia. Curiosamente, nunca pensei se era ou não bonita. Vou olhar para ela com mais atenção! : ) Foi a fase em que todos éramos solteiras/solteiros. Encontrávamo-nos na casa desta amiga e ouvíamos os cantores brasileiros mais ouvidos da época. “Conheci-a” através desta amiga.
      Épocas marcadas por eventos, canções, filmes, amigos e amigas... Creio que todos nós temos algo que define uma época... agradável ou não. Hmmm... Qualquer dia ainda vou escrever um texto (só para mim) onde descreverei uma época consoante aquilo que a marcou. Quando for mais velha, se ainda souber ler e escrever, todas estas “escritas” far-me-ão companhia por alguns momentos. : )

      Teria mais para escrever neste comentário, mas tenho que me encontrar com uma amiga para uma caminhada. Já estou atrasada!

      Do que te livraste!!!!... de um comentário tipo testamento... : )

      Eliminar
    2. Com aquela voz, alguém precisa de uma grande beleza, PAPOILA? Além de que a mulher, que agora tem 67 anos, é elegantérrima.

      Mas nunca associei música a beleza, que não me parece que uma coisa tenha a ver com outra... ;)

      xxx

      Eliminar
    3. Olha, CATARINA, quem nunca teve fases menos boas, que "atire a primeira pedra". Na solteirice ainda mais, mas nem sempre casar com o primeiro gajo que aparece apaixonado à nossa frente dá bom resultado. Suponho que há um 'timing' certo para cada um e uma maturidade que não é igual para todos... ;)

      De facto, também nunca a beleza de qualquer cantor me pareceu importante, mas velhote e amargo o meu vovô dava-se ao luxo de ter estas opiniões pouco pacíficas. Que é coisa que se repete noutros velhotes, sobre tudo e mais alguma coisa, quando se estão nas tintas de ser "politicamente corretos"! Fazer o quê?

      Esspero que a tenhas tido uma boa caminhada com a tua amiga! Que essa faz parte dos bons momentos da vida... :)

      Quanto a "testamentos", por aqui estás à vontade! ;)

      Eliminar
  5. Teté, vim dar uma espreitadela aos blogues e claro que o teu é sempre de paragem obrigatória!:)

    Não conhecia a canção que adorei. Diz-se que às três é de vez e valeu a pena ela dizer que não aos dois anteriores....:)
    Um era um gabarola e o outro um " casca grossa"! Que bom ter encontrado o companheiro ideal.:)

    Quanto à Maria Bethânia, é um facto ela não ser uma bonita mulher, mas possui aquela beleza que não se vê de imediato...um quê especial, que muitas das mais belas mulheres não possuem.

    Gostei imenso do relato dessa fase da tua juventude. Não leves a mal, Teté, mas olha que subiste uns largos degraus na minha consideração! Foi preciso honestidade e coragem para admitir ter sido "descartada" por alguns namorados. Compreende-se a razão da escolha da canção... Assim, também tu encontraste o teu companheiro, de viagem que não te pede nada e te faz feliz.
    Na minha opinião, és uma séria candidata a...Ia dizer a quê, mas já não digo, porque nestes desafios todos os participantes são ganhadores!!:)

    Beijocas e Parabéns!


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. JANITA, a estes anos de distância, o relevante não é ter descartado ou ser descartada: se alguém não estava feliz, o melhor é ter acontecido assim!

      E a, bem dizer, continuei amiga da maior parte desses rapazes/homens. Amei-os e fizeram-me feliz, num determinado tempo, só espero que a vida deles corra pelo melhor. E se não tivessem sido esses enganos de percurso, possivelmente quando conheci o meu marido, nem tinha dado em nada... :)

      Bethânia tem uma beleza que só vê quem quer! :)

      Beijocas e obrigada!

      Eliminar
  6. ...não percebo o que está a vírgula a fazer no companheiro e não na viagem, mas deixa lá...;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deixa lá, JANITA, já houve vírgulas que causaram mais polémica... :)))

      Eliminar
  7. Uma coisa não se pode negar: é feia mesmo! Porém ouvindo-a cantar...
    Afinal a beleza está nos olhos de quem a vêm, né?
    Gosto muito de ouvi-la não sendo todavia a que mais prefiro. Mas isto das músicas é mesmo assim; gosto de muitas canções e de variados interpretes.

    Tenho estado a visitar os teus últimos posts e estou com uma mistura de sentimentos que nem sabes:
    -inveja por não estar também de férias,
    -a salivar pelas iguarias que mostras (ontem também comi jaquinzinhos com arros de tomate),
    -as aves que mostras e que nunca fazem pose para mim...
    Continuação de coisas boas por aí!
    Duas coisinhas:
    -é bom que ajudes a divulgar que o Algarve não é só entre as praias e a nacional 125; há muito mais coisas para ver como por exemplo: Porches, Alte, Salir, Monchique...
    -o tal parque de campismo em Lagos era o da Trindade?

    Beijokas, sorrisos ao sol!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabes, KOK? Eu não acho! Deve ser dos meus olhos, certamente... porque ainda oiço o suficiente para considerar a voz lindíssima, mas não a confundir com a imagem!

      Quanto ao resto:

      - as férias foram boas, apesar das múltiplas picadas de mosquitos, mas já acabaram - em setembro há mais, hopefully!;

      - bons petiscos sabem sempre bem, jaquinzinhos são sempre um must;

      - "lucrei" imenso com a minha nova máquina fotográfica, com a anterior ainda a estava a preparar para a foto, já a ave tinha voado para outro local...

      - o Algarve tem muito para conhecer, este ano não foi o melhor para o explorar. Quem sabe se no próximo?

      - o parque e campismo não me deixou boas recordações, aliás só voltei a acampar largos anos depois e num fim de semana prolongado, mas não sou fã. Como se chamava, não me lembro!

      Beijocas sorridentes! :)

      Eliminar
  8. Eu acho que era um contributo excelente.
    Beijocas e votos de boa semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, PEDRO! :)

      Beijocas e boa semana!

      Eliminar
  9. Eu acho um óptimo contributo. Tenho seguido as respotas ao desafio e gosto muito desta...
    Quanto ao resto é como no ditado 'quem vê caras não vê corações' eu tenho tendencia a achar toda a gente bonita até prova em contrario :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo, TÉTISQ, e as pessoas até podem ser excelentes, mas nem sempre os feitios se coadunam... Enfim, e também há as parvas, mesmo! :)

      Eliminar
  10. Embora numa perspectiva diferente, a estória encaixa-se no desafio, sim. Pelas razões acima aduzidas, só hoje pude ler o post. Gosto muito da Maria Bethânia, embora haja uma outra canção que é a minha favoria...
    O seu avô tinha 50% de razão. Ela é muito feia...mas se não tivesse cantado seria uma grande perda!
    Amanhã divulgarei a sua história no On the rocks.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há outras canções de Bethânia que até gosto mais, mas esta recorda-me essas férias e essa minha amiga, CARLOS! Além de uma fase menos boa... ;)

      OK! Beijocas!

      Eliminar
  11. Pronto, Teté... Já está agendada para amanhã. Mais uma vez muito obrigado por ter respondido ao desafio.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O CARLOS é sempre tão gentil e tão participativo, que até me ficaria mal não colaborar no seu desafio! :)

      Beijocas!

      Eliminar
  12. Cara Teté
    Apesar de não a visitar com frequência, não é a primeira vez que por aqui passo.
    Gostei da "estória" e claro que adoro a Maria Bethânia.
    Um beijo
    Rodrigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem-vindo, RODRIGO! :)

      Pelos vistos, não somos os únicos a adorar Maria Bethânia... ;)

      Obrigada e beijocas!

      Eliminar
  13. Não conhecia esta canção da Maria Bethânia, Teté, mas adorei ler aqui o nosso nome, assim como da tua história um pouco diferente das outras.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é propriamente uma história de amor, EMATEJOCA, mas foi o que me lembrei na altura... :)

      Beijocas!

      Eliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)