segunda-feira, 18 de outubro de 2010

BEATLESMANIA

Ao longo dos anos, Abel Soares Rosa coleccionou os singles dos Beatles nas suas diferentes edições, a par de todos os artigos publicados em revistas, jornais, livros, etc., sobre a famosa banda.  Recentemente, e com a colaboração de outros amigos igualmente fãs, decidiu reunir esse material no livro "The Beatles Discografia Portuguesa a 45rpm", que apresentou ao público Sábado passado às 17h30m, no Clube de Golfe do Paço do Lumiar.
Antes da apresentação decorreu uma prova de vinhos da "Quinta Mendes Pereira" e, mesmo não sendo grande apreciadora, provei o vinho branco de aroma frutado. Duas vezes! Para me certificar que era bom... (os rosés e os tintos deixei para os verdadeiros connaisseurs!)

A sessão iniciou-se ao som dos Beatles (só podia), a tocar neste gira-discos, que relembrou a quase todos os presentes os primórdios da sua juventude musical. Este ainda funcionava...
Podendo parecer que não, a sala estava apinhada de gente e a apresentação continuou num ambiente informal e até um pouco acelerado (não deu para tirar nenhuma fotografia de jeito), a que se seguiram os autógrafos.

No final ainda houve mais música dos Beatles, tocada pelos Threatles (um grupo especialmente formado para a ocasião, de que André fez parte) com mais alegria e paixão do que vocação, mas igualmente cantarolada e gingada pelo público presente, entre alguns chistes e muitos aplausos. Momentos agradáveis de um entardecer... 

18 comentários:

  1. E esse ambiente acelerado que não deu para tirar fotografias de jeito não seria consequência dos aromas frutados do vinho? ;)

    ResponderEliminar
  2. "Música dos Beatles, tocada pelos Threatles" - Curioso o nome improvisado para a ocasião ! :)))
    Também ainda tenho uma malinha do género e uma série de albuns e discos em vinil. Por acaso há anos que não experimento. Julgo que ainda funciona.
    .

    ResponderEliminar
  3. a assistência feminina puxou muito os cabelos ou não houve cenas dessas?
    eu acho que devia haver para dar um ar mais "beatle" ao acontecimento 8-w

    ResponderEliminar
  4. Foram sem dúvida os maiores do seu (nosso) tempo e vieram a ter a repercussão que sabemos.
    O nome da Banda improvisado está *****.
    beijinho Tété

    ResponderEliminar
  5. Aposto que que depois desses aromas musicais todos cantavam em uníssono Ó Leonilde Is Love, trá tra ra ra ra... :-t

    ResponderEliminar
  6. Depois de dizeres que as fotografias não ficaram nada de jeito não devias ter dito que tinhas bebido vinho, é que a dedução é imediata!

    ResponderEliminar
  7. O nome da banda é sugestivo. Pena não ter lá estado, para aliviar um pouco o ambiente conturbado, mas eu teria ido para o tinto, claro, ( embora não seja um connaisseur)

    ResponderEliminar
  8. Não, SUN, que prova significa um pouco de vinho no fundo de um copo... :)

    O problema das fotos foi até mais da minha máquina, que em interiores demora tempo a permitir segunda. A movimentação constante do autor fez o resto... ;)

    ResponderEliminar
  9. A "improvisação" dos Threatles foi mais uma brincadeira, RUI, do que o nascimento de um novo grupo... :))

    Também ainda tenho os discos de vinil, mas o gira-discos deste género já há muito que desapareceu. Mas cumpriu a sua missão, que funcionou quase diariamente durante mais de 10 anos... :z

    ResponderEliminar
  10. Não, não houve cenas dessas, VÍCIO. Nem sei porquê... ;))

    ResponderEliminar
  11. Também achei o nome da banda muito "curtido", KIM! Haja criatividade e boa disposição... :D

    E sim, influenciaram imenso as gerações da época e deram novos rumos à música... :y

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  12. Como bem sabes, PAULOFSKI, uma prova é um pouco de vinho no fundo de um copo, mas óbvio que não sei se existiam lá dessas pronúncias socráticas... :))

    ResponderEliminar
  13. Não bebi vinho, RAFEIRITO, apenas provei! O que faz uma enorme diferença, nem tem lá essas discussões se o copo está meio cheio ou meio vazio: está lá um fundinho, e chega! =))

    Mas sabes, também sou muito honesta... :D

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  14. Também achei o nome da banda sugestivo, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA, mas foi apenas uma brincadeira... para dar música ao pessoal! :)

    Dizem que os apreciadores de vinho escolhem sempre os tintos, mas não sendo, é bebida em que nunca toco. Um branco fresquinho, ainda vai, muito de vez em quando... ~xf

    E sim, também acho que todos precisamos de aliviar um bocado o stress destes momentos conturbados...

    ResponderEliminar
  15. Anónimo10/20/2010

    It was pretty cool, Abel! :-) Sérgio

    ResponderEliminar
  16. fizeste uma viagem a Vila Velha da Nostalgia? :P

    ResponderEliminar
  17. Foi mesmo, SÉRGIO! :))

    ResponderEliminar
  18. Vila Velha pode ser, MOYLITO, mas não foi nostalgia, antes alegria e boa disposição! :)

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)