quarta-feira, 13 de maio de 2009

VERGONHA NA CARA?

Fotografia (e composição) de Ian Britton

O jornalismo tem regras. Muitas. Quem, quando, o quê, onde, como e porquê são as básicas para escrever qualquer artigo. Para conseguir obter a notícia tem de se falar com todas as partes envolvidas, para manter a isenção necessária, mas nem todos concordam em prestar declarações. Adjectivação, opinião própria ou só uma "piadola" relacionada com o assunto não contribui em nada e o mais certo é algum chefe de redacção ou editor riscar com a caneta (de qualquer cor) esses (des)interessantes arroubos de jornalistas imaturos. Que não faz parte da "linha editorial" e está a andar! Eventualmente, podem-se acrescentar algumas informações adicionais, mas mainada!

Em Portugal, o jornalismo de isento passa a cinzento! Excepções existem algumas, em cronistas mais notáveis (ou notórios?), tal e qual verdadeiras estrelas neste circo. E esses têm liberdade para teclar o que lhes dá na real gana, mas por vezes estão vergados ao poder político, ao patrão, aos partidos, sem os quais não tinham sobrevivido na profissão. Murros na mesa? Nada! Uma criticazinha leve e é um pau!

Daí ser tão bom ver e ouvir indignações como esta, sem papas na língua, que os jornalistas não são iguais em todo o mundo...



Caso idêntico ao que chegou aos jornais portugueses, mas, sabe-se lá porquê, nunca teve desenvolvimento! Se alguém souber, que elucide...

17 comentários:

  1. Olá, já me tinham enviado, mas, como não ouço...só que pela cara dele, acho que estava a ser directo no que queria dizer, enfim,sem papas na lingua, ou seja, jornalismo verdadeiro,sem omissões..Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Porque quando chega, acontecem pressões. Infelizmente em Portugal poucos têm tomates como o José Eduardo Moniz para chamar, em directo, os bois pelos nomes, e denunciar tentativas de pressão. Já reparaste que nunca mais se falou no assunto?

    Beijo!

    ResponderEliminar
  3. O rafeiro tem razão... tenho a impressão que este país está cheio de pressões... anticiclones é o que há mais!

    ResponderEliminar
  4. «Em Portugal, o jornalismo de isento passa a cinzento!»

    está tudo dito, tirando uma sombrinha rosa ou laranja, mas basicamente está tudo dito.

    ResponderEliminar
  5. E depois parece que fizeram um tal de 25 de Abril e que ficamos em liberdade, sobretudo de expressão!!!!

    E como diz este " o povo fica calado e paga".

    Viva á Liberdade " de Expressão "!

    Beijokitas

    ResponderEliminar
  6. O Brasil(minha terra) por ser um país mais liberal, ainda bem que, podemos botar a boca no trombone quando nos apetece!
    Não estou a falar mal daqui.Foi onde escolhi viver e adoro estar aqui. Acho o país fantástico.
    Pagamos impostos não é?
    Nada mais justo falar o que achamos que não está correto.
    E talzinho quer viajar para Europa com o dinheiro do povo?
    Necatibiribiriba..

    O povo fala e alguns jornalistas ajudam.
    É uma profissão que ao meu ver tem obrigação em alertar as pessoas através da notícias.
    Acho muito bem.
    Apoiado!

    Bjks

    ResponderEliminar
  7. Fantástico!

    O problema é que talvez muitas pessoas só pensam: tomara eu estar no sítio dele para fazer o mesmo, pois, a família (e eu com certeza) é sagrada, e quem chega aí é para isso. Ou então, como se explica a atitude generalizada que consente?

    Beijinho

    ResponderEliminar
  8. Sem papas na língua :)

    ResponderEliminar
  9. não acho que precises...
    depois de tantos casos abafados todos conhecem a razão.
    viste ontem a reportagem da TVI sobre a Maddie?

    a mim pareceu-me tudo muito obvio!

    ResponderEliminar
  10. E se estes arroubos fossem somente da parte de jornalistas imaturos até que as coisas não estariam assim tão ruins.
    Um beijo!

    ResponderEliminar
  11. assim visto é caralludo, mas eu que sou mau por natureza seguiria perguntando... Quem, quando, o quê, onde, como e porquê... Não por nada, mas...

    ResponderEliminar
  12. Directo é pouco, LAURINHA! O homem chama os bois pelos nomes e... mainada! :)
    Beijinhos!

    Sim, RAFEIRITO, há sempre alguém que "abafa" o assunto, que já não tem interesse, que foi um mal-entendido, etc. e tal! Devem julgar que somos todos parvos... ;)
    Beijoca!

    Bem-vindo, ROUXINOL DE BERNARDIM!
    Pressões, anticiclones, há de tudo um pouco... ;)

    Pois são, RODERICK! E ficamos todos a "papar" notícias mal amanhadas??? ;)

    ResponderEliminar
  13. Pois, MOYLITO, mas essas sombrinhas estão ao serviço partidário, de modo que evidenciam o que interessa, omitem tudo o resto... :S

    A bem dizer, PARISIENSE, essa dita "liberdade de expressão" nunca existiu inteiramente em Portugal, no jornalismo. As tais "linhas editoriais" ou outras coisas que inventam de caminho... :/
    Beijokitas!

    Pois, MYLLANA, meter a boca no trombone devia ser serviço dos jornalistas (de todo o mundo), mas hoje em dia há demasiados "intocáveis" cá no burgo e mesmo quando há provas indesmentíveis, desata tudo a gritar que são falsas, manipuladas, etc. e tal.
    Cordelinho puxa cordelinho, até o jornalista é despedido, se abrir demasiado a boca...
    Beijocas!

    OH, SUN! São eles que fazem as leis, mesmo de diferentes partidos concordam todos uns com os outros no que toca a privilégios...
    Por isso é que era bom haver um jornalismo sério, que desmascarasse esta pandilha. Mas "a teia" é grande, com "pressões" a vários níveis... e os assuntos desaparecem, esquecidos no fundo da gaveta, como convém! (´_´)
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  14. Mesmo, LOPESCA! :)

    A razão também me parece óbvia, VÍCIO!
    Todos os jornais que tinham uma maior liberdade de expressão por parte dos jornalistas já foram fechados.
    Os que restam pertencem a grandes grupos empresariais, cujos patrões passam a vida a trocar galhardetes com o poder, com benefícios de parte a parte.
    (mas não, não vi a história da Maddie, nem na TVI, nem na Oprah, nem nada!)

    Arroubos de jornalistas imaturos era o menos, OLIVER, agora omissões de jornalistas "consagrados" é que chateia...
    Beijoca!

    Mas essa parte é que fica sempre por investigar, CONDADO! Sabe-se que houve, nunca se sabe ao certo quem, quando, onde, como, etc. e tal! Esse "nada" é que era importante divulgar...

    ResponderEliminar
  15. Ámen! Abençoado :)

    Será que já foi despedido como a outra (também jornalista brasileira)?
    Espero que não...

    ResponderEliminar
  16. Duvido, TÁ-SE BEM!, que este gajo parece ser conceituado! :)

    Mas que normalmente é o destino que os aguarda, quando se saem com estas "verdades inconvenientes", lá isso...

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)