sábado, 16 de agosto de 2008

WALL-E

E se a sobrevivência da fauna e da flora mundial fosse posta em perigo devido ao excesso de lixo produzido pelo Homem, incitado a consumir cada vez mais?

Foto de Ian Britton

Este é o ponto de partida do novo filme de Andrew Stanton e da equipa da Pixar - Wall-E: os seres humanos retiraram-se para umas férias de 5 anos no espaço, enquanto no planeta azul, transformado numa enorme lixeira, a empresa de robots Waste Allocation Load Lifter Earth-Class se entrega à gigantesca tarefa de compactar e empilhar o lixo, de modo a tornar a Terra novamente habitável.

700 anos depois, Wall-E é o único robot que continua a funcionar e a exercer incansavelmente a função que lhe destinaram, tendo entretanto desenvolvido uma personalidade curiosa e inventiva, o que o leva a guardar os objectos mais estranhos que encontra: luzes natalícias, bonecos de borracha, um cubo de Rubik, cassetes de vídeo e até uma frágil plantinha. Contudo, pesa-lhe a solidão, pois a sua única companhia e animal de estimação é uma barata. Tudo isso muda quando Eva, uma sonda vinda do espaço, entra na sua vida...

"Luquétedetreiler", aconselharia o Laurodérmio.

Bom, sem pretender estragar o factor surpresa do filme, mais adiante encontramos a nave onde a humanidade reside há 700 anos, numa inércia quase completa (com as consequências daí resultantes), numa vivência pacífica mas extremamente controlada, mecanizada e informatizada. Algo comparável ao mundo descrito por Orwell em "1984", em que qualquer tipo de rebeldia paga um preço caro: "Big Brother is watching you". Numa mensagem mais leve e em tom de comédia porque, no fim de contas, destina-se (também) a um público infantil!

ADOREI!!!

* Ah e tal que passo a vida no cinema? Ná, o filhote partiu ontem para umas férias que só devem acabar quando as aulas recomeçarem, com umas breves passagens por Lisboa para muda de roupa, daí ter querido ir ver este filme antes da abalada. "Sacrifiquei-me" a acompanhá-lo! :)))

29 comentários:

  1. Vou ver na próxima semana!
    Tenho ouvido maravilhas sobre o filme (e nem sequer é o meu género preferido :)
    Pelo que li, tem muita "moral da história", o que (acho) faz sempre falta.

    Beijos:)

    ResponderEliminar
  2. Suponho que vais gostar, JASMIM! Embora não me pareça muito o teu género de filme, não deixa de ser um alerta... ;)
    Jinhos!

    PAX, sou muito suspeita, porque adoro desenhos animados!
    Por sinal não me pareceu tão "moralista" como é costume nestes filmes, mas tocando em alguns pontos que dão que pensar... ;)
    Jinhos!

    ResponderEliminar
  3. Amanhã vou baixar ao Porto para ver Tropa de elite e, se calhar, até faço sessão dupla com esta, para rendibilizar a viagem. (`_^)

    Vai vendo cinema, vai, que gosto que me vão peneirando os filmes. (^_^)

    ResponderEliminar
  4. É bom ir ao cinema, muita bom, o écran enorme e so gosto quando consigo captar algum som senão fico pior que a barata acompanhante do Wall-E pois quero ouvir musica bem alta...tadinho do Wall-E, sozinho, devia ter ido com os outros...jinhos.

    ResponderEliminar
  5. SUN, se vires e descobrires qual é o filme musical que o Wall-e vê no vídeo, depois diz-me!
    Mas sim, com este "tempinho" agradável, só dá vontade de nos encafuarmos no cinema... (`_^)

    LAURINHA, sozinho e a limpar o lixo dos humanos durante 700 anos. Xi, pá, é solidão a mais mesmo... :)
    Beijocas, linda!

    ResponderEliminar
  6. Esta situação do lixo em nossas vidas torna-se cada vez mais séria.
    Cadinho RoCo

    ResponderEliminar
  7. Vou ver amanhã!! Já estou ansiosa porque pelo que vi na apresentação deve ser muito bom.

    beijocas

    ResponderEliminar
  8. Vi a apresentação e não fiquei assim com a ideia de ser tão bom. Mas pelas criticas que tenho lido, vou ver se encontro quem me fique com a criança (não, não sou tão desnaturada assim, ela não aguenta um filme inteiro).

    Beijo d'enxofre

    ResponderEliminar
  9. Pelo bocadinho que li, deve ser bem fixe!

    Há muitos anos que não vou ao cinema! A última vez devo ter ido ver um filme para putos, cujo título já não lembro, mas fui várias vezes com os meus filhos qdo eram pequenos (agora, claro vão com os amikgos e namoradas ahahah)
    Vejo muito cinema em casa, é aliás o meu passa-tempo favorito, a seguir ao pc ahahahah

    jinho

    ResponderEliminar
  10. Hummm eu havia de gostar de ver esse filme! Tenho de arranjar companhia, pois não gosto de ir sozinha ao cinema :)

    ResponderEliminar
  11. Teté, o musical que o Wall-E ve é o Hello, Dolly.

    Beijinhos e boa semana!

    ResponderEliminar
  12. Depois de 30 dias ausente da blogosfera, estou de volta.
    Este filme eu não vou perder, ainda mais depois da análise que escreveu aqui. Parece um ótimo filme. O pessoal da Pixar é de fato muito bom.
    Um beijo!

    ResponderEliminar
  13. Amanhã vou ver com a minha loira. Depois venho aqui duzer o que achei -)))) beijinhos

    ResponderEliminar
  14. Bem-vindo, CADINHO ROCO!
    É séria mesmo, mas no filme está tratado de um modo mais aligeirado...
    mesmo com a vertente de alerta!

    GATINHA, acho que vais gostar, mas depois diz-me...
    Beijoca!

    DIABBA, também sou muito suspeita, porque adoro desenhos animados.
    E sim, miúdos pequenos não aguentam muito uma sala de cinema, aqui o filhote já tem 16 anos...
    Durante uns tempos nem quis acompanhar (filmes infantis, qué isso?! Pff!), mas já ultrapassou essa fase.
    Jinhos para a tua "caverna"!

    ResponderEliminar
  15. Também vejo filmes em casa, PASCOALITA, especialmente aqueles que perdi e queria ver no cinema, mas por qualquer razão não deu! Não dá tempo para tudo...
    Nunca desisto de ver desenhos animados, mesmo sem companhia. Deve ser "trauma" de infância, eh, eh, eh! E já fui com a minha mãe... :)))
    Jinhos, nina!

    Ah, CUSQUINHA, isso para mim não tem problema, vou sozinha ou acompanhada! Akunamatata! :)))

    ResponderEliminar
  16. SUN, gracias!
    Andava a matutar no assunto, ontem já tinha descoberto isso através do Google. Ainda me fartei de rir, porque a cara do fulano não me era nada estranha, descobri que de outra série dos anos 70, em que ele personifica um Frank Spencer muito filhinho de mamãe. Ainda revi alguns episódios... (^_^)
    Beijoca!

    OLIVER, ainda bem que estás de volta...
    O pessoal da Pixar não desilude, pelo menos para os que gostam de desenhos animados!
    Jinho!

    Aposto que vais gostar, ANA! Mas aguardo o teu veredicto... :D
    Kisses 4 U!

    ResponderEliminar
  17. teté foi giríssimo, adorei :-))
    Como é que uma lata daquelas conseguiu transmitir tanta ternura?????!!!!!!!

    Bjokitas 2u

    ResponderEliminar
  18. Bem me parecia que ias adorar, ANA!

    O mistério daquela lata ter transmitido tanta ternura é da exclusiva responsabilidade dos senhores da Pixar... :-)))

    Jinhos e continuação de boas férias!

    ResponderEliminar
  19. Olha...não estava a dar nada pelo filme mas despertaste-me a curiosidade!!! :)))

    ResponderEliminar
  20. os sacrifícios que uma mãe tem que fazer... vais para o céu:)

    ResponderEliminar
  21. SU, embora não me pareça o teu género, acho que vais gostar... ;)

    MOYLE, sou quase uma "santa"... :)))

    ResponderEliminar
  22. Fui ver o filme ontem e se já o adorava antes de ver depois de o ter visto fiquei apaixonada pelo Wall-e. A história é fantástica e a animação está muito expressiva. Gostei imenso.

    ResponderEliminar
  23. Junta-te ao clube de fãs, TONS DE AZUL! E ao clube de "viciadas" em desenhos animados, também, segundo me pareceu... :)))

    ResponderEliminar
  24. também estou curiosissima para ir ver!!!!! ihihih

    ResponderEliminar
  25. TONS DE AZUL, somos duas, então! :)

    VAN, também aposto que vais gostar... :)))

    ResponderEliminar
  26. Cara Teté,

    Só agora comento pois só agora pude ir ver o filme e como já sabia ADOREI!
    Para mim o pixar é cada vez mais um selo de qualidade nos filmes de animação. Claro que vejo sempre a versão original e, na minha opinião, estes filmes embora possam ser vistos por miúdos não são para miúdos. Sim uma criança acha piada mas só nós conseguimos descodificar a multiplicidade de mensagens que se “escondem” quase em cada forma, cada som, cada atitude… como disse adorei o filme e espero que tenha deixado muitos do que o viram a pensar nas questões importantes que levanta.

    Beijinho,
    FATifer

    ResponderEliminar
  27. FATIFER, como diz uma menina lá atrás, "como é que uma lata daquelas consegue transmitir tanta ternura?", comentário que resume o post à sua essência.

    Ainda não encontrei ninguém que não tenha adorado. E sim, os putos gostam, acham piada ou até se comovem aqui ou ali (pelo menos os mais sensíveis), mas não entendem inteiramente todas as mensagens que se podem descortinar!

    Beijinho!

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)