sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

LEITURAS DE 2016

Em 2016 li 43 livros, mas nem todos foram boas escolhas. Descontando até aquele policialzeco que se lê porque é o que cabe melhor na mochila, quando sabemos que vamos "secar" na sala de espera do dentista - e depois, já agora, queremos ler o final - houve outras desilusões com livros até mais ou menos badalados: "A Rapariga Dinamarquesa", "As Gémeas de Gelo", "Solar", etc. e tal. Sobre eles escrevi na devida altura, não vale a pena bater mais nos "desconchavadinhos". 

Sobre outros nem me dei ao trabalho, mas aviso todos os leitores incautos que os dois policiais que li de Dick Haskins foram simplesmente para esquecer: datados e sem ponta por onde pegar, com finais completamente estapafúrdios e sem nexo. Claro que só custaram 50 cêntimos cada um, mas tenham dó!

No entanto, estou aqui para falar do melhor que li e não do pior. E neste capítulo não posso deixar de referir a tetralogia de Elena Ferrante:

Na verdade, aqui só dei a minha opinião sobre o primeiro volume "A Amiga Genial", até  porque não consegui encontrar um modo de falar dos restantes sem revelar demasiado sobre o desenvolvimento dos diversos enredos (em causa estão várias famílias ao longo de cerca de seis décadas), o que eventualmente desinteressaria futuros leitores. Não é pior que bater na avó, mas anda lá perto... No geral posso dizer que foi das melhores leituras do ano, mas por vezes tive de parar a leitura, para retomar o fôlego da emoção e da intensidade dramática que transborda. Aqui e ali também uma conversa mais chatóide sobre política italiana (quase sempre), mas que não tira o mérito e o interesse ao restante conteúdo. Sei é que é uma leitura séria, mesmo com vontade de ler o volume final deixei-o para depois de férias, pois não combinaria com a descontração desejada para as mesmas. Ah, e claro, não sei ao certo se devo classificar a tetralogia de romance ou biografia, na volta é um híbrido...

Se me perguntarem qual foi o romance que mais gostei em 2016, não tenho dúvida em responder que foi "A Peregrinação do Rapaz sem Cor", de Haruki Murakami. Logo seguido de "Amores Secretos" de Kate Morton - que deve ter sido a autora que mais li este ano, a par de Mary Higgins Clark - e de "A Decisão Final do Major Pettigrew", de Helen Simonson. Todos muito diferentes, o primeiro atual a abordar um dos nossos piores medos - o da exclusão - o segundo um romance que entrelaça o presente e segredos do passado, o terceiro já mais leve, até com laivos de comicidade, sobre o amor na terceira idade.

Como policial, "O Domador de Leões", de Camilla Läckberg levaria a taça, se taças houvesse a distribuir, seguido de perto por Jo Nesbo e o seu fenomenal "O Fantasma", cuja continuação (?!?) saiu agora em Novembro e já estou "em pulgas" para ler...

Em 2016 só li três livros lusófonos, dois do Jô Soares - que são mais uma paródia do que outra coisa - e com os quais me diverti enormemente e este de João Pinto Coelho, o qual foi uma surpresa de que gostei bastante, à exceção de um segmento final. Portanto, "Perguntem a Sarah Gross" faz parte deste "ramalhete", digamos assim.

Resumindo: se decisões de início de 2017 houvesse aqui para estas bandas, não seria ler mais, mas ler melhor!

Agora quero ver aí o feedback desse lado e saber qual foi o livro ou livros que cada um de vós mais gostou em 2016. E não venham com a conversa mole de ando sem vontade de ler, não me lembro do título, etc.e tal. Se não leram, não leram, se leram satisfaçam a minha curiosidade...

BOAS LEITURAS
e
BOM FIM DE SEMANA!

26 comentários:

  1. Muito obrigado pelo seu comentário e já li uns quantos desta magnifica lista de leitura.
    Um abraço e Bom Dia de Reis.
    Livros-Autografados

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada,FRANCISCO! :)

      Abraço

      Eliminar
  2. Os únicos que já li da tua lista de 2016 foram O elefante evapora-se do Murakami e O Advogado do Grisham.
    As minhas leituras do ano findo, foram bem menos que as tuas mas ainda assim, de repente, não me vou lembrar de todas. Tenho este grave problema do esquecimento... Li Vergílio Ferreira (Alegria Breve, Aparição, Carta ao futuro); J. Rentes de Carvalho (Pó, cinza, recordações) de quem estou agora a ler A amante holandesa; Haruki Murakami (Sputnik meu amor); Isabel Allende (O amante japonês), Paul Guimard (Rue du Havre) - uma releitura; JLBorges (História universal da infâmia)... e li muitos contos da revista Granta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em compensação, LUISA, da tua lista só li o Sputnik. Confesso que tenho uma enorme ignorância em relação a Rentes de Carvalho e mesmo de Vergílio Ferreira só li "Manhã submersa", há muitos anos. E lembro-me de ter gostado muito, mas não constava da biblioteca do meu pai, nunca mais calhou ler nada dele... ;)

      Eliminar
  3. A tetralogia de Elena Ferrante foi a leitura que mais me entusiasmou. Lembro-me de esperar o fim do mês para comprar mais um. Agora gostaria de ler qualquer outra coisa da autora. Também li Rentes de Carvalho, "Pó cinza e recordações" um diário com interesse; e mais dois livros que julgo serem Rebate e um outro de que não lembro o título. reli Mataram a cotovia obra que muito gosto e morreu Harper Lee e assim. Há pouco tempo li Casa Rossa de Francesca Marciano e também foi desopilante. LI vários outros e até penso que gostei deles, mas o amor que lhes ganhei não foi suficiente para os emprestar ou oferecer. E depois há aqueles que são de ir lendo, para pensar, calhamaços que me agradam, que começo num ano e vou lendo pela vida, que repito capítulos, páginas sublinhadas ou marcadas...enfim. E há a poesia que não leio de enfiada. Que leio por vezes nos blogues e quando me apetece. Eugénio de Andrade é o único poeta que sempre me apetece. Mesmo a sua prosa me apetece. E depois houve a releitura de Vergílio Ferreira e do Para Sempre e das Cartas a Sandra de que gosto a mais não poder. Na verdade, que li pouco este ano. Reparo que todos os livros que aqui citei não estão comigo, andam por aí emprestados. E também que de todos fiz oferta:).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também tenho muita curiosidade em ler o seguimento do livro de Harper Lee, cujo original li pela primeira vez há poucos anos, BEA. E também tenho curiosidade de ler outro livro da Ferrante. Tenho de bisbilhotar essa Francesca Marciano por aí, que também gosto de desopilar... :)

      Eliminar
  4. Não li tantos como tu, nesta altura estou a devorar "A rapariga que inventou um sonho" Do Murakami, estou a adorar.

    Beijinhos Teté

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse ainda não li, MANU, mas está na lista... :)

      Beijocas!

      Eliminar
  5. Tinha pensado em que a minha decisão para 2017 também seria essa, ler melhor :)
    Cheguei aos cinquenta e cinco livros, mas grande parte não são bons livros. Vou espreitar a minha lista para ver quais poderão ser os melhores...

    ResponderEliminar
  6. Já de volta, os melhores serão, tchan, tchan, tchan, tchan:
    Carta à Mulher do Meu Futuro de Péter Gárdos
    Eu sou proibida de Anouk Markovits e
    Histórias que as Mulheres Contam de Isabel do Carmo

    um beijinho e bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tinha lido por aí que também tinhas decidido ler melhor, REDONDA (é o que dá visitarmos alguns dos mesmos blogues...)! Mas dadas as circunstâncias acho que é uma decisão assizada...

      Quanto aos teus prediletos de 2016, escusado será dizer que não li nenhum,mas tomei nota... ;)

      Beijinhos

      Eliminar
  7. Gosto sempre de ler estas tuas postagens. Há alguns (dos que mencionas) que vou tentar ler.
    No ano passado não fui muito organizada a anotar os livros que li; li imensos romances (de final sempre feliz) que me dispõem bem; reli outros tantos e como foram lidos em modo “binge”!! – não achei necessário tomar nota.
    Alguns de leitura “mais” séria e de que gostei muito:

    Os de Elena Ferrante
    Um Homem Chamado Ove (ri e comovi-me)
    A Rapariga que Salvou o Rei da Suécia de Jonas Jonasson
    O Centenário que fugiu pela janela e desapareceu de Jonas Jonasson (recordo-me de teres lido este no ano anterior)
    O Silêncio de Bonaventure Arrow de Rita Leganski (muito interessante)
    Major Pettigrew – gostei que tivesses gostado!!
    A Cadeira da Sereia de Sue Monk Kidd
    Um dos que estou a ler é o último de John Grisham, The Whistler, melhor que o penúltimo.

    Bjos


    ResponderEliminar
  8. Esqueci-me de mentionar um livro que li para um dos Clubes de Leitura organizados pelas bibliotecas: As nossas almas à noite de Kent Haruf; e Plainsong do mesmo autor que ainda é melhor que o anterior. Vale a pena ser estes dois.
    : )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta tua lista é espetacular para os tempos de feira do livro, onde se encontram grandes pechinchas de livros que já saíram há mais de 18 meses, CATARINA! Como o major, que comprei bem baratinho em Portimão. Vou aguardar, que agora tenho muito para ler...

      Também não sabia que Jonas Jonasson tinha um novo livro, também achei um piadão ao centenário. Talvez procure esse antes, já que não deve ter desconto...

      Eu vou tirando fotos aos livros que leio, de modo que estão sempre num ficheiro do Picasa, depois no fim do ano é só fazer a contabilidade...

      Beijocas

      Eliminar
  9. Foi muito fraco em matéria de leitura o meu 2016. Dos que menciona só li mesmo o do Murakami. Também li a Rapariga que roubava livros, o Postais de Detroit do João Ricardo Pedro, Ernestina do Rentes de Carvalho. o Homem Fatal do Nelson Rodrigues,Tia Júlia e o Escrevedor e Cinco Esquinas de Mario Vargas Llosa e ( reli) Submissão do Houellebecq. Ah e está-me a escapar o título de um livro divertidíssimo do Bukowski( Como são todos os dele...)
    Este ano comecei a ler o útimo livro do Zafon ( O Labirinto dos Espíritos) e espero ter disposição para ler mais do que em 2016.
    Fico-me por aqui e aproveito para lhe desejar um feliz 2017. Com muita saúde, alegria e boas leituras. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E não está nada mal, para quem diz que leu pouco, CARLOS. A tia Júlia e a rapariga que roubava livros já li em anos anteriores, quanto aos restantes vou juntar a uma "wish list", para a feira do livro deste ano.

      Adorei o primeiro livro de Zafon, depois fiquei desapontada com o 2º e o 3º que li, não voltei a pegar.Quem sabe um dia destes?

      Beijinhos

      Eliminar
  10. Que grande colectânea :))) Fico contente de saber da continuação do Fantasma que não me apercebi que tinha saído :((((
    Bjs e obrigada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda vou demorar tempo a lê-lo, que tenho outros para ler primeiro, PAPOILA, mas estou "em pulgas"... ;)

      Beijocas

      Eliminar
  11. Um ano cheio de leituras.
    Bom e mau.
    Acontece a todos.
    Beijocas, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, sem lermos não sabemos se é bom ou mau, PEDRO, mas de alguns dá para "desconfiar" à partida... ;)

      Beijocas

      Eliminar
  12. Ena, pá, que grande remessa de livros leste este ano, Teté. :))

    Como as grandes superfícies agora também vendem livros, a par dos CTT - sim, porque nas livrarias ainda os vendem :) - estive ontem, quando fui às compras, com "A Amiga Genial" da Elena Ferrante, na mão, mas voltei a pousá-lo, tudo porque agora quero é encontrar "A Ronda das mil belas em frol" do Mário de Carvalho.

    Que 2017 seja um bom ano de leituras fantásticas e passeios maravilhosos, Teté. :)

    Beijocas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, esse livro do Mário de Carvalho está a fazer grande sucesso entre as nossas amigas, JANITA. Também está na minha lista... :)

      Boas leituras e passeios para ti também!

      Beijocas

      Eliminar
  13. Bom , não li , acho eu, tantos livros como tu, mas li bastantes - embora de géneros diferentes :)

    Boas leituras e feliz 2017.

    Beijufos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É, SÃO, eu praticamente só leio ficção e tu só lês não-ficção - nunca teremos uma lista de livros lidos similar... :)

      Boas leituras e beijocas!

      Eliminar
  14. Olá Teté!
    Bem, a tua lista de leituras é fantástica!
    A minha é curta: 34 (contando com "Livro do desassossego", de Fernando Pessoa que é para ir lendo, com calma).
    Fiz poucas leituras novas em 2016. Reli mais, lamentavelmente. Destaco 4:"Em teu ventre", de José Luís Peixoto; "As primeiras coisas", de Bruno Vieira Amaral, "Homem na escuridão", de Paul Auster; "Istambul", de Orhan Pamuk e o hilariante "Histórias curtas", de Rubem Fonseca.
    Quero ler Elena Ferrante em 2017. E reler Eça de Queirós.
    Bjs. Bom ano e boas leituras.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Raramente releio, TERESA DIAS, já que não há tempo para leituras e releituras. Acabei agora de ler "Abraço", do mesmo José Luís Peixoto, e gostei muito, embora seja um livro de crónicas. Dele também tenho outro livro, de outro género, sobre uma viagem que fez à Coreia do Norte. Mas não será para já, que a lista de espera está um pouco longa... :)

      Beijocas e boas leituras!

      Eliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)