terça-feira, 17 de janeiro de 2017

ABRAÇO

Tal como o autor explica nas notas finais, este livro é composto por crónicas publicadas em diversos jornais e revistas ao longo de 10 anos - entre 2001 e 2011, para ser mais precisa. 

Os temas são bastante variados, vão desde recordações de infância a uma velhice imaginada, passando por inúmeros locais, desde a terra natal de José Luís Peixoto e o Alentejo, até a muitos dos sítios por onde viajou. Aqui e ali, especialmente nessas memórias mais antigas, fez-me lembrar um Portugal há muito desaparecido, onde existiam cabines telefónicas, peixeiros, padeiros e leiteiros de porta em porta e crianças a jogar à bola nas ruas, por exemplo. Se o amor aos filhos, aos pais, à família, às mulheres da sua vida tornam alguns textos mais ternurentos e intimistas, noutros cinge-se a factos ou conversas, num intuito provavelmente mais informativo. A literatura está muito presente, o dia a dia também, a série de pensamentos que suscitam podem ser triviais ou completamente "out of the box", como dizem os ingleses.

São 655 páginas que se podem ir lendo aos poucos, já que as crónicas são naturalmente curtas e não seguem exatamente uma sequência. Gostei muito, como de tudo o que li dele até hoje!

CITAÇÕES:
"Desde que cobri o braço esquerdo com tatuagens que sei aquilo que sentem as mulheres com decotes." (pág. 333)

"Hoje, ao contrário de quase sempre, parece-me que há mais verdade no pessimismo dos velhos do que no optimismo dos adolescentes." (pág. 405)

"Às vezes, esqueço-me de que posso morrer todos os dias." (pág. 492)

26 comentários:

  1. Esse Portugal não desapareceu totalmente ainda. Olha que o peixeiro ( e outros) ainda passam por cá às portas. Mesmo com os hipers a curta distância.
    :)
    Também gostei muito de ler esse Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não fazia ideia, LUISA! Lembro-me que em casa da minha avó, aqui a poucos kms de Lisboa, eram "visitas" frequentes há 30 e tal anos... ;)

      Eliminar
  2. É um autor de que eu gosto bastante e este livro ainda não o li mas está na minha lista.
    Um abraço e boa semana.
    Andarilhar || Dedais de Francisco e Idalisa || Livros-Autografados

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Somos dois a gostar, FRANCISCO! :)

      Abraço

      Eliminar
  3. Acabei de requisitar todos os livros em português que a biblioteca tem:
    Livro
    Antídote
    Nenhum Olhar
    Dentro do segredo: uma viagem na Coreia do Norte (recordo-me deste título mas não sei se o li)
    Galveias
    A casa na escuridão
    Cal
    Cemitério de pianos
    Se os receber no mesmo dia, qual deles devo ler primeiro? Qual deles é o melhor na tua opinião? ; )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. CATARINA, não li todos, mas por mim começava por "Galveias" ou "Livro". Porque talvez captem melhor o universo do escritor, nos seus primórdios. A Teresa Dias também tem algumas sugestões para ti nesse capítulo, sendo certo que "cada cabeça..." :)

      Eliminar
  4. Além de um livro de poemas, nunca me apeteceu ler os livros deste autor português, talvez influênciada pelo Diogo, que detesta tudo que o Peixoto escreve.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dada a idade do Diogo (e não vou referir a maturidade, obviamente, que não a conheço e difere muito de pessoa para pessoa!), parece-me que ele ainda tem muito para ler antes de palpitar sobre o interesse (ou desinteresse) de um escritor, EMATEJOCA.

      Como sabes, raramente leio poesia, nem sei classificá-la em boa, má ou assim-assim. Mas mesmo os livros de ficção, ou adoro à primeira, ou não entendo e aí detesto ou, muitas vezes, fico na dúvida e leio 2º e 3º livro para formar uma opinião... ;)

      Abraço para ti!

      Eliminar
  5. Também gostei dele. Considero-o um livro muito aprazível de ler.

    ResponderEliminar
  6. Em lista de espera para ler
    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sua lista deve ser como a minha,PEDRO: quase infindável! :)

      Beijocas

      Eliminar
  7. Ainda não comprei/li. Mas "está na calha".
    Mesmo que se tenham lido esses textos quando foram publicados parece (parece-me a mim) que em livro ganham outra dimensão. Manias...
    Beijokas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei se ganham ou não, KOK, que eu praticamente não compro jornais ou revistas e portanto não leio crónicas aqui e ali, mas que é aprazível de ler, lá isso... ;)

      Beijokas

      Eliminar
  8. Tenho saudades de quando ia à biblioteca !
    beijinho Teté
    Angela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nenhumas, ANGELA! Também só ia lá fazer trabalhos chatos, muito antes da Internet e do Google e assim... :)

      Beijinhos

      Eliminar
  9. Gosto muito da escrita deste autor, acho leve e que se lê facilmente.

    Beijinhos Teté

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo absolutamente, MANU. Sou daquelas que não consegue ler Saramago, por exemplo... :)

      Beijinhos

      Eliminar
  10. Também tenho o "Abraço", também fiz um post sobre o livro e o autor que gosto muito de ler. Inclusive as crónicas que escreve na revista NM. Como o livro tem as letras demasiado miudinhas para a minha visão, cada vez mais deficiente, e tem essa vantagem de não ser um romance continuado, acho que ainda não li as suas 655 páginas. Folhei-o agora, ao acaso, e coisa curiosa, abriu-se mesmo na página 381 e no início de uma curta crónica com o sugestivo título: "Uma jibóia a comer o Barack Obama"!
    Ele há coisas...

    Beijinhos, Teté.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um livro que se pode ir lendo, sem perder pedaço, JANITA! E sim, as letras miudinhas são uma chatice, no meu caso normalmente indiciam que preciso de trocar as lentes dos óculos... ;)

      Beijocas

      Eliminar
  11. Olá Teté,
    Já li quase tudo de José Luís Peixoto.
    "Abraço" é uma colectânea de contos deliciosos.
    "Em teu ventre" é deslumbrante. Aconselho vivamente.
    "Livro" é desconcertante mas inesquecível. Leiam p.f.
    "Uma casa na escuridão" é estranho, triste e angustiante. Hum... não gostei.
    ...
    Venham mais... Luís.
    Bjs. e bom fim-de-semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não li tantos, TERESA DIAS, obrigada pelas tuas sugestões. Fora esses, li "Galveias" e "Cemitério de pianos", tendo o seu livro de viagem à Coreia do Norte ainda pendurado na estante à espera de melhores dias (não é muito o meu género de leitura)... ;)

      Mas sim, que o Zé Luís dê com força no teclado, que a gente está cá para o ler! :)

      Beijocas

      Eliminar
  12. Gostei muito de Galveias e Em nome do Pai, os dois livros que li dele. Beijinhos e bom FdS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse segundo não li, CARLOS, descobri que ele até tem mais livros publicados do que eu supunha... :)

      Beijocas

      Eliminar
  13. Por acaso não sou muito fá deste autor... Tamb´m só li dois livros dele, mas... Gostos!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também só li 4, GRAÇA, mas gostei de todos. Embora já me tenha acontecido gostar muito de um escritor e não gostar de um livro específico desse mesmo autor...

      Beijocas

      Eliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)