domingo, 13 de outubro de 2013

SEM ARREPENDIMENTOS!

Fez esta semana 50 anos que Édith Piaf desapareceu, facto que a Luisa (francófona empedernida) não se esqueceu de evidenciar atempadamente.

Em meados (ou finais?) dos anos 80 ouvia muito do seu vasto reportório - interpretado por Mila Ferreira, acompanhada ao piano pelo seu marido - num pequeno bar ali para as Janelas Verdes. Não sei se foi daí que me veio o gosto pelas suas canções. Certo é que tantos anos volvidos ainda a oiço (não a ouvimos todos?) com enorme prazer e possivelmente o seu mito perdurará ainda por várias décadas... ou mais. "Non, je ne regrette rien" deve ser uma das suas canções mais famosas e é também a minha preferida: 


Tenham um bom domingo, sem qualquer espécie de arrependimentos...

Imagem da net.

14 comentários:

  1. Também a recordei num dos meus blogues...

    Bon dimanche, amie!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E fizeste muito bem, SÃO, que ela merece... :)

      Boa semana, amiga!

      Eliminar
  2. Respostas
    1. É sempre bom não deixar passar estas datas, MAR ARÁVEL... ;)

      Eliminar
  3. Parece mentira que uma voz assim tenha tido uma vida tão infeliz. Apenas Theo lhe deu a felicidade, mas já estava no fim.
    O título da canção é enganador, pois ela lamentou tudo.
    Bem vinda amiga, depois dessas férias de 23 dias. Estavas com inveja de mim? Chegou agora a minha vez.
    Nem sei se já estás a 100% ou ainda a recuperar.
    Um beijinho Teté

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma vida infeliz, sem sombra de dúvida, KIM! O título da canção pode ser enganador, mas eu continuo a gostar... :)

      Férias? Inveja? Nananinaná, desejo do fundo do coração que corra tudo o melhor possível contigo, meu amigo!

      Nem a 100%, nem a recuperar, ainda me faltam outras consultas e exames, só que é uma grande alegria já estar fora do hospital, pois para quem não se sente doente e não faz tratamentos para lá de um comprimido para a febre (quando era o caso), o tempo parece não passar dentro daquelas paredes... :P

      Uma grande beijoca para ti!

      Eliminar
  4. Eu, francófono assumido, ando tão embrenhado na Festa do cinema francês, que deixei passar a data. A Piaf é eterna e também eu ouvia as suas canções, interpretadas por uma senhora cujo nome não me recordo, no "Quando o Piano Toca", um piano bar do Zé Cabeleira numa rua atrás do Sheraton. O bar de que fala ali para as Janelas Verdes não era o do Paulo de Carvalho?
    Beijinhos e boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não faço a menor ideia a quem pertencia o bar, sei que a última vez que lá fui dei com o nariz na porta, pois tinha mudado de gerência, CARLOS! :D

      Confesso que se não fosse a Luisa, também me tinha passado ao lado! ;)

      Beijocas e boa semana!

      Eliminar
  5. Há sempre alguma coisa de que nos arrependemos. Mas não de ouvir Piaf. :)
    O domingo está quase no fim. Desejo-te já uma boa semana. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que há, LUISA, mas que sejam coisas pouco importantes, como uma resposta torta ou uma falta de paciência, nada daquelas coisas que lamentamos a vida inteira... :)

      E sim, ouvir a Piaf sabe sempre lindamente! :D

      Boa semana para ti também!

      Eliminar
  6. Vim só dar-te um beijinho :)

    Já estás boa? :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então outro beijinho para ti, MARIA! :)

      Boa pergunta, mas não sei! Faltam mais consultas e exames, mas só já ter regressado a casa faz-me muito mais feliz! ;)

      Eliminar
  7. Gosto muito dessa canção.E da Edith só sei o que leio e as coisas que minha mãe fala sobre a mesma.Ela,como muitas outras divas talentosas e sofridas pelas coisas da Vida.Boa recordação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Somos duas a gostar, KÁTIA! Edith é praticamente um mito em França e noutros países com tradições francófonas, embora obviamente não se compare com os hollywoodescos. Outra forma de mitomania, menos comercial, diria... ;)

      Eliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)