quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

A GALINHA DA VIZINHA...

Fotografia de Ian Britton

Não tenho galinhas! De modo que se uma vizinha tiver uma franguita assim a dar para o depenado, num galinheiro improvisado na banheira da casa de banho, de certeza que é mais gorda que a minha... descontando as pernocas de frango armazenadas no congelador, até ao dia em que chegarem ao tacho, evidentemente!

Assim, no seguimento do desafio da Ematejoca, confesso ser totalmente isenta do pecado da INVEJA. Aliás, por de todos os 7 (ou 13?) ser o que mais me perturba e confunde os neurónios. Suponho que todos desejamos ter uma vida boa, com o conforto necessário e sem grandes preocupações com os euritos a escassear, no fim do mês. Uma ambição comum! Mas se a vizinha tem carro novo, ou o amigo uma aparelhagem B&O ou o colega de emprego comprou um ecrã plano gigantesco para a sua sala? Que bom, não é?! Haja felicidade, cada um a seu modo!

Outra ambição normal, para lá da questão material, é garantir uma profissão onde se tem prazer em trabalhar (independentemente da remuneração mensal e de horários a extravasar o estipulado), um bom marido/mulher que partilhe connosco alegrias e tristezas no dia a dia, eventualmente um bando de filhos alegres, simpáticos, saudáveis e inteligentes. Quem consegue este "pacote" todo é, sem dúvida, afortunado! Uma coisa é desejar tudo isso, outra é ficar enressabiada por alguns atingirem essa meta...

Pecado talvez seja ter pena, como a galinha, dos dotes artísticos não serem fabulosos - nem pouco mais ou menos - para várias áreas que admiro bastante. Mas se não sei tocar guitarra e nem sequer tenho unhas para isso, porque é que haveria de ser invejosa?

Quase santa, não é?!

*******
Adenda:

Parabéns, Myllana!

28 comentários:

  1. Ambiciosa sou qb mas juro que também não sou "imbejosa" .

    Mas vendo bem, olha que as "tuas galinhas" são mais desempoeiradas que as 2 "penosas" que o manel tem no galinheiro lá de casa eheheh

    Já a minha mãe dizia

    "Galinha pedrês, não a comas nem a dês" ahahahah

    ResponderEliminar
  2. Bom Dia Teté

    E estas galinhas são lindas. Prefiro vê-las no galinheiro do que na panela. Sempre tive desgosto por não ter queda nenhuma para a música, sou dura de ouvido que baste, mas não invejo quem sabe tocar ou cantar, admiro.

    Beijinhos
    Isabel

    ResponderEliminar
  3. Ah, ah, ah, PASCOALITA, a minha avó também teve uma única galinha (consta que era preta, que nunca a vi!), que a seguia como um cão, nunca deixou que ninguém a pusesse na panela e acabou-se logo o galinheiro... em toda a família!
    Quer dizer, exceptuando o blá-blá-blá, quando estamos todos juntos, que às vezes até parece outra espécie de galinheiro... :D
    Ambiciosos qb? Quem não é, que atire a primeira pedra... :)

    Não tenho para a música, nem para a pintura, nem para os bordados, nem para a escultura, ISABEL, entre tantas outras falhas! Mas gosto de ver quem tenha...
    Na culinária ainda me safo, com ou sem frangos...
    Beijinhos e Bom Dia (que está bom mesmo por aqui, de sol e céu azul)!

    ResponderEliminar
  4. a inveja, na minha opinião, surge sempre por parte de incompetentes ou incapazes! e quando vêm alguém que até se esforça para ter algo, também querem!

    espero que nenhuma das tuas vizinhas tenha frangas! imagina só se ela decide soltar a franga aí na zona...

    ResponderEliminar
  5. De acordo, VÍCIO! Querem o mesmo, mas sem a parte do esforço...

    Para vizinhas de franga aviada, o franganote é capaz de estar mais à altura, com um léxico que aprendeu a ver futebol... :D

    ResponderEliminar
  6. Pois eu agora fiquei invejosa das galinhas que aí tens no poleiro....ahahahahahah

    Eu gosto tanto de ver pessoas felizes a m/volta que não invejo nada do que elas possam ter e eu não.

    Desse pecado não sofro, mas infelizmente acho que cada vez há mais quem sofra.....

    Parabens ao teu amigo.

    Beijokitas

    ResponderEliminar
  7. Olha, aí está uma coisa de que tenho pena, como a galinha, PARISIENSE: não tirar fotografias destas!

    Também simpatizo bastante mais com a felicidade, do que com invejinhas ridículas. Não se morre aos poucos, por dentro? Vidas perfeitas, não conheço nenhuma! Por mais que alguns queiram aparentar... ehehehe

    A Myllana agradece! ;)

    Beijoquinhas, nina!

    ResponderEliminar
  8. Nunca fui invejoso! Fico feliz quando amigos conseguem almejar o que pretendem.
    Mas sou ambicioso!

    ResponderEliminar
  9. Então, por aí, somos dois, RODERICK!

    Ambiciosa, já fui mais... (enquanto não alcancei parte do que almejava, né?) :D

    ResponderEliminar
  10. Galinha velha dá uma óptima canja!

    ;)

    ResponderEliminar
  11. Ui, REI, mas é dura de roer...

    E canja, não é muito a minha manja! :)))

    ResponderEliminar
  12. Quase santa e quase humilde! lololololol...mas adorei ler esta tua pequena crónica sobre a Inveja. Podias escrever para o Expresso. Substituias em grande muitos dos cronitas que por lá proliferam!
    Bjs grandes.

    ResponderEliminar
  13. Ah, SU, cruzámos-nos nas linhas...

    Humildade não direi, mas quando chegar ao "capítulo" da Soberba, logo falarei no assunto...

    Compro o Expresso todas as semanas, não leio nem metade, mas como dizia um antigo colega meu, "aquilo vende-se ao quilo"!

    Beijocas, amiga!

    ResponderEliminar
  14. a ideia não é completamente minha mas subscrevo-a, isto é, a inveja é uma coisa positiva, nunca deveria ser um pecado. invejar alguém é admirar esse alguém e querer para si o que esse alguém já conseguiu.

    claro que não se fala em inveja patológica, aquela que bloqueia, antagoniza, aquele sentimento doentio não de querermos para nós o bom que os outros têm mas querer mesmo o que os outros têm. não estou a falar no ressentimento de os outros terem, ou serem, algo que nós não. mas isso nem sequer é inveja, é estupidez e, talvez, maldade.

    inveja parece-me quepode ser um poderoso instrumento motivacional, nunca um pecado.

    Moyle, o pseudo-filósofo :D

    ResponderEliminar
  15. Oi Teté :)
    Pura falta de tempo ...Mas fiquei muito feliz com tua homenagem.
    Muito obrigada mesmo.Adorei;)
    Boa semana

    ResponderEliminar
  16. Exactamente menina, eu sou assim; qual inveja qual carapuça isos não cabe dentro da gente...se alguns sabem fazer artes e mais coisas, decerto sabes tu fazer outras bem boas e elas não..é assim mesmo, se todos fizermos as mesma scoisas, imagina a pasmaceira do mundo!...Tenmho amigas que me dizem; ai quem me dera escrever como tu, eu não faço uma linha, ams fazem outras coisas lindas que eu nem sei, e assim...todos iguais e todos diferentes, aí é que está o encanto da vida...Beijinhos e que lindas galinhas...

    ResponderEliminar
  17. Ó MOYLE, pseudo-filósofo, admirar é uma coisa, invejar é outra! E posso admirar alguém, sem isso significar que gosto da pessoa. Posso dar um exemplo: o tio Marcelo Rebello de Sousa! Admiro-o por ser culto, inteligente, ter o dom da palavra! Acredito em tudo o que ele diz? Não! O homem é faccioso, tendencioso e ainda por cima venenoso. Quando lhe dá jeito, até mentiroso (não conheces a história da vichysoise?)
    Agora se alguns se motivam, por verem o que os outros têm e capricharem para conseguir obter igual ou melhor, a isso já não chamo inveja, mas ambição, o que me parece um sentimento saudável (embora não em demasia, como é óbvio)... ;)

    Boa semanita para ti também, MYLLANA! :)))

    Ah, LAURINHA, as "minhas galinhas" têm sido muito elogiadas... :D
    Bem me parecia que pensavas do mesmo modo que eu. Se toda a gente gostasse do amarelo, que seria do vermelho, né? Assim são as pessoas: todas diferentes, dentro de certos traços comuns!
    Beijoquinhas, nina!

    ResponderEliminar
  18. não sei se admirar e invejar serão assim tão diferentes. o Marcelo (que em recompensa pela vichyssoise teve direito a uma facada nas costas) tem coisas que admiras, que gostarias de ver em ti, ou seja, parece-me uma definição bastante próxima da inveja. do mesmo modo, ambição e inveja, para mim, são quase sinónimos.

    independentemente do resto, acho que passa tudo por uma questão de grau... se for patológico é pecado, se não for é saudável. mas isto digo eu que não como a história dos pecados :)

    ResponderEliminar
  19. Mas eu também não creio nestes pecados "mortais", MOYLITO! Como disse no primeiro post sobre o tema, parece-me mais invenções "acumuladas" ao longos dos séculos...

    E também não nutro grande simpatia pelo PP, mas que a facadita foi merecida, lá isso... :)))

    Quanto à diferença entre inveja e ambição, distingo sim: uma é a pessoa tentar alcançar certos objectivos pessoais ou materiais; outra é estar-se a roer porque o A e o B conseguiram isto ou aquilo. Quando muito, o que chamo de inveja, é aquilo que tu denominas de patológico! :D

    ResponderEliminar
  20. Estou contigo, Teté! Também é um dos pecados que não tenho. Não me faz cócegas o facto de não ter o que outros podem ter...

    ResponderEliminar
  21. Ah! Mas eu tenho galinhas! E muitas!! :)

    ResponderEliminar
  22. A mim não me faz cócegas nenhumas e no caso dos amigos até fico contente por eles, TONS DE AZUL!

    Eh, eh, eh, achei piada a essa das galinhas, que obviamente não tenho nada contra quem tenha - estava só a aproveitar o ditado - mas convenhamos que no 6º andar de um prédio urbano não dá muito jeito... :D

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  23. bom, invejosa, invejosa também não sou!!!

    gosto do que tenho, o dos outros não me serve: não é meu

    (mas diria também: quase santa eheheh)

    bsj

    ResponderEliminar
  24. Ora que bom, LEONOR, ter uma parceira na quase santidão... :)))

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  25. Bem-vinda, RITA M!

    Obrigada! :)

    ResponderEliminar
  26. Rita M2/18/2009

    Sabe quem é a Rita M. certo Teresa?

    ResponderEliminar
  27. Errado, RITA M.! :)))

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)